origem

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Final do Tormento

Finalmente acabou o tormento do defeso. Durante uns meses, todas as especulações, invenções e discussões acerca de entradas e saídas deverá cair para níveis mais comportáveis com a sanidade mental dos benfiquistas.

No final de tudo, as saídas "previstas" acabaram por não se realizar todas, existindo ainda contratações de qualidade. Se no inicio de Agosto o panorama não era nada animador, neste inicio de Setembro já se apresenta mais desanuviado. Penso que o Benfica tem um plantel capaz de lutar internamente com os seus rivais pelo ceptro nacional. E penso que esse deverá ser assumidamente o objectivo número Um. Como aliás já foi sendo frisado pelo nosso treinador.

Até Janeiro, estes serão os nossos e merecerão o nosso apoio na defesa do clube. Só que terá de existir a capacidade de escolher bem, por parte de quem lidera esta equipa. O jogo com o Sporting pôs ainda mais em claro algumas das nossas fragilidades. Ainda temos bastante trabalho pela frente.

Na Liga dos Campeões calhou-nos o grupo mais equilibrado de que tenho memória. Todas as equipas se apresentam a um nível bastante semelhante, sendo possível a qualquer uma delas liderar o grupo assim como ficar no último lugar. Penso que fazer o pleno de vitórias em casa será importantíssimo neste grupo. Um ponto que poderá correr a nosso favo, poderá ser a nossa maior experiência em jogos de pressão competitiva altíssima. O plantel parece curto para conjugar a vertente interna com a europeia, mas nada é impossível.


Trabalho de formação

O Benfica acaba de ser distinguido pela UEFA, como o clube que melhor interpretou os valores da competição. Depois da chegada à final, a todos os títulos notável e demonstrativa de que há talento de sobra nas nossas camadas de base, é mais um reconhecimento do excelente trabalho que tem sido desenvolvido no Seixal.

Parabéns ao Sport Lisboa e Benfica, à direcção, à sua estrutura técnica e aos seus jovens jogadores. O prémio é apenas mais um incentivo a continuar o bom trabalho.

Apesar de todos os problemas que tenho vindo ao longo dos anos a apontar à gestão de Luis Filipe Vieira à frente do clube, neste caso acho que não há nada a dizer. O trabalho foi bem planeado, desenvolvido e implementado. As pessoas certas foram colocadas nos lugares certos e os resultados estão à vista. Os nossos jovens jogadores têm tanto ou mais talento que todos os restantes, e muitos deles têm sobressaído enormemente nos maiores palcos europeus. Tanto que, jogadores jovens já começam a ser bastante assediados por clubes estrangeiros à procura de talento.

Desde a sua inauguração, o Caixa Futebol Campus no Seixal, tem sido o palco onde treinadores altamente qualificados formam jogadores de topo. As convocatórias das selecções jovens são o maior exemplo do quão bem se trabalha no Seixal. É rara a convocatória (em qualquer dos escalões) onde os nossos jovens jogadores não estejam em maioria. 

Mas o caminho não termina aqui, nem acho que terminará. Ainda existirão alguns passos a dar, nomeadamente na questão do lançamento destes jovens na alta roda do futebol português. Ainda não chegámos lá, por vários motivos, mas estou em crer que num futuro próximo poderemos ver os resultados de nosso excelente trabalho na formação a brilhar ao mais alto nível na nossa equipa principal. Porque ninguém tenha dúvidas de que qualidade para isso existe com fartura.



segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O melhor inicio

O Benfica quebrou um enguiço com 10 anos e entrou com o pé direito no campeonato nacional. O campeão teve um jogo muito atribulado, que podia ter corrido muito pior, com vários heróis. Desde logo Artur, com a sua defesa no penalty. Depois Maxi e Salvio, marcadores dos golos. E finalmente, Gaitan, orquestrador de todo o jogo ofensivo da equipa.

3 pontos já estão amealhados num caminho muito sinuoso rumo ao título. Esperemos que consigamos navegar por entre as curvas desta longa estrada.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Adeus Tacuara, Imortal do Sport Lisboa e Benfica

O jogador foi-se (apenas mais um, na debandada geral deste defeso), mas a lenda fica. Foram muitos, muitos golos (172 oficiais) desde aquele, já longínquo, mês de Julho de 2007. Cardozo mostrou ao que vinha logo no primeiro encontro, não dando hipóteses num remate de fora da área. E repetiu o feito muitas vezes. Algumas sem que contasse grande coisa para o resultado final, mas em bastantes com a decisão do jogo nos pés. Tantos e tantos jogos que ele nos fez ganhar, com aquele seu jeito meio desengonçado, mas pleno de oportunismo e à matador. 
Antes de Cardozo, penámos e desesperámos 7 longos anos por alguém com as suas características. Todos os anos era a mesma conversa. Falta alguém que as meta lá dentro, que produza golos independentemente de jogar com A ou B. E quando ele chegou, a conversa de muitos benfiquistas passou a ser a de que ele não se mexia, que não aproveita 100% das oportunidades que tinha, que destruía o jogo ofensivo da equipa. Enfim, um monte de barbaridades, de quem dá mais importância à estética do jogo do que à eficácia do mesmo.A este respeito recordo um Benfica vs Sporting de 19 de Setembro de 2010, em que Cardozo nos deu a vitória por 2-0, marcando ambos os golos e inclusivamente falhando um penalty. Nesse jogo Cardozo teve a posse da bola uns insignificantes 10 segundos (!!!), mas foi tempo mais que suficiente para ser o homem do jogo. E este jogo descreve na perfeição quem foi Cardozo ao serviço do Benfica: um avançado que sem ser perfeito, deixou a sua marca.

Agora que Cardozo sai, é tempo de o homenagearmos como merece, recordando os seus golos e as alegrias que nos deu. Após sete épocas, tornou-se no melhor marcador estrangeiro do clube e entrou para o top 10 de marcadores, ao lado de lendas como Eusébio, Nené ou Águas. Também ele é uma lenda do Benfica, e eu sinto-me privilegiado por poder tê-lo visto de manto sagrado ao vivo e a cores.

O meu muito obrigado pelas alegrias e que tenha sorte nesta nova aventura.

Adição 22:06h:
Cardozo é isto! De todas as maneiras e feitios!

 

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O Luis Filipe e o João Cancelo

É o caso paradigmático do defeso encarnado (e da política de contratações seguida de há uns anos a esta parte). Luis Filipe foi contratado (por cerca de 2M€) para a lateral direita e vinha substituir Maxi Pereira. Na realidade, o lateral brasileiro parece totalmente desfasado do que é o futebol moderno (na Europa principalmente). A sua qualidade (ou falta dela) é notória e a questão que eu coloco é se o Cancelo faria pior. Seguramente que o jovem formado no Seixal não vai ser um Roberto Carlos ou um Lahm nos tempos mais próximos. Seguramente vai cometer alguns erros. Seguramente terá de crescer. Mas tem qualidade, tendo de ser trabalhado para minimizar os seus pontos fracos e potenciar os fortes. 
Para mim, contratações como estas não vêm acrescentar nada ao clube a não ser dores de cabeça. Desde logo porque se gasta dinheiro a contratar e dinheiro a manter. Depois porque tendo sido um investimento mais avultado que um jovem da cantera, e ficando no plantel, a tendência será a de o tentar valorizar colocando-o a jogar mais vezes. Ao olhar para os enumeros casos anteriores, vendo que a persistência no erro é elevada quando se tem um investimento para potenciar, não deixa de ser uma situação bastante caricata.  E nem é um caso isolado, pois em todos os períodos de transferências existem compras destas. 

Mas voltando à minha questão. O Cancelo faria pior do que o que o reforço Luis Filipe tem feito? Esta pré-época demonstra cabalmente que não.

PS: E nem me falem do Djavan...

