origem

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Pedidos de Natal

Querido Pai Natal,

Para este Natal gostava de receber os seguintes presentes:

  • Um presidente que ame verdadeiramente o clube.
  • Um treinador que seja humilde e competente.
  • Jogadores que suem o litro pela camisola que vestem, Que tenham sempre a atitude correcta em qualquer jogo.
  • Adeptos que não se resignem à má sorte e que almejem a algo mais.

Eu sei que é pedir muito, Pai Natal. Eu sei. Mas não achas que já paguei o suficiente nestes ultimos largos anos para ter direito a estas prendas?

PS: Esta é para ti Rui!

domingo, 29 de setembro de 2013

Porque continuo em ano sabático deste Benfica


Benfica: Mais um jogo que não vi e mais uma vez que dei o tempo por bem empregue.

Mas como nunca conseguirei ficar indiferente a este clube, aqui ficam umas notas que talvez expliquem porque nos encontramos assim.

  1.   Sem exigência nos sócios, não há exigência em quem dirige. São estes os maiores culpados. Deixam-se comprar com palavras bonitas e promessas levianas. Não ganhamos dois campeonatos com o pássaro na mão e vêm falar de Champions? Temos grandes vendas, mas os prejuízos aumentam sempre. Que assim continuem que o Benfica desaparecerá definitivamente...
  2.   Ter um presidente que em dois meses se contradiz 50 vezes é de génio mesmo. Nem podia ser inventado. O homem que não fala de arbitragens e que só aparece nas derrotas, lá veio dar (mais) uma entrevista assim que se reduziu a diferença pontual para o Porto... Só podia dar mesmo merda. Ainda por cima quando na entrevista à BenficaTV disse o contrário em muitas matérias... A espinha dobra mas não dobra sozinha...
  3.   O que agora se passa no futebol do Benfica já era esperado. Quase todos viram que não havia condições para o técnico continuar. Mas continue-se a pagar um salário principesco para ter resultados medíocres. É o "novo" Benfica em todo o seu esplendor... Dar de mamar a muita gente com prejuízos constantes para o clube
  4.   Mais uma semana em que há ajudas ao Porto e o Benfica é prejudicado. Mas queixar-mo-nos das arbitragens parece não ter sentido quando se apoia (e continua a apoiar) um corrupto (ainda agora recebeu o merecido Dragão d'Ouro). Quando se refere várias vezes que agora os árbitros estão muito melhores. que se impediu um golpe de estado na arbitragem. que o Proença até é um gajo porreiro. Quem não tem poder absolutamente nenhum queixa-se, mas que efeitos práticos tem isso quando ninguém leva o presidente do Benfica a sério?
  5.   Quando daqui a meia dúzia de anos o Porto nos ultrapassar em títulos de campeão, "ninguém" achará estranho ou sequer se revoltará. Foi dos árbitros dirão em uníssono... Foi do tempo. É do treinador. É dos jogadores. Afinal quem poderá julgar quem governa pelos títulos não conquistados? (aparatosos por sinal)

É com tristeza que vejo que cada vez mais isto me faz mal. Muita tristeza em verificar que afinal o melhor foi mesmo desligar-me disto, porque afinal de contas, perder anos de vida com frustrações atrás de frustrações, sendo contra quase tudo aquilo em que se transformou o clube, e não vendo que o panorama vá mudar nos tempos mais próximos, é de um ser louco e masoquista. Como não sou nenhum dos dois assim continuarei de ano sabático. É o que este Benfica me merece.

PS: As quotas do clube continuarão a ser integralmente pagas, como tem de ser.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Encerrado para férias

Venho por este meio informar (por esta altura já repararam) que vou de férias.
Umas férias que provavelmente durarão até Junho do próximo ano.

Um abraço a todos.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

A entrevista que faltava

Acabei de rever a entrevista de Jorge Jesus a José Eduardo Moniz (folgo em ver que a ausência da AG foi só um blip) e só me apetece dizer o seguinte:

  • JEM é de facto um bom jornalista. Fez as perguntas que tinham de ser feitas. Fez as perguntas que eu e arrisco dizer a esmagadora maioria dos benfiquistas fariam a Jorge Jesus.
  • Jesus é isto e não mudará. Bazófia, bazófia e mais bazófia. Se no inicio era giro, agora já passou completamente de moda e tornou-se apenas embaraçoso.
  • A incompetência que grassa no Benfica é notória a cada aparição publica, a cada comunicado, a cada palavra lançada ao vento.
    • Jesus não sabe que Oblak já conta como formado localmente. Não sei se ria se chore, mas sei que Oblak não fará parte do clube enquanto Jesus lá estiver.
    • Jesus anuncia contratações em primeira mão (e a entrevista não foi em directo, por isso tinham mais que tempo para a analisar e retirar a frase que disse) como se não fosse nada importante revelá-lo primeiro oficialmente.

Para 2013/2014 nada mudou. Saem algumas personagens, entram outras, mas os actores principais mantêm-se todos em funções sem qualquer perspectiva de mudança de comportamentos errados ou ideias erróneas. É um oceano em que se navega à vista, fugindo das responsabilidades como quem foge de uma tempestade.

Definitivamente, cada vez mais descrente num sucesso em Maio de 2014.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

A ditadura no Benfica

Na passada sexta feira (finalmente!!), fui um dos que marcou presença na AG de votação do Orçamento do clube para 2013/2014. Como todos sabem eu sou oposicionista desta direcção. Não acredito minimamente em Luis Filipe Vieira e seus pares para levarem o Benfica ao lugar que merece.
No entanto, nunca imaginei nos meus piores pesadelos que isto tivesse chegado a este ponto. Para quem não foi (por não querer ou não poder), perderam uma excelente oportunidade de ver como se desrespeitam os sócios de forma absolutamente abjecta.

Antes de mais, deixem.me só referir que o orçamento foi apresentado pelo vice-presidente Nuno Gaioso, o qual sinceramente me surpreendeu pela positiva. A apresentação foi clara e concisa e demonstrou abertura para esclarecimento de dúvidas que pudessem existir.
O orçamento foi aprovado com 55% de votos a favor, mas se tivesse sido chumbado, o resultado seria exactamente o mesmo. Eu votei contra, para demonstrar esse mesmo "aparente paradoxo".
Nada se passaria, pois os sócios do clube já não têm nenhum poder decisório, sem ser em eleições. É triste ver sócios conformados com este papel de meros clientes do clube.

Passando aos acontecimentos da AG, devo referir que fui o primeiro sócio (excluindo os membros dos órgãos sociais) a falar e a expor as minhas duvidas acerca do Orçamento proposto. Em traços gerais fica aqui o essencial da minha intervenção (sem recurso a papel de discurso)

Comecei por referir o que de bom tinha visto:
  • A tentativa de dotar as modalidades de todas as condições apesar das quebras de receitas com patrocínios e quotização.
  • A diminuição acentuada da parcela de quotização atribuída à SAD.
  • A alocação de 10% das receitas de quotização para as modalidades (sem contar com a quota modalidades)
Todos estes aspectos seriam bastante animadores, numa altura de terrível crise no nosso país. E eu acho muito bem que se faça o esforço, pois o ecletismo no Benfica é uma imagem de marca e os sócios e adeptos gostam sempre de ver os seus atletas.

Passei depois aos aspectos onde tinha algumas dúvidas:
  • Na mensagem do presidente, presente na proposta de orçamento, estava escrito que o novo Museu Cosme Damião abre já em Julho ao público. No entanto, e apesar de em anos anteriores existir receita contabilizada, neste orçamento não se vislumbra qualquer receita proveniente do museu ou das visitas ao estádio. Questionei se o museu iria ter entradas gratuitas (o que não me parecia plausível) ou se as receitas estariam agora afectas a uma das participadas.
  • Questionei também o vice-presidente Nuno Gaioso, que em Outubro passado se orgulhava enormemente do clube não ter passivo bancário, com o facto de estarem previstos gastos e perdas financeiros (juros) no valor de 400.000€. Que empréstimo teve o clube que fazer?
  • Finalmente, questionei a direcção acerca do facto de em 2010/2011 e 2011/2012 os orçamentos projectarem lucros modestos, mas os R&C correspondentes apresentarem prejuízos elevados. Que garantias nos podiam dar de que isso não se passaria com este orçamento.
Após mais intervenções (muito melhores que a minha), o vice presidente Nuno Gaioso voltou ao palanque para esclarecer as duvidas e questões dos sócios que falaram em relação ao orçamento. Deixo em baixo em traços gerais, as respostas às questões que fiz.

  • As receitas do museu Cosme Damião ficarão afectas à Benfica Estádio.
  • O empréstimo contraído pelo Benfica Clube, foi à Benfica Estádio, para pagar as obras do museu.
  • Garantias de execução orçamental não as podia dar, pois os resultados apurados no R&C tinham também em conta as empresas participadas que influenciavam decisivamente esses mesmos resultados.
E se até aqui tudo tinha decorrido com a maior das normalidades, a partir deste momento foi o descalabro. 

Deixem-me colocar um pequeno aparte nesta altura para que percebam de onde vêm as minhas considerações seguintes - Uma discussão de orçamento pressupõe no meu entender uma trocas de ideias e argumentos entre sócios e direcção até que todas as dúvidas estejam esclarecidas. Isto implica o direito de resposta de ambas as partes que se necessário fazem a discussão prolongar-se no tempo.

