origem

domingo, 29 de abril de 2012

O Benfica somos nós!


Fim da Linha!

Acabou o campeonato. Hoje o nosso treinador ofereceu de bandeja o titulo aos azuis. Com uma vantagem caída do céu, fazer o que ele fez ao intervalo, faz-me ponderar seriamente, se não estarei realmente equivocado ao defender a sua permanência, mediante condições. Acho que o desgaste já não lhe permitirá obter resultados com o Benfica.

Durante uns tempos, vou tentar deixar isto um pouco de lado. Completarei brevemente o último artigo da série "O Fracasso de Vieira" e tentarei, na medida do possível, alhear-me da silly season que já começou faz tempo. A minha barriga agradece a falta de azia de vez em quando, porque perco "anos de vida" a irritar-me com estas coisas. Vamos ver quanto tempo duro. 

Estou extremamente frustado com os resultados desta época. Presidente e Treinador são os grandes culpados disto. Uniram-se ambos os egos, e a partir de Janeiro foi uma verdadeira hecatombe o que se passou. Cada um tem de assumir as suas responsabilidades. Pelo menos, seria isso que fariam, caso tivessem um pingo de decência e honra.

Os heróis e os palhaços


Os jogadores da União de Leiria na foto são autênticos heróis. Mas heróis a sério e não como outros "heróis" apelidados por corruptos assumidos.
A minha vénia a eles, e aos seus companheiros que rescindiram os contratos.

Os palhaços são outros. À cabeça os dirigentes, que são gente a quem eu não confiava um único €. Gente mentirosa. Gente corrupta. Gente gananciosa. Gente sem escrúpulos. Não se aproveitam muitos, e esses estão relegados para papéis secundários, sem peso nem poder para melhorar este esterco a que chamam de futebol português.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Virar a mesa

Os jogadores da União Desportiva de Leiria rescindiram os contratos por justa causa, alegando salários em atraso. A primeira consequência disto, é a falta de comparência ao jogo com o Feirense, que dá direito a descida imediata de divisão. 

Finalmente, alguém se revoltou a sério contra este futebol podre. 
Finalmente alguém procurou uma solução de ruptura com esta bandalheira a que chamam futebol em Portugal.
Finalmente alguém deu o murro na mesa, virando-a inclusivamente de pernas para o ar.
Finalmente...

Não podem mais ignorar o problema.
Não podem mais enfiar a cabeça na areia.
Não podem mais varrer a porcaria para debaixo do tapete.
Podem tentar... mas quero acreditar que não vão conseguir...



A falência do futebol

O Futebol em Portugal (e o desporto em geral) está em processo de falência. Ano após ano, sucedem-se os casos de falta de pagamento de impostos, salários ou contratações. O presidente do sindicato de jogadores é cada vez mais presença assídua nas televisões por causa de processos de greve, pré-greve ou divulgação do que os jogadores sofrem.

Os grandes culpados disto são dois: as instâncias reguladores que não regulam nada e os dirigentes corruptos deste futebolzinho de brincar.

Se fossem minimamente competentes ou estivessem minimamente interessados na sobrevivência do futebol (desporto) em Portugal aqui estão algumas medidas que aprovariam:


  1. Redução imediata dos preços dos bilhetes. Um mínimo de metade dos preços actuais. Portugal não tem economia ou condição de ter bilhetes a 20€, 40€, 65€ no caso dos jogos grandes, e 10€, 15€, 20€ no caso dos jogos pequenos. Encher os estádios devia ser a primeira prioridade.
  2. Alteração imediata dos horários dos jogos para dias e horas decentes. Sábados e Domingos entre as 15h e as 20h. São 10h disponíveis para 8 (9 caso se dê o alargamento) jogos por semana. Não é suficiente?
  3. Controle fiscalizador efectivo das receitas que cada clube é capaz de gerar e ajuste directo do orçamento com base nisso. É imperioso que os clubes não possam gastar aquilo que não têm!
  4. Sanções pesadas e efectivas para clubes incumpridores. Relegação para divisões secundárias ou para o futebol amador. 
  5. Limite de novas inscrições de atletas por época. Máximo de 10 no defeso e 3 em Janeiro. Os custos com contratações, desvinculações, e empréstimos é absurdo.
  6. Limite de empréstimos a 5 por clube. Impossibilidade de empréstimos entre clubes na mesma divisão.

E mais medidas haveria a tomar. Só que o compadrio, troca de influências, cunhas, corrupção, coação e outras formas ilegítimas de "governar" são o que temos actualmente, com os mesmos dirigentes corruptos de há muitos anos a esta parte. 

Era uma VASSOURADA NELES TODOS!!!

Pavilhão Encarnado - 27/4/2012

Inicio hoje uma rubrica semanal, que à semelhança da rubrica "Porque o SL Benfica não é só Futebol...", tão bem escrita e descrita pelo meu amigo Faneca, visa informar os caros leitores acerca da actualidade das modalidades. Nomeadamente, os jogos que se vão realizar na Luz durante o fim-de-semana. Porque muitas vezes o que falta são pessoas informadas, espero contribuir para que mais um ou dois benfiquistas saibam o que fazer na Luz, e sabendo o que la se vai passar, possam marcar presença no apoio às modalidades. Elas merecem (muitas vezes mais que o futebol).

Para o próximo fim de semana (28 e 29 de Abril) temos a seguinte agenda competitiva nos pavilhões da Luz:

  • Hóquei em Patins
Defrontamos a Fisica, em jogo da 24ª jornada do nacional, em jogo marcado para as 21:00h de Sábado 28/4 (amanhã portanto). Importante vencer e consolidar a liderança adquirida na semana passada. 
  • Basquetebol
Defrontamos o Lusitania em jornada dupla das meias finais do play-off, com jogos marcados para as 16:00h de Sábado e Domingo, 28/4 e 29/4 respectivamente. É fundamental garantir uma vantagem de 2-0 para a próxima semana.
  • Voleibol
Defrontamos o Sporting de Espinho no primeiro jogo da final do campeonato. O jogo realiza-se às 18:00h de Sábado 28/4.
Numa final à melhor de 3 jogos, é fulcral começar com uma vitória. Temos o exemplo do ano passado, em que baqueámos frente à Fonte Bastardo.

É de referir que, o Basquetebol e o Hóquei jogam no pavilhão Império Bonança e o Voleibol joga no pavilhão nº 2.

Carrega Benfica! Rumo aos títulos!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Naturalmente Campeã

Telma Monteiro fez aquilo que sabe fazer melhor. É pela 4ª vez campeã europeia de Judo (duas na categoria de -52 quilos e duas em -57 quilos)

Os meus sinceros parabéns a esta verdadeira atleta. Deixa-nos como sempre orgulhosos dela.

Uma curiosidade algo deprimente

Real Madrid e Bayern Munchen discutiram ontem a passagem à final da Liga dos Campeões no Bernabéu.
A treinar ambas as equipas, estavam dois antigos treinadores do Benfica.

  • Jupp Heynckes pelo Bayern, que treinou o Benfica entre Julho de 1999 e Setembro de 2000. Como curiosidade adicional, levou o Real Madrid à sua 7 Taça dos Campeões em 1998.
  • José Mourinho pelo Real Madrid, que treinou o Benfica entre Setembro e Dezembro de 2000 (esteve apenas 9 jogos no comando da equipa)
Aparte o facto de Mourinho ter sido o substituto de Heynckes no Benfica aquando do seu primeiro emprego como treinador, é o presidente do Benfica da altura que merece o destaque do título do post.
João Vale e Azevedo teve olho suficiente para contratar estes dois belos treinadores. 

Dá que pensar não dá?

Para que ninguém esqueça

Excelente artigo do António Melo no "Em Defesa do Benfica" (Para mim o melhor blog benfiquista) que faço questão de fazer eco. Assim se vão explicando certas decisões incompreensíveis tomadas por esta justiça podre. Ainda se admiram?

http://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2012/04/para-que-ninguem-esqueca.html

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O trabalho do Herculano disciplinador

Estamos em Portugal e basta!

A Comissão Disciplinar da Federação entendeu por bem castigar Caetano do Paços de Ferreira com um jogo de suspensão por isto (http://videos.sapo.pt/QwcMkiLyBeA5ozl9UnJB). Numa situação em TUDO semelhante o nosso Pablo Aimar viu-lhe serem aplicados DOIS jogos de castigo.

Mais uma prova de que o Herculano está onde está, com uma missão bem especifica. E nós, a apoiar estes escroques.

O percurso de Jorge Jesus no Benfica

Jorge Jesus chegou ao Benfica em Junho de 2009, vindo do Sporting de Braga. Durante os 2 ou 3 anos anteriores, foi sendo conotado como sucessor de Jesualdo no FC Porto. Pessoalmente nunca pensei que viesse para o Benfica e aquando da sua contratação vaticinei-lhe um futuro curto e fraco à frente do Benfica. Enganei-me redondamente. Jesus entrou no Benfica com uma sede enorme de vencer. Com um discurso optimisticamente fanfarrão a cortar completamente com os discursos pobres e pessimistas de épocas anteriores. "Prometeu" a equipa a jogar mais do dobro. E na realidade o Benfica de Jesus joga bem em 75% dos jogos. Dá espectáculo em 50% deles. É uma equipa que sufoca o adversário em grande parte do jogo. Só que contra equipas melhores as suas tácticas não resultam tão bem pois essas equipas sabem ter a bola.

