origem

segunda-feira, 26 de março de 2012

Para quando o mesmo tratamento para com o Clube?

O departamento de comunicação lançou hoje um comunicado a questionar a veracidade das noticias veiculadas desde sexta feira, que relatavam o puxão de orelhas do presidente a jogadores e equipa técnica.
Concordo! A 100%! Se é falso à que denunciar. Mas denunciar sempre!

Durante a época actual, já foram vários os ataques rasteiros que o Clube sofreu, sem que semelhantes medidas tivessem sido aplicadas por parte do departamento de comunicação. 
Assim de cabeça lembro-me dos ataques de Vitor Pereira (aos quais Jesus sempre respondeu, quando tal não é a sua função, causando-lhe muito desgaste e desviando-o do que é essencial) que se referiu a bloqueios, faixas, caceteiros e outras coisas mais. Lembro-me também da "guerra" com a Olivedesportos/TVI com resumos dignos de filmes do Hitchcock em que se pediram penalties por faltas na área do adversário e por lances normais junto à linha lateral, etc. E ainda as variadas "contratações" pomposamente anunciadas e re-anunciadas. Tipos como o Serpa a chamarem de miseráveis a benfiquistas que com muito sacrifício se deslocaram a Manchester. Tipos como o M. Queirós, Bernardino Barros, e tantos outros a achincalhar constantemente o Benfica.

A tudo isto respondemos com silêncio. Em teoria é deixá-los a falar sozinhos, o que até aprecio, mas na realidade o nosso silêncio é sempre visto como uma carta branca para fazerem o que querem. Ainda para mais depois do que se obteve com o Apito Dourado (uma valente mão cheia de nada) é claro para mim que a tendência é para isto escalar cada vez mais. Há 10 anos atrás ninguém se atrevia a "marcar" penalties contra o Benfica, por ocorrências fora da área... Nos dias de hoje é o que se vê. Uma completa desavergonhice para com o Benfica. 

Preconizo o seguinte modelo para um Departamento de Comunicação À Benfica!
  1. Ter um, dois, três, ou os  funcionários necessários a ver TV, ler jornais, ver os jogos TODOS (televisionados e não televisionados) e a criar relatórios com o que foi dito, escrito, feito que possa ser considerado como ataque ao Benfica (ou como beneficio para outrem às custas do Benfica)
  2. Ter uma pessoa como João Gabriel a 100% no clube, de modo a gerir uma equipa de pessoas que analisem os relatórios e componham as respostas necessárias. A defesa efectuada até agora é boa quando existe. Tem de existir mais vezes. Tantas quantos ataques que sofremos.
  3. Criar um programa semanal na TV e jornal do Clube com a análise isenta aos vários lances. Não só os contra mas os a favor também, para que depois haja moral para falar publicamente acerca do estado de coisas.
  4. Dizer claramente à equipa técnica e aos jogadores que eles só falam de futebol. Quando muito podem referir-se a arbitragens porque os afecta directamente. A tudo o que seja extra futebol (contratações, diz que disse dos outros treinadores/dirigentes, polémicas laterais, etc) a resposta é (deve ser) sempre a mesma: "Não comento assuntos extra-futebol. A seu tempo o Gabinete de Comunicação emitirá a posição do clube" Ao fim de 3 meses acabavam-se as polémicas nas conferências de imprensa do Benfica. 
  5. Dirigentes do Benfica não DEVEM/PODEM fazer parte de programas semanais de televisão. Não é para isso que foram eleitos. PONTO!
  6. Os dirigentes do Benfica, devem falar pontualmente, sempre com a coordenação do Gabinete de Comunicação e nunca a quente. É imperativo, que os dirigentes apenas falem, quando tenham algo importante a dizer. Falar por falar não é À Benfica!
A estes pontos, podiam ser adicionados outros que se considerem pertinentes, depois da implementação do modelo, pois nada é perfeito à primeira.

Podem ver muito disto aplicado no site www.anti-benfica.com, onde são desmontados os ataques ao nosso clube. Pena é, que muito pouca gente tenha acesso a tal site (na maior parte dos casos por desconhecimento).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.