Quando o vice-presidente discursava pela segunda vez, dando as respostas que entendeu convenientes às dúvidas dos sócios, Bruno Carvalho dirigiu-se à mesa da AG para solicitar o direito de resposta a algo que o vice-presidente tinha dito. Este pedido foi prontamente negado por Luis Nazaré. O mesmo, revelou em modo sucinto qual a pretensão de Bruno Carvalho, não lhe dando o direito a responder. Segundo ele para não demorar muito os trabalhos. De imediato alguns sócios demonstraram o seu desacordo relembrando Nazaré das discussões magnas que duravam até as 4 e 5 da manhã. Outros houve que questionaram se estávamos em presença de uma ditadura. Nazaré explodiu e lançou um sonoro "- Vocês sabem lá o que é uma ditadura!". Mais ânimos exaltados. E Nazaré continuou a não dar o direito de resposta aos sócios que ainda tinham duvidas. Eu tinha algumas, mas face à postura de Nazaré, não me foi possível questionar mais a direcção. Tudo para agilizar o processo. Nesta altura parecia que Nazaré tinha algo a fazer naquela noite e que não se podia demorar na AG.

Deixo aqui as questões aos meus leitores, para que possam pensar e reflectir sobre elas. Se chegarem a alguma conclusão que eu tenha deixado passar façam uso da caixa de comentários ali em baixo.

  • Se o Benfica clube, teve de pedir um empréstimo à Benfica Estádio (sua participada) porque motivo as receitas do Museu não ficam no Benfica clube para ajudar a suportar os gastos com esse empréstimo? Assim fica o Benfica clube com o encargo do empréstimo, mas a Benfica Estádio com as receitas que daí advém.
  • Se o R&C tem em conta as empresas participadas, porque não pode ter o orçamento em conta também essas mesmas empresas? É impossível projectar o ano nessas empresas? Não pode ser feita uma estimativa ou levantamento do que poderão custar essas empresas ao Benfica clube?

O pior veio mesmo depois, quando após uma votação em que entraram alguns sócios (provenientes das casas do Benfica) apenas e só presentes na votação, os animos se exaltaram, com muitos sócios da Bancada a protestaram o tratamento discriminatório da mesa da AG. por duas vezes o presidente da mesma se esqueceu de contar votos contra...
Nazaré, ao bom estilo ditactorial, ameaçou 3 vezes em 10 segundos, acabar com a reunião magna. E à terceira acabou mesmo com a AG, deixando muitos sócios incrédulos. Foi impossível demover o presidente da mesa da AG da sua decisão, mesmo com os vários apelos de sócios que já se tinham inscrito para falar. Verdadeiramente anti-democrático. As suas palavras 10 minutos antes ecoaram então na mente de todos, tendo inclusivamente alguns sócios dito que acabava de demonstrar bem o que era uma ditadura.
O caso agravou-se ainda mais, quando Paulo Parreira, conhecido sócio benfiquista, se dirigiu ao palanque e apelou a todos que voltassem aos seus lugares pois ele ainda iria falar (mesmo que com a AG acabada parece-me). Nessa altura a música atingiu niveis ensurdecedores, de modo a não deixar que o sócio fosse ouvido. É inacreditável uma coisa destas. Simplesmente um escarro na nossa gloriosa história democrática.

E assim levei mais um murro no estômago, numa época em que não foram poucos. Mas foi este o que me doeu mais e que mais me marcou e marcará. O dia em que vi o meu clube democrático em ditadura ser ditactorial em democracia.

Para o final deixo algumas notas que têm uma relevância muito importante.
  1. Luis Filipe Vieira, o presidente do Benfica e dos sócios, não se dignou a falar com os mesmos. Entrou mudo e saiu calado de uma AG em que era sua obrigação ser o primeiro a falar aos sócios. Nem que fosse para dizer boa noite e agradecer a presença naquele dia.
  2. José Eduardo Moniz faltou à AG. Ninguém sabe porque motivo. Não foi esclarecido porquê. Os rumores de que estará de saída do clube e de volta à TVI começam a ganhar força.
  3. Luis Nazaré portou-se com um ditador. O presidente da mesa da AG deve ser a voz dos sócios e não um instrumento da direcção do clube.
  4. O frete que apenas Nuno Gaioso não demonstrou (o meu apreço por ele e por se mostrar disponível) estendeu-se a todos. Realmente estarmos ali ou no cinema ou nos copos era a mesma coisa.
Para finalizar que o texto já vai bastante longo, quem apelidou bem este nosso presidente da mesa da AG, foi o actual presidente do clube, quando o apelidou de papagaio.

Até quando Benfica? Até quando?

segunda-feira, 10 de junho de 2013

A história é uma coisa gira

Obrigado aos blogues Cabelo do Aimar e As Papoilas do Biscaia por me chamarem a atenção para esta pérola da história encarnada (ainda que como actores secundários neste particular).




A história é mesmo uma coisa gira

sexta-feira, 7 de junho de 2013

A gestão e preparação de 2013/2014

Antes de mais começo por dizer que era a favor da não renovação do contrato de Jesus (ainda para mais nos moldes que saíram na comunicação social).
Mas, já que se renovou, por dois anos, com o treinador, há que dar condições para que nos possa dar títulos. Não dos invisíveis, mas daqueles que nos interessam.

Como tal, e como bom ditado que é, temos de começar a construir a casa a partir da fundação. Assim, é fundamental ter uma defesa com qualidade e quantidade suficiente. Meio defesa esquerdo e 3/4 de defesa direito não chegam...
O plantel às ordens de Jesus deverá ter pelo menos dois jogadores de raiz para qualquer posição com dois ou três polivalentes para suprir qualquer falta momentânea.

Mas, mais que os nomes dos jogadores (fala-se insistentemente em saídas de jogadores fundamentais no clube), o que interessa saber se mudará, é a gestão dos mesmos. Um jogador mediano que actue algumas vezes em jogos de menor dificuldade, será tão ou mais valioso que aquela estrela de futebol, se obrigada a jogar todos os jogos. Em 2012/2013, já se viu uma evolução na maneira de Jesus gerir o plantel às suas ordens. Para confirmar, se ele chega ao que lhe falta.

Eu tenho a convicção de que com Vieira aos destinos do clube, o nosso caminho rumo à glória será longo e penoso. Mais do que o necessário, pois alguns erros de palmatória continuam a ser feitos. Na última época foi bastante evidente, a ânsia de se mostrarem, quando as coisas correram bem e sentiram que o sucesso já não escapava.
Os episódios na Alemanha e na Madeira, foram neste sentido emblemáticos, pois se no primeiro quase todos se descartaram de responsabilidades, no segundo quase todos quiseram aparecer.

Assim sendo, entrarei na próxima época, convicto de que nada realmente mudou neste Benfica. Os mesmos erros continuam lá quase todos, com discursos de inicio/fim de época a multiplicarem os "aprendemos com os erros".

Finalmente, deixo um desejo. Que me engane totalmente e seja uma época de sonho. Não acredito minimamente nisso, mas desejo-o como uma criança deseja aquele presente de natal...

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Sai ou fica?

A questão Jorge Jesus é simples. Tem gente acima na estrutura que não presta para nada. Só tachos, compadrios, cunhas, e interesses em tudo menos no sucesso desportivo do Benfica. Não permite interferências no "seu" trabalho e não admite nada menos que decidir tudo (como é que isto é possível, só mesmo neste Benfica de Vieira). Ganha muito dinheiro (está no top20 mundial). Ganha poucos títulos.

Curriculo interno em 4 anos no Benfica:
  • 1 Campeonato (3x em segundo)
  • 3 Taças da Liga (1 meia final)
  • 0 Taças de Portugal (1 final, 1 meia final)
  • 0 Supertaças (1 disputada)
Ganhou 4 troféus em 15 possíveis.

Curriculo europeu em 4 anos de Benfica:
  • 1/4, 1/2 e final da Liga Europa
  • 1/4 da Liga dos Campeões (com duas saídas na fase de grupos transitando para a Liga Europa)
Vencimento:
  • 500.000€ limpos na primeira época (mais os prémios por objectivos)
  • 2.400.000€ limpos nas três restantes (mais os prémios por objectivos)
Factos positivos relevantes no período de Jesus:
  • - Prestações Europeias permitem o regresso ao pote 1 da Liga dos Campeões em 2013/2014. O prestigio europeu do Benfica foi restaurado.
  • - Subida qualitativa da performance no campeonato com mais pontos e mais golos que antes da sua entrada.
  • - Subida geral da qualidade de futebol apresentado pelo Benfica.
  • - Subida do nível de qualidade dos melhores jogadores contratados. Há boa matéria prima para se trabalhar.
  • - Subida da lealdade dos adeptos em torno da equipa. Nunca se pode queixar de falta de apoio em todas as alturas.
Factos negativos relevantes no periodo de Jesus:
  • - Criou um estigma com o Porto. Em 4 anos temos 4 vitórias contra eles (1 no campeonato, 1 na taça e 2 na taça da liga) para um total de 13 jogos. No campeonato está 1 em 8. Derrotas humilhantes de 5-0 e 1-3 no Dragão, 1-2 e 1-3 na Luz.
  • - Em duas oportunidades de ouro para sermos campeões no Dragão, desperdiçamos as duas. Uma oportunidade deles serem campeões na Luz e não os impedimos.
  • - Má gestão do plantel à disposição ao longo da época. Utiliza os "seus" jogadores até à exaustão. A equipa surge extremamente fatigada na hora das decisões.
  • - Contratações a granel, contratando-se muitas incógnitas ao invés de poucas certezas. Não invalida o ponto feito nos aspectos positivos, apenas o reforça.
Questões que se colocam.
  1. É possível fazer o mesmo com menos recursos? Em minha opinião é.
  2. Temos medo que vá parar ao Porto? Porquê, se com ele cá, já perdemos de todas as formas e feitios?
  3. Arranjar substituto será difícil? Depende dos objectivos que se queiram atingir, com uma estrutura como a que temos. Para ser campeão, tem de vir um treinador fora de série.
No final o que penso é mesmo que isto só muda, quando de lá sair toda a incompetência que grassa no clube, desde presidente ao director financeiro. Com estes, o pensamento focado no Benfica Empresa arrasa qualquer outro que se tente incutir.
Para mim Jorge Jesus é o menos culpado por estas situações, mas não é nenhum inocente. Com Vieira a presidente, não terá um futuro auspicioso no clube e é chegado o momento da saida. A menos que Vieira saia de cena...

