origem

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A influência dos árbitros

Recebi no email do blog, um trabalho muito interessante do leitor Pedro Pires, que fez uma pesquisa acerca da real influência das decisões arbitrais, nos jogos dos 4 maiores clubes, nos últimos 4 campeonatos nacionais.
É um trabalho que deu muito trabalho, e que agradeço ao Pedro.
Adenda: O estudo completo seria muito extenso para colocar aqui, pelo que apresento apenas os dados globais de todos os clubes. Possivelmente irei colocar artigos para cada um dos clubes com mais curiosidades.

Nesta análise, não são distinguidas boas ou más decisões, apenas são quantificadas as decisões e a sua real influência objectiva no desfecho dos jogos. Para tal, há dois pontos de análise que podem ser quantificados:
  1. As grandes penalidades que alteram o resultado.
  2. As expulsões.
Deste modo, apenas este tipo de decisões foram contabilizadas, para a contabilidade final. Os resultados em 4 anos de pesquisa não deixam margem para dúvidas.


Podem ver na imagem em cima uma série de estatísticas das quais relevo as seguintes:
  1. O Porto é a equipa que tem melhor saldo de pontos ganhos após decisões desta natureza, com 30 pontos ganhos. São 10 vitórias. O Benfica está no outro espectro, com um saldo a zeros.
  2. O Benfica é a equipa que joga mais tempo em superioridade numérica, com mais 360 minutos que o Braga. São mais 4 jogos inteiros a jogar em superioridade numérica que os outros. O Sporting é quem está menos tempo a jogar com mais elementos em campo, com menos 600 minutos que o Benfica (quase 7 jogos).
  3. O Benfica é também a equipa que joga mais tempo em inferioridade numérica com 544 minutos (corresponde a 6 jogos inteiros a jogar com menos elementos), com o Porto no outro espectro a jogar com menos elementos somente em 121 minutos. Dá uma média de 30 minutos por ano.
Em baixo podem ainda verificar os saldos que cada equipa tem entre decisões positivas e decisões negativas. Mais uma vez, não está em causa a justeza das decisões, mas sim uma análise dos efeitos directos das mesmas.


O Benfica é quem tem mais decisões que alteram o jogo, seguido de perto pelo Porto. O Braga é quem tem menos destas decisões. Nota-se que o Porto é quem tem mais decisões a favor e menos contra.

Em percentagem de positivo e negativo temos os seguintes gráficos:


Como conclusões, meramente estatísticas, verificamos o seguinte:
  1. O Benfica é o clube que tem mais decisões que alteram jogos, entre penalties e expulsões.
  2. O Porto é o clube que ganha mais pontos com as decisões arbitrais.
  3. Braga e Sporting têm números muito semelhantes, integrados nas médias dos 4 clubes.
  4. Benfica e Braga são os clubes que jogam mais tempo em superioridade numérica e curiosamente os que jogam mais tempo em inferioridade numérica.

Estes dados foram retirados do site oficial da Liga de Clubes, e não têm em conta os méritos das decisões, apenas os seus efeitos práticos.

13 comentários:

  1. Respostas
    1. Caro Rusty,

      De facto foi mesmo. E tive todo o gosto em publicitá-lo aqui, embora seja apenas uma pequena parte do estudo. Pareceu-me o mais importante de modo a transmitir a ideia geral.

      Eliminar
  2. Não considero estes dados muito relevantes Danilo e explico porquê, uma equipa quando ataca mais têm maiores probabilidades de conseguir um penalty, de sofrer mais faltas e consequentemente de expulsar mais adversários.

    Sinceramente acho que esses dados terão verdadeiramente valor se forem integrados em termos de boas ou más decisões, pois isso sim é que é verdadeiramente relevante.

    O facto de o Benfica jogar mais tempo em superioridade e mais tempo em inferioridade significa que os jogos do Benfica são mais violentos ?

