origem

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Eduardo Salvio... outra vez

Já são tantas as vezes que o nome Salvio aparece como possível reforço que cada vez que se fala nele mais reticente eu fico em relação às reais possibilidades de Salvio ingressar no Benfica. Parece que desta vez é a sério, devido ao eco na imprensa espanhola, particularmente no Mundo Deportivo do Atlético de Madrid, que pelo que entendi é um suplemento de um jornal dedicado ao clube madrileno. Fala-se num valor a rondar os 8M de euros.

A questão essencial para mim é que Salvio não é nesta altura o reforço mais premente para o Benfica. Não existem alternativas reais ao Maxi Pereira ( não me parece que Jorge Jesus conte com o João Cancelo para a direita) e no lado esquerdo até tenho medo, existe Luisinho que claramente não me parece ser o lateral que o Benfica precisa e existe Melgarejo, um extremo/avançado com enorme qualidade e potencial que Jorge Jesus teima em estragar. Teve a ideia de o colocar a lateral-esquerdo e agora não há ninguém que consiga demover o treinador do Benfica. Os adeptos do Benfica já sabem, para seu infortúnio, o quão teimoso é capaz de ser Jorge Jesus. A verdade é que o Benfica precisa muito mais de laterais competentes do que mais um extremo contratado a peso de ouro (afinal para que se contratou Ola John por 9 milhões de euros se o Benfica pretende outro extremo por valor praticamente idêntico?) e isto dito por alguém que aprecia imenso as qualidades do Salvio.

Custa-me dizer isto mas primeiro o Benfica que reforce as áreas onde realmente está fragilizado, e depois então se achar que justifica o esforço financeiro (não sei de onde veio este dinheiro mas no Benfica já é habitual estes vaipes no mercado de transferências) que vá então buscar Salvio. Uma coisa é certa, se Salvio  vem para o Benfica automaticamente Gaitán tem guia de marcha e a sensação que me dá é que ele não vai sozinho (Witsel, Javi Garcia ou Cardozo podem ser os senhores que se seguem).

Veremos no que dá esta situação, a novela está assegurada.

Tiago S. (Saviolafication)

domingo, 29 de julho de 2012

Mais uma vez campeões... desta vez em pequeninos

O Benfica é campeão nacional de Hóquei em Patins em Juniores.


Batemos o Porto por 7-5 e conquistámos o ceptro.

Parabéns jovens campeões!


Nota adicional: mais uma vez o mau perder e falta de carácter que emana daquela agremiação corrupta foi por demais evidente. 3 cartões azuis nos últimos 2 minutos! As três cadeiras de exclusão completamente ocupadas! Faltas duras, apenas para travar os nossos campeões e rodas aos árbitros à boa moda portista. É já uma coisa tão banal que já não merece destaque numa imprensa completamente avençada, mas que deveria fazer pensar os dirigentes da modalidade.

Mais uns jogos de preparação e duas taças

O Benfica venceu em dias consecutivos, o Real Madrid e o Gil Vicente pelo mesmo resultado: 5-2.
Dois jogos à antiga, muito abertos e com bastante espaço e tempo para os jogadores executarem. Certamente não será assim quando for a doer...


Na Sexta-feira o Benfica recebeu um Real Madrid desfalcado (dos que estiveram no Euro, apenas Coentrão marcou presença), e conquistou a sua terceira Eusébio Cup. Em termos ofensivos, o Benfica foi tudo aquilo que sempre tem sido com Jesus ao leme, uma equipa agressiva e demolidora, com constantes acelerações pelos flancos, a desgastar a defensiva adversária. E devido às circunstâncias em que decorreu o jogo, o Benfica teve bastante espaço para jogar, mostrando porque é das equipas mais perigosas a jogar em transição rápida.
No entanto, a parte defensiva não foi nada brilhante. A forma fácil com que o Real Madrid deu a volta ao jogo, pondo a nu as nossas debilidades no sector recuado, é um facto de realçar, pois é necessário melhorar muito esse aspecto. Tal como diz a sabedoria popular, as defesas ganham campeonatos.
O resultado espelha bem o que se passou em campo, com um Benfica claramente mais forte e a abordar o jogo de forma bastante séria. De facto não foi amigável nenhum. Eusébio deve ter vertido algumas lágrimas ao ver o Benfica dominar o Real Madrid, tal como naquela tarde inolvidável em Amesterdão.

Ontem, o mesmo resultado frente ao Gil Vicente, com 35 minutos iniciais de autêntico vendaval encarnado em Barcelos. Rodrigo Mora mostrou pela primeira vez (em minha opinião) porque razão foi contratado. Foi um autêntico diabo à solta e mostrou que nesta altura está bem à frente de Saviola como 4ª alternativa no ataque. 
A equipa foi completamente remodelada (naturalmente até porque nenhum dos titulares de sexta viajou para o Minho) e perante um opositor interno de bastante valia (basta lembrar a carreira interna da época passada) dominou por completo o jogo. Parecia até que o Gil Vicente não encarou o jogo como um teste às suas capacidades. O avolumar do resultado na primeira parte demonstra bem a facilidade concedida aos encarnados.
De realçar a chamada de vários jogadores que não foram muito utilizados ao longo do estágio e que encararam a oportunidade de forma bastante séria. Vários deles demonstraram, para mim, que podem ser opção mais vezes durante a época e não só quando não houver mais disponíveis. Cabe ao treinador apostar neles em alturas mais adequadas, de modo a fazer com que nenhum jogador se apresente em condições físicas deploráveis quando os jogos forem decisivos.

Uma nota final, se o Benfica tiver que "desprezar"* as competições europeias durante dois ou três anos, para garantir uma hegemonia interna, acho que nenhum benfiquista se importará com isso.

* por desprezar entendo dar absoluta prioridade às competições internas, o que significa não poupar jogadores no campeonato nem alterar as datas dos jogos para beneficiar os compromissos europeus. Ao invés, se necessário, poupar jogadores fulcrais em jogos europeus para estarem a 100% nos jogos do campeonato.

Quando um Campeão Mundial não serve

Capdevila já não é jogador do Benfica. O espanhol assinou por um ano com o Espanhol de Barcelona e segue a sua carreira depois de uma passagem desastrosa pelo Benfica.

Ainda hoje me questiono porque motivo ele não agarrou o lugar na nossa lateral esquerda. Qualidade nunca lhe faltou. Não me parece ter sido apenas embirração do treinador ou desleixo do jogador.