Apesar de tudo o que de bom tem Jesus, o treinador da Amadora tem duas falhas graves que o impedem de dominar completamente o futebol em Portugal com o Benfica (se tivesse ingressado em 2009 no Porto, não tenho dúvidas que estaria já a treinar num dos grandes campeonatos europeus uma equipa de topo). No Benfica tem de lutar internamente com arbitragens manhosas e esquemas escuros que constantemente tentam afundar o Glorioso clube.
Mas voltando às suas duas falhas graves.
  1. Teimosia - O treinador tem claramente jogadores fetiche com os quais conta cegamente. São vários os casos na sua carreira profissional, mas apenas no Benfica essa característica veio ao de cima, por ser um clube escrutinado constantemente. Quando aposta num jogador, ele será utilizado até não poder mais. Mesmo que se encontre em má forma ou tenha um substituto em melhor condição, na grande maioria dos casos, isso não interessa para a avaliação que o treinador faz.
  2. Fanfarronice/Ego - O treinador é um autêntico pavão. Está nos seus genes, na sua personalidade e nas suas acções/declarações. Jesus julga-se realmente o mestre da táctica, o catedrático do futebol. Nunca se engana (também por causa da teimosia) e nem lhe passa pela cabeça que possa existir uma alternativa ao que ele delineou como estratégia. É na maior parte das vezes algo deprimente vê-lo vangloriar-se de feitos que acontecem por mero acaso.
Não fossem estes dois "defeitos" e Jesus seria, seguramente, um dos treinadores do top 5, ao lado de nomes como Mourinho, Guardiola ou Sir Alex Ferguson. A sua incapacidade para lidar com o sucesso e com os erros, não lho permite. 

Analisando as três épocas de Benfica com Jesus temos:

  • 2009/2010
Montou uma equipa à medida dos jogadores que tinha. Futebol arrasador em grande parte do campeonato e Liga Europa, com algumas goleadas históricas em catadupa. A equipa foi um Rolo Compressor interno. Discurso vencedor (talvez arrogante?) a não dar qualquer hipótese a CS ou adversários. As coisas saíram bem. Compreendo perfeitamente a eliminação em Anfield. Apostou-se tudo no Campeonato e caímos de cabeça erguida da Liga Europa. A vitória na Luz frente ao Eterno Rival foi muito mais importante. Soube usar os jogadores menos utilizados em alturas chave, sobressaindo Weldon como verdadeira arma secreta.
Dou-lhe uma nota de 95%.
  • 2010/2011
Começou a pré-época a despedir e contratar jogadores e a prometer o Bi-Campeonato e quiçá a Liga dos Campeões. Nos jogos de pré-época montou um esquema em 4-3-3, pois tendo perdido os dois alas do seu 4-1-3-2 para Chelsea e Real Madrid, seria praticamente impossível replicar o modelo da época anterior. Entrou na Supertaça em 4-1-3-2 com jogadores cansados o mundial. Toda a estratégia treinada na pré-época foi posta de lado para nunca mais ser vista. Adicionou uma nuance terrível ao esquema táctico, fazendo descer o médio defensivo até junto dos centrais quando em transição ofensiva posicional. Isto criou um buraco enorme no nosso meio campo, devidamente explorado pelos adversários, fazendo-nos perder o controlo daquela zona do terreno. Em algumas situações custou-nos pontos esta mudança.
As apostas continuas em Roberto, Saviola, César Peixoto (a lateral), são alguns exemplos da teimosia do técnico. Utilizou quase sempre os mesmo 13/14 jogadores a partir de certa altura, tendo o Benfica atingido o pico de forma em Fevereiro. Na altura das decisões os jogadores não aguentaram e a lesão de Sálvio foi apenas o clique que faltava para o castelo de cartas se desmoronar. Acabámos a época, como uma época em que sofremos das piores humilhações como benfiquistas. Os 10 minutos em que o Porto fez 3 golos na Luz em Abril para a meia final da Taça são o maior exemplo. Mas Jesus nunca assumiu claramente a sua quota parte de culpas. A derrota em Braga na segunda mão das meias finais da Liga Europa foi também uma grande humilhação. Não pelo resultado em si, mas pela completa falta de atitude demonstrada. Parecia que estavam a jogar um jogo de pré-época e não o acesso a uma final. E aqui o treinador é o maior culpado.
Dou-lhe uma nota de 30%.
  • 2011/2012
Começou a época com mudanças mais ou menos radicais, especialmente ao nível de GR. Artur chegou para substituir o queimado Roberto. Jesus foi obrigado a ceder.
Entraram Carraça e o professor Manuel Sérgio (supostamente para o controlar) e durante algum tempo o treinador foi aguentando o seu ego, contido à flor da pele. Mudou a sua estratégia para jogos com equipas melhores (Liga dos Campeões e top 4 da Liga) com os devidos benefícios que dai advieram. Incluindo mais um homem (Witsel) ao meio campo, deu-nos ampla liberdade de gerir o jogo com posse de bola. E com mais bola, menos chances tiveram os adversários. Foi fazendo uma boa rotação dos jogadores, especialmente nas alas onde Nolito, Gaitan e Bruno César iam rodando. O Argentino foi mesmo o mais utilizado (titular em quase todos os jogos).
A partir de Janeiro, o Benfica entrou no seu pico de forma, disparando 5 pontos do FC Porto no topo da classificação. Depois, Jesus entrou nas suas teimosias e com um empurrões da arbitragem estava o cenário montado. As entradas da equipa em Guimarães e em Coimbra, possivelmente os jogos mais importantes da época, foi deplorável. A estratégia de Guimarães foi mesmo do pior que já se viu ao treinador. Fez Rodrigo jogar os 90 minutos depois da patada de Bruno Alves e mudou a equipa quando faltavam pouco mais de 5 minutos para jogar. Claramente a culpa desta derrota foi dele em primeiro lugar.
As palavras de Jesus no pós jogo também não foram melhores. Em retrospectiva, foi aqui que o Benfica soçobrou. Era fundamental chegar ao Clássico com os tais 5 pontos de avanço.
Jesus revelou-se imune a todo o tipo de criticas e/ou considerações. Nunca admitiu os seus erros e pior que isso, insistiu no erro. Vangloriar-se do golo obtido pelo Benfica aos 92 minutos no jogo com o Braga é apenas um exemplo entre muitos.
Ainda faltam 3 jogos e 9 pontos para acabar a época, e embora seja ainda possível não é nada provável que o Porto perca os pontos necessários para que os ultrapassemos.
Mesmo que seja campeão dou-lhe uma nota de 50%.

Face a isto, o que fazer ao treinador na próxima época. Eu sou da opinião que Jesus deverá continuar por duas razões e com uma condição.
As duas razões:
  1. Já demonstrou amplamente que sabe por uma equipa a jogar bem.
  2. Já demonstrou que sabe potenciar jogadores.
A condição:
  1. Tem de haver alguém entre Jesus e presidente (não sei se é o Carraça, se é o Rui Costa ou se é outro qualquer) que lhe meta os travões. Que tome as decisões face ao que são as necessidades do plantel e que tome em mãos a tarefa árdua de dar a cara pelo Benfica. Jesus tem de se focar apenas e só na parte de treino. Guerras com outros agentes, bazófias e egos exacerbados são para outros intervenientes. 
Viva o Benfica!

Porque o SL Benfica não é só Futebol…


Na generalidade, esta última semana ficou marcada por resultados positivos para as modalidades do Sport Lisboa e Benfica.

Iniciando esta análise pelo Futsal obtivemos uma vitória segura por 1-3, no reduto da Académica de Coimbra, carimbando, deste modo, o primeiro lugar na classificação final da Fase Regular. Em virtude da superioridade benfiquista na primeira parte, não espantava a vantagem por 0-2, com golos de Diece e Bruno Coelho, que o marcador apresentava ao intervalo. Na segunda parte assistimos à reacção da formação local, chegando esta até a reduzir a desvantagem para 1-2, todavia contrariada, nos últimos minutos do encontro, por um grande golo de César Paulo, quando a formação de Coimbra utilizava o jogo 5x4, sentenciando, assim, as dúvidas ainda persistentes.
Agora todas as atenções estão centradas, em primeiro lugar, na final da Taça de Portugal e, de seguida, no início dos play-off.

Já no Voleibol os encarnados registaram a sua segunda derrota da época, em deslocação a Espinho, para defrontar o Sporting local, por 1-3 (25-23; 22-25; 25-15; 25-21), em jogo a contar para a última jornada da segunda fase do campeonato nacional. Esta partida foi encarada como um “treino arbitrado”, isto porque ambas as formações fizeram gestão e rotação dos jogadores, na medida em que o resultado final pouco interessava para as contas do campeonato.
Mais importante do que este desaire é o decisivo play-off final que decidirá o campeão e que começará a ser disputado no próximo sábado, em jogo a realizar no Pavilhão da Luz. Crucial será também o merecido apoio dos adeptos neste momento-chave da época. Todos ao Pavilhão!!!

Que dizer do Andebol do Benfica?! Mais uma derrota vergonhosa, em casa, por 29-31, frente ao ABC, em jogo respeitante à sexta jornada da fase final do campeonato. Como justificar duas derrotas frente ao Madeira SAD, na primeira fase, e duas derrotas frente ao ABC, na fase final? Só encontro uma resposta: a falta de mentalidade vencedora, que se exprime na acomodação de certos jogadores e que só uma “vassourada” total nesta secção poderá reverter este rumo de insucessos.