    Decisões arbitrais relevantes ? E eu a pensar que toda a gente se queixou no ano passado de um fora-de-jogo mal assinalado, mais do que de uma expulsão ou de um penalty. E os penalties não assinalados ? E os golos anulados ?

    Pode ser que o estudo tenha números mais interessantes, mas parece-me que o âmbito é demasiado limitado para que se tirem grandes ilacções.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro B Cool,

      Eu também gostava de ter esse estudo onde todas as decisões são quantificadas de boas ou más e em que são incluidas também as não decisões. Só que, isso é praticamente impossível por dois motivos.
      1. Em muitos casos declarar se é boa ou má decisão, depende de uma visão subjectiva e que dá azo a várias interpretações.
      2. Para se poder fazer isso só sendo jornalista da Sporttv ou tendo acesso aos seus arquivos.

      O que este estudo fez, e foi o possível, é quantificar o que foram as decisões dos árbitros em termos de penalties e expulsões e em que medida essas decisões afectaram o desfecho dos mesmos. São dados objectivos que não requerem subjectividade alguma.

      Admito perfeitamente que o âmbito é limitado, até porque 4 anos é uma amostra curta e não é possível quantificar as decisões não registadas, mas a validade do estudo é pertinente e acho que válida.

      Eliminar
    2. Caro B Cool
      "uma equipa quando ataca mais têm maiores probabilidades de conseguir um penalty"
      Verdade.

      "uma equipa quando COMPRA O ÁRBITRO têm maiores probabilidade de conseguir um penalty".
      Outra verdade.

      Não se podem fazer análises estatísticas sobre dados dúbios, e é isso que tu estás a "exigir".

      Para além disso, há outras estatísticas, que não são dadas pelo "Pedro" mas por um tal de "WTVision".

      Nas suas estatísticas, quase de certeza, que o "WTVision" encontra que o Porto não ataca assim tão mais, não faz muito mais cruzamentos, nem entra tantas mais vezes na área... Não corta muito menos cruzamentos, não permite muito menos entradas na sua área. A eventual diferença que exista na criação de situações passíveis de ter lances assinalados em seu favor certamente não justifica a diferença abissal que vemos aqui.

      Por cima de tudo isso há outra coisa.
      Há uns anos atrás verificaram que o Porto tinha menos penalties a favor que o Benfica.
      (Não era referente aos 4 anos em questão era um período mais alargado, mas imaginemos que essa tendencia se mantém).

      Não achas indicativo de alguma coisa que o Benfica tenha mais penalties mas menos penalties decisivos?

      Não achas indicativo de alguma coisa o Benfica ter quase o dobro do tempo em superioridade numérica que o Porto, mas quanto a ganhar superioridade numérica quando precisa (ou seja, não está a ganhar), têm praticamente o mesmo tempo?

      Isto para não falar das cirurgias que se vêm pelos meios-campos desse país (subjectivo!) e que permite que o Porto seja mais ofensivo do que aquilo que seria capaz e impede que o Benfica seja tão ofensivo como pode!

      Eliminar
    3. Excelente. Deverias divulgar o teu brilhante estudo pela blogosfera encarnada!

      Eliminar
    4. Mas conclusão é que, com ou sem roubalheira, o porto ganhava 3 campeonatos e o benfica 1 nos últimos 4, não é? Então não há grandes diferenças para a realidade.

      Eliminar
    5. Não caro Anónimo,

      Ganharia 2 e o Benfica outros 2. Mas gostei da tentativa. Apareça mais vezes.

      Eliminar
  3. É impressionante o tempo e o trabalho que alguém é capaz de investir numa justificação manhosa dos maus resultados do seu clube. Como já disseram acima, isto é pouco relevante. São dados descontextualizados (quem fez mais ataques, quem teve mais posse de bola, quem fez menos ou mais faltas, quem teve mais foras de jogo mal assinalados, quem teve mais golos mal anulados ou golos validados mas irregulares?).