A forma como e em que chegou ao clube não era de facto a melhor. Apresentou-se já numa fase adiantada da pré-época e numa forma deplorável. Mas normalmente, com trabalho especifico, ao fim de um mês, esses problemas estão resolvidos. O facto de não ter sido inscrito na Liga dos Campeões para a fase de grupos, devido ao excesso de estrangeiros não ajudou à situação. 
Nos poucos jogos em que actuou, principalmente na fase final da época, mostrou que a qualidade estava lá, mas o corpo já não obedecia ao esperado. A táctica de Jesus (que penaliza severamente os laterais em termos fisicos) também não ajudou à festa e assim tivémos uma verdadeira sombra do campeão europeu e mundial na Luz.

É pena pois podia ter sido mais importante neste Benfica.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Ridicularidades

Não sei o que é mais ridiculo no que a seguir escrevo. Alguém me pode ajudar a compreender?

  1. O presidente do Benfica foi suspenso por 45 dias e terá de pagar uma multa de 2500€, no seguimento da decisão do Conselho de Disciplina da Federação, relativo a um proceso instaurado por causa de supostas declarações atribuidas a Vieira após o derby de Novembro passado.
  2. As declarações públicas de dirigentes leoninos da mesma altura (e mesmo anteriores ao referido derby) ainda não têm decisão (presumo eu que também exista um processo de inquérito para isto).
  3. As acções dos adeptos verdes que levaram ao incêndio de grandes proporções que destruiu parte da bancada Coca-Cola também ainda não geraram qualquer punição ou advertência. Nem tão pouco o Sporting ressarciu o Benfica dos danos causados, enquanto anda a esbanjar dinheiro em jogadores novos, batendo inclusivamente o Benfica num deles. Daqui a pouco passou um ano...
  4. Luis Filipe Vieira apoiou duas vezes quem está na Federação, a segunda delas inequivocamente, mas após tantas afrontas (nem dava para as enumerar neste texto) ao clube ainda não veio a público retirar esse apoio. Um dos seus vices já demonstrou a sua insatisfação, mas o presidente ainda não o fez abertamente.


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Emerson em análise europeia

Golos sofridos pelo Benfica europeu 2011-2012



  1. Trabzonspor (f) - 1-1 - Direita - Bola nas costas de Maxi, cruzamento, Luisão e Emerson não chegam à bola, golo de Paulo Henrique.
  2. Twente (f) - 1-0 - Centro - Bola longa para meio campo. Jogada individual de De Jong.
  3. Twente (f) - 2-2 - Direita - Ola John ultrapassa Maxi duas vezes e cruza para golo de Bryan Ruiz de cabeça (em falta sobre Emerson)
  4. Twente (c) - 3-1 - Direita - Ola John recebe a bola solto (coberto por Luisão à distância) e cruza para golo de Bryan Ruiz de cabeça (no meio de Javi e Garay)
  5. Man Utd (c) - 1-1 - Esquerda - Passe na zona do extremo esquerdo (Bruno César) para Giggs ao centro. Ninguém acompanha e à entrada da área remate sem hipotese de Giggs.
  6. Basileia (c) - 1-1 - Direita - Maxi ultrapassado pela direita, cruzamento para o centro para remate sem oposiçao de Huggel.
  7. Man Utd (f) - 1-1 - Direita - Cruzamento de Nani com Gaitán pela frente e golo de cabeça de Berbatov (em fora de jogo)
  8. Man Utd (f) - 2-1 - Direita - Corte de Maxi para os pés de Evra. Cruzamento na meia esquerda a vontade. Fletcher foge à defesa, ultrapassa Artur e faz o golo à segunda.
  9. Zenit (f) - 1-1 - Direita - Lançamento lateral e bola nas costas de Gaitán, cruzamento para o centro e remate de primeira de Shirokov.
  10. Zenit (f) - 2-1 - Esquerda - Lançamento lateral e bola para as costas de Emerson. Toque de calcanhar atrasado, cruzamento para o centro e golo de calcanhar de Semak.
  11. Zenit (f) - 3-2 - Esquerda - Bola nas costas de Emerson que saiu ao encontro do adversário, cruzamento para o centro onde Maxi tenta dominar a bola. Shirokov aproveita o erro e faz o golo.
  12. Chelsea (c) - 0-1 - Esquerda - Emerson deixa Torres escapar pela ala. Cruzamento para o centro e golo de Kallou.
  13. Chelsea (f) - 1-0 - ... - Lampard marca de penalty a castigar falta de Javi Garcia sobre Ashley Cole.
  14. Chelsea (f) - 2-1 - Centro - Contra ataque depois de livre mal marcado por Aimar, com remate de Raúl Meireles à entrada da área.

Direita - 7 golos
Centro - 2 golos
Esquerda - 4 golos
n/a - 1 golo de penalty

Os golos sofridos nasceram em maioria do lado direito da defesa com quase o dobro dos golos a nascerem daquele lado em relação ao lado esquerdo. No total, Emerson tem influência em 3 dos golos (ao se deixar ultrapassar no flanco) ao passo que Maxi tem do lado oposto influencia em 5 golos mais um em que falhou no centro da área.

O grande problema de Emerson neste Benfica de Jorge Jesus é a incapacidade demonstrada a atacar, pois mesmo cometendo menos erros a defender que Maxi Pereira, a apetência ofensiva do uruguaio, trás-lhe muito mais visibilidade positiva na equipa e na bancada. Emerson só é falado quando falha a defender e sem a parte ofensiva para contra-balançar isso, gera-se a normal antipatia causada pela memória selectiva...

Em minha opinião, Emerson já não tem condições para jogar neste Benfica de Jorge Jesus, embora pudesse ser bastante útil num esquema de jogo mais conservador.

PS: O curioso é que metade destes golos sofridos, são devido a bolas nas costas dos nossos laterais o que explica bem a tendência atacante dos mesmos e a forma avançada como a equipa defende. Normalmente com 3 jogadores ao centro e os laterais muito avançados.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Mão cheia de areia

O presidente do Benfica teve hoje algumas declarações que só revelam mais do mesmo.

Saídas de jogadores:
... não tem problema nenhum. Sabem qual é a cláusula que ele tem. Se chegarem cá e pagarem a cláusula dele, logicamente que não podemos fazer nada...
Já ouvi estas promessas antes. Só com Fábio Coentrão foram cumpridas.