A partir de agora é a doer

O Benfica teve no último fim de semana uma passagem infeliz (para não dizer outra coisa) por Inglaterra. A planificação desta semana pode levantar algumas criticas com o Benfica a fazer 4 jogos em 5 dias, sem tempo para descanso, depois de uma pré-época desgastante tantos física como mentalmente.
Os resultados são desoladores, mas na pré-época o que conta mais são as rotinas. O que eu noto, é que apesar de algumas boas indicações, que se viram em determinados momentos, o plantel está muito afectado por todas as ausências. Algumas contratações não vieram acrescentar absolutamente nada enquanto outras se vão integrando aos poucos.
É uma equipa totalmente nova, a que se junta a certeza expressa pelo treinador, de que alguns dos ausentes serão peças chave, assim como é necessário ainda ir ao mercado em busca de reforços. As posições apontadas ontem mesmo pelo treinador são as de guarda-redes, médio defensivo e avançado. A ver vamos se vem alguém até final do mês.

De resto, mesmo entre sorrisos, Jesus deixou escapar uma mudança de atitude face ao que era a sua postura anterior. Disse ele, que se saísse Enzo, saíria também. Um aviso à estrutura (esperem, mas não era ele a estrutura?) que deverá ser levado bastante a sério por todos.

Posto isto, que poderemos esperar para o ínicio da competição a sério já no próximo fim de semana? Sinceramente é uma incógnita para mim. Os sinais de preocupação estão lá todos, mas também é verdade que o nível de competitividade do Rio Ave (com o devido respeito) não é o do Arsenal ou do Valência. Pessoalmente desejo o melhor, mas estou preparado para o pior.

PS: Uma nota para Artur. Se já não tinha condições psicológicas de estar na nossa baliza, ontem foi o derradeiro prego no caixão. Uma exibição lamentável coroada com 3 erros, cada qual mais horrendo que o anterior. Para isto mais vale apostar em Paulo Lopes ou Bruno Varela...

quinta-feira, 31 de julho de 2014

A mistica ainda existe

«Só quero ser feliz e poder ajudar o clube. Aliás, estar num clube como o Benfica é suficiente para um jogador se sentir realizado. O que pretendo é ser útil e ajudar o Benfica a conseguir mais vitória e títulos. Não há outra maneira de viver o Benfica, sem ser a pensar que o clube é mais importante que qualquer individualidade e que a conquista de títulos é a única coisa que nos separa do fracasso»
Estas, são as palavras de Eduardo "Toto" Salvio, que serão seguramente imortalizadas para sempre como exemplo da mistica benfiquista.
Obrigado Salvio, e que sejas muito feliz no Benfica.

Melhorias

No jogo de ontem, com o Sion, já se viram melhorias na equipa. É certo que a valia do adversário (ainda por cima sem os seus melhores jogadores) não foi a mesma da dos anteriores, mas os processos da nossa equipa parecem estar mais assimilados pelos jogadores "novos". No jogo de hoje com o Athletic Bilbau, espero ver as mesmas melhorias e se possível, uma progressão dos nossos jovens jogadores.

A razia na equipa foi feita (e o que está feito, feito está), mas foi feita em Julho e não em Agosto. Pelo menos existe algum tempo antes da competição oficial começar para limar arestas e fazer crescer alguns dos possíveis titulares.

São noções a confirmar ou a desmentir até Domingo, com os jogos da Emirates Cup a servirem de tubo de ensaio.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Relatório do Defeso 14/15

EntradaValor (M€)NotaSaídaValor (M€)Nota
Luis Filipe2
Garay6
Benito2.25
Rodrigo30
César3
André Gomes15
Djavan1
Oblak16
Talisca4
Kardec4.5
Candeias0**Funes Mori0*
Dawidowicz2
Markovic25
Derley2.5
Mitrovic1.8
Friesenbichler0**Djuricic0*
Victor Andrade        0**Airton0*
Eliseu1
Lisandro Lopez          0*

* Empréstimo
** Custo Zero

Até à data de hoje acho que é isto. 11 entradas e 11 saídas. Uma equipa inteira de futebol.

Mas se nas últimas épocas temos assistido a um entreposto de jogadores com cerca de 15 entradas e o mesmo numero de saídas, com os resultados conhecidos, não serão estes números a influenciar o resultado final.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Adeus Markovic

O Sérvio foi oficialmente apresentado pelo Liverpool e passa a ser mais um dos campeões que abandona o Benfica após uma época de sucesso.
O negócio rende 12,5M€ ao Benfica, e aqui tenho de aplaudir e saudar a forma como o comunicado foi escrito. Conciso e esclarecedor. Sem deixar qualquer margem para dúvidas ou equívocos. É para continuar se fizerem o favor.

O sérvio, veio num negócio "à lá" Ramires, com o Benfica a receber o jogador a prazo. Jogadores destes são sempre muito cobiçados pelos tubarões europeus, e a não ser que o jogador tenha uma vontade de ferro em seguir a sua aprendizagem, acaba por ir parar a uma equipa formada por estrelas do futebol europeu. Em principio eu sou contra este tipo de negócio, em que o jogador está apenas de passagem pelo clube, mas muitas vezes é a única maneira de termos acesso a estes talentos.

A sua qualidade sempre indiciou que ele seria jogador para voos mais altos, em termos de salário e projecção mundial. Acabou por ir para Liverpool, mas poderia perfeitamente ter ido parar a um Barcelona, Real Madrid ou Bayern, para citar as equipas com mais sucesso e projecção mundial da actualidade.

Foi um enorme prazer tê-lo em Lisboa e poder ter assistido aos seus malabarismos com a redondinha. Que tenha o sucesso que merece continuando a equipar de vermelho. Será certamente uma das revelações em Inglaterra.

PS: Este apresentou-se a horas e continuou a trinar mesmo com as negociações a seguirem entre os dois clubes. À atenção de outros "profissionais".

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Expectativas para o Benfica em 2014/2015

Com o fim do Mundial de Futebol 2014, as atenções viram-se para a pré-época encarnada.
As transferências, os reforços, os jogos de preparação, o treinador, a táctica a usar, a direcção, o departamento de futebol, enfim, todos os aspectos passíveis de discussão, serão analisados e discutidos até ao mais ínfimo pormenor.

Mas por hoje, deixemos isso de lado (ainda que parcialmente) e concentremos o nosso enfoque nas expectativas de cada um de nós acerca do que poderá ser o resultado final da época que agora se inicia.

As minhas expectativas são moderadas, embora tenha crença de que poderemos disputar todos os títulos e troféus em disputa até ao seu final. A nossa equipa vai sofrer uma remodelação grande (demasiado grande para a maioria dos benfiquistas) e isso é sempre motivo para cautelas na hora de prognosticar. Muito dependerá de como se apresentem os rivais. 
Se o Sporting será uma certeza este ano, com um treinador muito competente e jogadores um ano mais velhos e experientes, já o Porto será uma incógnita, com uma remodelação também ela bastante significativa e com um treinador "desconhecido". 

No global, e dependendo sempre do que acontecer até final de Agosto penso que a nossa época andará à volta disto:

Campeonato Nacional: 2º lugar ou Campeão
Taça de Portugal: meias finais
Taça da Liga: vencedor
Supertaça: vencedor
Liga dos Campeões: passagem aos oitavos de final

E você caro leitor? Que expectativas tem?

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Sofrer por antecipação?