Por seu turno, o Basquetebol, no pretérito fim-de-semana, rubricou o acesso à meia-final do play-off, no qual irá defrontar a formação do Lusitânia, dos Açores. No jogo 3 dos quartos-de-final, frente à Académica de Coimbra, o Benfica foi derrotado por 63-62, no Pavilhão Multidesportos de Coimbra. Desta partida importa assinalar a manifesta ineficácia dos ataques e o número expressivo de turnovers de ambas as equipas. Quanto ao resultado foi justo, pois a equipa da casa revelou maior inteligência e ambição na parte final do encontro. É por jogos como este que nunca sei o que hei-de esperar quando a nossa equipa de Basquetebol está em campo…
No jogo 4, o Benfica cumpriu a sua obrigação (com um jogo de atraso…) e levou de vencida, por 67-75, a Académica de Coimbra. Obtivemos uma maior eficácia ofensiva, com grande destaque para a exibição de Seth Doliboa, o que nos permitiu chegar à meia-final, com 3-1 em jogos, nestes quartos-de-final.
Na meia-final, a obrigação é carimbar o acesso à final com um esclarecedor 3-0.

Finalmente, o Hóquei em Patins alcançou o lugar merecido no campeonato nacional! Não se julgue que já está tudo decidido, pois ainda faltam muitos e difíceis encontros. Posto isto, o Benfica, no passado sábado, foi a Viana do Castelo vencer por 4-9 a Juventude local. A nossa equipa demonstrou uma confiança e inspiração assinaláveis, que em muito contribuíram para esta concludente vitória. Importa destacar, neste jogo, os três golos marcados, quer por Luís Viana, quer por Carlos López. Nesta jornada, a derrota do Porto, em Espinho, permitiu-nos chegar ao primeiro lugar da classificação.
Já ontem o Benfica obteve o passaporte para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, após uma vitória suada por 4-3, frente à Candelária, no Pavilhão da Luz. Uma partida na qual o Benfica evidenciou uma superioridade em termos de oportunidades de golo, que só uma grande exibição do guarda-redes adversário impediu a obtenção de uma vitória mais tranquila. De todo o modo importa realçar a grande qualidade revelada pela formação dos Açores, a qual lhes permitiu estar, a dois minutos do fim, a disputar taco-a-taco a eliminatória. Ainda assim, e apesar deste esforço meritório da formação visitante, a um minuto do fim, Carlos López, numa magnífica execução de um livre directo, pôs termo às legítimas aspirações do conjunto açoriano.


SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!

Final 8 da Liga Europeia

Soube hoje que a final a 8 da liga europeia de hóquei em patins será disputada em Itália, em casa do Amatori Lodi.

Depois do comportamento dos adeptos do Lodi em Lisboa, especialmente a reacção às constantes provocações de um adepto benfiquista (aparentemente algo embriagado...), considero esta uma excelente decisão e um prémio inteiramente merecido para os seus adeptos, que poderão eventualmente festejar em casa a conquista do título europeu.

Mesmo que isso não aconteça (desejo como é óbvio um Benfica campeão europeu), o ambiente nesta final a 8 deverá ser marcada pelo fair play. Esperemos que os jogadores das 8 equipas estejam à altura dos adeptos que vão encontrar.

Da minha parte, uma final entre Amatori Lodi e SL Benfica deixar-me-ia totalmente satisfeito.

Para terminar, uma mensagem de apoio aos nossos jogadores: dêem o vosso melhor, dignifiquem a camisola que vestem e, se possível, tragam o caneco!!!

terça-feira, 24 de abril de 2012

A diferença por muito que me custe

Não gosto de Miguel Sousa Tavares (MST). Abomino a sua capacidade para dobrar a coluna vertebral, quando o assunto é futebol. Ricardo Araújo Pereira e Zé Diogo Quintela (RAP e ZDQ) demonstraram bem a sua vertente "mentirosa", semanalmente nas páginas d'A Bola, pelo menos enquanto os deixaram.

Mas numa coisa tenho de o admirar, a ele e à esmagadora maioria dos adeptos azuis. A sua exigência é máxima. Na capa d'A Bola vem a frase que eu, sinceramente gostava de ouvir de um benfiquista.
Campeonato sabe a pouco e sabe a coisa imprevista!
O campeonato está no bolso (só uma hecatombe/milagre o impedirá), mas parece que ninguém está satisfeito com a equipa ou com o treinador. E essa exigência passa para dentro do campo nas alturas chave, entrando o Porto sempre motivado também por ela. O facto, é que em momentos decisivos e na esmagadora maioria dos casos, o Porto não falha e o Benfica baqueia. 
Enquanto a maioria de encarnados acha que uma Taça da Liga e um campeonato é suficiente, para outros, o campeonato ganho assim sabe a pouco. São diferentes níveis de exigência.

Podem falar-me dos árbitros, e na grande maioria dos casos concordo que há uma ajuda extra ao Porto ao passo que para o Benfica ficam erros escandalosos contra. Só que numa coisa, já há muitos anos que eles nos ultrapassam, na atitude competitiva. Alguém, minimamente lúcido, que acompanhe o fenómeno futebolístico em Portugal, acredita que o Porto teria jogado em Alvalade da maneira que o Benfica jogou? Apático e sem garra. Acho, sinceramente, que não.

PS: Já em Novembro passado eles se manifestavam contra o pino que os treina. Podem ver aqui um video de um deles, que aparte a linguagem, diz tudo.


segunda-feira, 23 de abril de 2012

O mandato desportivo


A actuação de Luis Filipe Vieira no seu mandato desportivo resume-se facilmente em seguida:

  • 2009/2010

O presidente esteve próximo da perfeição nesta época. 
Contratou um treinador sedento de vitórias, reforçou os poderes do DD para gerir o futebol e manteve-se calado durante quase todo o ano, não intervindo publicamente muitas vezes. Quando interviu foi sempre num tom de responsabilização de quem estava abaixo dele. Deixou trabalhar quem sabia, mas sempre com a responsabilização presente (o vulgo meter os travões). A entrevista a MST já no final da época é disso exemplo. O campeonato conquistado é em grande parte seu.
Dou-lhe avaliação de 95%.

  • 2010/2011

O presidente esteve desastrado e desastroso nesta época.
Começou logo mal em Junho, ao dar apoio à candidatura de Fernando "Facturas" Gomes "directo" da SAD do Porto para a Liga Portuguesa. Cedeu à "chantagem" do treinador e relegou o DD para segundo plano. Deu carta branca a Jesus que passou de "mero" treinador a "manager" de todo o futebol encarnado. A bazófia do presidente (sempre lesto em chamar a si os louros das vitórias) veio ao de cima ainda mais, com um treinador como Jesus. "Andámos muito tempo em festa" viria a dizer no final da época, prometendo mudanças. Definitivamente o presidente falhou neste segundo ano naquilo que era sua responsabilidade: acompanhamento e responsabilização da equipa, acompanhamento e fiscalização das estruturas dirigentes da Liga e Federação, discurso forte e certo.
Dou-lhe avaliação de 25%.

  • 2011/2012

O presidente esteve muito bem até Dezembro e depois muito mal desde aí.
Começou muito bem ao passar um discurso de responsabilidade e trabalho. Nada se ganha em Setembro dizia ele (e com muita razão) e temos de trabalhar muito. Os resultados apareceram e a equipa seguia invicta no campeonato e na champions. Vieira sempre calado, aqui e ali com palavras de responsabilização e a refrear os animos dos benfiquistas. Deu condições ao treinador (através dos milhões disponiveis para contratações), tendo-se construido um plantel bastante razoável. Tinhamos opções válidas para cada posição (excepto a de Lateral direito onde Rubén Amorim era a alternativa a Maxi) e nada que não fosse bem resolvido em Janeiro. Em Dezembro começam os problemas do Benfica, quando apoiou inequivocamente (e novamente) Fernando "facturas" Gomes para a Federação. Os casos de Perez e Amorim foram bem resolvidos (casos de indisciplina), talvez com excepção do destino dado a Amorim. Mas o mesmo não se passou na substituição dos dois jogadores. Entraram André Almeida e Djaló, claramente diferentes dos que sairam.
A entrevista concedida no inicio de Fevereiro foi má. Ao dizer que não valia a pena criticar os árbitros enquanto não fossem profissionais, e que eles "já" não erravam com premeditação, deu o toque que Fernando Gomes precisava. As más arbitragens a favor de uns e desfavor de outros sucederam-se (e ainda se sucedem) em catadupa. Mas, com o apoio dado em Dezembro, o presidente ficou de mãos atadas para fazer criticas. Apenas após o roubo contra o Porto na Luz, falou, pedindo que Proença não mais apitasse o Benfica. Seguramente não leu as noticias que davam conta da ida do mesmo Proença ao Dragão na semana anterior. Falhou em duas coisas essenciais: responsabilização da equipa (os sinais dados com as alterações de calendário para acomodar os jogos da Liga dos Campeões são disso exemplo) e a completa irresponsabilidade que foi dar (ainda) mais apoio a quem não o merece e que tudo fará para nos impedir de vencer.
Dou-lhe avaliação de 60%.