Aposta nos jovens:
... aquilo que nós pretendemos é, em determinadas posições, criar espaços para os jogadores da nossa formação poderem competir...
Desde 2006 que fala na aposta nos jovens. Até agora, só Nelson Oliveira e Miguel Vitor foram verdadeiramente utilizados a espaços. Muito pouco para o que se apregoa ser a aposta. Ao invés contratações a granel de "desconhecidos" para ocupar as vagas destinadas aos jovens. Muitas (demasiadas) vezes com resultados equivalentes ou piores.

Trabalho:
... dentro do Benfica trabalha-se muitíssimo bem, com bastante calma. Sabemos o que é que pretendemos para o Benfica, e toda a estrutura do Benfica está em sintonia naquilo que são os nossos objectivos e naquilo que pretendemos para a nossa equipa principal.
Todos os anos esta mesma lenga-lenga. "Sabemos o que queremos", "Todos estão em sintonia", etc. Parece que o presidente não sabe o que significa a palavra sintonia, já que o treinador o contradiz a cada declaração que faz.


Sinceramente, já desligo um bocado destas declarações de circunstância, pois já vou tendo anos suficientes disto, para saber que as palavras não significam nada, se não acompanhadas de acções e decisões. Vieira repete o discurso já gasto do trabalho exemplar feito no Benfica, da aposta nos jovens, de como o Benfica está de tão boa saúde financeira que ninguém sai a não ser que paguem as cláusulas de rescisão.

9 anos depois, parece que ainda não aprendeu o que deve ser um presidente do Benfica. Infelizmente para nós, não me parece que alguma vez o aprenda.

domingo, 22 de julho de 2012

Ilações vindas da Polónia

O Benfica fez dois jogos relâmpago este fim de semana. Ganhou o primeiro e perdeu o segundo. Pessoalmente retiro as seguintes ilações:

  1. Precisamos de um defesa esquerdo. Não percebo como Emerson, Capdevila ou Carole não estão em estágio. Até vir alguém pelo menos um deveria estar.
  2. Jorge Jesus não sabe ou não quer gerir os jogadores defensivos nesta altura. Jogam sempre os mesmos. Luisão, Garay, Maxi e Javi estão rotos que dói. Jardel e Miguel Vitor nem utilizados são.
  3. Bruno César ainda não se adaptou a jogar a 10.
  4. Witsel e Carlos Martins deveriam ter lugar garantido no onze nesta altura.
  5. A quantidade de extremos, médios ofensivos e avançados que temos é desequilibrada face à falta de opções defensivas.
Ainda há tempo de retificar o que está mal. Mas já é cada vez menos.

sábado, 21 de julho de 2012

Pérola Belga

Axel Witsel é simplesmente fabuloso. Um jogador muito completo que dá ao jogo uma magia que poucos dão. E no jogo de hoje, mostrou bem o quão útil pode ser o seu contributo em terrenos mais avançados.

A jogar assim, não chega ao ínicio do campeonato!

Invenções

O que é o futebol senão uma série de invenções? A capacidade de imaginar, sonhar e criar novas nuances a um jogo tão simples é de facto um dos aspectos que mais gosto.

Desde a sua criação, são incontáveis as invenções criadas para este magnifico jogo.
Esquemas tácticos inovadores, metodologias de treino avançadas, adaptações de jogadores a posições novas, fintas mirabolantes ou jogadas planeadas, de tudo um pouco já foi inventado e re-inventado.

A invenção não é por si só uma coisa nefasta ao jogo. É daí que nasce o improviso, a capacidade de surpreender o adversário ou a imortalização de momentos mágicos. Mas também não deve ser algo feito só porque sim. A invenção no futebol é uma decisão lógica misturada com a subjectividade e imaginação de quem inventa.
Ver o Futebol Total preconizado por Rinus Michels ou o Tiki-Taka de Guardiola, simboliza na perfeição aquilo que escrevo. As adaptações de grandes jogadores, como por exemplo Veloso, Cavém ou Fábio Coentrão, só para mencionar Benfiquistas, também dá corpo à ideia descrita. O inventor, vê algo no seu imaginário, que mais ninguém vê, que mais ninguém imagina. E às vezes a invenção é tão bem feita, que depois de efectuada, se torna impossível imaginar como era antes dela.
E a inventar, os Portugueses são mestres. Algumas vezes bem, muitas outras mal, não há quem o faça mais que nós. Quem imaginaria Samuel Eto'o a Lateral Direito antes de Mourinho o lá colocar por necessidade? Arrisco dizer que ninguém.

Vem isto a propósito das invenções de pré-época a que estamos a assistir no Benfica 2012/2013. Ver dois avançados adaptados a laterais é à partida uma ideia parva. A menos que dê resultado, tornando-se então numa jogada de mestre. Melgarejo e Djaló não são à partida candidatos prováveis às posições testadas, mas Coentrão era?
O que me parece, é que estas adaptações não podem ser o plano A. Tem de haver um plano A e estes jogadores serem treinados como plano B ou C. Para qualquer eventualidade. Fazer depender o plano A do Benfica destas adaptações não me parece boa politica e no futebol o que manda são os resultados. A seu tempo se verá

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Estágio


Acabou o estágio do Benfica, com um empate a zero frente ao Lille. Este, foi de longe, o adversário mais difícil que tivémos e que pôs a nú as nossas debilidades defensivas.

No global o estágio é positivo, pois pudémos ver que os craques continuam craques e que as rotinas da equipa são já algo inato. Fruto da continuidade da maioria dos jogadores por mais que um ano... Os novos e as segundas escolhas foram entrando a espaços na primeira equipa ou jogando todos juntos, pelo que sem ser Melgarejo, forçado a lateral esquerdo, nenhum dos novos se evidenciou por aí além. Ola John, Luisinho e Carlos Martins at+e mostraram que poderão ser alternativas sérias com mais ou menos trabalho.

Tivémos também uma grande (e excelente) novidade em relação ao discurso. Jesus não falou durante todo o estágio, resguardando-se assim de possíveis questões incómodas e permitindo-lhe trabalhar naquilo que interessa. Gostei e até penso se não será importante fazer o mesmo em alguns períodos da época que agora começa. Para dar um exemplo ao mais alto nível, Mourinho fá-lo várias vezes, enviando os seus adjuntos para a ribalta.