Todos os benfiquistas já sabem, por muitos anos de experiência, que em todos os defesos, o plantel do Benfica é completamente remodelado. Entram 200 jogadores e vendem-se todos os que fizeram parte do plantel. São as chamadas "cenouras para vender jornal". Todos sabemos isto, e todos os anos, a história se repete. Mas o que também se repete é a histeria dos benfiquistas à volta das "noticias" e capas de jornal. Faz-me confusão como é possível sofrer tanto por antecipação. Depois dos negócios concluídos e explicados é natural que existe regozijo ou revolta consoante se considere um bom ou mau negócio (e o caso do Garay é exemplificativo disto). Mas sofrer porque se leu que o Enzo quer sair, que o Markovic já está de saída para Liverpool ou que o Oblak "desertou", é muitas vezes sofrer sem motivo. E explico que este sofrer sem motivo, é tão só o que penso até surgirem confirmações (ou desmentidos) oficiais. Claro que a experiência prévia com o modelo de comunicação do Benfica não ajuda a que este sofrimento precoce seja menor, ao invés aumentando-o e exacerbando-o. 

Também eu sofro por antecipação em alguns casos, mas depois de refletir e ponderar, vejo que na esmagadora maioria das vezes não havia motivo real para tal. E nos últimos anos tenho conseguido blindar-me um pouco a isso.

domingo, 6 de julho de 2014

A verdadeira transparência

O Benfica comprou Anderson Talisca por 4M€ ao Esporte Clube Bahia do Brasil. O jogador de 20 anos, chega a Lisboa para integrar o plantel às ordens de Jorge Jesus e pelo preço revelado, terá pelo menos a oportunidade de fazer a pré-época. 

O Bahia, revelou em comunicado a venda, e apresentou inclusivé, os detalhes do negócio.
Com base no princípio da transparência que norteia esta nova gestão, o Esquadrão divulga a divisão da partilha da transferência do atleta:
  • 50% Esporte Clube Bahia
  • 20% Carlos Leite 
  • 10% Chácara Celeste 
  • 10% Astro 
  • 10% Bahia Soccer
Quando em Portugal (e mais concretamente no Benfica que é o que nos interessa) vemos as constantes "desinformações" prestadas, faz-nos pensar na tão propalada Transparência. Poderia ser que seguindo o exemplo do Bahia, o Benfica não tivesse que emitir comunicados adicionais com esclarecimentos acerca dos seus negócios.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

A mais épica das vitórias

É difícil descrever a felicidade que sentimos (nós benfiquistas) nesta altura, face às gloriosas duas semanas que temos vivido.Vermos o nosso Benfica com a personalidade que lhe granjeou adeptos por esse mundo fora, mesmo entre adversários. A raça, o querer e a ambição personificadas dentro de campo e parte do imaginário dos adeptos. Estas vitórias serão lembradas mesmo daqui a cem anos, quando os netos dos nossos netos virem num qualquer arquivo visual, o quão épico foi vencer o rival desta maneira. O golo do André Gomes na meia final da Taça de Portugal foi algo que ficará para sempre nas nossas memórias e entrou directamente para o top 5 dos meus melhores momentos de Benfica. Simplesmente épico!

E era disto que eu estava à espera há muito, muito tempo (e acredito que todos nós o esperávamos). Algo que demonstrasse a nossa inequívoca superioridade face ao rival nortenho, sem deixar qualquer margem para dúvidas. Mesmo a jogar com 10 durante uma hora, a precisar de marcar num dos casos e de não sofrer no outro, mesmo com importantes compromissos pela frente que aconselhavam poupanças, mesmo com as lesões inacreditáveis que nos têm acontecido, mesmo com isto tudo o Benfica parece um daqueles tapetes rolantes que entregam a mercadoria nos aeroportos, rodando sem parar imune às pretensões de alguns dos passageiros que se vêem aflitos para tirar as respectivas malas. Vamos andando quase em ritmo de passeio, já com o campeonato no bolso e destroçando o nosso rival nortenho a cada batalha. Será este o momento de mudança no futebol português? A ver vamos o que trará a próxima época.

Para o sucesso que celebramos agora (com importantes conquistas ainda pela frente) temos dois obreiros maiores. O primeiro é Jorge Jesus. O treinador da equipa começou muito mal, sentado numa geleira na Madeira, foi salvo por Markovic e Lima já depois dos 90' na Luz frente ao Gil Vicente, mas a partir de certa altura, parece que corrigiu todos os seus defeitos (pelo menos minimizando os seus efeitos) e construiu uma equipa de verdadeiro betão. Inimaginável em Agosto de 2013, mas realidade em Abril de 2014. O seu maior mérito nasce das duas decisões que acontecem em sentidos opostos. Se na primeira, que foi o assumir de que o campeonato seria a prioridade numero um, mesmo com prejuízo de outras competições, o treinador assumiu uma mudança face ao passado, juntando as acções coincidentes com as palavras, já na segunda, que foi a mudança do GR titular de Artur para Oblak, surge por acaso devido a uma lesão do brasileiro. Jesus no entanto soube premiar a grande entrada do esloveno na equipa, não o tirando dos jogos importantes (no campeonato). A solidez defensiva da equipa passou muito por esta troca, com a serenidade a fazer parte constante do processo defensivo, em contra ponto com a tremideira sentida sempre que Artur ocupava as redes encarnadas. No final, a quantidade de jogos sem sofrer golos do Benfica desde que Oblak tomou conta da baliza benfiquista atesta sem margem para dúvidas a melhoria neste aspecto.
Mas não foi só aqui que Jesus juntou os actos às palavras. Foi também na rotação que imprimiu no plantel ao longo dos jogos que nos trouxe aqui. Jesus percebeu finalmente que não se ganham troféus esgotando sistematicamente os mesmos jogadores, mesmo com jogos já resolvidos ou sem interesse. Exceptuando Paulo Lopes e Steven Vitória, todos os elementos do plantel apresentam números muito razoáveis de utilização. A campanha na Liga Europa (onde relembro que o Benfica ainda não perdeu esta época) é o exemplo maior, com a rotação a nunca mostrar um Benfica mais fraco, mas antes muito sólido. A mais valia clara de ter "todos" os elementos do plantel prontos para a acção, revelou-se quando nos aconteceram as lesões cruéis (em posições fulcrais) com os jogadores substitutos a desempenharem na perfeição as funções dos jogadores substituídos. Parabéns ao treinador também por isso.

O segundo obreiro, e grande responsável é naturalmente o presidente Luis Filipe Vieira. O nosso presidente esteve quase irrepreensível desde Janeiro. As suas declarações publicas foram sempre contidas e focadas, e apesar de alguns lapsos, finalmente percebeu que não é com fanfarronices e a querer aparecer sempre que a equipa ganha que se conquista a tão desejada hegemonia. Espero que a postura seja para continuar. Mas também se tem de lhe dar o mérito de em Junho de 2013 ter resistido a tudo e a todos e ter mantido o treinador em funções. O presidente Vieira de 2006 não o teria eito, preferindo "salvar-se" e mandando o treinador para o cepo. O presidente Vieira de 2013 fez finca pé pela sua convicção e arriscou a sua reputação junto da maioria dos adeptos, apostando inequivocamente e sozinho, na manutenção de Jesus à frente dos destinos do Benfica. A renovação (com mais prémios pelas conquistas) do treinador foi vista por quase todos como um erro estratégico quando o rival nortenho se preparava para renovar a sua estrutura com a entrada do treinador da moda. E mesmo depois do inicio horroroso, manteve-se firme colocando-se ele próprio no cepo com o treinador. Vieira ganhou em toda a linha com a aposta que fez, e com isso certamente granjeou mais apoio entre a massa associativa. Com esta equipa, os seus "3+1+50" parecem certamente possíveis. As suas palavras na hora de festejar, aglutinando na festa mesmo aqueles que nunca acreditaram até estar garantido, foi de líder. Deixou-se de tiques dictatoriais e se continuar assim, pode ter a certeza de que me converterei ao "vieirismo". Porque na realidade eu quero é um presidente com acções à Benfica, independentemente de se chamar Vieira, Rangel, Carvalho ou Manel...