Em suma, Vieira teve um mandato razoável. Até o poderia considerar bom, em comparação com anteriores, caso fosse o seu primeiro. Como não é, não o posso fazer. Vendo a progressão das épocas dentro do mandato, só posso dizer que estamos a regredir. E vendo o que foram os mandatos anteriores, então a curva ainda mais visivel é. 

No próximo Outubro, não vou seguramente votar nele. Caso não surja ninguém credivel, levará de mim um voto em branco.

domingo, 22 de abril de 2012

Milagre sobre patins

O Benfica é líder isolado do campeonato nacional de hóquei em patins, após uma jornada em que o Porto perdeu em Espinho. Leram bem, o Porto perdeu em Espinho. Frente a uma Académica brava, o milagre aconteceu e permite ao Benfica passar para a liderança. O empate da primeira jornada frente ao HC Braga foi altamente criticado e muitos consideraram o campeonato imediatamente perdido. No entanto, o milagre aconteceu mesmo, e apesar da derrota do Benfica no Dragão, esta derrota do Porto em Espinho, somada à derrota do mesmo Porto nos Açores, frente ao Candelária, permite adivinhar um futuro risonho para esta modalidade já nesta época.
Mas temos de ter muito rigor, atenção e empenho, pois nada se ganhou neste fim de semana.

PS: os salários em atraso, que alegadamente o Porto tem nas suas modalidades,não devem ser alheios e este facto.

sábado, 21 de abril de 2012

O pequeno coelho

Onde esteve este Saviola? Por que tocas se escondeu, durante o que já passou desta época? Fez-nos falta este Saviola. Com inteligência, com garra, com nervo. Não fosse a prestação de Nolito hoje e seria o melhor em campo. Esteve ao seu melhor nível e seguramente justificou plenamente a aposta do treinador.
Já devemos ir tarde para o título, mas espero ter este Coelho em 2012/2013, pois a sua categoria e experiência serão peça importante para o nosso sucesso.
Bem vindo de volta El Conejo.

Dignidade

O Benfica cumpriu a sua missão e venceu sem espinhas o Marítimo. Ganhámos por 4-1 mas durante os primeiros 20 minutos da segunda parte sofremos sem qualquer necessidade. O Marítimo demonstrou no Estádio da Luz toda a sua qualidade, levando quase ao desespero os cerca de 40.000 espectadores presentes no estádio. Não fosse o nosso Artur e poderíamos perfeitamente ter saído com um castigo bem pesado este jogo. Pedro Martins é definitivamente um treinador que me agrada e que veria com bons olhos a treinar o Benfica no futuro. Mesmo com a perda de Baba, o seu avançado mais influente, a equipa mantém o seu estilo de jogo, agressivo e agradável.

O Benfica, por seu turno, fez o que lhe competia, e dignificou o clube, entrando para o jogo com a vontade e atitude necessárias em todos os jogos. Demonstrámos hoje, que se calhar, parte das culpas do insucesso são também nossas. Os jogadores foram bravos, lutaram, correram, jogaram bem. Só tenho pena que já venhamos muito tarde. O treinador esteve quase impecável no banco, lendo na perfeição o jogo. Apenas demorou um pouco (5 minutos mais coisa menos coisa) a fazer as substituições, tendo permitido ao Marítimo mais posse de bola que a necessária no inicio da segunda parte.

Nota negativa para o árbitro Bruno Paixão que não soube dirigir o jogo, tendo sido algo tendencioso em favor do Benfica. Na primeira parte foram algumas as faltas por assinalar ao Benfica, tendo mostrado indevidamente o cartão amarelo a Roberto Sousa que o tira do próximo jogo, contra o Porto. Não gostei, pois são arbitragens destas, que condicionam e enervam uma equipa. Tantas e tantas vezes já vi isto contra nós que não posso deixar de o dizer nesta situação.

Das bancadas veio algo que não esperava. Não estive presente (por estar na Bélgica), mas falei com o meu irmão, que me revelou que os NoName não cantaram na primeira parte (na transmissão não tinha o volume suficiente para ouvir o estádio) e que gritaram palavras de ordem na segunda. Insultos ao presidente (finalmente visado) e gritos de "Benfica é nosso" foram bastante ouvidos. Poderá ter marcado um ponto de viragem este dia 21/04/2012, na medida em que o principal visado da ira dos adeptos mudou. Vieira estará seguramente mais pressionado nesta altura, do que estava em situações anteriores.

Viva o Benfica!

A (Des)Informação da Oposição

No site oficial da revista Sábado (do grupo Cofina que tem entre outros o jornal Correio da Manhã e o pasquim Record) de hoje, vem um artigo informativo assinado por Daniel Vidal, onde é relatado que alegadamente, adeptos encarnados escreveram (grafitaram é o termo) palavras de ordem contra o presidente do Benfica nas paredes de alguns edifícios, nas imediações do Estádio da Luz. 
Sendo o grupo Cofina tão lesto a mandar cá para fora noticias bombásticas, admira-me que no site do jornal de desporto não se veja uma linha acerca disto. Curioso, muito curioso. Na verdade olhando para os três sites de jornais desportivos, nem uma linha se encontra até agora, acerca disto. Algo não está bem, quando uma noticia relativa a um clube de futebol (e outros desportos) aparece numa revista (nem é jornal sequer) mas não nos jornais da especialidade. Será que haverá gente a mexer os cordelinhos para tal? É só uma questão que levanto, pois como tão bem relatou um dos últimos comunicados azuis, é "Extraordinário que continue a haver jornalistas mentirosos e sem carácter dispostos a servir interesses que nada têm a ver com a verdade e o rigor. ".

Quanto à acção levada a cabo, parece-me muito bem que tenha sido na madrugada de ontem, para hoje. Não há tempo para mandar pintar as paredes, antes dos adeptos afluírem à Luz para o jogo de hoje. E assim muitos irão ler o que não querem ouvir, ao passo que outros irão ver aqui o empurrão que queriam para levantar a voz.

Podem ver as fotos tiradas ao local, que retirei do site da Sábado. Com o nível de censura que existe hoje por essa internet fora, é sempre bom guardar estes pedaços de informação "para mais tarde recordar"




As frases fortes presentes nas paredes, não são mais que as promessas ocas do actual presidente, proferidas ao longo dos anos. Já só se ilude quem quer.
Relevo particularmente a última, pois sumariza bem o que é este Benfica à imagem de Vieira: Muita bazófia e pouco trabalho.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

A razão do jogo às 17h

O Benfica recebe amanhã o Maritimo na Luz, às 17h. O horário, para quem acompanha com regularidade os jogos do campeonato português, é deveras estranho e invulgar. Jogos envolvendo Benfica, Porto, Sporting ou mesmo o Braga, antes das 19h é coisa extremamente rara no nosso campeonato.

Muitos exultam com o regresso dos jogos à tarde, mas eu sei qual a verdadeira razão para tal. É que o operador que vai transmitir este jogo, transmite em directo o "gigante" Barcelona vs Real Madrid duas horas depois, naquele que é o jogo do ano em Espanha. Mais uma vez, somos vergados aos interesses televisivos (privados). Não temos força para nada. Nisto do horário é muito simples. Só jogamos a horas decentes, caso se conjuguem uma série de factores muito mais importantes que nós...

Pessoalmente, acho que no novo contrato de direitos televisivos a assinar (com quem quer que seja), deveria lá existir uma clausula, que permite-se ao Benfica escolher a hora de inicio de pelo menos um terço (5 ou 6) dos jogos que disputa no seu estádio.

Ter um Benfica vs Porto às 15h de um Domingo qualquer, seria a meu ver, um incentivo enorme à re-popularização de um desporto cada vez menos assistido ao vivo em Portugal. Mas ninguém se interessa por isto, de modo que vou guardar este (e outros) pensamento no baú.


Parabéns Humberto Coelho



Um dos nossos símbolos vivos, faz hoje 62 anos. A 20 de Abril de 1950, nascia Humberto Manuel de Jesus Coelho na Cedofeita (Porto). Chegou ao Benfica ainda jovem no ano de 1966.
A ele os meus sinceros parabéns. Teve um registo, a todos os níveis impressionante, no Glorioso Benfica dos anos 60, 70 e 80. Estreou-se na primeira equipa em 1968 e até 1985 deliciou o terceiro anel da Luz com verdadeiras exibições de gala.
Ao longo dos 18 anos como profissional só em três épocas não equipou de águia ao peito (1975/1976, 1976/1977 no PSG e 1985 na América)
A sua imagem de marca eram as incursões no ataque, causando os desequilíbrios na equipa adversária que o Benfica aproveitava para fazer golos. Acabou a carreira com 113 golos, que demonstram bem a sua enorme qualidade.

Pelo Benfica conquistou apenas "isto":

8 Campeonatos Nacionais (1968/1969; 1970/1971; 1971/1972; 1972/1973; 1974/1975; 1980/1981; 1982/1983; 1983/1984)
6 Taças de Portugal (1968/1969; 1969/1970; 1971/1972; 1979/1980; 1980/1981; 1982/1983)
1 Supertaça de Portugal (1980/1981)

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Quo Vadis, Benfica?