No mais, não houve entradas nem saídas no plantel durante este estágio, o que confere um certo grau de estabilidade ao grupo. Não sendo possível o plantel estar já fechado, era importante que o grupo sofresse o mínimo de perturbação possível.

Agora é preciso continuar a trabalhar, de modo a que estejamos ao mais alto nível no ínicio da temporada. Não admito outra coisa que não seja entrar com uma série razoável de vitórias consecutivas, tirando partido de um arranque mais soft. Para entrarmos em vantagem pontual quando chegarmos à altura dos confrontos com os rivais.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Teorias Laterais

Entradas e Saídas
"Em minha opinião, Jesus vai tentar fazer com Yannick o mesmo que fez com Coentrão: criar um jogador explosivo vindo de trás fazendo uso de um dos melhores atributos de Yannick como é a sua velocidade. E se Amorim tivesse ficado no plantel, seria para substituto de Maxi e não para o meio campo. Resta saber se (sendo essa a opção) Yannick se saberá adaptar ao espartilho táctico que Jesus obriga muitos jogadores a meterem (especialmente os defensivos). E se terá pulmão suficiente... (em minha opinião é possível)"
No passado dia 31 de Janeiro, escrevi o acima mencionado aqui no blog.
Passados alguns meses, Jesus apostou em Yannick Djaló para a lateral direita da defesa, num jogo contra os amadores do HAMM. Até que ponto foi uma aposta pensada e com pernas para andar, não faço ideia.
Sinceramente, mantenho que Djaló poderia dar um Lateral Direito bastante razoável. Desde que aplicado e bem treinado. 

A adaptação de médios/extremos/avançados a posições mais defensivas já vem sendo um hábito, principalmente em Portugal. Os casos mais recentes neste Benfica 2012/2013, são apenas o confirmar de uma tendência crescente. O facto de Benfica ter nesta altura extremos para três equipas, não é também alheio a isto.

Vamos ver como se desenrola o resto da pré-temporada, para aquilatar das reais possibilidades de termos laterais adaptados em 2012/2013.

domingo, 15 de julho de 2012

Francisco Lázaro

Faz hoje 100 anos que o atleta do Benfica Francisco Lázaro faleceu a meio de uma prova de maratona em Estocolmo,na Suécia, durante os Jogos Olímpicos de 1912. O Benfiquista fazia parte da primeira comitiva olímpica portuguesa naqueles que são considerados os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, tendo sido inclusivamente o porta-bandeira da comitiva.

Lázaro tem uma frase que dura ainda até hoje, referente à sua participação nos Jogos Olímpicos:

Ganho ou morro!

Fica aqui a minha pequena homenagem a este grande Benfiquista!

Tiago S. (Saviolafication)

sábado, 14 de julho de 2012

Primeiro teste

O Benfica bateu ontem o Marselha por 2-0 no primeiro teste desta pré-temporada.


Já demos boas indicações em alguns momentos, mas parece-me que ainda sofremos dos defeitos da época passada. A seu tempo terão de ser resolvidos.
Os três mais importantes continuam a ser:
  1. a irracional descida de Javi para 3º central quando saimos em ataque organizado, o que deixa um vazio no nosso meio campo defensivo e permite ao adversário ter tempo para pensar e executar sempre que recupera a bola no meio campo.
  2. a completa falta de apoio dos extremos aos laterais. Maxi já vive bem com isso pois Luisão vai compensando naquele lado, mas na esquerda (a exemplo do que sucedia com Emerson e Capdevila) Luisinho e Melgarejo, viram-se quase sempre em inferioridade numérica.
  3. A notória falta de soluções defensivas, caso alguém esteja indisponível. Matic a substituir Javi e Melgarejo a substituir Luisinho não são soluções. Maxi, Luisão e Garay fizeram o jogo todo. Havia necessidade disso?
Diga-se também, que este Marselha está a anos luz daquele que eliminámos em 2010. A equipa francesa demonstrou porque razão ficou em 10º lugar no último campeonato francês. O Benfica dominou sempre os acontecimentos e as duas oportunidades dos gauleses, surgiram de duas infantilidades nossas a meio campo. Numa resolveu Artur (sempre seguro) e na outra o recém-entrado Paulo Lopes (boa exibição do português). Sobre Paulo Lopes, digo já que a sua experiência vai ser útil esta época.

Em relação às caras novas, gostei muito de Ola John, e Melgarejo.
O primeiro pois confirmou a velocidade de execução que tem, tendo boas arrancadas pelo flanco direito. Seguramente que será uma peça importante no desbloquear de alguns jogos. Possivelmente os mais importantes.
O segundo, porque mesmo sacrificado a uma posição que não é a sua, lutou e batalhou muito não se coibindo de ir à frente. Demonstrou atitude e garra. Mesmo achando que é um desperdício não o utilizar à frente, fiquei um pouco surpreendido.

Em relação ao treinador, mostrou-se interventivo e isso nesta fase da época é o mais importante. A noticia de que não falará até ao fim do estágio é excelente. Vai permitir que se foque no essencial e que a sua imagem sofra alguma recuperação depois do desgaste enorme que tem levado nos últimos dois anos. Por mim era continuar até ao final da época, salvo casos pontuais.

No geral, tenho sensações mistas em relação ao jogo. Se por um lado já tinha saudades de ver o Benfica e alguns jogadores me agradaram (o Carlos Martins mostrou em 30 minutos que nunca deveria ter sido emprestado a época passada), por outro, notei as mesmíssimas lacunas que apresentámos anteriormente. Ainda temos um mês de tranquilidade para os resolver. Espero sinceramente que o consigamos fazer.

Para já, não estou tão "eufórico" como os jornais.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Dia de azar?

Sexta-feira dia 13 de Julho de 2012.



O Benfica começa hoje a jogar "à bola", frente ao Marselha. Para os mais supersticiosos, a data não é a melhor para começar bem, mas ainda assim é o "Regresso" do Benfica. Só por isto já é um bom dia.

Sendo certo que poderiamos perfeitamente começar melhor, se já tivessemos todos os "reforços" necessários, a espectativa é grande, para ver este Benfica 2012/2013. Ver se os erros da época transacta foram corrigidos (aparentemente nem todos), se alguma cara nova sobressai ou se as do costume carregam a equipa. 