    Enfim...o FCPorto há-de sempre ser o bode-espiatório dos benfiquistas. Os argumentos "Quando ganhámos é justo, quando perdemos fomos roubados" e "O porto ganhou porque comprou árbitros, nos perdemos porque somos santos, puros e imaculados" não colam.

    Já agora, sugiro um "estudo" (lol), se possível mais extenso, dos anos 60/70. Isso sim era algo digno de ser mostrado.

    Bom dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo,

      A menos que trabalhe na SportTV e tenha acesso aos arquivos para ver todos os jogos, é impossível fazer esse tipo de estudo. E não só seria altamente subjectivo, como virtualmente impossível de quantificar.

      O que este estudo se propôs fazer, e em minha opinião acho que o consegue, é quantificar o que se passou depois do árbitro decidir assinalar um penalty ou expulsar um jogador. Nos últimos 4 anos, o Porto é efectivamente quem mais "beneficiou" das decisões tomadas. E quando digo beneficiou, refiro-me exclusivamente aos pontos somados após as decisões.

      Creia que lhe dou toda a razão, quando diz que não há quantificação de decisões erradas. Nem era esse o objectivo deste estudo. No final da época, regresse cá e veja o resultado do projecto Olho de Águia, esse sim virado para a quantificação dos beneficios e prejuizos incluindo todas as decisões tomadas ou não tomadas.

      Quanto aos bodes expiatórios, os números são estes. Por mais cambalhotas que dê não os vai alterar. Esses argumentos, não são parte integrante do blog, e se for ler o histórico de artigos, já fui muitas vezes acusado de nem ser benfiquista, por indicar o que em minha opinião está mal no clube ou por classificar algumas vezes em que fomos beneficiados pelos árbitros. Como vê essa teoria do coitadinho aqui não pega nem cola. O que pega e cola são factos, porque esses são imutáveis, por mais que os tentem esquecer.

      Já quanto ao estudo dos anos 60/70 força nisso. Faça-o e depois envie um email aqui para o blog, que terei todo o gosto em publicar. Fico à espera

      Um bom dia para si também.

      Eliminar
    2. Nos anos 60/70 ???
      Ó androide, mas nem que os árbitros fossem todos os dias a casa do Grente da Caixa, combinar as estratégias podiam fazer alguma patifaria contra os Colunas, Eusébios, José Augusto, Costa Pereira, Aguas, Germano, Cavém, Simões Humbertos, Nenés e de outros monstros.

      A Selecção era composta por estes e ouve um jogo em que apenas o Costa (fcp) lá meteu o bedelho.
      ENXERGA-TE ANDROIDE !!!!!

      Eliminar
  4. Analisando os 120 jogos de cada um dos candidatos constata-se que em média têm um saldo de 15 pontos acrescentados após uma decisão relevante do arbitro (expulsão ou penalti decisivo.
    Se como dizem os responsáveis pela arbitragem no final de cada campeonato as decisões arbitrais se equilibram, umas vezes beneficiam e outras prejudicam como é possível chegarmos a uma diferença de 30 pontos acrescentados a mais para o Porto em relação ao Bendica, pontos após uma expulsão ou um último golo de penalti. Será que não é evidente que, objectivamente as decisões arbitrais estabeleceram diferenças claras no desempenho desportivo dos candidatos.
    Podem consultar no blog http://influenciaarbitral.blogspot.pt/ os dados actualizados já com o 1º terço da época 2012/13 e também o total de decisões favoráveis e desfavoráveis de 11 dos principais arbitros analisados.

    ResponderEliminar
  5. roubalheira DITO POR UM ANDROIDE ! NÃO ACREDITO ! Então e igual nos ultimos quatro anos SER DOIS PARA CADA q um para um lado e três para outro ! sim senhor esse analfaburro merece o selo não de gatuno mas de BESTA POR FAZER DOS OUTROS ISSO SIM burros.

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.