origem

sábado, 31 de março de 2012

O fracasso de Vieira - 3


A rubrica de hoje de "O fracasso de Vieira", foca-se na constante destruição e construção de plantéis. Não tendo esta forma de trabalhar começado nos mandatos de Vieira, é inegável que este não conseguiu trazer outra filosofia ao modo do Benfica atacar o mercado de jogadores.

O tempo de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica já vai longo. São 2 anos de Director Desportivo do Futebol (2001-2003) mais 8 (9) anos de presidente (2003-2012). Ao longo deste tempo, foram muitas as dificuldades que teve de superar, mas não tantas como as que nunca se cansou de repetir. Foram ainda mais (muitos mais) os erros que se cometeram, alguns dos quais com graves repercussões nos destinos do clube.

Em terceiro lugar: O Entreposto de jogadores

Contando com os anos em que foi Director Desportivo do Clube (2001-2003), entraram no Benfica mais de 150 jogadores. Vou repetir: 150 jogadores!!! Não é brincadeira nenhuma e o custo é elevadíssimo, não só para os cofres do clube como para o nível da própria equipa. No consulado de Vieira, apenas um treinador não teve remodelações extremas na equipa. Foi José António Camacho em 2003, tendo o Benfica contratado "apenas" 5 jogadores. Nos outros anos (este incluido), é sempre de 10 para cima. Qual a justificação para se contratarem um mínimo de 10 jogadores por ano? Eu não consigo compreender a razão principal por detrás disto.

  • Posso tentar argumentar que é por possibilitar tempo de ambientação aos jogadores para serem futuramente integrados no plantel. Na prática, andam de empréstimo em empréstimo até saírem por verba irrisória ou a custo zero.
  • Posso tentar argumentar que são na maioria, jovens promissores que temos de ir buscar antecipadamente senão não os poderemos ter (o caso mais flagrante é o de Rodrigo). Na realidade para termos um Rodrigo, temos de ter em média uns 5 Fernandéz. 
  • Posso tentar argumentar que os que temos não servem e tem de se melhorar certas posições. Na realidade, seja por falta de qualidade ou por serem tão bons que saem por verbas astronómicas, a verdade é que nunca o Benfica colmata todas as deficiências dos seus plantéis, esbanjando dinheiro em jogadores para emprestar.
  • Posso tentar argumentar que cada treinador tem os seus preferidos e que a constante mudança de técnico ajuda a este re-organizar do plantel. Na realidade temos Jorge Jesus há já três temporadas e desde que este entrou contrataram-se pelo menos 45 jogadores. Dá 15 por ano...

Para terem uma ideia do que escrevo, vejam em baixo uma lista de contratações desde que Vieira entrou no Benfica (época 2001-2002)

2001/2002 - (20) - Quim Berto, Argel, Cabral, Júlio César, Marco Caneira, Emanuele Pesaresi, João Manuel Pinto, Armando Sá, Andersson, Zlatko Zahovic, Ednilson, Fernando Aguiar, Andrade, Tiago, Mantorras, Ljubinko Drulovic, Simão Sabrosa, Tomo Sokota, Hugo Porfírio, Jankauskas
2002/2003 - (11) - Cristiano, Éder, Hélder, Ricardo Rocha, Eduardo Simões, Peixe, Petit, Geovanni, Carlitos, Nuno Gomes, Miki Fehér
2003/2004 - (5)  - Zach Thornton, Luisão, Fyssas, Fernando Aguiar, Alex
2004/2005 - (16) - Quim, Yannick, Amoreirinha, Alcides, Manuel dos Santos, André Luís, Paulo Almeida, Petit, Nuno Assis, Everson, Carlitos, Azar Karadas, Andrija Delibašic, Ze Rui, Manú, Rodolfo Lima
2005/2006 - (15) - Marcelo Moretto, Anderson, Léo, Nélson, Giorgos Karagounis, Beto, Andrei Karyaka, Marco Ferreira, Laurent Robert, Marcel, Gustavo Manduca, Fabrizio Miccoli, Jose Fonte, Inzaghi, Artur Futre
2006/2007 - (10) - Miguelito, David Luiz, Katsouranis, Rui Costa, Kaz Patafta, Diego Souza, Nicolas Canales, Paulo Jorge, Kikin Fonseca, Derlei
2007/2008 - (19) - Butt, Halliche, Luis Filipe, Edcarlos, Stretenovic, Zoro, Sepsi, Wagner Silva, Maxi Pereira, Andres Diaz, Fabio Coentrão, Bynia, C. Rodriguez, Cardozo, Bergessio, Di Maria, Adu, Makukula, Jailson
2008/2009 - (12) - Jorge Ribeiro, Sidnei, Aimar, Balboa, Filipe Bastos, Amorim, Carlos Martins, Yebda, Reyes, Urreta, Suazo, Ivan Santos
2009/2010 - (14) - Julio Cesar, Patric, Shaffer, Peixoto, Airton, Javi Garcia, Ramires, Filipe Menezes, Keirrison, Weldon, Saviola, Kardec, Eder Luis, Leandro Silva
2010/2011 - (12) - Roberto, Oblak, Fabio Faria, Carole, Jardel, Salvio, Gaitan, Fernandez, Jara, Elvis, Rodrigo, Alipio
2011/2012 - (19) - Artur, Mika, Eduardo, Emerson, Wass, Garay, Andre Almeida, Capdevila, Bruno César, Nolito, Nuno Coelho, Matic, Witsel, Enzo Perez, Rodrigo Mora, Melgarejo, Leo Kanu, Rafael Copetti, Yannick Djaló

Acho até que faltam aqui alguns nomes, que por serem tão desconhecidos e nunca terem sequer treinado no Benfica, escaparam... No total apontei 153 jogadores contratados. É demasiado por qualquer ponto de vista que se tenha.

Contratações de "Vieira"

Acho que é para todos óbvio o impacto que isto tem. Não só em termos financeiros, com os consequentes custos de compra, salários, rescisões, etc, como também em termos desportivos, tendo a grande maioria destes jogadores saído ao fim de um ano ou menos. Muitos deles nem 20 jogos fizeram ao serviço do Benfica. Contratações como as de Porfirio, Eduardo Simões, Peixe, Zach Thornton, Ze Rui, Amoreirinha, André Luiz, Everson, Delibašic, Rodolfo Lima, Marco Ferreira, Robert, Patafta, Canales, Patric, Jorge Ribeiro, Jailson, Fábio Faria, Elvis ou Fernandez eram à partida operações falhadas que em nada vinham melhorar a respeito de plantel principal. Não as posso categorizar como flops, pois para isso teria de ter expectativas em relação e eles. Outra contratações, como as de Leo Kanu, Alipio, Mika, Oblak, Rodrigo Mora, Andres Diaz, Sepsi, Marcel ou Yannick, são numa perspectiva de não sei bem o quê. Reforçar o plantel principal não foi de certeza. 
Em todas estas contratações que referi (e noutras), existe um problema fundamental: a completa falta de prioritização em relação ao plantel principal e à resolução das suas lacunas e falhas. Dando dois exemplos claros:
  1. Quando Ramires saiu do Benfica, ficou uma lacuna grave no plantel. Em vez de se garantir a contratação de um médio de caracteristicas semalhantes, porque mantendo-se o treinador, o esquema de jogo não iria sofrer alterações, optou-se por esbanjar dinheiro em contratações de avançados. A meio do ano, e vendo que a equipa estava orfã de um jogador no miolo (também pelas constantes lesões de Amorim), entendeu-se não solucionar este problema, e contrataram-se um defesa esquerdo, um central (para suprir a saida de David Luiz) e um extremo esquerdo.
  2. Desde o tempo de van Hooijdonk, que o Benfica precisava urgentemente de um homem de área. Um matador que fizesse golos. Alguém que independentemente do estilo, metesse a redondinha no fundo das redes. Andámos desde 2001/2002 orfãos de um jogador destes. Apenas o contratámos em 2007/2008. Foi a segunda contratação mais cara do clube (atrás de Simão Sabrosa) mas os resultados estão aí. Cardozo é hoje a ponta da lança apontada à baliza adversária. É já o melhor marcador estrangeiro do clube e vai golo após golo cimentando a sua posição entre os maiores de sempre. Para terem uma ideia ficam aqui os nomes dos avançados contratados (nunca por mais de 5M€) até chegar Óscar Cardozo. Mantorras, Sokota, Jankauskas, Nuno Gomes, Fehér, Karadas, Delibašic, Marcel, Miccoli, Kikin Fonseca, Derlei. Convém referir que o melhor da lista, inegavelmente Miccoli, nunca foi jogador do Benfica, tendo sido emprestado dois anos consecutivos pela Juventus de Itália. 