Sou sincero. Não tenho as espectativas especialmente elevadas para este ano. Por alguns motivos que já fui aqui dizendo ao longo das últimas semanas, mas à cabeça por dois principais:

  1. O discurso é exactamente o mesmo de épocas anteriores. Somos à partida os melhores em tudo e mais alguma coisa. O céu é o limite.
  2. Continuamos a ter uma politica de contratações e uma gestão de activos que deixa muito a desejar.
Mas é o Benfica e mais tarde ou mais cedo, também eu entrarei nessa espiral ascendente que nos caracteriza neste periodo da época.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

E subitamente a vida fica mais fácil (e arejada)

  • A Federação Portuguesa de Patinagem rejeitou as pretensões ridículas do Porto e confirmou o Benfica como campeão 2011/2012. Era a única saída digna possível para este "caso".
  • O Porto acabou com a sua secção de Basquetebol. Pudera! A pagar 5 vezes mais que o Benfica (que já de si paga muito bem) não há secção que resista. Vamos lá a ver se a seguir não é o Hóquei.


Em 2012/2013 há 3 campeonatos das modalidades que é obrigatório vencer:

  1. Voleibol - depois de três dramáticas mortes na praia, não há volta a dar!
  2. Basquetebol - Com a saida do Porto, o Benfica passa a ser a única potência nacional.
  3. Hóquei em Patins - Depois de recuperar o campeonato, e com a previsível contenção de custos do Porto, temos de ganhar o bi-campeonato!

E se amanhã tivessemos a equipa que queremos?


O que aconteceria se para o jogo de amanhã, já tivessemos o plantel totalmente fechado? O tão aguardado defesa esquerdo, mais a alternativa ao Maxi e ao Javi, acabando na dispensa de alguns excendentários.

Na realidade não acontecia nada de especial. O Jesus continuaria o mesmo fanfarrão teimoso, o presidente continuaria o mesmo fala-barato e os adeptos continuariam os mesmissimos iludidos. Iludidos não é bem o termo. É mais esperançosos e crentes.

Ainda assim, aconteceriam duas coisas, que a meu ver seriam muito positivas para o clube:

  1. Despreocupação na mente de treinador, jogadores e adeptos em relação a caras novas, com a correspondente tranquilidade para trabalhar.
  2. Tempo para tratar dos casos pendentes com jogadores excedentários.


E há ainda um outro aspecto a reter. Ao ter o plantel fechado, poderiamos emitir um comunicado onde se explicava sucintamente que o plantel estava fechado e que qualquer jogador que viesse a ser noticiado nos jornais, seria mentira! Era o rombo total nos pasquins.

Infelizmente, para amanhã continuamos com lacunas no plantel (dispensaram-se três defesas esquerdos neste defeso...) e com uma linha defensiva que só dá para rir mesmo. E rir numa sexta feira 13 não é para todos.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Como dar tiros nos pés - Politica de contratações


A politica de contratações do Benfica deixa muito a desejar, acho que já toda a gente percebeu. Mas por que razão especifica? São as más contratações? A falta de aposta continuada nos jogadores? Ou talvez a massa associativa exigente?
Como a posição do momento é a de defesa esquerdo, façamos uma análise à posição nos últimos 5 anos.

Em 2007/2008 o Benfica tinha como defesas esquerdos Léo, Miguelito e Sepsi (que também jogava a extremo esquerdo). A qualidade de Léo era inquestionável nessa altura, pelo que não se afigurava necessário contratar alguém indiscutível para a posição. E com um jovem promissor a despontar pensou-se que poderiamos ter a breve trecho um jogador português na posição. Falo de Ruben Lima, que por motivos vários acabou por não vingar no clube (e para já em mais lado nenhum).
Em 2008/2009, o Benfica dispensou Miguelito e Sepsi (cuja categoria para jogar no Benfica nunca foi comprovada mesmo antes de serem contratados) e contratou Jorge Ribeiro ao Boavista, numa prespectiva de substituto de Léo. Parece-me acertada a decisão de arranjar um suplente para Léo, mas a escolha em Jorge Ribeiro foi uma adaga cravada no peito de muitos benfiquistas. Nesta sua passagem pelo Benfica, Jorge Ribeiro demonstrou que a sua anterior dispensa tinha sido acertada. O problema foi que Quique Flores, embirrou com Léo e o pequeno Maradoninha saiu em Janeiro do clube. Ficámos sem lateral esquerdo, sendo que Quique Flores adaptou David Luiz à posição até final do ano. Desperdicio puro.
Em 2009/2010, o Benfica foi buscar no inicio da época dois laterais esquerdos. Shaffer e César Peixoto. Peixoto veio com o treinador recém contratado, embora no Braga já não fosse opção regular para a lateral esquerda mas sim para o meio campo. Começa o campeonato e embora com muitas lacunas defensivas, Shaffer fez alguns jogos que entusiasmaram a bancada fruto da sua apetencia para cruzar. Pouco no entanto, quando a sua missão era defender com qualidade. Peixoto ganhou o lugar até Dezembro e até fez um excelente jogo contra o Porto no ultimo jogo do ano. Mas seria a partir da adaptação de Fábio Coentrão à lateral esquerda que o Benfica recuperava um excelente jogador nessa posição. Durante o resto da temporada, formou com Di Maria uma asa esquerda fenomenal (agora faz o mesmo em Madrid - sempre que chamado - e na selecção com Ronaldo).
Em 2010/2011 o Benfica foi buscar Fabio Faria para ser central e suplente de Fabio Coentrao. Vieram os dois do Rio Ave, mas Fabio Faria nunca demonstrou qualidade para ser central do Benfica (sua posição de raiz), quanto mais o lateral suplente de Coentrão. Vendo o erro, contratou-se em Janeiro, o francês Carole, para se ambientar ao clube e poder ser no futuro o substituto de Coentrão, que já nesta altura se via como um dos alvos dos tubarões europeus. Podiamos ter deixado a contratação para o final de época pois Carole seria então um jogador livre. Apostou-se, e bem, na sua contratação antecipada. Carole efectuou alguns jogos de águia ao peito, em que demonstrou alguma qualidade. Pessoalmente, pareceu-me que como um pouco mais de entrosamento e também apanhando o Benfica numa maré positiva, tinhamos ali um jogador de futuro desportivo e de muito retorno financeiro.
Em 2011/2012, Coentrão, como já se adivinhava, saiu e rumou a Madrid, deixando um vazio na lateral esquerda. Vazio não, porque tinhamos Carole. Assim não pensaram os dirigentes. O Benfica emprestou Carole e contratou o campeão francês Emerson e o campeão da Europa e do Mundo Capdevila. À partida seria o espanhol a titular e o brasileiro como suplente, mas na realidade Emerson agarrou o lugar e manteve-se na posição até ao fim da época. Capdevila ficou inclusivamente de fora da lista da Champions sendo inscrito o jovem Luis Martins. Em relação a Emerson, odiado por muitos adeptos, que não viam nele qualidade suficiente para ser titular do Benfica, o treinador nunca deixou de lhe dar confiança e apoio. Mesmo quando Capdevila ultrapassou os seus problemas fisicos e parecia estar a entrar na equipa, nunca a opção recaiu nele.
Para 2012/2013, já foram dispensados ambos e contratado Luisinho ao Paços de Ferreira. Luisinho foi um dos bons jogadores do Paços em 2011/2012, mas em minha opinião nunca mostrou qualidade para ser contratado. Fará melhor que o jovem Luis Martins ou Carole? Sinceramente duvido muito disso. Na realidade parece-me que Luisinho será mais um que daqui a um ano (ou menos) será dispensado sem glória.
E temos noticias de contratações de mais um defesa esquerdo quase todos os dias. Sempre à procura da nova 8ª maravilha mas gastando muitas vezes 4 e 5 tentativas até acertar.