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Época 2013/2014

Depois de mais uma época desastrosa em termos de títulos, é tempo de começar a pensar na próxima!

Comecemos pelo treinador.
Eu tenho sido um defensor de Jesus e do seu trabalho. Há muito que não via o Benfica lutar até ao fim nas 3 frentes...mas também é verdade que perdê-las assim tira a vontade a qualquer e os erros repetem-se ano após ano....senão vejamos:
O ano passado estávamos com 5 pontos de avanço. Perdemos a vantagem e no jogo decisivo perdemos com o Porto. Este ano o mesmo....4 pontos de vantagem...perdemos o jogo decisivo...com o Porto.
Final europeia 23 anos depois! Um marco histórico. Grande exibição na final apesar da falta de frieza na finalização. O único jogo que não tínhamos obrigação de vencer... mas mais uma vez perdemos nos descontos (não se admite).
O jogo de ontem da final da taça de Portugal não merece comentários. Tínhamos mais que obrigação de o vencer. A equipa entrou desanimada, sem ambição...sem motivação! Os adeptos não o mereciam! Não depois de continuarmos a apoiar a equipa depois da escorregadela com o Estoril, a derrota com o Porto, a derrota com o Chelsea e o jogo com o Moreirense! Não mereciamos esta falta de respeito dos jogadores e de um treinador que volta a pecar nas decisões em campo influenciando negativamente o final do jogo.
As equipas de Jesus batem-se o campeonato todo e nos momentos finais e decisivos da época eclipsam-se!
Acho que o tempo de Jesus chegou ao fim...e com ele o tempo de Luís Filipe Vieira. Trouxe-nos coisas boas mas no final de 10 anos, 2 campeonatos e uma taça de Portugal é demasiado escasso.
Se Jesus sair e LFV continuar mostra dualidade de critérios...pois se há uma semana Jesus estava de pedra e cal independentemente dos resultados, não pode mudar de opinião agora.
Imaginando o pior e o que deverá acontecer, teremos LFV e JJ na próxima época à frente do clube.....e sendo assim, teremos de estruturar melhor o plantel a começar na baliza.

Guarda-Redes:
Artur já mostrou o melhor e o pior. É um pouco à imagem do seu treinador. Nos piores momentos, vacila. Não sendo justa a sua dispensa (mas de vender caso apareça uma boa proposta) é tempo de fazer regressar Oblak e deixá-lo discutir o lugar com Artur (e quando digo discutir é mesmo dar-lhe oportunidades). Para terceiro guarda-redes pode e deve continuar o Mika.

Defesa:
Sendo que a saída de Garay é quase certa e já estará contratado Mitrovic (que sinceramente não conheço), devemos contratar outro defesa central de qualidade titularissimo em qualquer grande clube. Luisão continuará apesar de achar que o tempo dele está a chegar ao fim. Jardel para mim não tem qualidade para ser jogador do Benfica. Miguel Vitor continua a ser "queimado" pelo que deverá para bem dele sair. Roderick ainda não me convenceu...nem me mostra potencial. Para mim ficaria como 5º central. Nas laterais temos Maxi (muitos furos abaixo nesta época..penso que estará a ir pelo mesmo caminho do Luisão) e Melgarejo (um protótipo ainda de lateral). Devemos contratar dois laterais como deve de ser, principalmente um lateral esquerdo consagrado e com provas dadas. André Almeida deverá ser usado no meio-campo e ficar como uma 3ª opção para a longa época. Luisinho deverá ser emprestado ou vendido. Todos os outros que estão emprestados, não vejo nenhum com qualidade suficiente para regressar.

Meio-Campo:
Se nas aulas temos bastantes opções (Sálvio, Ola John, Sulejmani (boa contratação), Nolito (deve regressar) e Urreta - partindo do principio que Gaitan será vendido) devendo manter estes 5 para 2 lugares, é no meio-campo defensivo que nos devemos reforçar pois no ofensivo, Aimar sairá e Carlos Martins pouco faz e deverá sair também. Sendo que o Benfica utiliza normalmente o 4-4-2 e por vezes o 4-5-1, para esta posição de 10 adiantado/2º avançado, posição que Gaitan fez várias vezes ao longo do ano, já nos reforçamos (Djuricic e Markovic foram anunciados) e penso que bem principalmente no 1º que me inspira bastante confiança. Assim, é necessário encontrar um 8 e um 6 alternativos a Enzo Perez e Matic. Se os Andrés (Gomes e Almeida) são jogadores que devem alternar entre a equipa B e a equipa A, devemos encontrar mais duas alternativas pois a época é bastante longa e não devemos cometer os mesmo erros do passado. A minha sugestão seria a re-adaptação do Ruben Amorim e a aposta no Nuno Coelho, se durante a pré-época mostrassem que podiam ser apostas, tinhamos o miolo reforçado com prata da casa (e portuguesa!). Quanto ao irmão de Matic (também anunciado) penso que deveria integrar a equipa B.

Ataque:
Senão vendermos Cardozo (o arrufo de ontem com JJ tem de ser muito bem resolvido caso se mantenham os dois), apesar de não ser fã do estilo de jogo do paraguaio, os números falam por ele...e acredito que tendo uma rivalidade assidua como aconteceu este ano em certa fase da época quando rodavam os três pontas de lança (Rodrigo, Lima e Cardozo) consoante prestação/golos, penso que se a estes três juntarmos o Nélson Oliveira (que deverá regressar) sou da opinião que estamos mais que bem servidos.
Caso Cardozo saia...é necessário contratar um goleador.

Sendo assim, se a direcção do Benfica, director desportivo e treinador tiverem dois dedos de testa, só necessitamos verdadeiramente (€€€€€) de reforçar a defesa! Nomeadamente um central e um defesa esquerdo.

Espero sinceramente que haja um planeamento decente para a próxima época e que seja composto por:

3 Guarda-Redes
2 Laterais direitos
2 Laterais esquerdos
5 Defesas centrais
2 Trincos
2 Box-to-box
2 (nº10/2ºs avançados)
5 Extremos
4 Pontas-de-Lança

Total: 27 jogadores

terça-feira, 14 de maio de 2013

Apoio em Amesterdão

Amanhã em Amesterdão pede-se a todos os que forem ao estádio que fiquem sem voz. Que gritem e apoiem a 100% esta equipa. Eles (equipa) precisam de nós agora e sem o nosso apoio é muito mais difícil trazer o caneco para Portugal. Apupar ou vaiar ficará para depois, caso seja caso disso. Durante a duração do jogo é preciso levantar esta equipa nos nossos ombros para que possa retribuir com o troféu.

Vamos reeditar Londres, Manchester, Leverkusen, Paris, Basileia, entre tantos outros. Vamos mostrar mais uma vez ao mundo quem somos e porque razão nos consideram míticos! Vamos comprovar mais uma vez as palavras imortais do nosso imortal feiticeiro húngaro! Vamos abafar os ingleses na bancada, para que a equipa os abafe em campo. 

A história importa (como importa sempre) mas não joga. Amanhã é mais um dia neste mundo chamado Sport Lisboa e Benfica. Que seja de glória!

domingo, 12 de maio de 2013

Toldado pela dor...

É uma dicotomia angustiante aquilo que sinto pelo Jesus como treinador do Benfica.

Por um lado vejo muito de positivo nele. Coisas como trazer o Benfica de volta ao bom futebol (o melhor que eu vi em 20 anos).
Como recolocar o Benfica na alta roda do futebol europeu, com presenças consecutivas em fases avançadas das competições europeias. Na próxima época vamos possivelmente estar de volta ao pote 1 da Champions.
Acabou também o discurso do coitadinho que vai tentar minorar a diferença para o rival. Agora o objectivo é vencer tudo onde se entra.

Se tudo isto são aspectos que considero positivos, os negativos, com muita pena minha, deixam-me completamente arrasado. São facadas atrás de facadas que me espetam no coração e eu não mereço isto. Sinceramente que não. Já era mais que tempo que nos permitissem uma alegria.

Em 4 anos de Jesus, o Benfica sofreu mais humilhações e desgostos com o Porto que em qualquer outro período. Arrisco mesmo a dizer que nestes últimos 3 anos, a soma de todos estes incidentes é maior que nos restantes anos de Benfica. Com Jesus ao leme, criou-se um bicho papão, que vai ser dificil superar nos tempos mais próximos.
É humilhante ver que na hora H, aquela em que se separam os miudos dos homens, somos sempre os miudos. Sem estofo, sem capacidade, impotentes para travar as adversidades. O ajoelhar de ontem é apenas o reflexo disto.
É também notável (no mau sentido) verificar que a quantidade de dinheiro injectado no plantel tem subido a niveis estratosféricos, mais do que com qualquer outro treinador, com os resultados a serem o mesmo de sempre. Desilusões e humilhações.
Finalmente o que me deixa também irritado com todas estas situações é verificar que por uma razão ou por outra, Jesus se transformou num treinador do quase. Em 4 anos de Benfica, esteve/está em situação privilegiada para vencer 3 campeonatos e 2 taças de Portugal (números que atestam o trabalho que se fez até à altura das decisões). Digo privilegiada, mas na verdade tivémos o pássaro na mão em todas elas.  Para já venceu um único campeonato. Num milagre ganha outro campeonato para a semana (eu vou lá estar no Estádio a sofrer por esse milagre) e temendo eu o pior, se for competente ganha uma Taça de Portugal. Insuficiente digo eu. (Ainda para mais quando nestes dois anos, tem do outro lado um pedreiro daqueles)

Para mim o seu tempo como treinador do clube acaba aqui.