Cada vez mais me vou convencendo que a actual direcção apoderou-se do clube como nenhuma outra alguma vez fez. Depois do sofrido triunfo ante o Gil Vicente por 2-1, que presenciei "in loco" em Coimbra, fui espectador de uma cena patética no Estádio da Luz, por volta das 2h20 da manhã quando o autocarro que transportava a equipa chegou à garagem do Estádio. Cerca de 30 a 40 adeptos do Benfica, presumidamente ligados aos No Name Boys, estavam à espera para contestar os últimos resultados da equipa e concretamente os jogadores, treinador e presidente. Mas eis que o Benfica moderno mostrou uma das suas habituais facetas: 3 carrinhas da polícia de intervenção, mais spotters, mais PSP, impediam os próprios adeptos do Benfica, os mais leais, de trocar palavras com os elementos responsáveis pelo insucesso este ano. E por tentarem, de imeadiato foram classificados de "traidores" pela meia dúzia de adeptos que lá estavam e que sem dúvida estão contentes com o estado do clube. E isso é o reflexo deste Benfica que cada vez menos é uma democracia e cada vez é mais como a direcção o quer. Os sócios têm cada vez menos influência no futuro e no sucesso do clube (pelo menos os que têm visões contrárias às da direcção actual).



Espero ardentemente que LFV não volte a concorrer sozinho ou contra uma marionete, porque se há coisa que este Benfica precisa, é de pluralidade. Mesmo que os que dirijam o clube não o queiram.

Tiago S. (Saviolafication)

O estado a que chegámos

É deprimente ver o estado a que este Benfica chegou. Sócios e adeptos de candeias às avessas uns com os outros, a insultar, ameaçar, censurar, gozar, etc, apenas e só porque não "podem" com as opiniões contrárias. 
Como benfiquista, sinto-me impotente ao ver no que se tornou este Benfica. Estamos visivelmente separados em duas facções, com linhas na areia bem traçadas e delineadas. E se não estás comigo a 100% então estás contra mim a 100%. Mesmo quando muitos pontos são comuns aos dois lados da "barricada".

São inúmeros os insultos a presidente, dirigentes, treinador, equipa técnica, jogadores e adeptos que vou lendo por essa Internet fora, por esses noticiários e por essa imprensa desportiva (e não só).
São inúmeros também, os rótulos colocados a quem apoia ou está contra a actual direcção. Desde vieiristas, carneiros, yesman, maralha, seguidistas, etc a quem apoia, passando por veiguistas, paraquedistas, abutres, garotos, brigada, cães de fila, etc a quem discorda, terminando no mais nojento infiltrado ou anti-benfiquista usado enquanto se degladiam nas palavras e nos actos contra quem apenas tem uma opinião diferente.
Existem muitas pessoas mal formadas que se dizem adeptos do Benfica. O mal não está no Benfica ou no ser benfiquista. O mal está na própria falta de civismo desses indivíduos, que não toleram ninguém com visões contrárias às suas.

Deixar aqui o caso do "Benficabook", que é só o exemplo de como o benfiquismo é apenas uma fachada para se descarregarem frustrações e mal formação próprias. Mas há mais, muito mais casos disto, o que é triste, pois não somos todos Benfiquistas? Às vezes parece que não, tal o fanatismo e ódio que muitos empregam na defesa de um ideal que nunca o justificará.

Temos todos de trabalhar mais e melhor para fazer regressar o saudoso Glorioso, que atemorizava em Portugal e no estrangeiro e que entrava em quase todos os jogos já a ganhar.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Obrigado WebMaster do Site oficial do Sport Lisboa e Benfica

No dia 22 de Março de 2012, escrevi aqui (Como Modificar a História...) como se passava a mensagem que o estádio tinha sido a prioridade no primeiro mandato de Vieira. Alertei de imediato o site oficial do clube, para a mentira óbvia que era escrever "A construção do novo Estádio da Luz surgiu como prioridade no seu primeiro mandato" num órgão oficial de comunicação do clube. Não somos nem queremos ser mentirosos, substituindo dados históricos, por fantasias orquestradas por quem governa. Isso é para os lá de cima.

Verifico hoje com bastante agrado, que tal mentira já não se encontra no site oficial.
É por isso com o mesmo agrado que agradeço a quem de direito, a reposição da verdade.

Obrigado!

A propaganda de Vieira


Peço desculpa ao user Aka, do Fórum SerBenfiquista, mas vou ter de tirar um pouco de inspiração de um comentário dele no referido fórum. Sintetiza, a meu ver, o que a maioria dos Benfiquistas pensa acerca de Vieira. Podem ler o post original aqui (Aka - 16/4/2012 02:01h)


  • Ponto 1

Antes de Vieira, os presidentes do Benfica aproveitavam-se do Clube.
José Rosa Rodrigues
Felix Bermudes
Joaquim Ferreira Bogalho
Maurício Vieira de Brito
Duarte António Borges Coutinho


  • Ponto 2

Antes de Vieira, o Benfica ganhava pouco.

Campeonatos Nacionais de Futebol

Taça Latina e as duas Taças dos Campeões

Bento levanta mais uma Taça

John Mortimore levado em ombros após mais uma conquista.


Michel Preud'Homme e João Pinto celebram a conquista da taça de Portugal

  • Ponto 3
Antes de Vieira, o Benfica só tinha as pedras da calçada. Não tínhamos Estádio nem sitio para treinar.
Sede na Rua do Regedor
Sede na Rua do Regedor (recente)

Complexo desportivo da Luz (vista aérea)

Campo de treino nº 3

Vista aérea do Antigo Estádio da Luz



  • Ponto 4
Antes de Vieira, o Benfica tinha de pedir a ajuda dos Sócios e simpatizantes em Operações Coração
Praça Dos Heróis - Maquete
Praça Dos Heróis - Pedra

Escultura de homenagem aos vencedores da Taça dos Campeões


Compreendo e aceito que o presidente actual encontrou uma situação difícil ao chegar ao clube.
Compreendo e aceito que ninguém é perfeito e que erros são cometidos.
Compreendo e aceito que o Benfica é por vezes demasiado grande e pesado para os ombros de um único homem.

Não compreendo e não aceito que se faça tábua rasa das história gloriosa deste clube para não beliscar a imagem "positiva" que se tem do nosso presidente.
Não compreendo e não aceito que se minta descaradamente em nome de "estabilidade e coesão".
Não compreendo e não aceito que os interesses de um individuo (mesmo que seja presidente) se sobreponham aos superiores interesses do clube.



segunda-feira, 16 de abril de 2012

O Natal é quando o Natale quiser

Antonio Di Natale


Simplesmente fabulosa a atitude de Antonio Di Natale, avançado da Udinese. São homens destes que fazem falta ao futebol e ao desporto. Ao ver a trágica morte de Morosini, um companheiro de profissão, deixando uma irmã que apenas o tinha a ele como suporte e padecendo de uma enfermidade grave, Di Natale assumiu prontamente a responsabilidade de cuidar e proteger a referida irmã. Sem demoras ou hesitações, é admirável, que, neste mundo cada vez mais negro para quase todos, Di Natale se junte àqueles que nos trazem luz e esperança num mundo melhor, ao mostrar tanta compaixão e tanta vontade de ajudar alguém que infelizmente se viu sem a promessa de um futuro melhor. Mais houvessem digo eu, mais houvessem e vivia-se em Paz.

Revolta-me profundamente saber que estes actos beneméritos, são infinitamente em menor número que as trafulhices, a corrupção, o ódio, as jogadas baixas, etc, que grassam no Desporto Mundial. Porque este acto (e outros), não vai passar de uma nota de rodapé, facilmente esquecida após mais uma polémica semanal... 


Meio a sério, meio a brincar, eu sei que ele já tem uma certa idade, mas não dava para o ir buscar? é que para além do carácter mostrado é um excelente jogador.que merece títulos e prestigio internacional. Acho que se ia dar bem por cá.

PS: bem sei que isto não se relaciona directamente com o Benfica, mas estes valores são À Benfica!

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

Uma semana estimulante e praticamente irrepreensível para as modalidades do Sport Lisboa e Benfica!


Na passada quarta-feira, o Andebol foi derrotado pelo Porto por 24-22, no Dragão Caixa, em jogo a contar para a 4.ª jornada da Fase Final do Campeonato Nacional. A confirmação do título perdido. O jogo ficou marcado por uma primeira parte equilibrada, finda a qual o Benfica vencia por 10-11. Diferentemente, na segunda parte, o Benfica apresentou-se desconcentrado, trapalhão e com falta de mentalidade vencedora – o que vem sendo hábito nesta secção, em certos momentos decisivos dos jogos –, o que se traduziu em mais uma derrota perante o mais que provável futuro campeão.

Em contraste com este desaire, no sábado, o Andebol benfiquista obteve uma boa vitória por 38-25, frente à formação do Madeira SAD, no Pavilhão da Luz, numa parte inserida na 5.ª jornada da Fase Final do Campeonato Nacional. Assistimos a um encontro completamente dominado pelos encarnados, digno de destaque pelo facto de, após três derrotas frente a este adversário, o Benfica conseguir alcançar um triunfo. Contudo, importa não olvidar que foi em encontros com opositores desta dimensão que se perdeu o campeonato.