A politica demonstrada para o Lateral Esquerdo é extensível a quase todas as posições. Em alguns casos a falha é mais bem disfarçada, mas temos sempre um quebra cabeças do catano para resolver sempre que alguém sai. Não peço que se acertem todas as contratações, mas que raio vieram fazer para o Benfica jogadores como Fábio Faria, Jorge Riberio ou Sepsi? E porque razão não foram dadas mais oportunidades a Carole? Esteve 6 meses de águia ao peito (ainda assim mais que alguns "companheiros") e depois eclipsaram-no por completo.

Temos forçosamente de ter mais rigor na politica de contratações. Parece-me no entanto que isto só tende a piorar, face ao que se verifica desde que decidimos ir para a frente com a equipa B.

O King saiu do Hospital

Eusébio já saiu do Hospital!
Ainda bem.

Agora tem de ver se tem mais cuidado com a sua saúde, que ninguém é de ferro e ele já não caminha para novo.

Muita força Pantera Negra e alumie-nos o caminho de 2012/2013. Rumo ao sucesso!

terça-feira, 10 de julho de 2012

A noção do ridiculo

O Benfica apresentou um recurso na Federação, contra a medida de proibição de empréstimos entre clubes da mesma divisão.

Visitas Conjugais

O Proença-A-Zul debitou bosta de vaca pela boca outra vez. Mas desta vez atacou forte e feio o Benfica e quem o dirige. As referências jocosas aos gastos milionários do clube, para tão poucas conquistas, são suportadas por factos, não o nego. O Benfica ganha muito pouco para aquilo que é gasto com o futebol. Muito pouco mesmo. Muitas vezes por erros próprios, mas não menos vezes por erros alheios que beneficiam sempre os mesmos. E nisso este ladrãozeco já provou que sabe o que fazer. Aliás, é extremamente cómico, que este individuo fale da nossa falta de títulos, quando ele é uma das razões para tal acontecer.
As provas estão à vista de todos, especialmente se tivermos em conta as exibições a bom nível que teve na última edição da Liga dos Campeões e do Europeu. Ele sabe arbitrar se quiser. Mas em Portugal, manda quem pode e obedece quem tem juízo. De tal forma que fazendo uma breve estatística dos jogos mais importantes (Clássicos e Derbies) se constata uma coisa interessante:
  1. O Benfica nunca venceu qualquer jogo grande com Proença a apitar.
  2. O Porto nunca perdeu qualquer jogo grande com Proença a apitar.
Em quase todos estes jogos existem queixas graves dos adversários do Porto (ainda no último clássico com o Sporting) e do próprio Benfica. E depois existem também outros jogos menos importantes em que as ajudas ao Porto e prejuízos ao Benfica (ou a quem esteja a "lutar" pelo título) são sempre evidentes.

Por isso a "defesa" de Proença, embalado pela boa carreira em 2011/2012, só pode servir para limpar ainda mais a imagem. Como está quase a acabar a carreira, lá teremos um jogo grande (na Taça da Liga obviamente) em que o Benfica será beneficiado. E aí, far-se-ão manchetes e avençados serão postos a trabalhar 24/7 a difundir a ideia de mais um árbitro "encarnado".
Quando na realidade, deveria ser um árbitro "encanado", e sem direito a visitas conjugais. A sua apetência por visitas ao conselheiro matrimonial já foi documentada, mas, tal como em outros casos, nos processos em Portugal não se julgam criminosos, julgam-se sim níveis de poder, e por conseguinte toda esta corja circula impunemente e alegremente.
Ao contrário do meu consócio Seara, esta merda de gente não terá de mim a minima compreensão, perante os seus erros futuros, que seguramente serão a favor dos mesmos de sempre. Aliás, o referido monte de esterco humano, não só não vai ter a minima compreensão da minha parte, como não o deveria ter de nenhum benfiquista.

Aguardo também pela defesa do clube, na voz do seu presidente. Como? Através de uma conferência de imprensa sem direito a questões, com três pontos de agenda:
  1. Apresentar um gráfico dos referidos jogos grandes (Clássicos e Derbies) que Proença já apitou, com resultados e expulsões. É giro, acreditem em mim.
  2. Apresentar um vídeo de alguns minutos, com todas as tropelias do Pedrinho em jogos do Benfica. Limitar o vídeo a 10 minutos, embora exista material para mais.
  3. Fazer uma curta declaração onde basicamente se elogia muito o Pedrinho pelo seu percurso europeu e pela imensa qualidade demonstrada nas suas diversas arbitragens no estrangeiro, com particular destaque para as arbitragens em fases avançadas das competições europeias e as recentes finais, acabando numa última frase que diga o que está abaixo. 
Perante o que foi demonstrado nesta conferência de imprensa, deverá ser para todos evidente, que o árbitro Pedro Proença, só não é competente em Portugal porque não quer!