Finalmente, não queria aqui deixar de expressar também um terceiro obreiro, na pessoa do King, Eusébio da Silva Ferreira, que mesmo na morte deu tudo ao glorioso Benfica. Parece que desde que nos deixou, o Pantera Negra encarnou em cada um dos nossos jogadores, pois a raça, brio e ambição parecem agora os mesmos dos seus tempos, em que o Benfica vergava a Europa e o Mundo do Futebol à sua vontade, sendo indiscutivelmente a melhor equipa dos anos 60. Obrigado King! este 33 é também para ti e para o teu "pai", o senhor Coluna.


terça-feira, 15 de abril de 2014

Um pequeno passo para eles. Um enorme salto para o Benfica.

O Benfica foi derrotado pelo Barcelona na primeira final da UEFA Youth League (uma Liga dos campeões para jogadores jovens). O percurso até esta final foi simplesmente genial, com uma imaculada fase de grupos e uma fase a eliminar assombrosa, eliminando o City em Inglaterra num daqueles jogos memoráveis para as nossas cores. A meia final com o Real foi facilitada pela vantagem inicial e a série de erros dos merengues, mas muito devido ao facto de jogarmos sempre com uma identidade e intensidade muito vincadas.

Infelizmente, para nós, na final o Barcelona fez-nos o mesmo que fizéramos ao City em Inglaterra. Foi muitíssimo mais eficaz e contou com um GR em tarde inspirada.

Apesar da derrota na final, a campanha efectuada deve ser enaltecida, não como vitória moral, mas como incentivo a que no próximo ano, consigamos escrever uma história diferente. Porque já é garantido que iremos lá estar outra vez em 2014/2015.

O crescimento e a maturidade exibidos pelos jovens jogadores encarnados foi um dos marcos da campanha e tenho pena que eles não tivessem ganho o jogo final, saboreando uma merecida recompensa. Mas o futebol é assim. De certeza que muitos deles cresceram imenso também com esta derrota. E espero ver uma grande maioria deles a jogar na primeira divisão portuguesa brevemente. A qualidade está lá.

Uma palavra final para o presidente que se deslocou a Nyon para a final. Muito bem no apoio a esta equipa e as suas palavras no final do jogo são o tónico que muitos jogadores jovens precisam ouvir para regressarem mais fortes. Sentirem que o presidente do clube os acompanha é muito bom e aqui tenho de tirar o chapéu a Vieira. Esteve à Benfica!

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Eu não mereço festejar

Após a vitória de ontem o Benfica está destinado a vencer este campeonato. Fazer mais 2 pontos com dois jogos teoricamente fáceis em casa, não parece uma tarefa hercúlea, e com a mentalidade demonstrada por Jesus e os jogadores será certamente algo mais que ao alcance da equipa. Os festejos dos benfiquistas estão no entanto muito mais contidos e muito em face do que foram as ultimas três épocas. E ainda bem, pois é bom que aprendam todos que só se festeja algo efectivamente ganho e não prestes a ganhar. Contar com o ovo no cu da galinha dá geralmente mau resultado.

No entanto, na altura dos festejos (esperemos todos que seja no próximo Domingo em casa com os nossos), sinto que não mereço festejar esta conquista. Não me sinto parte dela. Parece-me algo que só agora que estamos à beira de o atingir, me parece real.
Não acreditei que fosse possível em Agosto. Não acreditei até Janeiro e mesmo depois da vitória categórica frente ao Porto, continuei a não acreditar. Inclusive, depois de abafarmos totalmente o Sporting, continuei a não acreditar que seriamos campeões. Esperava sempre que o céu desabasse a qualquer momento, que o infortúnio estivesse à espreita num próximo jogo, que a gestão da equipa não fosse a correcta, apostando-se tudo na Liga Europa. Mas nada disso se passou e a equipa manteve-se no trilho do sucesso.

PS: Também não mereci sofrer como os benfiquistas sofreram nos últimos três anos.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Uma mão no caneco

Após a brilhante vitória de ontem, sobre o Rio Ave, o Benfica tem uma mão no caneco. E gostei de ver, que apesar da extrema importância deste jogo e da exibição de gala, no final não houve festejos desmedidos ou palavras de vitória antecipada. Houve, isso sim, pragmatismo e água na fervura. Mesmo das bancadas, o apoio foi sempre reconhecidamente para o jogo e ninguém embandeirou em arco.

Já falta pouco para o objectivo, mas esse pouco pode-se tornar em muito, muito rapidamente. Cabe ao Benfica não deixar que isso aconteça e conseguir finalmente dar a alegria aos seus adeptos.

Para esta quinta feira, o objectivo passa por continuar a poupar jogadores, porque a próxima semana vai ser bastante exigente. O resultado obtido na primeira mão dá-nos uma almofada confortável e foi conseguido fazendo esta mesma gestão do plantel.

Uma nota final para Cosme Machado. Conseguiu não ser o protagonista e o seu critério apertado foi justo para as duas equipas, embora eu seja apologista de um critério mais largo. Fosse sempre assim...

segunda-feira, 7 de abril de 2014

VideoPass com desconto

Para quem ainda não sabe, o Benfica já disponibiliza o serviço VideoPass desde Janeiro deste ano. O serviço está disponível no site oficial ao vivo e garante a visualização do jogo em apreciável qualidade HD com pré e pós jogo incluídos. 
E agora o preço do serviço baixou, sendo mais uma razão para quem vive longe poder assistir ao jogo. Para o jogo com o Rio Ave o preço é de 3,90€ e 5,90€ para sócios e não sócios respectivamente. Anteriormente o preço cifrava-se em 4,90€ e 7,90€ para sócios e não sócios respectivamente, pelo que é uma agradável surpresa, verificar que os responsáveis estão a pensar em nós que estamos longe de Lisboa.

Para quem ainda não aderiu e esteja a equacionar a melhor forma de ver o jogo, tem aqui uma bela opção. Pessoalmente, a minha experiência com este serviço tem sido excelente (à parte o primeiro jogo com o Porto). Recomendo vivamente a todos.

sábado, 5 de abril de 2014

E se ganharmos tudo?

Às vezes a realidade não tem explicação. Vai contra tudo o que pensamos e aquilo que julgamos saber.
Todos sabem da minha visão no inicio da época. Bastante critica e desiludida. Não foi só a mágoa do trágico final de época que vivemos todos em Maio de 2013. Foi fruto do acumular de erros e tiros nos pés e na ilusão de milhões de benfiquistas. Quando parecia que íamos regressar ao nosso lugar de líder em Portugal, aconteciam cenas que desafiavam a lógica, e que mostravam que o futebol é muito ingrato.
No inicio desta época segui com verdadeiro horror o que foi sendo feito pelos nossos responsáveis ao nível da gestão do grupo. Vi os meus medos confirmarem-se, quando muito precocemente nos vimos a 5 pontos do Porto e com um pé fora da Liga dos Campeões. Incapazes de ganhar a equipas primo divisionárias em casa, sofrendo golos atrás de golos. Era terrível e eu só pensava que a má gestão feita de inicio nos ia mais uma vez deixar a seco, com o treinador a sair mais tarde ou mais cedo fruto da pressão dos adeptos.
E no entanto o ano do Benfica deu uma volta de 180º com o inacreditável a acontecer mesmo. Não só se recuperou o atraso para os rivais (na Liga dos Campeões já não fomos a tempo) como se tem vindo a garantir uma vantagem (semi) confortável que permite a gestão da equipa. Continuando o Benfica com aspirações reais nas frentes que subsistem. Que são todas! A pergunta que deixo agora no ar, é a do título do artigo. E se ganharmos tudo? Como vão ser os comportamentos de quem dirige? Irão cometer os mesmos erros de anos passados? Irão revolucionar o grupo? Se efectivamente ganharmos tudo internamente (e é um grande se), gostava que para variar se fizessem bem as coisas desde o inicio. Que houvesse a verdadeira exigência que não permitisse festas de 3 meses!!!