Obrigação cumprida pelo Basquetebol do Benfica. Neste fim-de-semana conseguimos duas vitórias, frente à Académica de Coimbra, no Pavilhão da Luz, em jogos relativos aos quartos-de-final do playoff. No jogo 1, o Benfica venceu por 81-58. Apesar do início de partida mal jogado de ambas as partes, o Benfica, a partir do segundo período, colocou em prática toda a qualidade das suas individualidades, com destaque para Ted Scott e os seus 26 pontos, o que naturalmente acabou por garantir uma vitória tranquila por 23 pontos de diferença. Por seu turno, no jogo 2, manteve-se a indefinição do resultado até ao final do 3.º período, sendo que, apenas no 4.º período, a eficácia ofensiva do Benfica aumentou, culminando assim no 2-0 nesta série dos playoff.

De notar a boa agressividade defensiva por parte da nossa equipa nos dois jogos.


Mais uma vitória do Futsal encarnado, desta vez por 3-1, contra o SL Olivais, decorrido no Pavilhão da Luz, em jogo a contar para a 25.ª jornada da Fase Regular do Campeonato Nacional. Perante uma equipa “chata” e experiente, os comandados de Paulo Fernandes iniciaram mal a partida, tendo sofrido o 0-1 ainda numa fase embrionária da partida. Todavia, com golos de César Paulo e Bruno Coelho, o Benfica chegou ao intervalo a vencer por 2-1. Nos segundos vinte minutos, o 3.º golo benfiquista, da autoria de César Paulo, rubricou mais um triunfo encarnado. Apesar da exibição menos conseguida, foi o q.b. para a manutenção do primeiro lugar na fase regular.


No Voleibol tivemos um fim-de-semana de jornada dupla que, à semelhança de tantos outros, foi completamente vitorioso para José Jardim e os seus pupilos. No sábado arrancamos uma vitória difícil no reduto do Vitória de Guimarães, por 3-2 (29-27; 21-25; 25-19; 21-25; 6-15), a contar para a sexta jornada do Campeonato Nacional. Jogo marcado por algumas desconcentrações por parte dos nossos jogadores, ainda assim superadas com uma magnífica reviravolta de 2-1 para 2-3. Já no domingo, nova vitória por 3-1 frente à Fonte Bastardo por 3-1 (25-22; 23-25; 25-18; 25-22). No cômputo geral, e apesar da rotação merecida, face à qualidade e diversidade do plantel, desencadeada pelo treinador, foi uma vitória incontestável do conjunto benfiquista.

Deste modo ficou assegurado o 1.º lugar na segunda fase e a “vantagem casa” para o playoff do título.


Por fim, o Hóquei em Patins conquistou o passaporte para a Final a 8 da Liga Europeia, após uma excelente vitória por 5-1 frente ao VIC, no Pavilhão da Luz. Em virtude da importância do jogo, as equipas entraram receosas uma da outra e, em consequência disso, chegaram empatadas a zero ao intervalo. No início da segunda parte, o VIC colocou-se em vantagem por 0-1. De imediato, o Benfica respondeu, operando a reviravolta no marcador, que culminou num brilhante 5-1 final. Destaque para Sérgio Silva que, com os seus dois golos, foi decisivo neste jogo.


SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!

(Mais uma) Diferença

Enquanto por cá se "inventam" comunicados completamente estapafúrdios para branquear certos comportamentos de adeptos em estádios de futebol, em Inglaterra fazem-se comunicados destes...

É apenas mais uma diferença entre o futeluso e uma liga em condições...

domingo, 15 de abril de 2012

Ganhámos

O Benfica bateu o Gil Vicente por 2-1 e conquistou a sua quarta Taça da Liga consecutiva. Se ao menos fossemos tão prolificos a ganhar campeonatos...

O jogo foi morno, até porque o Gil entrou numa toada muito mais defensiva que o habitual, e assim continuou até final. Fomos uns justos vencedores porque fizemos mais que o suficiente para vencer o jogo. Alguns equívocos do treinador novamente e poderíamos ter saído de Coimbra sem a vitória. Correu bem.

A minha nota de destaque vai no entanto para o final do jogo e já fora do estádio. Dois adeptos encarnados puseram o dedo na ferida, como podem ver no vídeo abaixo.


Ao contrário do ano passado estes adeptos estão à altura do Benfica glorioso. Relevo particularmente a frase final e acrescento o seguinte:
Em 11 épocas de liderança de Vieira o principal rival tem mais títulos europeus que nós campeonatos.

ADENDA:
Ao que parece (ver aqui), um dos adeptos que falou, é adepto do Porto, embora nem sequer a "acusação" defina qual deles é. É degradante lançarem-se estas "noticias" com base no diz que disse. O efeito que as palavras tiveram, será certamente amenizado com mais este "rumor".

sábado, 14 de abril de 2012

O fracasso de Vieira - 2


A rubrica de hoje de "O fracasso de Vieira", foca-se nos apoios indevidos na Federação Portuguesa de Futebol. Considerando quem se encontra em cargos de poder na Federação, desde que Vieira é presidente (2003), e que o mesmo Vieira foi um dos principais impulsionadores do processo Apito Dourado (através de palavras), é deveras estranho verificar a cadeia de apoios que foi dando ao longo destes anos, a quem manifestamente não os podia ter.

O tempo de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica já vai longo. São 2 anos de Director Desportivo do Futebol (2001-2003) mais 8 (9) anos de presidente (2003-2012). Ao longo deste tempo, foram muitas as dificuldades que teve de superar, mas não tantas como as que nunca se cansou de repetir. Foram ainda mais (muitos mais) os erros que se cometeram, alguns dos quais com graves repercussões nos destinos do clube.

Em segundo lugar: Apoios indevidos na Federação Portuguesa de Futebol

Este, quase podia ser uma cópia do texto que escrevi para o ponto 4 desta lista. Na realidade o problema é basicamente o mesmo, mas com um detalhe muito importante, que torna estes sucessivos apoios ainda mais penalizadores para o clube. Qualquer decisão "importante" tomada pela Liga de Clubes é passível de recurso para a Federação. Além de que, é a Federação que nos representa nas instâncias europeias.

Quando Luis Filipe Vieira chegou à presidência do clube, era Gilberto Madail o presidente da Federação. Todos devem saber o percurso extremamente sinuoso, que pautou a sua presidência à frente do órgão federativo. Desde a sua entrada em 1996, os casos federativos foram mais que muitos, podendo eu citar, os casos de 2002 no mundial do Oriente e 2008 no Europeu, a vergonhosa atitude do "representante" federativo na UEFA aquando do processo ao FC Porto (em que o mesmo mentiu descaradamente sem que ninguém lho apontasse). Durante a regência deste individuo o Benfica foi sempre marginalizado tanto em decisões como em tratamento desigual. No entanto, e para espanto de muitos, nunca nos insurgimos contra isso. Aliás, era frequente o presidente Luis Filipe Vieira e o presidente Gilberto Madail andarem juntos e estarem de acordo em muitos e variados temas. Acho que quase todos os benfiquistas tinham a visão correcta de quem foi Gilberto Madail: um banana mais preocupado em manter o lugar e o tacho do que em resolver quaisquer problemas do futebol. A sua subserviência aos poderes instalados neste mesmo futebol levaram muitas vezes a decisões inacreditáveis.
Não contente com isto, ainda se dá ao luxo de apoiar o Fernando Gomes que assim que viu o poder sair da Liga meteu mãos à obra. E com Fernando Gomes, vieram mais uns quantos desses indivíduos que só querem manter o "status quo". Para já e em apenas 4 meses de mandato, já começámos a sentir na pele os efeitos de tão declarado apoio.

Qual o impacto para o Benfica? Como já adiantei em cima, é mais do mesmo, com a agravante de que na Federação, as decisões se revestem de carácter decisivo. O Benfica, pela voz do seu presidente, ao mostrar apoio a quem não deve, está na práctica a validar tudo o que esses indivíduos possam fazer. Os "choros" que se façam após o leite derramado, são tão inúteis como desmoralizados.

Tal como na questão dos apoios para a Liga, aqui a solução é simples. Não apoiar pessoas de mau carácter para cargos de decisão. Veja-se o que o individuo Herculano Lima fez em relação a Aimar.

Já é tempo do Benfica se libertar destes autênticos sanguessugas do futebol português. E quando digo libertar, é não só não apoiar, como denunciar. Vivemos numa republica das bananas mas escusamos de pactuar com ela.

Índice:
Em décimo lugar: Mistura de Amizades pessoais com a Defesa do clube
Em nono lugar: Delapidação dos Valores do Clube
Em oitavo lugar: Introdução de Corpos estranhos ao Clube
Em sétimo lugar: O Sebastianismo
Em sexto lugar: O Descontrolo Financeiro
Em quinto lugar: A Instabilidade Governativa
Em quarto lugar: Apoios indevidos na Liga Portuguesa de Futebol Profissional
Em terceiro lugar: O Entreposto de jogadores

A Taça habitual ou o tetra da treta

Sou sincero. A vontade de assistir a este jogo não é muita. As desilusões a que fui assistindo no último mês e meio atingiram muito a minha confiança neste Benfica. E após ter estado presente em Coimbra para assistir à mesma final na época passada, só posso pedir que as mesmas situações, não se passem na edição deste ano caso o Benfica vença o Gil Vicente..
Ver adeptos em festa desmedida, e literalmente, a gozar com os adeptos do Paços de Ferreira, não foi bom. Especialmente após a vergonhosa eliminação da Taça de Portugal. Ver t-shirts alusivas à terceira vitória consecutiva, serem elevadas quase a 8ª maravilha do universo encarnado e a glorificação obtusa que foi feita nos canais oficiais do clube, deixou-me à beira de um ataque de nervos. Aquilo não é (nem pode ser) o Benfica.
Para o jogo deste ano espero que o Benfica ganhe, apresentando um bom futebol se possível. O Gil deve ajudar a isso e quem sabe beneficiar também.
Espero que os adeptos sejam Benfica, que puxem pela equipa lá dentro, mas também, que façam ver a dirigentes, equipa técnica e jogadores, que isto não é de modo algum um lavar de face. Esta taça da liga é a 4ª competição portuguesa. Há-de chegar o dia em que não o será, mas até lá deve ser encarada como tal. 
O tetra na 4ª competição oficial, não terá o mesmo significado que o primeiro titulo alcançado na mesma. Se bem se lembram, o Benfica vinha de quase 4 anos sem vencer nada, pelo que essa vitória serviu como que um relembrar, de como sabia o gosto de vitória. Este ano e após mais uma época em que se prometeu muito, a vitória nesta taça serve pouco mais que uma má consolação. Prioridades...