A solução para mim é óbvia. Deixar de contratar por contratar, mas focar-se em suprir lacunas do plantel principal, ou melhoramentos no que existe, antes de se virar para oportunidades de negócio (e apenas se houver disponibilidade financeira grande para tal). 
No ínicio de cada época seria feita a avaliação do plantel, sendo naturalmente encontradas as posições onde fomos mais fracos durante a época anterior. Este processo nunca poderia ser exclusivamente do treinador, mas deveria também envolver o nosso departamento de prospecção (com um grupo de olheiros disponível para visualizar todos os nosso jogos da época - acho que umas duas semanas bastariam para isto) e o Director Desportivo.
A partir daqui, e de acordo com a capacidade financeira da altura, seria o validar das opções disponiveis (através de visionamento ao longo da época anterior ou de relatórios compilados anteriormente) e as necessidades mais prementes. As posições onde tivessem sido identificados os maiores problemas e maior urgência de solução, seriam as primeiras a ser colmatadas. Depois viriam as restantes posições e só após estas, viriam as contratações de futuro. E seguindo um pormenor importante, nunca desprezar o valor da formação.
Tendo um plantel cerca de 25 jogadores, sou da opinião que pelos menos 5 dessas vagas deveriam ser ocupadas por jogadores da formação. Fazem o mesmo trabalho, não há encargos com contratação e têm em média salários mais baixos. Mesmo que estes tivessem sido emprestados anteriormente. Para jogos de menor rotação competitiva, tais como as primeiras eliminatórias da Taça de Portugal ou na Taça da Liga, estes jogadores seriam soluções mais que perfeitas. 
Nas restantes 20 vagas, seria de extremo valor que pelo menos 10 jogadores tivessem 3 ou mais anos de Benfica. Para passar aos que entrassem, a camaradagem e mistica encarnada que não se aprende ao fim de um ou dois anos. Estes seriam o núcleo duro do plantel e parece-me a mim que transmitiriam uma mensagem importante aos outros, servindo como aglutinadores do balneário.

Em traços gerais, o término do entreposto de jogadores, traria imensos beneficios ao Benfica. Menos massa salarial e encargos financeiros com contratações, libertando dinheiro para abate de passivo. Menos jogadores completamente alienados do clube, que por vezes nunca chegaram a vestir a nossa camisola. Mais focagem nos problemas internos do plantel, sendo que embora nunca se consiga acabar com os flops, estes seriam em muito menor quantidade. Aumento gradual da qualidade intrinseca do plantel e da sua capacidade de fazer face à adversidade interna (nomeadamente do campeonato português). A chamada experiência competitiva.

Para finalizar, queria só deixar aqui uma frase de José António Camacha que no fundo simboliza o que preconizo. A mesma foi dita muita vezes por ele enquanto treinador do Benfica.
Para se contratar é preciso que os que vêm sejam melhores que os que cá estão.

E hoje?

Nem o que esperar do dia de hoje.

Será que vamos ter o melhor Benfica em campo? Aquele que seguiu imbatível até Guimarães? Aquele que arrancou empates em Braga e Dragão?

Será que vamos ter o Benfica dos últimos tempos? Aquele que empata em Olhão? Aquele que sofre a bom sofrer para vencer o Paços? Aquele que realiza uma exibição cinzenta em Guimarães?

Logo se verá. Só digo que as minhas expectativas vão baixas, baixinhas...

sexta-feira, 30 de março de 2012

três de seis já lá vão

A série infernal de 6 jogos absolutamente decisivos para o que resta da época. já lá vão. Globalmente, o saldo não é positivo. Em três jogos disputados, exigia-se a vitória nos primeiros dois (Porto e Olhanense) e pelo menos o empate no outro (Chelsea)

  • Na Luz cumprimos a obrigação de quebrar o ciclo de vitórias do Porto na Luz. Só é pena que não tenha sido no jogo mais importante.
  • 3 dias depois baqueámos totalmente em Olhão. Acabámos por desperdiçar a benesse do Porto mandar ao ar 4 pontos depois de nos ganhar. Curiosamente eram os pontos que precisávamos recuperar depois do embate da Luz para o campeonato.
  • Na passada Terça-Feira, perdemos em casa com o Chelsea por 0-1, na primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões. É um mau resultado, embora reconheça alguma capacidade ao Benfica para ir a Londres marcar golos. 
Com estes resultados é fundamental vencermos o Braga amanhã. Para dar mais moral à equipa, retirar algum gás aos Bracarenses (que mesmo com um empate ficarão satisfeitos) e de algum modo continuar a pressionar o Porto na luta pelo campeonato. Já escrevi diversas vezes depois do clássico da Luz que já não acredito num Benfica campeão este ano. Neste momento, depois de ver a miséria que o Porto apresentou depois desse jogo, acho que o maior candidato é mesmo o Braga. Ganhando-lhes amanhã, as nossas chances de ser campeões aumentam em flecha, pois nem me admirava muito que o Porto cedesse nove empate diante do Olhanense.

Em Londres é jogar o jogo pelo jogo, sem nada a perder. Acho que deveríamos apresentar uma equipa semi ofensiva com Cardozo e Nélson na frente suportados por um meio campo com Javi, Witsel, Gaitan e Aimar no tipico losango. Na defesa punha Maxi, Capdevila, Luisão e Miguel Vitor. Na baliza o inevitável Artur. Um jogo para desfrutar.

Em Alvalade, diante do Sporting renovado e muito motivado, apresentaria uma equipa de combate com três elementos no miolo: Javi, Matic e Witsel. É imperioso ganhar a luta de meio campo aos previsíveis 3 elementos que o Sporting vai lá colocar.

Não há volta a dar! Temos de ganhar a Braga e Sporting. 

O desgaste do treinador

Jorge Jesus parece-me extremamente desgastado nesta altura. São já quase três anos de águia ao peito e quer queiramos quer não, isso causa mossa. O treinador tem toda a minha confiança, mas há certas coisas que deviam ser melhoradas, sob pena de cairmos sistematicamente nos mesmo erros. 

Nesta época, Jesus foi sempre o porta-voz encarnado sobre tudo e mais alguma coisa. Desgastou-se em polémicas desnecessárias que não seriam à partida do seu foro e distraiu-se um pouco das suas próprias responsabilidades técnicas. Faltou-lhe cabeça fria...