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Campeões no Dragão

Depois de dois anos absolutamente aterradores, não aceito nada que não seja sermos Campeões no Estádio do Dragão!

Pré-Época À Benfica!

Jogos com:

  • Olympique de Marseille
  • Juventus
  • Real Madrid
  • PSV
  • Athletic Bilbao
Isto sim, uma pré-época à Benfica!

Se vamos ter de defrontar equipas deste gabarito em competições oficiais é melhor começar já a testar e a afinar a nossa equipa. Muito bem delineado.

O Benfica sobre Rodas


Será que o Benfica poderia re-activar a sua secção de Ciclismo? E quando digo re-activar, refiro-me a criar uma equipa que possa a curto/médio prazo entrar nas grandes voltas. 

Consultando a nossa história, facilmente se conclui que uma das grandes razões para o crescimento Encarnado em Portugal, no século XX, foi ter uma secção de ciclismo a levar o nome do clube a todo o país. Claro que ter as primeiras equipas de futebol a bater o pé aos ingleses, ou as primeiras equipas de futebol a ter visibilidade europeia com titulos e prestigio também são grandes razões, assim como ser o clube do povo, tendo liberdade em tempo de ditadura. Mas o ciclismo sempre teve aquela aura de desporto de massas, cativante e inebriante. Ver os ciclistas a chegar a uma qualquer localidade em alta velocidade, com as camisolas encarnadas a flutuar ao vento, sempre foi um regozijo para a população, que assim podia ver os seus idolos sem ter de se deslocar quilometros atrás deles. Era, de certa forma, uma maneira do povo ter contacto com aqueles a quem a vida tinha dado uma oportunidade de vencer, de ser o exemplo.

Ora, tendo o Benfica tão grande tradição nesta modalidade em Portugal, não seria bom termos uma secção que nos levasse a todos os cantos de Portugal? E do Mundo? Com uma boa logistica por trás, penso até que seria possível ter uma loja móvel, que levasse os productos Benfica para onde quer que a secção de ciclismo fosse. E haverão certamente mais iniciativas que poderiam ser levadas a cabo. Ainda se lembram da alegria dos milhares de benfiquistas quando em 1999, vencemos a volta a Portugal pela última vez? Acho que nos seria muito benéfico voltar a ter esta modalidade, não só porque é uma das nossas modalidades fundadoras (Grupo Sport Benfica) mas porque é um dos maiores veiculos de transmissão de benfiquismo por esse país fora. E podemos também constatar que o Benfica faz falta a esta modalidade. Salvo algumas excepções, o pelotão português sem o Benfica é demasiado ignorado.

No passado fim de semana, estive presente no arranque do Tour 2012, na companhia de um amigo. Confesso a minha quase total ignorância em relação ao estado actual do ciclismo mundial. Quem são os craques, as equipas, enfim... Mas neste fim-de-semana, inteirei-me um pouco mais destes aspectos e comecei a pensar no prazer que seria ver uma camisola berrante em pleno Tour. Ao ver ciclistas como o Sérgio Paulinho ou o Rui Costa, pensei se não seria possível tê-los numa equipa portuguesa. Em relação ao Rui, recentemente vencedor da volta a Suiça (primeiro português a vencer uma prova do Pro Tour), posso dizer-vos que é um campeão. Tem tudo para vencer ao mais alto nível, e não me surpreenderia nada se o visse a lutar por uma das três grandes voltas num futuro próximo. A sua vitória foi completamente ignorada pela Comunicação Social portuguesa, mais preocupada com a vitória frente à Holanda, no Euro 2012. Caso a vitória tivesse sido obtida com a camisola de um clube português (a do Benfica claro!)  o destaque seria certamente maior.
A este propósito deixo em baixo uma foto que gentilmente me deixaram tirar durante o seu aquecimento para o prólogo. Sou o gajo com a camisola do Glorioso:)



Assim, tentei inteirar-me do que seria necessário para construir uma equipa do Pro Tour. 
1. Começando pelo orçamento, parece-me que o minimo dos minimos, para se poder aspirar a "ser" uma equipa do Pro Tour, cifra-se nos 5M€. Toda a logistica envolvida (desde estadias, a bicicletas e autocarros, passando pelo equipamento de apoio) tem o seu custo.
2. Um plantel de 23-25 ciclistas. Pode parecer um exagero, mas para ter uma equipa que possa disputar multiplas provas do calendário internacional é o número adequado.
3. Uma equipa de mecânicos com 10-15 pessoas capaz de suportar a equipa enquanto participa numa prova (ou mais se houver desdobramento).
4. Ter 2 ou 3 directores desportivos para quando houver mais que uma prova em simultâneo.

Todos estes componentes, fazem uma equipa de ciclismo. Mais haverão, que devido a não serem tão significativos, não são aqui mencionados (o facto de ser necessário alguém que "venda" a equipa a patrocinadores não é de desprezar).

Após este exercício, veio a questão. Como angariar fundos para ter esta equipa? À partida 5M€ (ou mais) não são trocos e na conjuntura actual (e num futuro próximo) não seria fácil angariá-los. Mas depois penso no despesismo e megalomania que grassa na gestão do nosso futebol profissional e vejo que na realidade, se fossemos melhor geridos neste aspecto, os 5M€ apareceriam "naturalmente". Se não vejamos:
- O Benfica teve receitas a rondar os 100M€ em 2011-2012. 
- O Benfica tem cerca de 70 jogadores profissionais sob contrato.
- O Benfica teve em 2011-2012 cerca de 18M€ em custos com financiamento (13M€ relativos a juros de empréstimos bancários).
- O Benfica contratou em 2011-2012 19 jogadores (alguns a "custo zero") gastando cerca de 25M€ nessas contratações.

Tendo em conta tudo o que está descrito em cima, parece-me perfeitamente razoável angariar uma grande parte dos 5M€ (senão mesmo a totalidade) a partir do próprio clube. Combinando isto com parcerias nacionais e internacionais (arranjando patrocinadores) e poderiamos num futuro próximo ter uma equipa competitiva. É óbvio que não estou a dizer que isto seria para o imediato, pois tenho plena consciência que ainda temos de mudar muitas coisas antes que seja possível a criação de uma equipa de ciclismo à Benfica. 
Mas bem ponderado, acho perfeitamente possível, que num prazo de 2-3 anos se consiga criar uma equipa destas. É preciso coragem, trabalho e devoção ao clube mas é possível.