Numa nota final deixem-me no entanto expressar que a culpa maior não é dele. O Benfica actual, e por muito que nos custe ouvi-lo ou lê-lo, está transformado num clube perdedor. Não o digo com o sentido de que deixamos de ganhar titulos, mas sim com o sentido de que nas alturas decisivas os nossos jogadores, atletas e treinadores (além da cupula directiva) borram a cueca de forma monumental. E não é só no futebol. Os casos são muitos todos os anos e nem sequer respeitam uma ordem especifica. Acontece a todos independentemente do escalão ou da modalidade. Está-se a enraizar a cultura do pró ano é que é, a caminho da sportinguização.
Titulos cada vez mais raros e motivo de uma festa incontrolável por parte de adeptos cada vez mais descrentes.

Dói tanto

Porquê Benfica?
Porque teimas em te manter na cama a dormir e não acordas de vez?
Tantas oportunidades perdidas...

sábado, 11 de maio de 2013

Now is The Time! (Hoje é O Dia!)

Quem estava comigo a ver o jogo da passada segunda feira, sabe o que disse logo após o apito final.
O Benfica vai ser campeão no Dragão!

No inicio da semana (desde segunda à noite), foram muitos os adeptos encarnados que deram o campeonato por perdido; que maldisseram a sua sorte, por verem mais um campeonato perdido de forma inglória; que, na hora da tristeza e a quente, questionaram tudo e todos; que consideraram não ir a Amesterdão, mesmo com bilhete para o jogo garantido; que declararam desligar-se do clube após mais um desgosto. 
Muitos não aguentaram o percalço, àquela hora tardia de segunda feira. Reviram fantasmas antigos de volta, os mesmos de "sempre" referiram angustiados com certezas absolutas. Desesperaram pelo sentimento de impotência para com um fim que adivinhavam trágico.

Pois bem, desde essa hora, que outro sentimento tem vindo a crescer, tão rápido como transversal, entre os adeptos encarnados. Esse sentimento é o Acreditar. O Acreditar começou em adeptos anónimos (como eu, passe a imodéstia), passou por blogues e fóruns da internet, entrou por cafés e bares adentro e extravasou os limites de Portugal.
Ao longo destes dias têm-se multiplicado as formas de apoio, tão distintas como originais, a favor de um clube único neste mundo. A força e crença transmitida é algo inegável e que transcende a realidade quotidiana. É como se o próprio Benfica tivesse acordado de um longo sono e nos fizesse seus veículos para a transmissão da sua vontade.
Tenho aqui que referir nesta altura, ainda que brevemente pois também não merecem mais que uma nota de roda-pé, as campanhas anti-Benfica a que temos assistido durante a semana, por parte daqueles que nunca conseguirão dormir sem pensar em nós. Diferenças que nunca conseguirão superar enquanto subsistir a mentalidade vigente!
Voltando ao que interessa, o Acreditar mostrou-se de inúmeras formas ao universo benfiquista, de entre as quais destaco as seguintes:
  • nos céus do Centro de Estágio do Seixal;

  • na campanha Acredita Benfica (que chegou aos atletas) que "criou" os seguintes videos:




  • na euforia criada no norte em torno da equipa, tanto no aeroporto como no hotel


Por tudo isto, é natural a confiança e absoluta calma que sinto em relação ao jogo de hoje. No jogo com o Fenerbahçe na Luz, o Benfica abriu os olhos como quem acorda de um sono. Hoje levanta-se definitivamente da cama!

Hoje não é dia de medos ou receios!
Hoje não é dia de choros ou queixinhas!
Hoje não é dia de dúvidas ou desconfianças!
Hoje é dia de Benfica!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

terça-feira, 7 de maio de 2013

Campeões no Dragão!

Se durante muitos meses não acreditei que fossemos campeões, nesta altura acredito. Acredito pois tenho de acreditar!

No dia 5 de Julho do ano passado escrevi isto: Campeões no Dragão
Hoje reitero. Vamos ser Campeões no Dragão!

PS: Tal como pensava, o jogo com o Estoril revelou-se bastante mais complicado do que era "suposto". O Benfica deveria ter vencido e só se pode queixar de si próprio. Mas nada acabou aqui. Ainda temos dois jogos para jogar e para ganhar.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Na rota do Título


 
O jogo de hoje com o Estoril Praia é o mais importante da época. Não por ser o próximo. Não por garantir 3 preciosos pontos no caminho do título. Estes são pontos importantes e não devem ser de maneira alguma desprezados, mas para mim a importância deste jogo prende-se com um facto simples. Caso vença, o Benfica poderá poupar jogadores no Dragão, perder, e ainda assim, manter uma almofada de segurança que lhe permita encarar os dois jogos seguintes com muita tranquilidade.

É o mais importante pois segue-se a uma semana de intenso desgaste emocional, que coroada de êxitos, poderá levar a uma descompressão neste jogo, considerado mais fácil. Que ninguém acredite nisso, pois vamos defrontar uma das revelações da prova. O Estoril, vindo da segunda divisão está a fazer um campeonato absolutamente excepcional. A equipa joga bem, tem bons jogadores individualmente, tem um belíssimo treinador e vem à Luz com muito pouco a perder e tudo a ganhar. Vão ser o adversário mais perigoso este ano. É imperativo encará-lo como jogo de título, porque é-o na verdade.

A equipa já demonstrou que convive bem com a rotação imposta, em que todos (com raras excepções) os jogadores se sentem com capacidade para entrar no onze. Mais logo é dar corpo à ideia e arrumar esta questão o mais rápido possível. Com o clássico a 5 dias de distância é forçoso garantir a tal almofada. 
As habilidades de Gaitán e companhia são necessárias mais uma vez. 


O sucesso interno galvaniza os clubes para o sucesso externo. Muitas vezes, é até o seu catalisador. Com galhardia, atitude, coragem e coração, é possível atingir o impossível.

Uma nota de destaque para os adeptos que devem esgotar o encontro. Façam-se ouvir hoje, tal como na quinta feira. O gigante Benfica está de regresso, não o deixem ir embora outra vez.

E porque não um sorteio?

Ainda a respeito dos bilhetes para a final de Amesterdão, porque não realizar-se um sorteio puro entre todos aqueles que quisessem adquirir o bilhete?
Era só uma ideia.

A questão dos bilhetes para as finais da UEFA


É absolutamente inadmissível, a forma como tem sido gerida a venda dos bilhetes para as finais das competições da UEFA. O que se segue é relativo à Liga Europa e à final deste ano, mas passa-se exactamente o mesmo na Liga dos Campeões. Estima-se que meio milhão de adeptos do Dortmund se tenha inscrito para comprar bilhetes ao clube. A esmagadora maioria vai adquiri na candonga...

Começa logo pela UEFA, que permite que de uma assistência total de 52.342 lugares, apenas 9.780 bilhetes tenham sido enviados para a Luz. É apenas 18,7% da lotação do estádio. Admitindo que o Chelsea recebeu igual quantidade, ficamos com 37,4% dos bilhetes atribuídos aos clubes participantes na final (e aos seus adeptos directamente). Não há palavras que descrevam tamanha injustiça.

Para onde vão os restantes bilhetes? Relevo agora que são cerca de 33.000 os que sobram, correspondendo a 62,6% da lotação. Muitos vão para os patrocinadores, que fazem mega campanhas sujas e desprovidas de sensibilidade, com o intuito de aumentarem as suas vendas. Não os censuro muito pois quem tem o dever de zelar por isto tudo é a própria UEFA e esta apenas encoraja estas situações.
Segundo rumores que vão surgindo aqui e ali, este valor andará à volta dos 10% (neste caso cerca de 5.000 bilhetes).

Sobram cerca de 52% da lotação, isto é, cerca de 28.000.
Assumindo que cerca de um milhar destes (e são os mais caros de todos) são atribuidos a membros da UEFA ficam a sobrar 27.000.
E aqui é que se começa a ver a injustiça disto tudo. A quase totalidade destes bilhetes que sobram, são vendidos pela UEFA até Janeiro. Mais de 4 meses antes da final ou de se conhecerem os finalistas... Para se ter noção é mais que o atribuído aos dois clubes participantes na final.
Normalmente existem dois tipos de pessoas que compram (ou melhor, se candidatam a comprar) estes bilhetes.
1. Os do primeiro tipo, são fans incondicionais dos seus clubes, que creem cegamente na chegada da sua equipa à final.
2. Os do segundo tipo, são a larga maioria e apenas se interessam por obter o máximo lucro possível com a revenda dos bilhetes.

O incentivo ao mercado negro é por demais evidente... As equipas que efectivamente chegam à final recebem 37,4% dos bilhetes para distribuir directamente pelos seus adeptos. 50% dos bilhetes são vendidos a quem se inscrever, independentemente de tudo, inclusivamente o facto do seu clube não participar na competição. É ainda absolutamente abjecto constatar que são mais os adeptos que têm de recorrer ao mercado negro que aqueles que adquirem o seu ingresso pelas vias normais. É tudo tão mafioso e desprovido de bom senso, que me espanta continuar a ser desta forma ano após ano.