Se me tivessem dito que seria este o cenário em principios de Abril, eu apostaria sem hesitar contra este resultado. E perderia em toda a linha, porque não acreditei que fosse possível.

Ás vezes é tão bom estar errado!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Corrida de fundo

Uma época desportiva de futebol é como uma corrida de fundo no atletismo. Não é como começa, é como acaba. Este dizer popular, tantas vezes usado pelo nosso treinador, sempre se revelou acertado, em especial nas últimas épocas desportivas, com sucessivos "entregar do ouro ao bandido" por parte do Benfica.

Esta época, o cenário mantém-se bastante actual. Com algumas nuances, como foi a excelente vitória em casa frente ao Porto, capaz de emprestar a uma equipa "morta e enterrada" no inicio da época, a vivacidade e alegria que empolga os adeptos e os faz carregar a mesma equipa ao colo. 
Os 7 pontos de avanço para os rivais da 2ª Circular, são uma almofada mais confortável do que os 4 e 5 pontos de avanço que tivemos para o rival do norte nas duas últimas épocas, mas apesar de já não entrar nas contas do titulo, esse mesmo Porto pode ainda interferir no resultado final. Basta para isso que o Benfica se exponha, como se expôs nessas épocas, a desaires quando nada o fazia prever.
Ter a cabeça bem em cima dos ombros e os pés bem assentes no chão é a melhor forma de impedir qualquer volte-face num campeonato "decidido" desde meados de Fevereiro.

Já falta pouco para o campeão voltar, mas antes é preciso demonstrar que somos mais fortes. O próximo jogo em casa, com um surpreendente Rio Ave, é para mim mais importante que o passado jogo em Braga. Não só porque é o próximo, mas também porque após passar num terreno difícil, é sempre perigoso ter um relaxamento num jogo teoricamente mais fácil. Espero que ninguém se lembre de festejar antecipadamente e todos façam o seu trabalho de forma séria. Só assim poderão dar uma enorme alegria a estes adeptos sedentos de vitórias.

Carrega Benfica.

quinta-feira, 13 de março de 2014

A quem interessa?

A quem interessa o que se tem passado em torno do Sporting nas últimas semanas?

Respondendo curto e grosso: a Benfica e Porto. E passo a explicar.

Ao Benfica interessa porque alarga a vantagem para o 2º, que passou de 2 pontos para 7 nas ultimas jornadas, com o derby pelo meio. Isto poderá permitir uma gestão mais desequilibrada do plantel, com vista a tentar conquistar a Liga Europa este ano. Não que isso seja o meu desejo, pois acho que deveremos apostar sempre nas competições internas (fazer a dobradinha 31 anos depois é nossa obrigação neste momento face ao desempenho nas várias competições). O lance do golo anulado ao Belenenses servirá também para fomentar as dúvidas dos adeptos verdes (e quiçá dos próprios dirigentes) em relação ao Benfica.

Ao Porto interessa principalmente para garantir o 2º lugar e a entrada directa na Liga dos Campeões. Não ter acesso directo a essas receitas (com a possibilidade de cair para a Liga Europa logo em Agosto) é um rombo muito grande para o Porto (e para o Benfica em igual medida), pelo que não quererão ficar em 3º.
Depois, porque lhes é muito importante manter Benfica e Sporting de costas voltadas. Não só porque desse modo podem tentar aproximações quer a um quer a outro (consoante a maré), mas também porque lá em cima, sabem bem que Sporting e Benfica unidos, tornarão muito mais difíceis as suas movimentações nas sombras. Aparentemente, a campanha liderada pelo Sporting é partilhada pelo Benfica (entre outros clubes) e têm-se notado uma grande aproximação entre os dois emblemas da capital, pelo que urge ao Porto tentar acabar com essa aproximação. A situação que se passou no último derby é disso bom exemplo, pois arrisco dizer que com qualquer uma das direcções anteriores, não se tinha chegado a acordo para a realização do jogo tão cedo.
Finalmente, interessa ao Porto mostrar ao novo presidente do Sporting que escolheu a via errada ao afrontar directamente o clube do azul e branco, ao invés de prestar autentica vassalagem como os seus antecessores.

No final, as opiniões dos sportinguistas andarão sempre na dúvida entre quem lhes quer mais mal e quezílias antigas serão relembradas. Nos cafés e nas redes sociais já começou o falatório, com as conferências de imprensa de Bruno de Carvalho a proporcionarem a gasolina para a fogueira que vai tomando proporções maiores. Parece-me que a maioria dos sportinguistas têm-se virado na direcção do Benfica, pois têm o sonho de ganhar o campeonato já este ano. 

__________________________________________________________________________

Pessoalmente vejo mais o Porto a "lucrar" com isto do que propriamente o Benfica, embora seja inegável que no campeonato o grande beneficiado na luta pelo titulo é o nosso clube. E digo isto porque me parece que haja mais por detrás desta situação que o simples campeonato nacional desta época. Parece-me estar a começar uma revolução no futebol, e caso Benfica e Sporting não estejam unidos, o grande vencedor dessa revolução será inevitavelmente o Porto. O conhecido "dividir para reinar".

terça-feira, 11 de março de 2014

Um Benfiquista de Lisboa no Norte do país

A viagem estava apalavrada há algum tempo, mas só se concretizou pois estive uns dias por Portugal a gozar umas merecidas férias. Fui muito bem recebido no norte do país onde a única coisa que destoou, foi mesmo a chuva incessante que caiu todo o fim de semana. O Marco e a sua família foram espectaculares e seguramente voltarei um dia destes.

Ia com alguma espectativa em relação à rivalidade entre Benfiquistas e portistas, que me dizem ser algo que extravasa o âmbito desportivo, com verdadeiras guerras entre pessoas que têm mais em comum do que aquilo que pensam (ou admitem). O que me foi dado a ver, no entanto, não chegou a esses níveis de animosidade. Foi até com bastante civilidade que vi as várias bocas que foram sendo lançadas no fim de semana. Muito provavelmente, devido à má campanha do Porto este ano, e a consequente desmotivação dos seus adeptos, não pude ver essa rivalidade extrema. E ainda bem, pois discutir futebol (ou desporto em geral) não é caso para guerras, embora às vezes dê essa ideia.
As discussões foram quase todas sobre o mau momento do Porto (e possíveis razões para tal) e sobre a possibilidade (ou não) do Sporting ser candidato ao título já este ano. 
Com os jogos de fim de semana vieram inevitavelmente as discussões sobre lances polémicos, embora nunca se tenha passado para o insulto gratuito. O facto de ser unânime que o Benfica foi beneficiado no jogo de Belém, também ajudou a que não se perdesse muito tempo a falar.

No final fiquei com a sensação de que dadas as condições certas, pode-se falar de bola com qualquer pessoa. Desde que exista um respeito mutuo entre ambas as partes. Discuti sobre Benfica e Porto e os seus problemas, com vários portistas e nenhum me insultou, tendo eu pontos de vista diferentes. Claro que não fui para a Ribeira (força de expressão) debater bola com os super dragões, mas pelo que me vinham dizendo vários amigos nortenhos, confesso que tinha pior ideia dos adeptos dessa zona.
Sinceramente acho que falta mais respeito entre todos. É tudo uma questão de educação parece-me. Mas também o que a mim me parece desajustado ou excessivo, poderá ser considerado como normal por quem passa por isso.