Nesta altura, é imperioso que se tenha um discurso moderadamente optimista, mas fundamentalmente responsabilizador. Dizer que podemos ganhar ou perder tudo não é nada benéfico, pois admite abertamente a possibilidade de derrota e a mesma vai estar a pairar sobre a cabeça dos jogadores já amanhã. 
Dizer também, que Javi poderá ser utilizado como central, das duas uma: ou é bluff e o mesmo deverá ser informado aos jogadores, ou é um tiro no pé valente, e por duas razões. A primeira é o completo desrespeito por Miguel Vitor, que à semelhança do que se passou com Capdevila fica mais uma vez a saber que não conta para o treinador. A outra é a absurda retirada de Javi do miolo (já me faz imensa confusão quando o mesmo acontece durante o jogo), metendo lá Matic, pois já todos percebemos que o sérvio não é jogador para jogar sozinho ali. 

Sinceramente, espero da nossa equipa um bom jogo e acima de tudo atitude. Atitude de querer ganhar desde o primeiro minuto, atitude de se esfarraparem todos na obtenção dos 3 pontos, atitude lutadora até ao limite das forças. Definitivamente, este discurso pré-jogo de Jesus não ajudou a isso.

Quem sabe sabe

Atentem bem neste texto do BCool para o blog "Ontem vi-te no Estádio da Luz":


É bom que percam uma hora do vosso tempo a lê-lo e a compreender mais alguns pormenores da gestão do Benfica.

quarta-feira, 28 de março de 2012

O Síndrome dos Clubes Poderosos

Normalmente quando o Benfica joga contra um adversário muito poderoso, o chamado "tubarão", os sócios e adeptos ficam eufóricos. Compram bilhetes caríssimos, compram cachecol do jogo... não interessa, "um dia não são dias" e há que aproveitar estas situações para apoiar o Benfica contra um gigante europeu. E depois, há o verso da moeda. E esse verso, viram os Benfiquistas em massa em 2006, e voltaram a vê-lo ontem. Não há, simplesmente, explicação possível para absolver a grande penalidade perdoada a John Terry. Estão 3 árbitros com um ângulo óptimo para ver o lance. A UEFA paga todos os jogos a mais 2 árbitros precisamente para poderem ajudar o árbitro principal nestas situações. E a 2 metros de Terry, o árbitro de baliza pura e simplesmente não é capaz de dizer "é mão!".

Há 5 anos foi contra o Barcelona, agora foi contra o Chelsea. Factores em comum? O Benfica recebe um tubarão europeu nos quartos de final e outros interesses falam mais alto. É esta apenas mais uma das razões para a qual apostar na Champions em detrimento do campeonato é um absurdo.

Tiago S.( Saviolafication)

Com que objectivo?

Depois de assistir "in loco" ao jogo de ontem no estádio da Luz, só me resta colocar uma questão: com que objectivo é que foi negada a saída ao Capdevila e efectuada a sua inscrição na "Champions", se é para jogar sempre o mesmo (ainda por cima quase sempre mal)?

É que eu ainda dou de barato o nosso defesa esquerdo não ter velocidade para acompanhar o Ramires, que o "queniano" corre que se farta como nós tão bem pudemos testemunhar em 2009/2010. Agora nem sequer ser capaz de fazer uma recepção ou um passe em condições... isso já me irrita sobremaneira!

Se o campeão do Mundo e da Europa não tem condições para jogar neste Benfica, que se dê minutos e rodagem ao Luís Martins... sempre tem margem de progressão e é português.

PS: Custou-me um bocado ver os jogos de ontem e perceber que a única equipa sem portugueses de inicio ou durante os noventa minutos... era a portuguesa.

Acreditem...

A vida de um Benfiquista que mora a 350km do seu Estádio da Luz...

Sai de casa de manhã/inicio da tarde para ir ver o seu GLORIOSO. Paga portagens, paga gasolina, falta às aulas, arranja desculpas no trabalho, faz TUDO para ver o MANTO SAGRADO.

O Benfiquista depois de um jogo, faz mais 3 horas de viagem e trabalha no dia seguinte. Esse mesmo Benfiquista pede a jogadores/treinadores/direcção que no próximo Sábado sejam BENFICA e ganhem o jogo.

Esse jogo acaba às 23 horas. Esse Benfiquista chegará a sua casa por volta das 3h da manha. Isto tudo para vos dizer uma coisa:

"Não tenham pena do Benfiquista, mas quando entrarem no campo pensem nesse Benfiquista e lutem até à morte dentro do campo".

Esse Benfiquista de 15 em 15 dias faz tudo isto para ver o seu Benfica na Catedral. Esse Benfiquista entre esses 15 dias vai a todos os campos deste país pagando preços pornográficos para ver jogar o seu GRANDE AMOR.

Só gostava de passar esta mensagem a todos os elementos que fazem parte da equipa Profissional do SL BENFICA.

Façam feliz o BENFIQUISTA....

O fracasso de Vieira - 4

A rubrica de hoje de "O fracasso de Vieira", foca-se nos apoios indevidos na Liga Portuguesa de Futebol Profissional. E foram muitos, desde presidentes da Liga a membros do Conselho de Disciplina ou Arbitragem.

O tempo de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica já vai longo. São 2 anos de Director Desportivo do Futebol (2001-2003) mais 8 (9) anos de presidente (2003-2012). Ao longo deste tempo, foram muitas as dificuldades que teve de superar, mas não tantas como as que nunca se cansou de repetir. Foram ainda mais (muitos mais) os erros que se cometeram, alguns dos quais com graves repercussões nos destinos do clube.

Em quarto lugar: Apoios indevidos na Liga Portuguesa de Futebol Profissional 

O caso mais paradigmático aconteceu em Maio de 2010, com o surpreendente apoio público de Luis Filipe Vieira a Fernando Gomes. O ex-Vice Presidente da S.A.D. portista "saiu em conflito" com Pinto da Costa cerca de 3 meses antes, numa clarissima estratégia de não ser conotado com o Porto aquando da sua candidatura à presidência da Liga, mas essa estratégia foi suficiente, para Luis Filipe Vieira cair no engodo de apoiar tal sumidade "facturadora" e meter-se a jeito do que se viria a passar depois.
Mas não foi só Fernando Gomes que mereceu o apoio do nosso presidente. Também Valentim Loureiro recolheu sempre o apoio de Vieira. Mesmo vendo-se envolvido até ao pescoço em trapaça, corrupção, coacção, tráfico de influências, etc, nunca deixou de ter o apoio "encarnado", muitas vezes manifestado nas piores alturas.
É, para mim, um caso patológico, este constante apoio a corruptos e individuos de qualidade moral duvidosa, para cargos de poder decisório no futebol Português. Porque não só os chefes de fila são pessoas nada confiáveis, mas os "sombras" que pululam as esferas inferiores, são ainda piores. E mesmo sabendo disto, o Benfica, na voz do seu presidente, põe-se sempre a jeito de ser pisado, humilhado e roubado por parte de quem sempre apoiámos.
O facto de nos afastarmos do Sporting, precisamente quando Dias da Cunha meteu os "nomes nos bois", é sintomático disto. Numa altura, em que Benfica e Sporting podiam (e deviam) ter lutado juntos pela total transparência e regeneração do futebol português, Vieira simplesmente abandonou Dias da Cunha à sua sorte. Não foi à Benfica. Aliás em matéria de apoios institucionais, Vieira nunca foi (e arrisco a dizer que nunca será) à Benfica. Parece até que tem algo a proteger, que não pode por em risco com uma afronta muito directa aos poderes vigentes.
Curiosamente, Herminio Loureiro, que não foi apoiado por Vieira (até ameaçou não participar na então recém criada Taça da Liga), foi o que mais fez pela credibilização do futebol, com algumas decisões que mudaram por momentos o panorama do futebol português. Com erros é certo, mas no caminho de mudar esta fossa séptica a que chamamos futebol português. Por momentos, pensou-se que o caminho para a regeneração estava aberto, mas foi sol de pouca dura.