Finalmente chega ao Benfica, que também tem algumas culpas no cartório...
Após todas as vicissitudes descritas anteriormente, o Benfica recebe 9.780 bilhetes da UEFA para vender nas suas bilheteiras. Após ordens da UEFA (segundo o comunicado da passada semana relativo à venda dos bilhetes), o Benfica criou três dias de compra de vouchers distribuídos para os diferentes tipos de RedPass. Regras simples e claras que embora muitos não concordem, têm o meu total apoio. Os que mais vêm o Benfica (e o Benfica só pode ter dados relativos aos jogos em casa) deve ser premiado com direito de preferência nas alturas em que há escassez de bilhetes. Na forma como eu vejo o Benfica nem pode ser de outra maneira.
O que se passa é que existe uma "quebra" destas regras, não só com a entrega de bilhetes "à malta do croquete", como com o direito de preferência a estender-se aos grupos de apoio. Quanto aos bilhetes atribuídos à malta do croquete, nem tenho palavras. Quem se aproveita todo o ano do Benfica deveria ser o último a ter benesses destas. Não se sabe ao certo quantos bilhetes voaram, mas são certamente umas centenas a menos de benfiquistas com possibilidades de irem a Amesterdão.
Quanto aos grupos de apoio, mais uma vez reforço que não sou contra este direito de preferência. Eles merecem. Correm todo o ano atrás do nosso grande amor, marcando presença sempre no Estádio da Luz e nos Estádios por esse pais fora. Faça chuva ou faça sol.
Agora as coisas têm de ser claras desde o inicio. Não se podem criar espectativas falsas nas pessoas, sob pena de existirem tanto revolta como frustração, que depois criam distúrbios totalmente desnecessários. Devia ter sido tratada de outra forma.

Acabo este artigo dizendo, que no meu caso pessoal, não me afectará sobremaneira ter de recorrer ao mercado negro, para obter os bilhetes que quero para a final. Estou, ao contrário da esmagadora maioria dos meus compatriotas de nação benfiquista, com algum à vontade financeiro para não sofrer muito com isto. Mas o principio que sigo é o da igualdade de tratamento entre todos. E aqui desde a UEFA (grande culpada disto) até ao Benfica (com menos culpa), parece que consideram existir alguns mais iguais que os outros.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Em Defesa do Benfica À Benfica!




A conferência de imprensa de João Gabriel, foi tudo aquilo que deveria ser. Calma, clara, objectiva.
Foram expostos pontos muito válidos em relação à campanha absolutamente abjecta realizada após o derby e mostraram-se as incongruências em relação aos rivais. Foi defesa do Benfica.

O tempo escolhido para a conferência de imprensa, pareceu-me bem escolhido. Não só porque "não se fez nada" antes do importantíssimo jogo na Madeira, mantendo-se a concentração no essencial, como não se fez mais alarido que o necessário. E porque com um jogo europeu já hoje, o foco da equipa não se perderá nestas questões extra futebol. Falou quem tinha de falar, quando tinha de falar.

Já li três comentários após a conferência de imprensa e tenha a dizer algumas coisas.
1. Gente pobre de espírito e maldosa continua a ter protagonismo que não merece. Eugénio Queirós é do mais desprezível que há. Diz-se adepto do Benfica este senhor. Não faz falta...
2. Vitor Pereira continua a fazer de treinador do Benfica, pois só comenta os nossos jogos. Desemprego e regresso ao anonimato é o que o espera. E já vai tarde...
3. Alexandre Pais está-se a revelar uma pessoa de carácter. É já a segunda vez que assume os seus erros e isso não só o credibiliza aos meus olhos, como credibiliza um muito depauperado jornal Record.

Fosse sempre assim e teríamos mais títulos do que os que temos actualmente.

Acreditar


Mais logo, o Benfica joga o regresso a uma final europeia. Depois do 0-1 da primeira mão é fundamental acreditar que podemos chegar à final. Temos melhores jogadores que o Fenerbahce. Temos melhor equipa que eles. Jogamos em casa. Estamos em alta depois do resultado do fim de semana.

Jogando o nosso jogo, temos condições suficientes para conquistar o objectivo de chegar a Amesterdão. Jogue quem jogar, com a atitude correcta, só podemos ter um final feliz.

Quanto ao público só se pede que apoiem do primeiro ao último minuto e criem o ambiente mágico das noites europeias da Luz. O famoso inferno tem de estar hoje na Luz. Se assim for a tarefa dos nossos fica mais facilitada.

Força Benfica e vemo-nos (acredito piamente) em Amesterdão.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Emigrantes

Depois de quase 3 anos na Bélgica, está na altura de vos escrever um pouco sobre as relações entre os adeptos emigrantes e a rivalidade existente.

Na esmagadora maioria dos casos (há sempre excepções), os adeptos que estão fora do país não se comportam como se estivessem numa guerra e os adversários fossem o inimigo. Talvez por partilharem a distância do país natal, existe mais camaradagem e convívio nestas alturas em que têm a possibilidade "viver" o país. No caso particular do futebol, um jogo grande é motivo de convívio, alegria, espectativas, etc. Consegue-se falar com à vontade sem risco de acabar tudo à pancada. A clubite está sempre presente, embora numa medida bem mais suave. Dando um exemplo, explicava-me ontem durante o jogo, um adepto portista, que tal se deve a uma maior capacidade intelectual dos emigrantes, forçados a isso pelo ambiente em que se encontram. As quezílias internas são postas na perspectiva que devem ter, ou seja, relativas e nunca como motor de existência, que tantas vezes ocorre em Portugal.

E se porventura, um clube português vem à "nossa zona" num embate europeu, são adeptos de todos os clubes que vão ao jogo. É muito comum, corriqueiro até, ver cachecóis, camisolas e bandeiras de outros clubes em apoio ao clube português. Mais uma vez, o objectivo principal é entrar no convivio "tuga", sendo o melhor modo de matar saudades da nossa terra.

Sinceramente, embora já tivesse esta predisposição anteriormente, viver fora de Portugal durante estes quase 3 anos, tornou-me mais um destes emigrantes, que quer obviamente a vitória e a glória do seu clube, mas que não vê no confronto físico e verbal, uma forma de ganhar vantagem sobre os outros. E esta forma de viver o desporto (e o futebol em particular), é não só possível, como muito melhor que o que temos em Portugal, onde temos uma verdadeira guerra.

Dá que pensar...

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Espectativa de sardinha assada no Jamor

É hoje que se decide quem será o primeiro finalista da Taça de Portugal 12/13. Após uma já esquecida primeira mão (dos casos mais ridiculos do futebol português), o Benfica parte em clara vantagem para garantir o passaporte para a referida final. O 2-0 conquistado na Mata Real em Fevereiro passado, dá um conforto razoável para esta segunda mão, mas ninguém pode estar esquecido de que nas mesmíssimas condições, o Benfica perdeu 3-1 em casa com o Porto e foi eliminado em 10/11.
Para este jogo pedem-se duas coisas fundamentais tendo em vista não só este jogo (e a eliminatória), mas também os que se avizinham.
  1. Dar descanso a quem precisa, tendo Garay, Matic, Enzo e Salvio a clara primazia quanto a este aspecto.
  2. Jogar como se a eliminatória estivesse empatada a zero. Há que manter uma atitude competitiva realista, para que não soframos dissabores.

Temos melhores jogadores, melhor equipa, jogamos em casa, estamos em vantagem na eliminatória, temos tudo para chegar à final, mas há que não dormir à sombra de tudo isto. Vamos ter de mostrar em campo que somos melhores e merecemos passar.

Carrega Benfica!

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Honrai agora os ases que nos honraram no passado




Obrigado senhor presidente, por uma atitude de verdadeiro benfiquismo. Honrar os ases do passado, mesmo que não tenham sido "nossos", é honrar também os que, sendo "nossos", batalharam pelo nosso clube contra gigantes do desporto mundial. Honra a quem a merece.
Embora Bobby Robson tenha passado pelo Sporting de Sousa Cintra e pelo Porto de Pinto da Costa, sempre foi um homem de respeito e com um incomensurável respeito pelo nosso Sport Lisboa e Benfica. Foi um adversário honrado, numa das alturas em que mais faltou honra ao futebol português.
 

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Como as coisas são

NOTA: Nem falo do Trio de Ataque... ao Benfica (domingo na RTP-I) e do Prolongamento... da indigestão (segunda-feira na TVI24) pois os "supostos representantes" do Benfica são asquerosos. Inqualificáveis. Dois babosos, como se diz lá pela minha aldeia de Montalvão. São dois empecilhos no caminho da caminhada do Benfica nas competições. Há anos!
Excerto retirado daqui

Palavras sábias de quem sabe muito do que é o Benfica.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Novo Sócio Encarnado - As camisolas do Benfica

Aceitei o convite do meu estimado amigo e owner deste blog para escrever sobre o grande amor que temos em comum, o nosso glorioso Sport Lisboa e Benfica!
Aquilo que queria partilhar com todos é sobre os equipamentos do clube e é um sentimento comum a várias centenas de benfiquistas que conheço.
Tirei três conclusões acerca deste sentimento:

  1. A camisola principal deve ser simples, bonita e sem "poluição".
  2. O regresso do alternativo branco, SEMPRE!
  3. Fim dos equipamentos "folclóricos" para alternativo.
Quanto à primeira, tem felizmente acontecido nos último anos...acabaram os rectângulos azuis, os sapos e os quadrados às cores no nosso manto sagrado.
Relativamente à segunda, uns dizem que não vende, outros dizem que é simples demais. Não sei quem são os "esses" pois a maioria diz-me que quer o branco de volta. Não acontece desde a época do centenário (sem contar com a edição limitada quando chegámos à meia-final da Liga Europa há 2 anos.
Finalmente, no que diz respeito à 3ª, esta época e a última em que fomos campeões estivémos.... "bem". Apesar do preto não ser uma cor tradicional do Benfica penso que se têm conseguido equipamentos bastante bonitos com esta cor.
Assim, há quem defenda 2 ideias: Equipamento principal tradicional, equipamento secundário branco e:
  1. Equipamento preto;
  2. Equipamento para venda.
Pessoalmente sou contra a 2ª hipótese. Não gosto de ver o meu Benfica jogar de dourado, prateado, amarelo, cor-de-rosa, laranja, etc.
Independentemente da bimbalhada gostar destes equipamentos e de dizerem que se vende muito, sou adepto do estilo AC Milan.