A certeza é a de que regressarei brevemente ao norte para se possível ver um jogo do Glorioso.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Sete, 8, Nove

Ponto prévio: NADA DE EUFORIAS

Ontem, o Sport Lisboa e Benfica deu mais um pequeno passo para a conquista do 33º Título de Campeão Nacional. Ainda faltam muitos jogos muito difíceis pela frente! Aliás todos eles são difíceis. E o Benfica tem de encarar todos os jogos com determinação, garra, raça, ambição e muita Humildade. 
Contra o Estoril, o Benfica soube contrariar as adversidades que o jogo lhe podia proporcionar e proporcionou, consentindo apenas 2 oportunidades de golo à equipa da linha - Bruno Lopes e Evandro (de livre). No entanto o Estoril teve imensa posse de bola para aquilo que idealizo para o Benfica. Não vou dizer que desgostei do modo como encaramos o jogo (modo italiano), mas gosto de ver o Benfica controlador com bola e não sem ela! Houve um momento em que a posse de bola era 37%-63%!!!! É certo que assim podermos explorar o contra-ataque e as transições rápidas, onde somos muito fortes (só não goleamos porque Lima foi perdulário e o pé direito do Rodrigo não é igual ao esquerdo), mas nunca fico 100% seguro de que o jogo está ganho ou controlado.

"Após 8 finais, chegará ao seu destino"... Todavia o próximo jogo é contra o Tottenham para a Liga Europa! 

E depois vem o Nacional para a Liga! 

"Dentro de 8 finais 

Nota 1: Nesta jornada, a nossa vantagem alargou-se para 7 pontos sobre o Sporting (2º classificado). Em relação ao Porto, mantemos os 9 pontos de vantagem. O FCP goleou um Arouca (4-1) que com mais qualidade individual e colectiva podia ter causado mais dificuldades aos azuis e brancos, ainda longe do seu melhor. Quanto ao SCP, perdeu 2 pontos em Setúbal numa arbitragem vergonhosa de Vasco Santos. De 5 golos marcados, o que não é duvidoso é aquele que foi anulado ao clube de Alvalade! Vergonhoso, este tipo de árbitros na 1ª Liga. Basta saber se são mesmo maus, ou se são outra coisa!

Nota 2: O amigo e anfitrião do Sócio, Danilo Oliveira, deslocou-se na semana passada ao Norte para conviver alguns dias com Benfiquistas do Norte! Espero que ele tenha percebido que o Amor é o mesmo ou até mais, que aqui sofre-se imenso pelo Benfica! Que aqui temos pena de o Benfica ter o estádio em Lisboa (por ser longe apenas) e que aqui o rival é outro! ;) Espero que tenhas gostado amigo! Que voltes em breve! 


sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Parabéns Sport Lisboa e Benfica

Hoje o nosso grande amor faz 110 anos.
São muitos anos de emoções para todos os que vivem diariamente este clube, e para muitos que não podem viver sem ele. São muitas glórias, muitos troféus, muita mística ao longo destes anos.

Este aniversário é especial, porque acabámos de perder duas das nossas maiores glórias e embaixadores de benfiquismo e mística. Eusébio e Coluna, eram sempre das personalidades que mais queríamos ver e ouvir na Gala de Aniversário do clube e este ano será o primeiro em que não o poderemos fazer (até porque não haverá Gala este ano).

Para o futuro do Benfica fica o desejo:
Que venham mais 110 anos de glórias e sucessos.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Liga Europa: Prioridade ou não?

Sinceramente acho que não. 

Servirá para ir até onde podermos, mas sempre com a primazia dada às competições internas. Atingir os quartos de final já será positivo, para um clube que não ganha consistentemente internamente e que vai ver os seus rivais a jogar apenas ao fim de semana (o Sporting já o faz) muito brevemente. 
A vantagem conseguida neste momento (5 e 7 pontos para Sporting e Porto respectivamente) não deverá ser menosprezada, no sentido de poder ser gerida com vista à conquista do troféu europeu, mas deveremos todos relembrar-nos do que aconteceu em 2011/2012 e 2012/2013, quando perdemos vantagens importantes em condições semelhantes. 

Para que não me acusem de ser pouco ambicioso, não estou a dizer que deveremos fazer de propósito para ser eliminados. Trata-se isso sim, de gerir a condição física e mental dos jogadores, para que apareçam sempre a 100% nos jogos do campeonato e da Taça de Portugal., mesmo que para isso se tenha de protegê-los nos jogos europeus. O caso de Enzo Perez, que não foi convocado para o jogo de hoje com o PAOK, é sintomático e é mesmo de exemplos destes que eu estou a falar. Seja nos 1/16 de final ou nas meias finais. da prova.

O calendário do Benfica até ao final da época é extremamente preenchido e embora tenhamos uma almofada para qualquer deslize interno, é bom que ninguém se esqueça onde vamos jogar na última jornada e o que têm sido as nossas últimas visitas a esse campo.
5 e 7 pontos parecem bastante, mas basta uma derrota num jogo pós europeu para que tenhamos o fogo a chegar-nos à porta.

Para mais logo é fazer exactamente o mesmo que foi feito há uma semana. Colocar jogadores menos utilizados em conjunto com outros mais utilizados, protegendo os que se encontrem a precisar de descanso (físico e mental)


Se não chegar para ganhar a Liga Europa, eu, por mim, não me atirarei à equipa.

A homenagem merecida

Mário Coluna morreu. Um dos melhores (senão mesmo o melhor) capitães que o Benfica teve ao seu serviço~representou tudo aquilo que é o Benfica.
Depois do Rei, é mais uma perda absolutamente irreparável para o clube.

A homenagem que melhor o homenagearia será sem sombra de dúvida a conquista de uma dobradinha. Espero sinceramente que o Benfica não sucumba aos traumas do passado recente e que conquistemos esses troféus.

Até sempre Monstro Sagrado!


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Mais uma etapa ultrapassada (1)!

Ponto prévio: NADA de EUFORIAS!

Ontem, o Sport Lisboa Benfica fez o suficiente para ganhar o jogo ao Vitória Sport Clube (Vit. Guimarães). Podíamos e devíamos ter ganho por mais golos, mas garantimos os 3 pontos com um excelente golo do Markovic! Chega! Mas, não foi o melhor jogo da época, nem pouco mais ou menos. Vi 25 minutos de excelente qualidade, onde a pressão, a velocidade imperou no relvado (muito escorregadio e traiçoeiro) do Estádio da Luz. Gostei das movimentações do Markovic, Rodrigo e Lima (estes 2 últimos muito perdulários em frente à baliza)! Chiça! No Benfica, em 3-4 oportunidades, temos de fazer no mínimo 2 golos (mas isto é a minha opinião). Depois houve o choque entre Enzo e Jardel. Acho que afectou o jogo dos 2... Um pela negativa, Enzo! Acho fez um jogo fraco, tendo em conta aquilo que nos habituou! Melhores dias virão! O outro pela positiva, Jardel! Que grande jogo fez o brasileiro, que sabe muito bem a situação que ocupa neste plantel e não tem problemas.
Na 2ª parte, continuação do jogo pragmático, mas sempre com aquela sensação que as coisas não estavam 100% controladas e aqui regresso à primeira frase desta crónica. Este é o 5º jogo contra equipas do Minho! Cinco jogos sofridos em que registámos 4 vitórias e 1 empate! É caso para dizer que os ares do Minho não são bons... e ainda temos a deslocação a Braga! Atenção!


Temos 5 pontos de avanço para o Sporting (2º classificado)! É para manter e  se possível alargar!  


Nota: Acho que esta homenagem é necessária. 
"MELHOR EM CAMPO....