Acreditem que gostava imenso de estar mais contente ou alegre com esta presença na final e possível conquista. Acontece que o que se passou (ou melhor, que não se passou) na passada Segunda-feira ainda dói cá dentro.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Desbocados

A critica pela critica nunca é boa. Mesmo que aponte verdadeiros problemas, se o que estiver por trás, for apenas e só sede de protagonismo, mais cedo ou mais tarde, deixará de se ouvir a mensagem e passar-se-á a ouvir o mensageiro.
António Figueiredo, Gaspar Ramos e José Veiga, deram entrevistas/fizeram declarações em profunda ruptura com o que é hoje o Benfica. Um desancou o presidente de alto a baixo, outro fez o mesmo ao treinador, enquanto que o que mais percebe disto referiu que a continuidade do treinador não é a melhor solução.

Não sei se os três foram contactados ou se se fizeram contactar para estas entrevistas. O timing das mesmas é oportuno (ao contrário do que diz muita gente), mas a qualidade das várias intervenções foi na globalidade fraca. Muito ataque pessoal e pouca critica responsável. Apenas Gaspar Ramos apresentou uma critica, bastante pertinente, ao planeamento da componente física ao longo da época, afirmando que o Benfica não pode aguentar uma época inteira a jogar da forma que joga, sempre em pressão constante. Acho que já todos, mais ou menos, percebemos isso, mas dito da forma que foi, até parece simples. 

Rui Costa deu uma entrevista a um jornal italiano, atirando uma série de atoardas para o ar. Após o que foi o jogo de Segunda-feira, pedia-se mais contenção nesta matéria de entrevistas. Já percebi que Rui Costa não se importa de ser um peão no xadrez de Vieira, mas escusava de o mostrar com tanta tranquilidade. Dizer que o Witsel já está pronto para um clube de topo e que o prestigio europeu do Villas Boas não saiu afectado pelo desempenho em Inglaterra é demasiado mau para um suposto dirigente do Benfica.

Cambada de desbocados é o que são!

O que fazer a Jesus?


Após a derrota de Segunda-feira, muitas são as interrogações à volta do futuro de Jorge Jesus à frente do Benfica. Fica ou sai?
  • Já vi muitos benfiquistas defenderem a saida como inevitável. O ciclo do treinador está esgotado e não não conseguem ver como regressaremos aos sucessos com ele ao leme da nau.
  • Já vi muitos benfiquistas defenderem o oposto e darem um segundo voto de confiança a Jesus. Trouxe-nos de volta aos grandes palcos europeus e mostrou em todas as épocas futebol de grande qualidade a espaços. Dizem que é o homem certo para a tarefa e que a mudar de treinador não poderá ser um de semelhante valia, mas muito melhor. O chamado consagrado.

Pessoalmente sou da opinião que Jesus só deve ficar perante um cenário. Independentemente do que se ganhe esta temporada (ou não), na próxima temporada o treinador terá obrigatoriamente de ver os seus poderes diminuidos. Não pode continuar a ser o "ditador" que é hoje. Terá de haver alguém acima dele com a responsabilidade final em matéria de contratações, dispensas, etc. Terá de ser alguém que perceba de futebol e que meta os travões no treinador na devida altura. Dando um exemplo muito simples disto. 
No primeiro ano de Jesus à frente do Benfica, quando confrontado com a escolha entre duas competições, o Campeonato e a Liga Europa, Jesus optou - e bem - pelo Campeonato. Caso tivesse perseguido a competição europeia, provavelmente não teria ganho nada. Já em 2010/2011 e 2011/2012 a escolha recaiu... em ambas as competições. Com os resultados que se conhecem.
Já este ano, acho inadmissível que após ter perdido 8 pontos em 3 jogos passando de uma vantagem de 5 pontos para uma desvantagem de 3 pontos (que eram 4), se tenha continuado a apostar forte na competição europeia. As mudanças de calendário efectuadas para acomodar os jogos com o Chelsea são a face visivel que não existiu uma opção definida e que se fosse necessário, o campeonato seria sacrificado. Atacaram-se ambas as competições, apesar de ser visível o declinio fisico e emocional da equipa a partir do jogo na Rússia. Nada se pode fazer perante as "teimosias" do treinador, pois no final do dia é ele que decide quem joga em cada jogo. Apenas tem de haver alguém que controle tudo o que é extra treino e jogo, pois está mais que comprovado que Jesus não pode ser esse alguém. Até certo ponto, Jesus foi tudo no Benfica (um pouco à semelhança do que foi Paulo Bento no Sporting)
Outro pormenor que acabou por se tornar em pormaior, foi o mercado de Inverno. Sairam Perez e Amorim, um em conflito com o clube e o outro em conflito com o treinador. Até aqui nada de errado, pois estas situações são bastante frequentes no futebol e a única falha que aponto na resolução foi o empréstimo de Amorim ao Braga. O problema aparece, quando não se colmataram devidamente estas saídas. Recordo que o Benfica tem sob contrato os jogadores Nuno Coelho, Airton, Wass, Carlos Martins e Filipe Bastos. Qualquer um destes (mal ou bem) poderia ser uma alternativa a Amorim no centro do terreno, permitindo mais rotações nos diversos jogos, nessa zona do campo, onde aliás se nota mais o cansaço acumulado. Face ao excelente campeonato que Nuno Coelho estava a fazer no Beira-Mar, às boas prestações de Filipe Bastos no Vasco da Gama, ou de Wass no Evian, não teria sido de bom tom chamar de volta algum (ou alguns) deles para reforçar o meio campo? A única contratação que fizémos foi Yannick que para mim é um extremo razoável e poderia ser adaptado a lateral direito com o tempo necessário para criar conhecimento do lugar. Para o centro do terreno não fomos buscar ninguém e como se tivesse sido uma partida feita de propósito, Javi Garcia lesionou-se pouco tempo depois. Coincidiu o nosso periodo mais negro da época com essa lesão, à qual o treinador não respondeu da melhor forma.

O constante e permanente auto-elogio que Jesus faz a si próprio é outra das coisas que tem de acabar. Não é admissível que a responsabilidade nas derrotas nunca (ou raramente) seja dele (à semelhança do que acontece com o presidente), mas quando há vitórias ele seja o primeiro a glorificar-se. Passa também por aqui o insucesso: muita bazófia, quando se pede mais trabalho e menos palavreado.

Até que ponto conviviria Jorge Jesus com alguém que lhe apertasse os calos? Não sei bem, mas como homem de futebol muito experiente que é, parece-me que, embora contrariado, veria os méritos disso.

Caso na próxima época não haja alguém assim (e não é o Carraça ou o professor Manuel Sérgio), então a continuidade de Jesus só conduzirá a mais do mesmo.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Viagem a Londres - II

Continuando a epopeia que foi ir a Londres sozinho.

13h: Chegada ao Yates local para um almoço e uma tarde de copos já em estágio. Chegámos lá e aquilo não tinha Luz. Como resultado tivémos que ir ao lado. A tarde passou-se bem e até tivémos um visitante do Crystal Palace. tempo para umas cervejas à moda londrina e para ver umas "camones" a fazerem inveja a muito macho desse Portugal...

17:30h: Saida do bar ao lado do Yates (nem nome merece). Rumo ao estádio para ver se ainda bebemos umas pelo caminho. Alguns perdem-se a meio à procura de bar abertos a benfiquistas. Junto ao estádio ninguém dos visitantes bebe.

19h: Entrada no estádio após revista minuciosa, e primeiras cantorias pré-jogo. Os adeptos adversários já mostram ao que vêm e sentam-se calados nos seus lugares. A malta acredita e puxa pelo glorioso. Duas horas de um hino ao bem apoiar. Mesmo com as contrariedades, a lutar contra mais adversários que os permitidos pelas regras, com o nosso público por trás a equipa transcende-se e joga ao ataque em parada e resposta. Sofremos um penalty justo mas que se fosse ao contrário não seria marcado, tivémos um jogador expulso em condições idênticas (como aliás se comprovou ao longo de todo o jogo) e por diversas vezes poderiamos ter sido arrumados pelo Chelsea. Chamou-se pelo Platini naquela altura. Perante os adeptos atónitos dos blues, a massa encarnada não desarma perante todas estas adversidades. Ainda se ouvem mais alto. O segundo do Chelsea não aconteceu nesta altura e o Benfica lutou até ao limite das suas forças, para sair de Londres com melhor resultado. Veio o golo do empate já merecido. E durante 5 minutos acreditamos todos que o milagre porque ansiámos está aí ao virar da esquina. A bola chega aos pés do Nélson e por instantes estamos lá, nas meias finais. Mas não é real. Os adeptos ainda puxam mais insistentemente no livre do Aimar, mas no contra-ataque o porco raul (não tem outro nome depois do que fez tanto em Lisboa como em Londres) mata a eliminatória com um pontapé fulminante. Acaba o jogo e a sensação é mista. Orgulho e revolta.