Posto isto, deixo aqui a minha sugestão para o que deviam ser os 3 equipamentos do Benfica para a próxima época (apesar de saber que o principal não vai ser assim uma vez que já há "leaks" da próxima camisola: http://chamagloriosa.blogspot.pt/2013/03/equipamento-principal-sport-lisboa-e.html)




Espero que gostem :)

Saudações Benfiquistas!

A Estrela Europeia

Tenho acompanhado a carreira europeia benfiquista em 2012-2013 com emoções mistas. 

Desde o inicio da época, que face às várias condicionantes exigia esforços redobrados e concentração máxima na conquista dos objectivos internos. Desde 1983 que o Benfica não faz uma dobradinha e isso explica muito do declínio que o clube tem vivido. Eu sou daqueles que acha que, uma hegemonia encarnada só será realidade, quando o Benfica voltar a conquistar dobradinhas consecutivamente. Deste modo, sempre defendi um desinteresse nas provas europeias deste ano, por forma a entrar sempre na máxima força nos jogos internos. Reza a lenda que Otto Glória - um dos nosso técnicos mais importantes - disse um dia que o Benfica não tinha "cu para duas cadeiras". Em parte é verdade, pois nunca conseguimos fazer um triplete.
No entanto, assim que a bola começa a rolar, não há benfiquista que não queira a vitória do clube e eu não sou excepção. Por mais que, racionalmente, pense não ser o melhor a longo prazo, a emoção sobrepõe-se e faz-nos querer tudo.

Vem esta longa introdução a respeito da carreira europeia desta época. O Benfica começou a temporada na Liga dos Campeões integrado no grupo do maior candidato dos últimos 5 anos. No entanto integrando também Celtic e Spartak, o grupo não era à partida um bicho de sete cabeças e afigurava-se razoavelmente acessível. Todos imaginaram o Benfica a chegar ao último jogo já apurado e com o Barcelona em primeiro do cume dos seus 15 pontos. No entanto a estrelinha da sorte (bem como culpas próprias em parte) não esteve connosco em dois jogos. No primeiro, o Benfica saiu derrotado de Moscovo, fruto de azares e de um jogo menos conseguido. 3 pontos cruciais, transformados em 0, frente à pior equipa do grupo. No outro, num verdadeiro milagre, o Celtic venceu o Barcelona em casa e subitamente o último jogo passou a ser decisivo para nós. Para nosso mal a estrelinha também não quis nada connosco nesse jogo e acabámos como começámos: empatados a 0. Oportunidades não faltaram, inclusivamente uma em que dois jogadores nossos avançaram isolados sem oposição rumo ao guarda-redes adversário. Fomos relegados para a Liga Europa.

Na segunda competição da UEFA, a nossa sorte mudou drasticamente. Como se para compensar o azar anterior, a partir de Fevereiro o Benfica tem sido absolutamente bafejado por enorme sorte nos jogos, ora marcando nos momentos decisivos, ora não sofrendo nesses mesmos momentos. Os jogos com Bayer Leverkusen, Bordéus e Newcastle, foram muitas vezes sofridos e empolgantes. O coração encarnado sempre a sofrer, mas no final com o Benfica a garantir 5 vitórias consecutivas (!), caso (quase?) inédito em fases avançadas desta competição. Lembrando-me dos momentos finais do jogo em Leverkusen, das oportunidades do Bordéus na Luz com golos anulados, das respostas de Cardozo aos golos gauleses em França, das bolas no poste do Newcastle, fico com a sensação de que há uma quase inevitabilidade na nossa conquista deste troféu. Sei bem que é uma sensação irracional e que logicamente algum dia esta sorte irá acabar (que não seja nesta época), mas é impossível não sentir isto. É o inexplicável tomado forma sob a égide da carreira europeia encarnada versão 2012/2013.

Tudo isto para escrever o seguinte: Com todos os acontecimentos desta época é impossível um benfiquista não sentir Amesterdão como o seu ponto de consagração.
Ainda falta bastante e há que ter os pés bem assentes no chão, mas é quase tangível e quantificável que o Benfica é a melhor equipa ainda em prova. E isso, só alimenta mais o sonho deste mundo chamado Sport Lisboa e Benfica.
 
E você, caro leitor? Já se imagina em festa nas ruas de Amesterdão?

Porque o Benfica não é só futebol...

Fica em baixo o link para o artigo do Faneca referente ao desempenho das 5 modalidades de pavilhão neste fim de semana.

http://benficaecletico.blogspot.pt/2013/04/porque-o-sl-benfica-nao-e-so-futebol_9.html

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Gestão Positiva

Há que enaltecer a gestão de plantel que os responsáveis benfiquistas estão a fazer esta temporada, com particular destaque para o treinador, Jorge Jesus. Na ressaca de dois anos muito maus, com muitos erros próprios, e chegados ao inesquecível principio de Setembro de 2012, muitos adivinharam uma continuação do trajecto menos bom para 2012/2013. Confesso que fui um deles, escaldado por acontecimentos que não interessa agora revisitar. Com eleições em Outubro, adivinhavam-se perturbações sobre a equipa também nesse aspecto. 
O certo é que, o Benfica entra em Abril, como há muito, muito tempo, não se via. 
  1. Líder incontestado da Liga, com 4 pontos de avanço sobre o segundo classificado.
  2. Com um pé e meio na final da Taça de Portugal.
  3. A lutar efectivamente pela Liga Europa.
O que terá mudado então de anos anteriores para este, de modo a que se veja esta aparente transfiguração da equipa encarnada? Mudaram algumas coisas, mas a mais importante considero ser a gestão do plantel. Ao cabo de 3 épocas, Jesus mudou a sua forma de gestão. Ao contrário de outros anos, a rotação no plantel é feita em todos os jogos, com diferentes jogadores a serem poupados, e com critério na forma de rotação. Vimos este ano, jogadores inicialmente considerados de menor valia (casos de Jardel, Matic e André Almeida) a corresponderem de forma muito positiva quando chamados à equipa. A sua utilização esta época reflecte-se no sucesso da equipa.
Um caso paradigmático é a gestão do meio campo. Por hábito, Jesus nunca poupa Matic e Enzo Perez em simultâneo. Ora descansa um, ora o outro. Isto não só permite o descanso a cada um, como a entrada no ritmo competitivo de jogadores como os portugueses, André Gomes e Roderick. 
No ataque a mesma coisa. Cardozo, Lima e Rodrigo têm alternado entre si a posição no banco de suplentes, com oportunidades dadas a todos eles de jogarem e marcarem. 

Esta rotação ou gestão positiva, como eu lhe chamo no titulo do artigo, tem ainda mais significado quando nos apercebemos das condicionantes que envolveram a equipa durante toda a época. As saídas sucessivas e num curto espaço temporal de Javi Garcia e Witsel, o caso Luisão, as eleições no clube, a saída precoce da Liga dos Campeões, o mercado de Janeiro, as movimentações nos corredores do poder (este ano visivelmente saídos da toca). Ao considerarmos todos estes factores (e tendo em conta o historial de 3 anos de dirigentes e equipa técnica) era difícil a qualquer um prever um progresso destes. Em anos anteriores qualquer uma destas coisas seria causa suficiente para nos deixar atrás dos rivais internamente (não esquecer que o Porto está a fazer um campeonato invicto tal como nós), mas desta vez não há dúvidas do bom trabalho realizado.

Todo o mérito tem de ser atribuído a quem o merece e neste caso nada há a dizer. O nosso treinador está de parabéns pela mudança de paradigma operada e que julgo que o tornou num melhor treinador. Ele que já possuía bastantes e inegáveis qualidades.

PS: A minha previsão de que o Benfica não será campeão mantém-se, pois já se viu bem o que anda a ser preparado jornada após jornada. Tenho no entanto alguma esperança de que continuemos a ser mais fortes que tudo isso.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Liga Inglesa na Benfica TV

É a bomba do ano! O Benfica assegurou para o seu canal os direitos de transmissão exclusiva em Portugal da Primeira Liga Inglesa (EPL - English Premier League).


Podem ler mais detalhes acerca disto no link abaixo.

É com bastante satisfação e alguma preocupação que abordo este tema. 

A satisfação é óbvia. 

Ter a melhor liga do mundo, com jogos espectaculares todos os fins-de-semana, na nossa televisão, é não só motivo de extremo orgulho, como me parece também uma medida proveitosa do ponto de vista financeiro, pois certamente os benfiquistas estarão pré-dispostos a fazer "um sacrifício" para ver o "novo" canal. O produto agora adquirido é extremamente aliciante e um complemento fantástico ao que temos actualmente (com outras ligas "menores") e com os futuros jogos em casa da equipa principal de futebol. Parece-me que serão tardes inteirinhas com os benfiquistas ligados no seu canal a desfrutar do melhor futebol do mundo. E o Boxing Day na Benfica TV será algo de verdadeiramente épico.