O impacto destes sucessivos apoios é demasiado alto, para alguém ficar indiferente. Nas alturas de decisão há sempre aquele factor extra que nos empurra para baixo, seja em termos de arbitragens corruptas, seja em termos de decisões polémicas contra nós, castigos cirúrgicos, etc. Qual o benfiquista que não se lembra de jogos como muitos no Dragão, em que a nossa equipa é simplesmente impedida de jogar? Este ano valeu-nos o boato do observador da UEFA, pois senão era mais do mesmo. Qual o benfiquista que não se lembra dos castigos ridiculos aos nossos jogadores, enquanto os Jorges Costa e Brunos Alves desta vida se passeiam impunemente em campo, distribuindo porrada em tudo o que mexe? Qual dos benfiquistas não se lembra dos castigos recorrentes por comportamento incorrecto dos nossos adeptos, quando do outro lado há cargas policiais, bolas de golfe ou mesmo galinhas? Ou dos casos recorrentes em matéria de árbitros irem para a "Jarra" depois de apitarem jogos do Benfica? Relembro que tudo isto, acontece com o nosso silêncio e apoio cúmplice.

A solução para este problema crónico é a simples renúncia a apoiar corruptos para cargos de poder. O Benfica não pode ser cúmplice com isto. Apoios a gente que está mais que provado factualmente, que não gosta de nós e que só nos quer ver em baixo, que não descansará enquanto não nos vir a definhar, que tudo fará por isso, simplesmente não podem acontecer. O Benfica sempre foi um clube de respeito e integridade, mas que sempre se deu ao respeito. Os seus presidentes sempre se pautaram por um intrasigente amor ao clube e por uma conduta moral acima dos outros. Nunca se arrogaram de perfeitos, e com as suas falhas inerentes, souberam lutar com honra e dignidade contra as injustiças.

Quais os beneficios desta solução? Simples. O Benfica pode virar a mesa e atacar quem deve ser atacado. Não dar tréguas, a quem nesta altura se passeia alegremente nos meandros do futebol, sem ninguém a questionar minimamente os passos e acções tomadas. Sem medo de ser conotado com cumplicidade pode ser a oposição clara a este tipo de coisas, que foi sempre o seu maior trunfo em Portugal e causa do seu massivo apoio popular. O maior problema destes corruptos é a possibilidade de se fazer luz sobre os crimes cometidos. O Benfica é forte, todos o sabem. Se soubermos usar essa força como forma de oposição, então tornaremos as coisas muito mais dificeis para quem quer subverter as regras do jogo. E dificultando-lhes o trabalho, facilitaremos a nossa própria tarefa, pois as dificuldades externas não se farão sentir com tanta intensidade.


Índice:
Em décimo lugar: Mistura de Amizades pessoais com a Defesa do clube
Em nono lugar: Delapidação dos Valores do Clube
Em oitavo lugar: Introdução de Corpos estranhos ao Clube
Em sétimo lugar: O Sebastianismo
Em sexto lugar: O Descontrolo Financeiro
Em quinto lugar: A Instabilidade Governativa

Ainda o Castigo de Aimar

Para quem não sabe, o lider do Conselho de Disciplina da Federação, que é responsável pela atribuição de penas e castigos, chama-se Herculano Lima. Este individuo, teve (tem?) cativo no Estádio do Dragão durante muito tempo, onde se juntava à multidão que quinzenalmente grita pelo Benfica...

Recordando o seu percurso no Futebol Português, perceber-se-á perfeitamente quem é este senhor e o que veio fazer:
  • Entrou na Federação Portuguesa de Futebol em Janeiro de 2007, para o cargo de presidente do Conselho de Justiça, na altura incumbido de julgar as penas a aplicar no âmbito do processo Apito Dourado (Apito Final). Nada foi feito nesta altura! Demitiu-se em Novembro do mesmo ano, em conflito com a decisão de reduzir a pena aplicada a Valentim Loureiro, de 6 meses, para 100 dias, que na prática implicou que o major não tivesse de renunciar ao mandato que ocupava, como presidente da mesa da AG. Até parece um homem integro não é?
  • Passados 3 anos, em Junho de 2010, entra com pompa e circunstância na lista única de Fernando Gomes para ser o presidente do Conselho de Disciplina da Liga. Teve a missão de "substituir" da "melhor" forma Ricardo Costa, que tanto "mal" tinha feito ao futebol português. Na altura da "campanha eleitoral" prometeu que os regulamentos seriam aplicados sem olhar aos nomes dos clubes. A realidade foi, porém, mais do mesmo nebuloso e podre tráfico de influências. Após os acontecimentos surreais, a 2 de Maio de 2010, no Porto, aquando do jogo entre o Porto e o Benfica, que poderia decidir o campeão (em caso de empate ou vitória encarnada), era esperado que se defendessem os adeptos de futebol de arruaceiros e trastes. Na realidade, 2010/2011 foi ainda pior. Casos gravissimos de bolas de golfe nos estádios (com jogadores encarnados a serem atingidos) sem que houvesse a mínima punição para os prevaricadores. As penas disciplinares eram risíveis, tudo permitindo, desde que não fosse o Benfica a prevaricar (que também o fez). 
  • Assim que foi formalmente aceite a transferência de poderes da Liga para a Federação, (após muita luta no sentido de adiar ao máximo a mudança, para colocar os joguetes em posição na Liga) e com o apoio encarnado, Herculano Lima seguiu Fernando Gomes rumo à Federação, para ocupar o cargo de presidente do Conselho de Disciplina. Os motivos são mais que óbvios: não perder o poder decisório conquistado ano e meio antes na Liga
Esta decisão acerca do castigo aplicado a Aimar é mais do mesmo. Quando Herculano (ainda) estava na Liga, James Rodriguez agrediu a soco um adversário em Santa Maria da Feira, tendo-lhe sido aplicada uma pena de um jogo de suspensão, impedindo-o de defrontar o Benfica, 6 dias depois no Dragão. A moldura penal para tal acontecimento é de 1 a 10 jogos. Vou repetir, UM a DEZ jogos de suspensão, que dependem de vários factores, entre os quais reincidência.
Volvidos alguns meses, já na Federação, O mesmo Herculano (o "seu" Conselho de Disciplina) decide aplicar uma pena de 2 jogos de suspensão a Aimar, impedindo-o de jogar com Braga e Sporting. A moldura penal para o caso de Aimar, que é entrada violenta, é de 1 a 4 jogos de suspensão. Vou repetir novamente, UM a QUATRO jogos de suspensão. Novamente este castigo depende de vários factores, entre os quais a reincidência.

Em ambos os casos, foi a primeira falha dos jogadores, logo não são re-incidentes. A diferença entre estes dois casos (e que demonstra bem qual o propósito de ter indivíduos destes nos cargos de decisão), é que num deles, houve agressão sem bola e no outro houve entrada violenta na disputa da bola. Qual a razão para a disparidade absurda no julgamento dos dois casos? Simples, é o cativo no Dragão o factor decisivo para a disparidade. Não coloco em causa a pena a Aimar, pois sou um defensor da punição exemplar para entradas violentas (ao estilo inglês ou uefeiro), mas sim a diferença de tratamento sempre em prejuízo do Benfica. O Herculano sabe bem o que faz!

O que mais me custa é que isto se passa/passou tudo com a nossa cumplicidade! Em vez de nos fortalecermos na luta contra este estado de coisas, demos as melhores armas e munições a esta cambada de corruptos.