Que sonho seria ver a camisola encarnada no pódio, numa dessas montanhas que vemos pela TV todos os anos. E pensando ainda na base de apoio que o Benfica tem por essa Europa fora, não é de todo descabido pensar que veríamos muita gente nas estradas em apoio ao Glorioso e aos seus atletas.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Alergia pública ao Vermelho

A RTP (paga em parte pelos 920€ de IRS que o estado me mandou pagar a mais em 2011) parece ter alergia ao vermelho. Em especial, ao vermelho do Benfica, àquele encarnado berrante. A isto não será alheia  a constante chamada de moços de recados para cargos de algum relevo da divisão de desporto da RTP. O caso paradigmático de Rui Cerqueira, anos e anos a fio, incumbido de rebaixar o glorioso em sinal aberto, é apenas um entre muitos, onde se nota o dedo manipulador de quem realmente manda no futebol em Portugal.

Depois do episódio caricato com João Gobern, foi agora a vez de Júlio Machado Vaz ser "corrido" da televisão estatal. Não dá audiência dizem as más línguas, devido à sua postura moderada e nada conflituosa (precisa de o ser para defender o nosso glorioso?). Acredita nisso quem quer!
Para mim a razão da sua abrupta "dispensa", prende-se com dois programas do Trio D'Ataque (tão bem apelidado de Trio D'Ataque ao Benfica pelo Alberto Miguéns) em que a sua participação arrasou de alto a baixo o proxeneta da Madalena. 


Na primeira (vídeo acima), a dissertação sobre o que foi o Apito Dourado, seria suficiente para que nenhum portista, alguma vez mais falasse em corrupção sem corar de vergonha. A argumentação é tão simples e tão sólida, que nada mais restou aos outros tristes, que ficarem calados a ouvir. Foram quase seis minutos em que a razão imperou  sobre a mentira, sobre a clubite aguda e sobre o ódio. Só por este momento já valeu a pena tê-lo no programa.


Na segunda (vídeo acima), a desconstrução de uma mentira apregoada aos sete ventos por portistas, desde o tempo de Pedroto, é deliciosa, conseguindo mesmo a proeza irrepetível, de colocar um anti-benfiquista primário como é Rui Oliveira e Costa, do lado da justiça e da razão a favor do Sport Lisboa e Benfica.

Por estes dois momentos impares, mas também por outros e pela postura sóbria, segura e certeira, o meu muito obrigado. São benfiquistas como o Júlio, que construíram o melhor clube do Mundo.


Já agora, podem ver o comunicado do Professor, no seu blog "Murcon". Basta seguirem o link abaixo.
http://murcon.blogspot.pt/2012/07/comunicado.html


PS: Será que mentir sistematicamente (e ser apanhado sempre) ou ir embriagado para o programa não são razões mais válidas para "dispensa"?

Falar mal ou falar bem...

Quando é que se deve falar mal ou bem de alguém ou alguma coisa? Depois de quase 6 meses a escrever aqui no tasco (sem muita imaginação confesso), deparei-me com esta questão. Até que ponto, elogiar ou criticar, é benéfico, e qual a altura mais correcta para o fazer? Confesso que ainda não cheguei a nenhuma conclusão definitiva... Adiante.

O Benfica colocou ontem por alguns minutos o preçário para a 5ª Edição da Eusébio Cup, que como todos sabem, vai trazer o Real Madrid a Lisboa (depois dos Italianos e dos Ingleses é a vez dos Espanhóis). Segundo a informação disponibilizada no site oficial, e entretanto retirada, o bilhete mais barato para sócios teria a módica quantia de 20€. Para que tenham noção do ridículo da coisa, os bilhetes para o jogo dos quartos de final da Liga dos Campeões com o Chelsea, tinham como valor mais baixo para sócios, o valor de 17,5€. É cada vez mais evidente que o Benfica precisa de muita receita (ainda mais que a receita recorde da época passada) para fazer face aos seus compromissos. Como em (quase) tudo na vida, não há milagres. Com este preçário, fica definitivamente claro (pelo menos para mim), que o Benfica já não tem sócios e adeptos no que ao futebol diz respeito. Somos meros clientes, de um produto cada vez mais caro. À semelhança de tantas outras empresas em Portugal, a fidelidade não é premiada, sendo até alvo de discriminação negativa face às ofertas a "novos clientes".

Como já escreveu o meu irmão e muito bem, num artigo anterior, o aumento do cativo (plenamente justificado pelo aumento do IVA segundo algumas sumidades, varrendo para debaixo do tapete as declarações do nosso presidente a este respeito), não é de quem gere o clube do povo. Os preços agora apresentados (e retirados) para a Eusébio Cup, apenas reforçam isso.

Se calhar, se não andássemos atrás de tudo o que mexe, se calhar teríamos possibilidades de aliviar o esforço que milhares de benfiquistas fazem todos os anos para acompanhar o clube. Não sei, é só uma ideia.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O Sonho começa hoje

O Benfica regressa hoje ao trabalho, para mais uma época.
Os reforços, os conhecidos, os jovens, os experientes, enfim, todos com novas e renovadas esperanças de sucesso.
Já os adeptos entram em euforia desmedida, a cada nova época, com promessas de espectáculo e resultados. Os novos jogadores são elevados a heróis e o Benfica entra campeão antes do tempo. Um filme já visto vezes demais e que a cada desastrada época que passa, se exacerba mais e mais.

Eu espero apenas três coisas para esta época: trabalho, trabalho e mais TRABALHO!
Se o fizerem, a "nossa" qualidade (de staff e adeptos) faz a diferença. Mas tudo começa com o trabalho.

Pedidos:

  1. Aos jogadores: Joguem pelo símbolo na frente da camisola se querem ser lembrados pelo nome na parte de trás.
  2. Aos treinadores: Foquem-se no vosso trabalho e deixem as guerras para outros elementos da estrutura.
  3. Aos administradores, comunicadores, gestores e direcção: Defendam o Benfica!
  4. Aos sócios e adeptos: Apoiem a equipa segundo os vossos ideais. Não se calem só para "não desestabilizar", mas não "ataquem cegamente" quem luta por nós dentro e fora do campo.
O Benfica inicia hoje mais uma caminhada e espero que este ano tenhamos o devido sucesso, leia-se ser campeão nacional. Não podemos perder campeonatos da forma que foram perdidos os últimos dois.