origem

quarta-feira, 28 de março de 2012

Ainda o Castigo de Aimar

Para quem não sabe, o lider do Conselho de Disciplina da Federação, que é responsável pela atribuição de penas e castigos, chama-se Herculano Lima. Este individuo, teve (tem?) cativo no Estádio do Dragão durante muito tempo, onde se juntava à multidão que quinzenalmente grita pelo Benfica...

Recordando o seu percurso no Futebol Português, perceber-se-á perfeitamente quem é este senhor e o que veio fazer:
  • Entrou na Federação Portuguesa de Futebol em Janeiro de 2007, para o cargo de presidente do Conselho de Justiça, na altura incumbido de julgar as penas a aplicar no âmbito do processo Apito Dourado (Apito Final). Nada foi feito nesta altura! Demitiu-se em Novembro do mesmo ano, em conflito com a decisão de reduzir a pena aplicada a Valentim Loureiro, de 6 meses, para 100 dias, que na prática implicou que o major não tivesse de renunciar ao mandato que ocupava, como presidente da mesa da AG. Até parece um homem integro não é?
  • Passados 3 anos, em Junho de 2010, entra com pompa e circunstância na lista única de Fernando Gomes para ser o presidente do Conselho de Disciplina da Liga. Teve a missão de "substituir" da "melhor" forma Ricardo Costa, que tanto "mal" tinha feito ao futebol português. Na altura da "campanha eleitoral" prometeu que os regulamentos seriam aplicados sem olhar aos nomes dos clubes. A realidade foi, porém, mais do mesmo nebuloso e podre tráfico de influências. Após os acontecimentos surreais, a 2 de Maio de 2010, no Porto, aquando do jogo entre o Porto e o Benfica, que poderia decidir o campeão (em caso de empate ou vitória encarnada), era esperado que se defendessem os adeptos de futebol de arruaceiros e trastes. Na realidade, 2010/2011 foi ainda pior. Casos gravissimos de bolas de golfe nos estádios (com jogadores encarnados a serem atingidos) sem que houvesse a mínima punição para os prevaricadores. As penas disciplinares eram risíveis, tudo permitindo, desde que não fosse o Benfica a prevaricar (que também o fez). 
  • Assim que foi formalmente aceite a transferência de poderes da Liga para a Federação, (após muita luta no sentido de adiar ao máximo a mudança, para colocar os joguetes em posição na Liga) e com o apoio encarnado, Herculano Lima seguiu Fernando Gomes rumo à Federação, para ocupar o cargo de presidente do Conselho de Disciplina. Os motivos são mais que óbvios: não perder o poder decisório conquistado ano e meio antes na Liga
Esta decisão acerca do castigo aplicado a Aimar é mais do mesmo. Quando Herculano (ainda) estava na Liga, James Rodriguez agrediu a soco um adversário em Santa Maria da Feira, tendo-lhe sido aplicada uma pena de um jogo de suspensão, impedindo-o de defrontar o Benfica, 6 dias depois no Dragão. A moldura penal para tal acontecimento é de 1 a 10 jogos. Vou repetir, UM a DEZ jogos de suspensão, que dependem de vários factores, entre os quais reincidência.
Volvidos alguns meses, já na Federação, O mesmo Herculano (o "seu" Conselho de Disciplina) decide aplicar uma pena de 2 jogos de suspensão a Aimar, impedindo-o de jogar com Braga e Sporting. A moldura penal para o caso de Aimar, que é entrada violenta, é de 1 a 4 jogos de suspensão. Vou repetir novamente, UM a QUATRO jogos de suspensão. Novamente este castigo depende de vários factores, entre os quais a reincidência.

Em ambos os casos, foi a primeira falha dos jogadores, logo não são re-incidentes. A diferença entre estes dois casos (e que demonstra bem qual o propósito de ter indivíduos destes nos cargos de decisão), é que num deles, houve agressão sem bola e no outro houve entrada violenta na disputa da bola. Qual a razão para a disparidade absurda no julgamento dos dois casos? Simples, é o cativo no Dragão o factor decisivo para a disparidade. Não coloco em causa a pena a Aimar, pois sou um defensor da punição exemplar para entradas violentas (ao estilo inglês ou uefeiro), mas sim a diferença de tratamento sempre em prejuízo do Benfica. O Herculano sabe bem o que faz!

O que mais me custa é que isto se passa/passou tudo com a nossa cumplicidade! Em vez de nos fortalecermos na luta contra este estado de coisas, demos as melhores armas e munições a esta cambada de corruptos.

PS: Não está aqui em discussão se a entrada de Aimar é para vermelho ou não. Pessoalmente aceito perfeitamente a decisão do árbitro. Acontece que, a partir do momento em que o árbitro assinalou a falta e expulsou o Aimar, este tem de ser punido segundo os critérios da moldura penal vigente.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.