PS: Não está aqui em discussão se a entrada de Aimar é para vermelho ou não. Pessoalmente aceito perfeitamente a decisão do árbitro. Acontece que, a partir do momento em que o árbitro assinalou a falta e expulsou o Aimar, este tem de ser punido segundo os critérios da moldura penal vigente.

Parece impossível

Ontem, das quatro equipas em confronto nos quartos de final da Liga dos Campeões, o Benfica foi a única a não apresentar um único português de inicio (ou durante os 90 minutos)!!!

Temos de reflectir bem, se este é o rumo que queremos no nosso clube.

terça-feira, 27 de março de 2012

Experiência


O Chelsea veio hoje ao Estádio da Luz bater o Benfica por 1-0, em jogo da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões. Valeu ao conjunto londrino uma maior experiência nesta fase da prova, pois o Benfica não foi em nada inferior a eles. Até meio da segunda parte até parecia o Benfica, a equipa em melhor posição para marcar um golo, só que numa desconcentração colectiva, o Torres fugiu pela esquerda e serviu Kalou na pequena área, para este fazer o resultado do jogo. 

O Benfica tem equipa para ir a Londres discutir a eliminatória, mas claramente está numa posição muito díficil. O golo de desvantagem obriga-nos a ter de atacar e a expor as nossas fragilidades defensivas, mas acredito que possamos ainda ter algo a dizer.

Nota final para a exibição absolutamente fabulosa de Ramires no seu regresso à Luz. O Queniano Azul foi a larga distância o melhor em campo e nota-se bem a sua falta no Benfica. Jogadores destes não aparecem todos os dias, por isso foi para mim um privilégio assistir aos seus jogos de encarnado. 

No próximo dia 4, lá estarei em Londres à procura do milagre.

Circo no futebol português

Ao inicio da noite os árbitros foram à Federação pedir mais contenção verbal aos dirigentes, técnicos e jogadores. No dia em que passarem a ser tão penalizados como os outros intervenientes, podem pedir o que quiserem. Até lá limitem-se a arbitrar bem, que não ouvem das boas...

Pablo Aimar levou uma suspensão de 2 jogos pelo vermelho directo em Olhão. Isto só pode ser para rir. É que não há a mínima vergonha. Está a ver senhor presidente? O que o seu apoio gerou... perderam a vergonha.
Num campeonato em que já existiram cuspidelas, agressões várias, entre outros mimos próprios da luta dentro do campo, é o 10 benfiquista o eleito para levar 2 jogos de suspensão... Só falha os jogos com o Braga e com o Sporting. Nada que não tivéssemos já visto antes, nem que não tenhamos de ver novamente, enquanto estes indivíduos liderarem as instâncias decisórias.

E assim vai este circo a que chamam futebol português...

Deixem-me (a) sonhar...

Mais daqui a pouco, façam chegar o nome Benfica bem alto. Deixem a pele em campo. Mostrem que são melhores que os outros. Façam-me acreditar que é possível.

Nós lá estaremos para vos apoiar até ao fim.


Manipulações II


Como podem verificar no video acima, Drogba não tremeu quando soube do emparelhamento com o Benfica, mas sim quando soube do hipotético emparelhamento nas meias finais com o Barcelona.

Comparem com este:


É deveras extraordinário, que se lancem estes episódios, como sendo uma verdade, causando muitas vezes conflitos entre diferentes grupos. Não sei quem lançou o original, mas mais pesquisa é sempre de salutar, antes de se afirmar peremptoriamente alguma coisa (o que quer que seja)

segunda-feira, 26 de março de 2012

Benfica-Chelsea, o regresso dos meninos de ouro à Luz

É já amanhã que o Benfica vai defrontar o Chelsea, em jogo a contar para a 1ª mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões. As previsões mais recentes apontam para casa cheia e diz-se mesmo que a lotação (64500 lugares em jogos europeus) estará completamente jornada. Para além da atracção natural que um jogo desta magnitude representa, os regressos de David Luiz e Ramires à casa mãe serão naturalmente mais um motivo de interesse para os adeptos que se deslocarem ao Estádio da Luz para apoiar o Benfica.

Analisando os momentos de forma das 2 equipas, nenhuma apresenta um nível particularmente elevado. Tanto o Benfica como o Chelsea têm sofrido alguns dissabores no campeonato ultimamente, embora em realidades distintas: o Benfica luta pelo título de campeão nacional enquanto que o Chelsea pouco poderá almejar para além do 3º lugar, ainda assim é uma luta importante para os ingleses pois poderá significar acesso directo à Liga dos Campeões. As 2 equipas vêm de empates a 0, sendo que no caso do Chelsea foi um jogo em casa frente a um dos rivais na luta pelos lugares cimeiros e com menos 1 dia de descanso que o Benfica, pelo que prevejo que o conjunto inglês se possa apresentar um pouco mais desgastado.

A lista de convocados do Benfica é esta:

Guarda-redes: Artur Moraes e Eduardo;
Defesas: Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Miguel Vítor, Emerson e Capdevila;
Médios: Matic, Javi García, Witsel, Aimar, Bruno César, Nolito e Gaitán;
Avançados: Cardozo, Saviola, Nélson Oliveira e Rodrigo Moreno.

Desta lista, o onze que escolheria para defrontar o Chelsea seria:

Artur,Maxi Pereira, Luisao, Jardel, Capdevila, Javi Garcia, Witsel, Nolito, Gaitán, Aimar e Cardozo.

Preferia que jogasse o lateral espanhol na vez de Emerson, devido à maior experiência que o Capdevila tem para jogos deste calibre, no entanto admito que Emerson jogue a titular, uma vez que não poderá dar o seu contributo no jogo contra o Braga por suspensão (5 amarelos). Aimar jogará com certeza pela mesma razão. Penso que o Benfica beneficiaria em jogar neste falso 4-5-1, com Aimar a dar o apoio imediato a Cardozo, com as alas entregues a Nolito e Gaitán, e Javi Garcia e Witsel bem no miolo do terreno. Os perigos do Chelsea são bem conhecidos: Drogba,Lampard,Ramires, velho conhecido do Benfica, que quanto a mim trata-se mesmo do jogador mais perigoso dos blues, pela sua fantástica capacidade de explosão e mudança de ritmo,Sturridge, não são poucos os recursos que Di Matteo tem à sua disposição. Ainda assim acredito que o Benfica tem capacidade para ganhar amanhã, e uma vitória poderia embalar o Benfica para o ciclo terrível que se avizinha.

É esta a altura da época em que se distinguem, as equipas fracas das fortes, as perdedoras das vencedoras, as que têm estofo e aquelas que não aguentam a pressão. E este é um teste que o Benfica está proibido de falhar!

Tiago S. (Saviolafication)

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

Tivemos uma semana de pleno sucesso para as modalidades do SL Benfica. Ainda existe muito para ganhar...


O Futsal teve uma vitória muito importante frente ao Operário por 3-6 numa deslocação dificil aos Açores, na passada quinta feira, num jogo a contar para o campeonato nacional. O inicio do jogo foi bastante equilibrado com as duas equipas na procura do golo. Foi o Benfica a primeira equipa a chegar ao golo por intermédio de Davi, numa boa finalização à saída do guarda redes contrário. Operário reagiu, colocando o 5 para 4 em campo e foi através dessa estratégia que chegou à igualdade a 1 no marcador. Contudo, até ao intervalo, o Benfica chegou à vantagem através de Marinho. Foi bastante importante este golo antes do intervalo. Na segunda parte, os encarnados entraram fortes e bastante eficazes chegando ao 1-4 com golos de Gonçalo Alves e Ricardinho. Os açorianos reagiram novamente, chegando ao 3-4 a quatro minutos do fim, novamente no 5 para 4. Foi nesse sistema que continuaram e tentaram chegar ao empate mas foi o Benfica que aproveitou dois erros dos visitados para chegar ao 3-6 final, com um bis de Diece.


