origem

sábado, 17 de março de 2012

O fracasso de Vieira - 6


Na rubrica de hoje de "O fracasso de Vieira", é o aspecto financeiro que domina atenções. Se por um lado o Benfica tem crescido muito, por outro esse crescimento fica em grande parte a dever-se aos bancos.

O tempo de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica já vai longo. São 2 anos de Director Desportivo do Futebol (2001-2003) mais 8 (9) anos de presidente (2003-2012). Ao longo deste tempo, foram muitas as dificuldades que teve de superar, mas não tantas como as que nunca se cansou de repetir. Foram ainda mais (muitos mais) os erros que se cometeram, alguns dos quais com graves repercussões nos destinos do clube.

Em sexto lugar: O Descontrolo Financeiro

  • 15.565.841 € / 99.312.450 € (Activo/Passivo do Clube)
  • 411.298.443 € / 403.719.741 € (Activo/Passivo da S.A.D.) 

Como se chegou a esta situação?

  1. Contraindo empréstimos (ou mecanismos equivalentes) para pagar empréstimos a vencer, a custos superiores.
  2. Desperdiçando valiosos recursos em contratações de "ocasião".
  3. Não poupando recursos em anos bons, para suportar os prejuízos dos anos maus. Vulgo Chapa ganha, Chapa gasta.
Algumas notas sobre os três pontos acima descritos:

i) Na época 2010/2011, a S.A.D., no seu Relatório & Contas anual, apresentou custos com financiamento que ascenderam a 18.726.308,00€ no total. São mais de 18M€ gastos nesta altura. Destes, 13.344.939,00€ (13M€) são directamente atribuídos a custos com juros. Como é obvio, isto é incomportável para um clube como o Benfica. Não só nos impede de canalizar algumas verbas das receitas para áreas onde esses fundos são necessários, como nos impõe uma ditadura bancária, com muitos empréstimos a serem renovados automaticamente (a custos superiores) porque o Benfica não tem capacidade de os pagar a tempo e horas, o que cria o chamado efeito bola de neve. Exemplificando o que digo:
Custos com financiamento
Mesmo admitindo que alguma parte destes valores pós 2009, são devidos a financiamento do Estádio, não deixa de ser preocupante e sintomático o rumo que estamos a levar.


ii) Os empréstimos que o Benfica tem ainda por pagar ascendem a cerca de 260M€ (259.969.059,00€), segundo informação disponibilizada no último Relatório & Contas, referente ao primeiro semestre de actividade de 2011/2012. O valor total dos empréstimos obtidos ascende a cerca 367M€ (367.090.310,00€), sendo visível que o Benfica amortizou cerca de 100M€ em empréstimos. O facto, é que parte destas amortizações foram efectuadas com recurso a empréstimos obtidos, aumentando na verdade o nível de endividamento.
No final da época 2010/2011, o valor por pagar era de cerca de 238M€ (237.188.347,00€). Esta discrepância prende-se com o facto do Benfica ter negociado uma nova emissão de papel comercial no valor de 50M€. E assim vamos andando, até que alguém veja que o caminho do empréstimo chegou ao fim. Nesse dia estaremos em maus lençóis.

iii) O factor mais visível do desperdício de dinheiro, está na contratação absolutamente absurda de jogadores que o Benfica faz em TODOS os anos. São cerca de 15 jogadores (a um custo médio de cerca 1,5M€) a cada nova temporada que se inicia. Simplesmente incomportável para nós, onde as contratações deveriam ser as absolutamente necessárias. Não temos dinheiro para andar a comprar "tudo o que mexe" na América do Sul... O facto é que desde que Vieira entrou no clube, são já mais de 150 jogadores contratados e a caminho em passos largos dos 200. Inexplicável à luz do que são os nossos constrangimentos financeiros.

iv) O gráfico em baixo demonstra a evolução da relação entre proveitos e gastos, com e sem transações de atletas. É para mim frustante que, em quase todos os anos, o aumento de receitas tenha sido acompanhado por um aumento na mesma proporção dos gastos. É simplesmente má gestão. 
Rácios entre proveitos e custos
Como se pode ver em cima, os resultados são quase sempre negativos, seja em anos com mais ou menos receitas. E se no passado (até sensivelmente 2007) as vendas de jogadores minimizavam ou alteravam o panorama financeiro, mais recentemente nota-se o inverso, tendo as transações de atletas sido um peso extra nas finanças do clube. Como se explica isto se vendemos como há nunca vendemos? A explicação encontra-se no lado das compras. Sinceramente, espero que com um plantel, mais ou menos estabilizado, como o que temos agora (em que são já muitos os jogadores que estão connosco há mais de 2-3 anos), não tenhamos necessidade de atacar em força o mercado como temos vindo a fazer. Tem de imperar o bom senso nesta matéria!

v) Segundo números divulgados no último Relatório & Contas da S.A.D. (1º semestre de 2011/2012), o número de atletas sob contrato é de 67 (!), tendo mesmo descido em relação a Junho de 2011, em que esse número era de 71 (!!). São quase 3 plantéis sob contrato. Muita gente mesmo. O negativo aqui, é não só o valor crescente dos vencimentos, mas também o facto de que a esmagadora maioria destes contratos são celebrados com jogadores que não vêm da formação, implicando gastos adicionais com custos de transferência e comissões. Temos de inverter esta tendência do contratar por contratar (nomeadamente sem dar tempo aos novos atletas de vingarem no clube), pois a mesma é muito nefasta ao Benfica.
Custos com Pessoal
Número de atletas sob contrato
Os valores referentes a números de atletas sob contrato, anteriores a 2007, não foram disponibilizados nos respectivos Relatórios & Contas. Ainda assim, é possível verificar o crescimento absurdo, que ocorreu neste valor em apenas 5 anos. Quase duplicou, o que para um clube português é incomportável.


Finalmente, quero deixar bem claro que não sou perito em finanças ou economia, e que os valores aqui apresentados, são fruto de conversas que tive com gente mais capaz e de conclusões que me parecem óbvias.
O tempo de inverter este rumo despesista é agora!

Índice:
Em décimo lugar: Mistura de Amizades pessoais com a Defesa do clube.
Em nono lugar: Delapidação dos Valores do Clube
Em oitavo lugar: Introdução de Corpos estranhos ao Clube

4 comentários:

  1. Teremos em breve mais um a fazer companhia a Sócrates?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que Luis Filipe Vieira abandone o Benfica tão cedo. Simplesmente porque quem tem o poder de o remover, não o quer fazer, apesar de tudo. A maioria ainda o considera um excelente presidente e no final do dia é isso que conta para as eleições.

      Eliminar
  2. Escreves escreces ... mas não dizes nada. Queres é o vale tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, não quero Vale Tudo nenhum. Aliás se o Vale tivesse feito metade das asneiras deste, era comido vivo. Se tivesse tido metade das humilhações que este já teve, era comido vivo. Se apoiasse metade dos corruptos que este apoiou, era comido vivo.

      Quando diz que eu escrevo, escrevo e não digo nada, está-se a referir a quê concretamente? Os números estão aí para quem os quiser ler. A tendência é a mesma de sempre, indesmentível face aos factos. Continua-se a clamar pelo Vale e Azevedo, mas ele já abandonou o Benfica à mais de 11 anos. 11!!! Ainda não houve tempo de corrigir estes erros absurdos? É que apenas nos trazem malefícios a médio/longo prazo.

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.