A preocupação advém de alguns factores que acho importante reflectirmos. A saber:
  1. Com os jogos da EPL a terem lugar durante o início da tarde de Sábado e Domingo, será possível conjugar os mesmos com os jogos em casa (sensivelmente duas vezes por mês) do Benfica? Isto é, teremos o regresso dos jogos do Benfica à tarde? (defino jogos à tarde, aqueles jogos com início marcado até às 16h). Certamente o Benfica fará o melhor para si, parecendo-me que é uma expectativa dos benfiquistas em geral, o regresso dos jogos à tarde. Para mim é perfeitamente possível conjugar os jogos do Benfica com os jogos da Liga Inglesa, até porque o Benfica terá alguns jogos à Sexta e à Segunda, devido aos compromissos europeus.
  2. Como ficarão as transmissões das nossas modalidades? Certamente, devido a imperativos naturais, muitas delas irão entrar em conflito com os jogos agora apresentados, em termos de horários. Pessoalmente, gostaria de apostar numa divisão dos conteúdos por dois canais (o normal que temos agora e um premium com o conteúdo pago), mas não sei até que ponto isso será viável. Espero ansiosamente pela próxima época para saber o que vai ser decidido nesta matéria, consciente de que quem tem a obrigação de decidir, tem muito mais valências que eu para o fazer.
  3. A qualidade geral da Benfica TV terá forçosamente que subir, não só em termos de qualidade de imagem (o vulgo HD), como de transmissão e envolvência da cobertura jornalística. O nível terá obrigatoriamente que subir, pois a qualidade da EPL é muito elevada. Meramente a titulo de gosto pessoal, adoraria ver os comentários dos jogos ingleses a serem feitos pelo José Carlos Soares e pelo Pedro Ribeiro. Se estão disponíveis ou não, ignoro, mas o meu desejo é este.
  4. Tenho alguma preocupação acerca do preço que será cobrado pelo canal a partir da próxima época. As finanças dos Benfiquistas não estão famosas, reflectindo a enorme perda de poder de compra que se tem vindo a agravar nos últimos dois anos, pelo que colocar o canal com uma mensalidade acima dos 15€ me parecerá exagerado. Com os conteúdos apresentados até agora, parece-me que o preço justo andaria em torno dos 10€, com eventual preço mais elevado para não sócios (mais uma maneira de valorizar quem é sócio seria ter uma diferença de preços potenciando a entrada e fidelização de mais adeptos para o nosso universo encarnado).
Em traços gerais é isto que sinto após esta autêntica bomba. A tudo isto não será alheio o contributo de José Eduardo Moniz, que tem estado impecável no papel de vice-presidente com o pelouro da gestão da comunicação do clube. 

Outra nota que me apraz muito é ver que os interesses do clube são salvaguardados apesar das amizades pessoais dos dirigentes. Ninguém tenha dúvidas que isto foi uma afronta muito grande a Joaquim Oliveira, e não tenho pejo em afirmar que em anos anteriores este passo não seria dado. Muito bem aqui também.

Em frente Benfica!

28 de Fevereiro de 1904

Parabéns Benfica!
Muitos anos de vida!

Correrias

Sou adepto de um futebol inteligente, jogado com inteligência quando é preciso, rápido quando há buracos, mais pausado e elaborado quando assim o tem de ser.

Quero com isto chegar a Rodrigo e Carlos Martins

Se o jovem espanhol mostra, jogo após jogo, uma incapacidade gritante de fazer o que se pede a um avançado, já o português que teve o contrato renovado até 2016 nem sequer consegue, simplesmente, jogar. Estar disponível. E em campo, achar que 90% dos seus passes terem de ser "últimos passes", não ajuda.

Se Rodrigo é avançado amado, por um momento de forma, e ainda hoje se desculpam os adeptos que o admiram com São Petersburgo, a realidade é que o rapaz faz, em campo, burrices atrás de burrices. Se o desculpam pela posição em campo, eu contraponho que quando jogou algo que se visse, era precisamente ali que deambulava. Se o desculpam com o que joga nos putos espanhóis, só posso contrapor que contra crianças, até o poejo jogava muito.

Já Carlos Martins sempre foi isto. Intempestivo, burro, incapaz de pensar o jogo. Há quem fale de raça, eu vejo uma barata tonta. Um jogador que, sendo centrocampista, é tudo o que um médio não deve ser. E, repito, lesiona-se a lavar o cabelo ou se está vento de Norte. E tem contrato até 2016.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

80.000.000,00€?

http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/taxas_de_juro___credito/Detalhe/benfica_sad_convoca_ag_para_autorizar_emissao_obrigacionista_de_ate_80_milhoes.html

O link acima, envia o leitor para uma noticia do Jornal de Negócios do dia de hoje, referente à possibilidade do Benfica emitir divida num montante global de 80 milhões de euros.

É para mim absolutamente aterradora esta noticia e demonstra que nada mudou na nossa política económica e financeira.. Pergunto-me sinceramente quem aceitará emprestar-nos tal verba.

EDITADO 26/02 16:45h:

Segundo o último R&C trimestral apresentado em Dezembro os valores são estes a 30/09/2012:

Até um ano
38.007.321€ - Empréstimos bancários e overdrafts
90.000.000€ - Empréstimos obrigacionistas
32.600.000€ - Outros empréstimos
17.530.022€ - Factoring

178.137.343€ - Total a pagar a um ano.

As condições dos Empréstimos à mesma data são:

Maturidade
Outubro 2012  - 32.600.000€ - Papel Comercial 2009/2014 EUR1M+3%
Novembro 2012 - 12.000.000€ - Empréstimo BES EUR3M+6%
Novembro 2012 - 16.800.000€ - Empréstimo BES EUR3M+6%
Dezembro 2012 - 50.000.000€ - Benfica SAD 2012 EUR2M+5,85%
Abril 2013    - 40.000.000€ - Benfica SAD 2013 6% (taxa fixa)
Junho 2013    - 3.951.415€  - BES/Millennium bcp - bonificado EUR6M+2% (Benfica Estádio)
Julho 2013    - 10.030.022€ - Investec 10,35% (taxa fixa)


EDITADO 26/02 20:00h:

http://web3.cmvm.pt/sdi2004/emitentes/docs/CONV43593.pdf
Convocatória para a AG da SAD.

Lápis Azul


Nada de novo...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Números...

1º Eusébio 473 Golos - 440 Jogos (15 Épocas)

2º José Águas 374 Golos - 384 Jogos (13 Épocas)

3º Nené 360 Golos - 575 Jogos (18 Épocas)

4º Torres 226 Golos - 259 Jogos (12 Épocas)

5º Arsénio 218 Golos - 298 Jogos (12 Épocas)

6º Rogério 211 Golos - 320 Jogos (12 Épocas)

7º Julinho 205 Golos - 200 Jogos (10 Épocas)

8º José Augusto 175 Golos - 369 Jogos (11 Épocas)

9º Nuno Gomes 166 Golos - 398 Jogos (12 Épocas)

10º Valadas 156 Golos - 264 Jogos (10 Épocas)

11º Espírito Santo 152 Golos - 211 Jogos (14 Épocas)

12º Cardozo 151 Golos - 241 Jogos (6 Épocas)


Falta 1. Para ser 11º. Faltam 5 para o top 10. Único com menos de 10 épocas nesta lista.

E ainda falam? De barriga cheia é fácil...

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O País das Bananas sem Vergonha

É uma vergonha! VERGONHA! VERGONHA! VERGONHA!


Nem se dão ao trabalho de esconder a corrupção que grassa no organismo. Nem tenho palavras para descrever o nível de cara de pau desta gente.
Vejam o vídeo e as patéticas desculpas apresentadas para a decisão.

Quero apenas deixar em baixo, o supra sumo dos argumentos apresentados.
"...Considerámos que essas infracções disciplinares imputadas ao Boavista, não integravam qualquer ilícito criminal, por isso o prazo da prescrição do procedimento era tão só, de 3 anos..."

Nos oitavos a pensar no Paços

O Benfica apurou-se ontem para os oitavos de final da Liga Europa, após bater o Leverkusen por 2-1. O resultado é bastante enganador, pois na primeira parte só deu Leverkusen e na segunda, criaram oportunidades suficientes para sair vitoriosos do jogo. O Benfica teve sorte, é verdade, mas também muito espírito de sacrifício e muita luta galharda pela bola. Repito que o Benfica teve sorte, mas reforço que fez por tê-la. Procurou-a. Artur foi o segundo melhor em campo, já que a distinção de MVP, vai inteirinha para o André Almeida. Sinceramente nunca me passou pela cabeça que viesse a jogar bem a lateral direito, mas nesta eliminatória com o Bayer Leverkusen, foi para mim o nosso melhor elemento. Para isso contribuiu certamente a aposta continuada de Jesus e a confiança transmitida ao jovem jogador português. As diferenças para aquele jogo de Agosto passado em Glasgow são brutais.

O treinador efectuou algumas poupanças, nomeadamente Sálvio, Maxi e Lima, a pensar no jogo com o Paços, mas queixou-se no final do cansaço acumulado pelos jogadores neste jogo. É difícil quantificá-lo, mas o jogo com o Paços vai ser tão ou mais difícil quanto este e teremos de estar bem fisicamente para responder aos desafios que o Paços nos vai apresentar. Que falta não fariam agora os 3 pontos de avanço se tivéssemos ganho ao Porto.

Para mim, a prioridade são as competições internas. Fazer a dobradinha é algo que infelizmente nunca vi, tal a distância temporal desde a última vez que o atingimos. Seria bonito atingi-lo esta época, até como rampa de lançamento para a Liga dos campeões da próxima temporada, onde o sonho de jogarmos a final em casa, tem de estar na mente de todos.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

A lista dos que nunca vestiriam a camisola gloriosa

Todo o benfiquista que se preze, possui uma lista de jogadores que não quer ver vestidos de vermelho. Cada um escolhe quem incluir na lista com base nas suas convicções pessoais e sistema de valores. Muitos não querem ver Miguel ou Manuel Fernandes, entre outros, "nem pintados" no Estádio da Luz. É algo subjectivo que resulta das más experiências que cada um tem com os jogadores.

Eu não fujo à regra e tenho uma lista com alguns nomes. São em particular, jogadores que desrespeitaram o clube repetidamente ou que não se enquadram minimamente no sistema de valores que deveriam ser a base do clube.