O Basquetebol venceu o Porto por 67-76 no Dragão Caixa, em jogo para o campeonato nacional. Vitória justa do melhor conjunto de jogadores em Portugal. Espero que seja uma vitória que faça com que este grupo de jogadores perceba que tem talento e qualidade que chegue para serem campeões nacionais.

Uma excelente agressividade defensiva (devia ser assim em todos os jogos) e uma boa eficácia no tiro exterior permitiu a concretização deste triunfo. Destaque para o grande jogo interior de Elvis Évora/Doliboa, bem como de Betinho e Ted Scott no jogo exterior.

Esta defesa em todos os jogos e ganhamos o campeonato. Não custa muito.


Já o nosso Voleibol carimbou mais uma vitória e mais três pontos frente ao Castêlo da Maia por 3-1 (25-18; 27-29; 25-21; 25-16), no pavilhão da Luz, para a segunda Fase do campeonato nacional, a qual continua a ser comandada pelo Benfica.

Um primeiro set que começou equilibrado mas, na sua parte final, o Benfica impôs a lei do mais forte. No segundo set um Benfica mais desconcentrado na recepção e menos eficaz no bloco permitiu a vantagem de 27-29 para o conjunto da Maia. No terceiro e quartos sets, não jogando muito bem, o conjunto encarnado chegou à vitória de forma clara.


Destaque também para a vitória do Andebol benfiquista por 31-30, frente ao HC Celje Lasko, no pavilhão da Luz, em jogo a contar para a segunda mão da Taça das Taças. Contudo, apesar da vitória, o Benfica ficou eliminado nesta fase da competição.

Uma boa exibição do Benfica que chegou a assustar os eslovenos em determinadas fases do encontro. Se jogassemos assim internamente não estaríamos tão longe do titulo. Os objectivos europeus foram concretizados com esta boa campanha numa competição muito forte.


Por último, mais uma grande vitória do Hóquei em Patins frente ao Valongo por 9-3, na Luz, para a vigésima jornada do campeonato nacional. Um jogo que o conjunto benfiquista começou da melhor maneira, chegando aos 3-0 de uma forma tranquila. Até ao intervalo tivemos um jogo “entretetido”, no qual o Benfica chegou a vencer por 5-1. Na segunda parte, o Benfica geriu o jogo, não deixando de ampliar a diferença até aos 9-3 finais. Destaque para o poker de João Rodrigues (que pérola temos na Luz!).


SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!

Eu acredito

No último post aqui escrito, disse que acreditava. E acredito, claro.

Porque sou do Benfica. Porque vejo os jogos todos dos outros. E SEI que se nenhum está a jogar nada, ainda ninguem jogou o que nós andávamos a jogar antes de ir à Rússia.


Ontem, 1ª parte à porto dos anos 90. Houve de tudo! Penaltys, foras de jogo de 1 metro mal assinalados, a 1ª falta aos 29 minutos.

Ainda assim. Empataram.

Como posso não acreditar?

Para quando o mesmo tratamento para com o Clube?

O departamento de comunicação lançou hoje um comunicado a questionar a veracidade das noticias veiculadas desde sexta feira, que relatavam o puxão de orelhas do presidente a jogadores e equipa técnica.
Concordo! A 100%! Se é falso à que denunciar. Mas denunciar sempre!

Durante a época actual, já foram vários os ataques rasteiros que o Clube sofreu, sem que semelhantes medidas tivessem sido aplicadas por parte do departamento de comunicação. 
Assim de cabeça lembro-me dos ataques de Vitor Pereira (aos quais Jesus sempre respondeu, quando tal não é a sua função, causando-lhe muito desgaste e desviando-o do que é essencial) que se referiu a bloqueios, faixas, caceteiros e outras coisas mais. Lembro-me também da "guerra" com a Olivedesportos/TVI com resumos dignos de filmes do Hitchcock em que se pediram penalties por faltas na área do adversário e por lances normais junto à linha lateral, etc. E ainda as variadas "contratações" pomposamente anunciadas e re-anunciadas. Tipos como o Serpa a chamarem de miseráveis a benfiquistas que com muito sacrifício se deslocaram a Manchester. Tipos como o M. Queirós, Bernardino Barros, e tantos outros a achincalhar constantemente o Benfica.

A tudo isto respondemos com silêncio. Em teoria é deixá-los a falar sozinhos, o que até aprecio, mas na realidade o nosso silêncio é sempre visto como uma carta branca para fazerem o que querem. Ainda para mais depois do que se obteve com o Apito Dourado (uma valente mão cheia de nada) é claro para mim que a tendência é para isto escalar cada vez mais. Há 10 anos atrás ninguém se atrevia a "marcar" penalties contra o Benfica, por ocorrências fora da área... Nos dias de hoje é o que se vê. Uma completa desavergonhice para com o Benfica. 

Preconizo o seguinte modelo para um Departamento de Comunicação À Benfica!
  1. Ter um, dois, três, ou os  funcionários necessários a ver TV, ler jornais, ver os jogos TODOS (televisionados e não televisionados) e a criar relatórios com o que foi dito, escrito, feito que possa ser considerado como ataque ao Benfica (ou como beneficio para outrem às custas do Benfica)
  2. Ter uma pessoa como João Gabriel a 100% no clube, de modo a gerir uma equipa de pessoas que analisem os relatórios e componham as respostas necessárias. A defesa efectuada até agora é boa quando existe. Tem de existir mais vezes. Tantas quantos ataques que sofremos.
  3. Criar um programa semanal na TV e jornal do Clube com a análise isenta aos vários lances. Não só os contra mas os a favor também, para que depois haja moral para falar publicamente acerca do estado de coisas.
  4. Dizer claramente à equipa técnica e aos jogadores que eles só falam de futebol. Quando muito podem referir-se a arbitragens porque os afecta directamente. A tudo o que seja extra futebol (contratações, diz que disse dos outros treinadores/dirigentes, polémicas laterais, etc) a resposta é (deve ser) sempre a mesma: "Não comento assuntos extra-futebol. A seu tempo o Gabinete de Comunicação emitirá a posição do clube" Ao fim de 3 meses acabavam-se as polémicas nas conferências de imprensa do Benfica. 
  5. Dirigentes do Benfica não DEVEM/PODEM fazer parte de programas semanais de televisão. Não é para isso que foram eleitos. PONTO!
  6. Os dirigentes do Benfica, devem falar pontualmente, sempre com a coordenação do Gabinete de Comunicação e nunca a quente. É imperativo, que os dirigentes apenas falem, quando tenham algo importante a dizer. Falar por falar não é À Benfica!
A estes pontos, podiam ser adicionados outros que se considerem pertinentes, depois da implementação do modelo, pois nada é perfeito à primeira.

Podem ver muito disto aplicado no site www.anti-benfica.com, onde são desmontados os ataques ao nosso clube. Pena é, que muito pouca gente tenha acesso a tal site (na maior parte dos casos por desconhecimento).

Mensagens

Não vi o jogo na sexta (ainda bem para o meu coração!). Não vi o jogo ontem. Perante ambos os resultados só posso dizer que Benfica e Porto não merecem ser campeões. Um e outro já tiveram este campeonato na mão. Surpreendentemente, em ambos os casos nunca conseguiram segurar vantagens pontuais que tinham tudo para ser decisivas.