22h: Saida de Stamford Bridge e paragem já fora do estádio, pois um dos nossos "perdeu-se" ou perdeu-nos a nós. Temos tempo para ouvir provocações blues, mas a maioria dos adeptos são simpáticos, trocando cachecóis, dando bilhetes ou bandeiras. Umas das provocações versava sobre o silêncio encarnado fora do estádio, quando lá dentro se cantava. A resposta sai pronta: "Lá dentro onde conta estiveram muito caladinhos vocês".

22:30h: Despedidas dos meus companheiros de jogo, pois ali na zona não deixam entrar benfiquistas para uma pint. Sendo assim e porque tenho de sair pelo menos às 24h sigo directo para o carro rumo a Dover. Tive pena por não poder ficar mais tempo com eles mas a viagem é relâmpago.

00:30h: Chegada sem sobressaltos a Dover para embarcar no Ferry. Tenho de esperar até às 02:20h para embarcar por isso aproveito para dormitar e recuperar algumas forças para o que resta da viagem. Mais uma vez os Ferries são fenomenais e à hora marcada lá entro para uma viagem de hora e meia onde dormito mais um pouco. O Benfica assalta-me todos os pensamentos e por momentos nem sei se estou a sonhar ou acordado, pois ia jurar que já tinha marcado viagem para Barcelona. E para Munique.

05:20h: Partida de Calais para a etapa final nesta viagem. O Red Bull que trouxe de reserva é engolido nos primeiros 5 minutos. O Polo roda a 160 km/h em França e a 150 km/h já na Bélgica, para me manter alerta. A 120 km/h a estabilidade do carro é tanta que as curvas nos embalam. O cd do rádio é trocado para mudar do rock tuga para o electrónico francês. Ainda cantarolo umas estrofes do hino.

08:00h: Chegada ao destino final, de onde parti mais de 24 horas antes. Está decidido que hoje não vou ao escritório e trabalho daqui mesmo. Ainda tenho uma horita para descansar, antes de um dia extenuante. Apesar de tudo estou feliz. Revi amigos gloriosos e vi o Benfica mostrar que ainda é grande na Europa.

PS: Nem me apetecia escrever isto, mas por respeito a quem me lê (os poucos que aguentam) faz-se o esforço.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Adeus... com mais de um sentido!

E assim acaba a questão do título...

Como já pressentia, houve Benfica a menos para Sporting a mais. Menos clarividência para mais critério. Menos engenho para mais empenho. Menos força para mais garra.

Mas a culpa não foi dos jogadores. Esses deram tudo o que tinham. Tudo o que podiam dar e se calhar um bocadinho mais. Também não achei que a culpa do resultado de hoje estivesse no banco de suplentes, na equipa técnica, enfim, no treinador. Tentou, arriscou, mas não ganhou... acontece. Hoje o Sporting foi simplesmente melhor que o Benfica em quase tudo.

Sonhou-se alto na "Champions" (e com a devida razão, acrescente-se) mas não se precaveu essa situação no mercado de Inverno...

Por mais que o futebol seja nos dias de hoje um desporto altamente profissionalizado, não existem máquinas. Witsell bem tentou, mas as pernas não deram para mais. Maxi acreditou até ao fim, mas a clarividência não foi o seu forte no jogo de hoje. Luisão puxou sempre pelos companheiros mas o corpo de muitos deles já não acompanhava o que a mente lhes dizia para fazerem. Artur salvou uma mão cheia de golos, e manteve a esperança acesa até ao fim.

Não posso por isso apontar o dedo a ninguém hoje. Estou triste. Sim, como qualquer benfiquista que, com 5 pontos de avanço sobre o segundo classificado já se via a festejar no Marquês. Mas depois do que vi hoje em campo, não consigo ficar desapontado com nenhum dos jogadores. Deram tudo por tudo. Não foram felizes...

O jogo, esse, pareceu-me uma réplica quase perfeita do jogo da primeira volta, com os papéis invertidos. Sporting bem fechado, muito organizado e com grande facilidade na troca de bola (ainda mais depois de se apanhar em vantagem). Sá Pinto incutiu muita vontade e querer nos seus jogadores e acho que a maior vitória hoje vai para ele. É merecida.

Do árbitro (e da respectiva arbitragem), não falo. Apenas digo isto:

Um amigo meu (sportinguista mas não lagarto), apostou comigo na 5ª feira que o árbitro do jogo de hoje seria Duarte Gomes. Eu apostei em Jorge Sousa, com a clara sensação que Soares Dias tinha arbitrado o Sporting há pouco tempo e estaria, por isso, impedido de o fazer neste jogo. Perdemos os dois a aposta mas confidenciou-me que "fontes" que tem no universo sportinguista (bem colocadas segundo ele) lhe confirmaram que a nomeação original teria sido mesmo Duarte Gomes, sendo a alteração para Soares Dias o resultado da interferência (e influência) de um clube que não jogava hoje.

Honestamente, até me ri quando ouvi aquilo. É completamente incompreensível para mim uma situação destas ocorrer a este nível... com tudo o que está em jogo, quer de um lado quer de outro. Mesmo sabendo quem se encontra do outro lado, e de tudo o que já fez, comprovadamente!!!

Mas, ao primeiro, repito, PRIMEIRO!!! minuto do jogo de hoje, percebi porque é que as nomeações passaram a ser "secretas"... ou melhor, só divulgadas a alguns.

E lembrei-me da confidência que ouvi de manhã, da qual tolamente me ri... 30 anos disto e ainda me consigo convencer que temos as mesmas hipóteses dos outros, que jogamos com as mesmas armas, com as mesmas defesas, em igualdade de circunstâncias... e rio-me das teorias das conspiração. O que vai acontecendo época atrás de época mostra que a uns, ajudam quando estão em baixo, a outros, afundam ainda mais em períodos negros da temporada.

Por isso, tendo até já algum apreço anterior pela ideia, passei a ser a partir de hoje um fervoroso adepto da opção de mudança de campeonato por parte da equipa de futebol profissional do Sport Lisboa e Benfica, nem que seja para disputar o título... na China!

Em Portugal, desta maneira, é que não podemos continuar!!!

"O" jogo

Hoje há dérbi lisboeta que o Benfica necessita indispensavelmente de vencer, se quer continuar a sonhar com o título. A vitória do Porto em Braga, com alguns acontecimentos estranhos à mistura, fez com que muitos adeptos estejam desmotivados para aquele que é o clássico dos clássicos do futebol português.

Hoje espero um Benfica com a mesma atitude que teve em Stamford Bridge, que dê o litro independentemente dos jogadores impedidos de entrar em campo (seja por lesão ou por castigo) ou de eventuais decisões erradas da equipa de arbitragem, a qual irá permanecer uma incógnita até pouco antes do início da partida.

O Sporting apresenta-se motivado pelo bom momento que Sá Pinto conseguiu trazer consigo, mais especificamente devido ao apuramento para as meias finais da Liga Europa, e como tal deverá fazer um bom jogo, ainda para mais jogando contra o eterno rival sem dúvida que vão querer deixar uma boa imagem. O Benfica terá de ser alheio a isto tudo e fazer o seu trabalho, tudo passa pela vitória.

Os convocados do Benfica são:

Guarda-redes: Artur Moraes e Eduardo;
Defesas: Maxi Pereira, Luisão, Garay, Jardel, Emerson e Capdevila;
Médios: André Almeida, Matic, Javi García, Witsel, Bruno César, Nolito, Gaitán, Rúben Pinto e Yannick Djaló;
Avançados: Cardozo, Rodrigo Moreno e Nélson Oliveira.

Os 3 centrais estão convocados (Miguel Vitor está de fora até final da temporada), pelo que tenho esperanças que pelo menos 1 jogue, não me parece que Jesus fosse desperdiçar uma vaga no banco de suplentes apenas por bluff, estou certo que pelo menos um os centrais terá condições mínimas para jogar. A equipa que me parece mais adequada é:

Artur,Maxi Pereira,Luisão (?),Garay(?), Capdevilla,Javi Garcia,Matic,Witsel,Gaitán/Nolito,Bruno César e Óscar Cardozo.

Tudo vai depender da dupla de centrais que Jesus apresentar, poderá ser necessário a presença de Javi Garcia ou até de Emerson no miolo da defesa, e isso obviamente irá influenciar o restante onze. Yannick Djaló também está à espreita de um lugar no 11 titular, ele que se apresentou em Stamford Bridge em muito boa forma e com fome de golo, poderá ter uma palavra a dizer no jogo de hoje contra a sua ex-equipa.

Quanto a mim, lá estarei a apoiar, desde o Estádio da Luz, pela 2ª circular, até Alvalade, pois é nos momentos mais difíceis que a equipa precisa de apoio, e não quando se está na frente e é tudo mais fácil.

Sejam BENFICA hoje!

Tiago S.(Saviolafication)