Jardel. Ontem à noite, no estádio da Luz, se houve jogador que tenha actuado à Benfica, esse jogador foi Jardel. Muitas vezes criticado pelos adeptos, assobiado nas bancadas e ridicularizado nas redes sociais, onde se encontram os maiores especialistas em jogo falado, Jardel ofereceu a todos uma demonstração final de talento, categoria, bravura e coragem. Muitos dos que o criticam jamais fariam pelo Benfica metade do que ele fez ontem à noite. Muitos dos que o ridicularizaram, durante estes anos, têm na escrita metade do valor que ele tem como jogador. No Benfica é uma espécie de falso titular, porque apenas não joga porque tem à sua frente um Luisão imperial, melhor do que nunca e um Garay que é o melhor defesa central da Liga portuguesa. De resto, Jardel é um jogador à Benfica. Nunca se lhe ouviu um lamúrio, nunca se lhe percebeu uma má vontade. É o típico jogador anti-star-sistem e é isso que faz dele um jogador menos apreciado nas bancadas, que gosta da exuberância. Talvez precisasse de dar um safanão em directo ao treinador para se tornar um ídolo das multidões, mas isso nunca veremos Jardel fazer, porque não é o típico jogador egoísta que coloca os seus interesses à frente dos interesses da equipa. Ontem viu-se. Grande Jardel, grande jogador, grande defesa. Um verdadeiro jogador à Benfica que, curiosamente, é pouco apreciado...pelos benfiquistas. É pena e é terrivelmente injusto. Tenho dito."
 By José Marinho in facebook!


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

O que mais queremos?

Depois de vencermos o Sporting há duas jornadas atrás, colocando-os a 5 pontos de nós, ontem tivemos um milagre no estádio do Dragão. Acho que já não restarão duvidas a ninguém que o Benfica tem uma dose de favoritismo enorme para vencer este titulo. Seria imoral para os Benfiquistas o Benfica não ganhar este titulo.
E se não tivesse ainda bem fresco na memória o que se passou nas últimas duas épocas, avançaria mesmo que o Benfica podia já encomendar as faixas, tal a diferença para os rivais.
No entanto temos de ter muito presente os vários acontecimentos dessas épocas e da forma inglória como perdemos os dois últimos campeonatos nacionais. Porque ignorar esses acontecimentos é meio caminho andado para os repetir. Espero sinceramente que não tenhamos um terceiro acto nesta matéria.

Só que, apesar de tudo isto, apesar dos receios e dos traumas, apesar das desilusões e do pragmatismo, o que é facto é que o nosso principal rival dos últimos anos tem estado nas ruas da amargura. São já várias as situações que denotam a selva em que está embrenhado aquele clube, com o seu líder a dar mostras de fragilidade (própria da idade). É o pior Porto desde 2005, e se nesse ano ganhámos porque fomos o menos maus dos três, este ano ganharemos (se ganharmos) porque somos o melhor.
Quanto ao rival da 2ª Circular, está em fase de crescimento, com uma equipa muito jovem e de tostões, que em condições normais não lutará pelo titulo até final. Mas vaticino já que na próxima época, com uns retoques e os jogadores um ano mais experientes, serão um sério candidato.

Por isso só me resta perguntar, o que mais queremos? Temos ventos muito favoráveis para conquistar este ano uma histórica tripla interna. Será que o vamos conseguir? O jogo de mais logo será um exame importante nesta matéria. Vencer é mais que essencial, é obrigatório.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Acabar com a brincadeira

O Benfica publicou ao final da tarde de ontem o comunicado que podem ler aqui. É um murro na mesa, depois do que se passou no jogo de Hóquei em Patins em Valongo. 

Pessoalmente, acho muito bem que se tenha esperado algum tempo antes de fazer um publicação desta natureza. Porque mostra-nos que a mesma foi pensada e deliberada e não criada a quente. Demonstra também que não é o resultado final deste jogo que está em causa, mas sim os acontecimentos do mesmo, que não sendo novos nos últimos anos, atingiram naquele jogo em particular novos índices de indecência.

Quanto ao conteúdo não poderia estar mais de acordo. O que se passa em Portugal é pornográfico e já era tempo de isso acabar. Aliás, esta tomada de posição já deveria ter sido adoptada há muito mais tempo. Vou seguir com atenção os desenvolvimentos, esperando que o comunicado ontem emitido, não seja um grito único no deserto e que existam consequências visíveis disto. A ver vamos!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

O clube com mais sócios?

Este artigo não visa aferir quantos sócios tem efectivamente o nosso clube, pois essa discussão nunca acabará até que os verdadeiros valores sejam disponibilizados pelo clube. Visa isso sim, demonstrar a cultura do engano a que são sujeitos os sócios e adeptos do clube.

Aqui e aqui podem ver o destaque dado à ultima revista da FIFA, que coloca o Benfica como maior clube em termos de sócios.O clube, por seu turno, afirma que é o clube com mais sócios pagantes, com cerca de 235.000 sócios pagantes (ou activos) actualmente. Este valor parece-me completamente desajustado daquilo que foi apresentado no R&C relativo a 2012/2013. Bem sei que já passaram mais de seis meses, mas os leitores verão que os números são demasiado dispares para que exista qualquer semelhança com o que acontece na realidade.

Ora vejamos. 
Começando pelas receitas de quotização, é referido que se receberam durante este exercício (2012/2013), cerca de 13,587M€ de receita das quotas. Aqui engloba-se tudo. Desde a quota modalidades, até aos valores recebidos em adiantado (de sócios que pagam as quotas de um ano no inicio de cada ano). Destes 13,587M€, 7,162M€ são imediatamente transferidos para a SAD, o que nos indica que os valores de 2012-2013, para as quotas totais andará em torno dos 9,550M€. Isto sem contar com adiantamentos ou com a quota das modalidades. 
Portanto, 9,550M€ é o valor total de receita com os sócios pagantes. Vamos então comparar este valor com os números apresentados, que segundo o mesmo R&C são de 230.195 sócios activos (incluem-se aqui todas as categorias de sócio, mesmo as não pagantes).
__________________________________________________________________________________

Para que os leitores tenham uma noção mais aproximada do peso de cada categoria, os sócios pagantes dividem-se em 4 categorias:
  1. Sócios efectivos (156€/ano)
  2. Sócios correspondentes (100€/ano)
  3. Sócios menores (78€/ano)
  4. Sócios infantis  (39€/ano)
Dividindo o valor total da receita de quotização por cada categoria de sócio:
  1. 61.218 sócios efectivos
  2. 95.500 sócios correspondentes
  3. 122.436 sócios menores
  4. 244.872 sócios infantis
Como podem ver para uma receita de quotização de 9.550M€ seria necessário possuir uma esmagadora maioria de sócios infantis para que os valores batessem certo.

Como é natural de se compreender, existem diferentes percentagens das várias categorias de sócio presentes no valor apurado para o total da receita de quotização. Pelo que parece-me também óbvio que o valor apurado para o número de sócios pagantes não estará correcto. 
__________________________________________________________________________________

A titulo de exemplo deixo aqui duas situações, para se perceber melhor a questão levantada por estes números.

Numa primeira situação, consideram-se as seguintes percentagens de sócios pagantes na medida em que contribuem para o bolo total:
Sócios efectivos contribuem com 40% da receita total - 24.487
Sócios correspondentes contribuem com 40% da receita total - 38.200
Sócios menores contribuem com 15% da receita total - 18.365
Sócios infantis contribuem com 5% da receita total - 12.243

Total de sócios pagantes: 93.295

Numa segundasituação, consideram-se as seguintes percentagens de sócios pagantes na medida em que contribuem para o bolo total:
Sócios efectivos contribuem com 30% da receita total - 18.365
Sócios correspondentes contribuem com 50% da receita total - 47.750
Sócios menores contribuem com 10% da receita total - 12.089
Sócios infantis contribuem com 10% da receita total - 24.487

Total de sócios pagantes: 102.691
 __________________________________________________________________________________

Quem acha que o somatório dos Sócios Honorários, Sócios Vitalícios e Sócios Infantis com encarregado de educação também ele Sócio, andará na casa da centena de milhar, parece-me algo iludido com toda a propaganda lançada em torno deste tema.

O Herculano volta a estar em grande na defesa do seu clube

Nem tenho palavras para isto...


Até quando manteremos o apoio a gentalha desta?

Paciência, pragmatismo e GOLO!

Mais um jogo, mais uma vitória! 

E muito pragmatismo, rumo ao objectivo!