Duas mensagens para o Benfica:

  1. A jogar assim não vale a pena queixas sobre arbitragem. Como questionamos a competência dos outros se não conseguimos ser nós próprios competentes? Os campeonatos perdem-se nos jogos com os pequenos...
  2. Já estamos carecas de saber que temos de jogar muito melhor que os outros. Isto acontece em parte pelo nosso silêncio quando somos atacados por todos os lados. As campanhas lançadas a devido tempo, estão a surtir os seus efeitos, sempre com o nosso cúmplice silêncio. 



PS: O penalty sobre Hulk no jogo de ontem é demasiado óbvio, sendo uma aberração a decisão do árbitro. O mesmo para o penalty sobre o Luisinho. É isto árbitro de primeira categoria? Que fraco. 

sábado, 24 de março de 2012

Aimar e o vermelho

Pablo Aimar estreou-se a 11 de Agosto de 1996, ainda com 16 anos, no River Plate.

Tem uma carreira invejável, que é elogiada por colegas, adversários, superiores e toda a gente que com ele se cruza.

Veio para o Benfica.

Passa a ser um fiteiro, um simulador.

Leva o 1º vermelho directo da sua carreira aos 23 Março de 2012, porque joga no Benfica e campeonato de merda de Portugal, 5704 dias após a sua estreia, ou 15 anos, 7 meses e 13 dias depois, por uma suposta agressão onde o jogador agredido se queixa de uma zona 1 metro ao lado.

Reacção dos benfiquistas? "Põs-se a jeito", "não é assim tão bom", "mereceu".

Odeio que sejamos tantos... Odeio mesmo! Aimar é um futebolista exemplar, que nunca sequer deve, na sua carreira, ter PENSADO em agredir um colega. É um futebolista que perante uma agressão nítida de Bruno Alves, se levanta com um sorriso nos lábios.



No fim, empatamos em Olhão. Eu acredito. O meu único problema é com os vermelhos. E não é com os cartões. É com alguns adeptos e alguns jogadores...

quinta-feira, 22 de março de 2012

O fracasso de Vieira - 5


A rubrica de hoje de "O fracasso de Vieira", centra-se na instabilidade governativa que já de há muitos anos a esta parte grassa no Benfica. Infelizmente, Luis Filipe Vieira não conseguiu inverter esta tendência a tempo.

O tempo de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica já vai longo. São 2 anos de Director Desportivo do Futebol (2001-2003) mais 8 (9) anos de presidente (2003-2012). Ao longo deste tempo, foram muitas as dificuldades que teve de superar, mas não tantas como as que nunca se cansou de repetir. Foram ainda mais (muitos mais) os erros que se cometeram, alguns dos quais com graves repercussões nos destinos do clube.

Em quinto lugar: A Instabilidade Governativa

A instabilidade governativa no Benfica tem sido um dos grandes males do clube em anos recentes, com foco evidente nas decisões que se tomam ao sabor da maré. A incapacidade de conciliar os assuntos do clube com ambiçóes pessoais/profissionais, dos vários membros das várias direcções do clube, levou a que alguns deles, saissem incompatibilizados ao longo dos anos. Gerou-se o navegar à vista, ao sabor das marés vindas de quase todos os quadrantes, que proporcionaram enúmeros episódios rocambolescos, com alguns indivíduos a ganharem um protagonismo que não deviam nunca ter tido. Claro que este navegar à vista, levou imensas vezes a que quem se situa abaixo na estrutura (staff técnico, de suporte e plantel) fosse substituido sem razão aparente e/ou com grave prejuizo para o clube. As mudançãs anuais em treinadores, directores desportivos, directores de formação, jogadores, gestores, etc, não só geraram os famosos anos Zero ou novos ciclos (a cada nova época), como implicaram avultados investimentos na substituição de vários elementos da estrutura encarnada. 
Claro que muitas vezes, as pessoas contratadas e/ou eleitas não tinham, pura e simplesmente, qualidade para representar o Benfica. E aqui nada havia a fazer, senão a sua eventual  remoção do clube. Houve no entanto, muita gente capaz a ser trucidada por esta instabilidade. Dando exemplos, temos casos como o de Mário Dias (que saiu do Benfica após a conclusão do Estádio para tratar dos seus negócios em África), Trapattoni (que não foi possível segurar no comando técnico da equipa), António Carraça (que já é a segunda vez que trabalha no Benfica, tendo na primeira vez saído ingloriamente) ou José Veiga (que saiu por vontade própria devido a problemas judiciais e se transformou num acérrimo opositor do presidente).
São apenas alguns casos do bom e mau que passou pela Luz.

O grande impacto deste processo destrutivo é, para mim, a perda de mistica encarnada (não se pense que são apenas os jogadores que carregam a mesma) a que corresponde um desresponsabilizar dos elementos de topo, porque simplesmente as pessoas não ficam tempo suficiente nos lugares, para poderem receber e passar essa mistica. Outro dos impactos negativos é inabilidade completa de levar projectos até ao fim, com a consequente falta de resultados que isso acarreta. Muda-se tudo a cada novo ciclo, quando é já de senso comum, que um projecto necessita de algum tempo a dar resultados (mais ou menos consoante a capacidade de quem executa). O maior problema é a mudança radical a 180º.  Porque apesar de tudo o que é mal feito, existem sempre coisas bem feitas e que devem merecer continuação.
Isto leva, naturalmente, a que as pessoas que vêm trabalhar para o Benfica, se desliguem um pouco do clube à medida que os "empregos" se tornam cada vez mais temporários e voláteis. As decisões são quase sempre a pensar no imediato, muitas vezes sem se ponderarem as consequências graves que implicam, o que é compreensível face à necessidade de resultados imediatos. E com cada mudança sistemática, mesmo após resultados satisfatórios, vem a gradual redução de espectativas e exigência. É o que atravessamos neste momento, uma baixa histórica de espectativas e exigência (e contra mim falo às vezes). 

A solução para isto, passa não por mudar radicalmente, mas sim por melhorar gradualmente, o que não está bem (claro que eu gostaria que se mudasse tudo o que está mal imediatamente, mas compreendo que isso simplesmente não é possível). A mais valia inerente é a aprendizagem com os erros, que traz mais estabilidade (não na mediocridade) a quem governa, pois é para mim óbvio, que com os erros se aprende muito. Aparentemente, em algumas matérias ainda não errámos o suficiente para aprender. Isto não se faz em um mês ou num ano, mas após quase 9 anos e com múltiplos exemplos anteriores do que não fazer, considero que não estiveram à altura nesta matéria. Outra mais valia, é que não se perde o que de bom existe, melhora-se o mau. E assim crescemos.

Felizmente que este processo parece ter sido estancado (ou pelo menos amenizado) nos últimos dois anos, podendo eu esperar que nos próximos anos, consigamos ver alguns resultados positivos, de uma maior estabilidade governativa que temos. Neste caso, parece-me a mim, que as pessoas estão nos lugares certos e com competências e liberdade para executarem o seu trabalho. A menos que se regresse ao tempo dos novos ciclos (e os resultados desta época ditarão muito nessa matéria), podemos aspirar a lutar pelos títulos até final sempre. Neste ponto, acredito que começámos a resolver os nossos próprios problemas ao invés de escolher única e exclusivamente, atirar pedras sobre inimigos externos. Assim continuemos.


Índice:
Em décimo lugar: Mistura de Amizades pessoais com a Defesa do clube
Em nono lugar: Delapidação dos Valores do Clube
Em oitavo lugar: Introdução de Corpos estranhos ao Clube
Em sétimo lugar: O Sebastianismo
Em sexto lugar: O Descontrolo Financeiro

Como modificar a história...