Hoje, e a respeito disto, apetece-me escrever acerca de um desses jogadores, nomeadamente Raul Meireles. Como jogador é pouco mais que mediano. Uma daquelas carreiras feitas no Porto e que após a saída do clube, mingua sem qualquer brilho ou glória. Acontece o mesmo com tantos e tantos outros jogadores "made in FCP", que veêm o seu curriculo reduzido aos títulos "conquistados" pelos azuis.
Raul Meireles é, para mim, um daqueles jogadores sem respeito por si ou pelos outros. Os recentes episódios na Turquia só o demonstram mais cabalmente. Acresce a isto tudo, o facto de ter desrespeitado o Benfica em múltiplas ocasiões, sem qualquer necessidade. A última das quais no embate entre Benfica e Chelsea na edição anterior da Liga dos Campeões. 

No fundo um clube de respeito, dá-se ao respeito e não conta com indivíduos deste calibre. Tenho quase a certeza de que a noticia não tem qualquer fundamento, sendo em tudo similar a uma que circulava na época passada acerca de possibilidade do Benfica contratar Bruno Alves (outro que figura na minha lista), mas não queria deixar de manifestar a minha total e inequívoca objecção à vinda deste jogador em quaisquer moldes. Simplesmente não o quero ver vestido de vermelho com a águia ao peito. Façam-me a vontade OK?

Apoio sem consequências negativas

Benfica - Bayer Leverkusen

Comunicado: Apelo aos sócios e adeptos

"Os sócios e adeptos têm sido fundamentais ao longo do ano na forma como, nas competições nacionais e internacionais, têm conseguido “empurrar” a equipa desde as bancadas do Estádio da Luz. Esta quinta-feira temos mais um jogo decisivo na caminhada europeia e o vosso apoio vai ser, uma vez mais, decisivo.

Como é público temos sido visados pela UEFA em relação ao uso indevido de alguns materiais pirotécnicos. O Clube já foi alvo de diversas multas que ascendem a largos milhares de euros, encontrando-se nesta altura em risco dessa penalização poder ir além da componente financeira.

Nesse sentido, fica aqui o apelo para continuarmos a apoiar a equipa com a mesma determinação de sempre, mas sem a utilização de materiais pirotécnicos que possam vir a determinar uma sanção ainda mais pesada da parte da UEFA
."
O Benfica apela e eu faço eco do apelo. Os petardos servirão apenas para sermos penalizados desportivamente (além das penalizações financeiras) sem que o apoio seja significativamente melhorado por isso. Os benfiquistas não precisam de petardos. A nossa voz é suficiente para mostrar o nosso apoio.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Épica Alemanha

Ontem na Alemanha foi tudo épico.

Os jogadores foram épicos.
O treinador foi épico.
O tempo foi épico.
Os adeptos foram (apesar do frio) ÉPICOS!

Assim sim!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

A impunidade


O artigo que podem consultar clicando no link acima, relata sumariamente as decisões do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol.
Em traços gerais, Cardozo e Matic ficam de fora um jogo do campeonato (Académica no dia 17) e o Porto continua na Taça da Liga.

Estas decisões agora reveladas, mostram que o Futebol é das actividades que goza mais impunidade no nosso país. Sendo Benfica e Porto os dois únicos candidatos ao título nos últimos anos (com o Braga a meter-se às vezes pelo meio), não convém nada que estes façam ou tomem posições de força contra quem "gere" o futebol.

Comecemos pelos castigos aplicados aos jogadores do Benfica. São ambos algo sem pés nem cabeça. Cardozo vê a sua conduta totalmente indigna, ser "premiada" com um jogo de suspensão. Fosse o Jackson, o Mangala, ou o Fernando a fazer o que Cardozo fez e estariam os benfiquistas todos sem excepção a pedir castigos pesados ao jogador. Como é o Cardozo vamos (quase) todos continuar a assobiar para o lado. Fosse em Inglaterra, país que protege verdadeiramente o jogo, e Cardozo não se livraria de um mês na bancada.
Já no caso de Matic, é inconcebível que o sérvio cumpra qualquer castigo, quando não fez nada que justificasse o vermelho exibido por Proença. Tudo não passou de muito teatro do jogador do Nacional (recuso-me a escrever o nome dele), a que respondeu o Auxiliar (ou terá sido mesmo Proença?) com o que vimos na TV. Se em casos anteriores Matic até se tinha posto mais a jeito de uma ou outra expulsão, neste caso nada o justificava. Pelo que não se justifica qualquer penalização. A campanha montada surtiu os seus efeitos...

No caso do Porto, o assunto assume contornos macabros e de verdadeiro caso de Polícia. Relembro os mais esquecidos, de que o Braga foi castigado com derrota, por fazer exactamente o mesmo que fez o Porto, isto é, usar jogadores indevidamente em jogos das equipas A e B. Como se explica então a diferença de julgamento entre um caso e outro? Para mim, a punição ao Braga surgiu a destempo, pois ninguém imaginou que o Porto pudesse cair no mesmo erro. Mas a lei é clara quanto baste e sem margem para interpretações ou teorias de arredondamentos... O Porto prevaricou no jogo da Taça da Liga e deveria ter sido punido com pena de derrota nesse jogo. 

Como conclusão, apetece-me escrever que estas decisões servem de desculpa perfeita para o não afastamento do Porto da Taça da Liga, pois será claro que "ninguém" tirou vantagem nesta altura... Aliás começam a fazer perfeito sentido duas coisas. 
  1. Os sucessivos adiamentos na divulgação da decisão (que para o caso do Braga foi muito mais célere)
  2. A escolha de Proença para apitar o Nacional vs Benfica.
O problema (para esta corja suja que manda no futebol) é que esta impunidade reinante tem os seus limites, até alguém começar a fazer justiça. Já não faltará tudo para isso...

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Afinal também vê o YouTube

Baseando-me na mais recente entrevista do presidente do Porto à revista do seu clube, ficam dissipadas todas as dúvidas. Pinto da Costa também andou no YouTube a ver (e a ouvir) as escutas do processo Apito Dourados. Escrevi "as escutas"? Erro meu. É "A escuta".

A mesma pessoa que fez o que quis e lhe apeteceu da arbitragem em Portugal, como tão bem comprovam as escutas que todos vimos e ouvimos, dá-se ao desplante de mencionar a única escuta que envolve Luis Filipe Vieira nesse processo, onde os me(r)dia tentam passar a mensagem de que Luis Filpe Vieira tentou influenciar a escolha do árbitro da meia final da taça de Portugal desse ano por sua iniciativa. 
Para que conste, pela enésima vez, Luis Filipe Vieira atende o telemóvel a Valentim Loureiro, após várias tentativas frustadas por parte dos responsáveis da Federação, de chegar à fala com o presidente do Benfica. E na escuta referida, o mesmo presidente do Benfica refere várias vezes que não quer falar sobre árbitros, mas após a insistência de Valentim com nomes verdadeiramente atentatórios ao clube, lá acaba por dizer que João Ferreira "pode ser". Como se vê é exactamente o mesmo que convidar um árbitro para sua casa antes de um jogo. Ou talvez por não ser, é que é referido agora pelo proxeneta senil.

É que está mesmo senil o homem, só pode. E ainda por cima, não tem quem o ajude a amenizar os efeitos da Alzheimer. Se há coisa que nunca devia sair da boca deste proxeneta, é algo relacionado com escutas e Apito Dourado. Acredito mesmo que muitos dos responsáveis portistas não tenham estado atentos a esta entrevista e peçam a todos os santos para que não seja analisada... Querem que tudo isto caia (ainda mais) no esquecimento.

Já sabemos bem que, desde que o facturas Fernando Gomes assumiu os destinos da Liga, eles perderam toda e qualquer réstia de vergonha na cara e sentido do ridículo, mas é bom que as autoridades estejam atentas a estes episódios. Poderiam inclusivamente confrontar o dito proxeneta com as outras escutas que ele aparentemente "não ouviu". 
Era até uma bela ideia para algum jornalista mais tresloucadamente integro (se é que ainda os há).

Como diz o Aguiar: É Muita Fruta!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Por-se a jeito?

Tenho de confessar que não vi o jogo de ontem. Fui seguindo através da rádio Antena 1 as incidências do jogo, e a dada altura pareceu-me inevitável a nossa vitória. Especialmente depois de Urreta fazer o golo da reviravolta, não acreditei que este Benfica se deixasse empatar. O maior culpado deste empate a 2 golos, é sem dúvida nenhuma o próprio Benfica. Mais uma vez, muito permissivo a defender e muito perdulário a finalizar.
Vi depois as análises escritas e os resumos do encontro, pelo que falarei acerca de algumas incidências do jogo e de outras não.

É difícil falar com exactidão, de um jogo que não se viu, apenas se ouviu, mas ainda assim, há algumas conclusões a que se pode chegar.
  1. Num campeonato decente, Cardozo seria severamente castigado pelo que fez. Não só pontapeou um adversário (a ânsia de prosseguir o jogo o mais rápido possível não desculpa em nada a atitude), como puxou o árbitro para tirar satisfações. Perdeu a cabeça e prejudicou muito o Benfica (não neste jogo em particular mas nos próximos encontros).
  2. Num campeonato decente, Matic veria o seu cartão vermelho retirado e não cumpriria qualquer sanção por algo que não cometeu. A expulsão é a todos os títulos ridícula.
  3. Num campeonato decente, Candeias seria castigado pela simulação que protagonizou. Um jogo a pensar no que fez, só lhe fazia bem.
  4. Num campeonato decente, Proença não mais apitaria jogos de Benfica ou Porto. Não tem capacidade para apitar qualquer das equipas.
Mais haveria a dizer e a escrever, mas sem documentação comprovada e factual, não me atrevo a fazê-lo, sob pena de me ter de contradizer num artigo futuro.