Foi deste modo que vi, das bancadas do estádio da Mata Real, a vitória do nosso clube, frente ao clube local. Uma vitória sem qualquer contestação da melhor equipa em campo, que controlou o jogo durante os 90 minutos. 
O filme do jogo é fácil de fazer! O Benfica entrou confiante e seguro daquilo que queria e vinha fazer a Paços de Ferreira. 
Numa primeira parte em que o Paços de Ferreira teve mais bola do que aquela que pensei que iria ter, o Benfica controlou as operações não dando chances a um Paços de Ferreira, que está melhor que aquele que vimos na Luz. Todavia essa posse de bola não teve qualquer consequência. A primeira parte fica, ainda, marcada pelos 3 cartões amarelos que os nossos defesas viram (Siqueira, Maxi e Garay). Pensei que não iríamos acabar o jogo com 11.
Na segunda parte o pragmatismo e a paciência imperaram e foi uma questão de tempo até os golos aparecerem! Simples, tranquilo e mais 3 pontos! 
Não há muito mais a dizer!

Nota: 
Nos últimos 5 jogos para o campeonato, o Benfica marcou 9 golos e apenas sofreu 1...
Nos últimos 2 meses, o Benfica fez 12 jogos, obtendo 11 vitórias e 1 empate! Marcámos 24 golos e sofremos 3! 

Saudações Gloriosas

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Jornal "O Benfica" rumo ao futuro


O nosso jornal iniciou, na passada sexta-feira, uma "nova vida". A partir de agora, os benfiquistas têm à sua disposição, uma versão digital do jornal, através da AppStore.
É uma excelente ideia, que eu aplaudo desejando que tenha o maior dos sucessos. A possibilidade de se ter o jornal disponível em qualquer lado e qualquer altura é um passo importante na evolução do mesmo e na actualização de acordo com as novas tecnologias. 

Pessoalmente, já tenho uma assinatura de versão em papel do jornal, mas vou com certeza equacionar adquirir uma subscrição da versão digital. Não só é mais cómodo para mim (sempre entre Portugal e o estrangeiro), como permite que não se gaste tinta e papel com a minha assinatura, o que não deixa de ser bom para o meio ambiente.

Na primeira edição digital (do passado dia 7), que está disponível gratuitamente pode-se ler no editorial, que esta inovação, apenas não avançou mais cedo, porque o Benfica queria garantir que a mesma seria sem falhas. Fala-se até de adicionar conteúdo audiovisual (entre outros) à versão digital, proporcionando ainda mais informação aos benfiquistas. Ver os vídeos dos golos, pontos, corridas, e eu sei lá mais o quê... será bastante gratificante para os benfiquistas.

Mais uma excelente ideia que chega agora até nós!

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Quando o bom exemplo vem do rival do outro lado da estrada

O Sporting sob o comando de Bruno de Carvalho tem-me impressionado positivamente. Desde o inicio que sinto que ele veio mudar o futebol do Sporting e de Portugal para melhor. Com erros e falhas, como todos, mas com respeito e honra na hora de assumir o que se faz de mal e apontar o que se deve fazer de bem.

Vem esta introdução a respeito da recente alteração da crónica do jogo no site oficial do clube. Podem ler a justificação aqui. A crónica original era a todos os níveis uma risota completa, tentando fazer passar a mensagem que o jogo não tinha sido tão desnivelado como o foi efectivamente, com os jogadores leoninos a fazerem tudo ao seu alcance para ganhar o jogo e que só com um azar tremendo tal não foi possível. Quem a escreveu deu um valente tiro no pé e embaraçou não só a cúpula dirigente do Sporting, como os próprios sportinguistas, que de certeza viram o que realmente se passou em campo. Mas a atitude de mudar a crónica é de realçar, num mundo cada vez mais cínico e desprovido de honra e valores morais. 

A juntar a esta atitude, ficou-me também na retina, a de não partir para vitórias na secretaria, embora pudessem existir razões que dessem razão aos leões. Tenho a certeza que com qualquer uma das direcções anteriores tal não se tinha passado e o Sporting tinha pura e simplesmente tentado ganhar na secretaria. Felizmente para o futebol (e o desporto) houve mesmo Derby Eterno e o mesmo foi a todos os títulos notável no fair-play e rectidão. Para passar a ser a regra e não a excepção.

Queria aqui também deixar uma nota de agrado para com o nosso presidente, pela forma como "soube gerir" todo este imbróglio de forma a que esta situação não causasse danos ao maior numero de pessoas possível. As suas palavras no final do jogo, são motivo de orgulho, pois não se eximiu de "culpas" agradecendo a todos os intervenientes pela forma como a situação acabou por se desenrolar.

Este Derby Eterno mostrou para lá de qualquer dúvida que é possível agir de forma moralmente correcta, mesmo que existam incidências que possam levar a atritos. E no final as palavras elogiosas de todos os envolvidos deixa-me acreditar que a mudança no futebol português está à porta.

Sagres e Peanuts

Finalmente é revelada a sentença a Jorge Jesus no âmbito do processo aberto aos incidentes de Guimarães. O treinador do SLB foi condenado a pagar 25000€, valor esse que será revertido para duas instituições de solidariedade (12500€ a cada uma delas). Além disso, Jorge Jesus, terá de entregar de satisfação pecuniária ao lesado (agente da PSP) o valor de 500€, mais despesas correntes do processo ao Estado, cerca de 150€!


Em termos judicias e processais é fácil de perceber que se fosse outra pessoa, a sentença seria outra! Não vamos branquear os factos! Se fosse eu, ou outra pessoa anónima qualquer, a sentença seria diferença!
Em termos desportivos, Jorge Jesus foi suspenso por um mês! Nesse mês de ausência do treinador do banco, o Benfica venceu 3 dos 4 jogos realizados sem o timoneiro (sim, não ganhámos ao Arouca na Luz). Como quero sempre ganhar, no global, não foi perfeito! Todavia podia ter sido pior. Tivemos 2 deslocações que, apesar de não serem de extrema dificuldade, podiam ter sido complicadas (Vila do Conde e Olhão). Ironias ou não, perdemos pontos no jogo teoricamente mais fácil (alvo de outra análise, futuramente). Jesus cumpriu a pena e voltou ao banco!


Agora eu pergunto, porque Jorge Jesus perdeu a cabeça?! Porque razão fez aquilo, num jogo em que o Benfica ganhou por 0-1 (golo de Cardozo)?! Já muito se falou, mas de facto, o assumir de culpa de Jorge Jesus, confirmou o que sempre achei. Jorge Jesus estava sozinho e precisou de arranjar aliados, ou não ter tantos "opositores"! E escolheu aqueles que nunca falham, os sócios e adeptos! Aqueles que fazem 1400 km em 2 dias para ver 2 aquecimentos e 1 jogo de futebol. Jesus dispôs-se a pagar isso para apaziguar as críticas e a nuvem que pairava (ainda paira?!?!?!) na Luz após o mês de Maio de 2013!
Por isso, diga-se, pagar 25mil euros para manter o lugar que garante 4M€/ano são peanuts! Apaziguar a contestação foi a grande vitória de Jesus este ano para já! Espero que tenha outras, mas dentro de campo!

A partir destes incidentes o Benfica começou a retoma às vitórias. Aos poucos é certo! Empatou com o Belenenses na Luz (outra vez no jogo teoricamente mais fácil), teve a pior exibição da época em Paris, empatou (casa) e perdeu (fora) com o Olympiakos onde realizou a melhor exibição da época! Todavia, acho que a equipa começou a soltar-se e Jesus também!
Hoje estamos em 1º lugar do campeonato, fora da Champions é certo, mas na Liga Europa, nas meias finais da Taça de Portugal e da Taça da Liga!
Nada está ganho e não podemos embandeirar em arco! Nada de euforias! Temos de pensar jogo a jogo e o próximo é o mais difícil de todos!

Força Benfica!