Luís Filipe Vieira
33º Presidente (31/10/2003 - )
Chegou à presidência com a responsabilidade de devolver o Benfica às suas glórias passadas, tendo-o conseguido com sucesso. A construção do novo Estádio da Luz surgiu como prioridade no seu primeiro mandato, tendo sido, desde aí, várias as iniciativas levadas a cabo pela sua direcção: como a construção do Centro de Estágio; a abertura de um canal de televisão; a construção da Reserva, Conservação e Restauro e do Centro de Documentação e Informação – departamentos pioneiros, virados para o património, para a memória e para a história do Clube.
Destacamos como a sua principal característica a ambição de instalar um novo ciclo de vitórias desportivas, bem como a reformulação de tudo o que deveria ser um clube desportivo com a dimensão do Benfica. Foi vencedor de dois campeonatos nacionais, em 2004/05 e 2009/10, assim como da Supertaça em 2004/05, três Taças da Liga e uma Taça de Portugal em 2003/04. Encontra-se na presidência do Clube desde 2003, estando a cumprir ainda o seu terceiro mandato.
O texto acima foi retirado do site oficial do clube e é uma muito resumida biografia do actual presidente, feita por alguém que não sei quem é. Como não gosto de mentiras e falcatruas, não posso deixar de mostrar o meu desagrado por tão gritante atropelo da história como o descrito acima. É que é até de mau tom, colocar uma informação destas no site oficial do clube, pois a mentira não é de todo uma característica que o Benfica preze e quem for responsável por isto, deverá assumir as suas responsabilidades e corrigir o erro...

Todos se lembrarão de quem era o presidente no dia da inauguração. Pelo menos eu gosto de acreditar que sim. A 25 de Outubro de 2003, Vilarinho inaugurava o novo Estádio da Luz com pompa e circunstância! Alguns dias depois (como refere ali em cima a data de inicio de funções do actual presidente), Luis Filipe Vieira tomava conta dos destinos do clube, durando o seu período de governação até aos dias de hoje.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Para recordar

Porque se prepara mais uma cambalhota no sentido de conotar árbitros com o Benfica, aqui fica o espelho fiel do que é a realidade da arbitragem em Portugal e a razão principal para se continuar a dizer (os nossos adversários é claro) que o Benfica é levado ao colo, tem o andor, clube do regime e por aí fora. É que normalmente, um árbitro em fim de carreira lá se lembra que já não pode ajudar o Porto, e manda uma bujarda tal que se fala nisso por anos e anos... 

À lei da bola - 23/3/2009
Pedro Ribeiro em grande!

A falta que faz Pedro Proença e as Contradições dos Senhores do Norte

Dado que o meu amigo Nuno já se encarregou de analisar o jogo em si de ontem, bem como outras actualidades do mundo encarnado, vou apenas falar de algumas incongruências que achei engraçadas no jogo de ontem.

Como diz um adepto peculiar do Benfica: "já te tinha dito oh Proencinha que é feio andares a roubar", felizmente Artur Soares Dias não quis imitar o seu caro colega de arbitragem e exibiu-se a um nível bastante aceitável, apesar de ter cometido alguns erros, o que é quase impossível de se evitar.

Como já sabem o Benfica ganhou, o Porto perdeu e como não podia deixar de ser, imediatamente o bode expiatório encontrado para justificar um "banho de bola" foi a arbitragem. Mas a chamada estrutura já conheceu melhores dias, senão vejamos:

Antes do clássico Pinto da Costa tinha referido que a competição não era prioritária e que o Porto até deveria jogar com os suplentes. A verdade é que o Porto apresentou-se praticamente na máxima força e inclusivamente Hulk fez os 90 minutos. Depois do embate, Pinto da Costa deixou críticas à arbitragem (parece que afinal a competição tem importância suficiente para se condicionar mais um pouco a prestação dos árbitros) ao mesmo tempo que fazia afirmações ridículas como "já nos livrámos desta". Contrastando com esta posição de Pinto de Costa, Vitor Pereira e os jogadores bem pelo contrário, exibiam uma postura digna de final da Liga dos Campeões. O treinador portista festejou os golos da sua equipa efusivamente acompanhado do seu banco de suplentes, tal como os jogadores de campo que inclusivamente provocaram o público nas bancadas do Estádio da Luz com gestos, o que para um jogo de carácter secundário é de estranhar. Já na conferência de imprensa, um Vitor Pereira que mal conseguia articular 2 palavras (provavelmente ainda estava indignado) criticou mais uma vez as arbitragens, referindo os "bloqueios" do Benfica como a causa da vitória. O Benfica que tenha cuidado que não pode marcar golos de livre a partir de agora.

Atitudes estranhas para quem afirmava que este jogo tinha a mesma importância que um jogo-treino. E com base nelas, acredito que esta vitória do Benfica ainda vai ter consequências negativas para o Porto no campeonato, a única competição que ainda têm hipótese de ganhar.

Tiago S. (Saviolafication)

Falta Inteligente

Será que finalmente aprendemos a defender como equipa grande?

Na segunda parte do jogo de ontem, foi visível uma coisa que se calhar passou despercebida. Assim que o Porto saia para um contra-ataque rápido em superioridade, um dos nossos fazia a chamada "falta inteligente" ou necessária e parava o dito contra-ataque. Isto aconteceu em pelo menos 3 situações, com amarelos a saírem na ocasião para Javi Garcia, Luisão e Capdevila. Curiosamente no jogo do campeonato apenas houve uma situação destas, que culminou na expulsão de Emerson.

Sinceramente, sou contra este tipo de faltas, porque a malta quer é ver jogos abertos, emotivos e com muitos golos, e estas faltas quebram o ritmo a um jogo, além de serem anti-desportivas. No entanto, e já desde o ano transacto, apenas o Benfica não fazia uso delas, expondo-se a contra-ataques perigosos que na maior parte dos casos resultavam em golos e decidiam jogos a nosso desfavor. Enquanto estas faltas não passarem a ser mais severamente punidas, acho que o Benfica não pode ser anjinho e não as fazer. 

É que também este pormenor (que se torna em pormaior muito facilmente) é muitas vezes decisivo no desenlace de uma eliminatória equilibrada. E considero que a eliminatória que acabámos de ter da Taça da Liga, juntamente como a que vamos ter na Liga dos Campeões com os ingleses do Chelsea, são casos em que este pormenor fez, e vai fazer, toda a diferença.

A caminho do tetra!

Ganhámos! 
Já merecíamos este desfecho.

Mais que a vitória em si, foi o quebrar do ciclo negativo em casa contra o Porto, que deve ser ressalvado. Exorcizámos alguma coisa dos demónios azuis que nos têm apoquentado ultimamente.
A equipa soube reagir à adversidade e sai do jogo como justa vencedora. Teve as melhores oportunidades e comandou o jogo durante mais tempo. A parte psicológica foi extremamente importante e todos os jogadores estiveram em alto nível nesse aspecto. Não era nada fácil dar a volta a um jogo em que se inicia da melhor forma, para em 10 minutos passar pelo fundo do poço. Enormes!

Todos os jogadores merecem a devida vénia pelo jogo, mas tenho de destacar um deles. Capdevila fez um jogo bastante razoável atendendo a quem tinha pela frente. É certo que foi algumas vezes ultrapassado em velocidade pelo boneco verde da Marvel, mas nunca se atemorizou. Acabou o jogo em grande plano. Parabéns pela exibição e que possa ter mais oportunidades.

Duas notas sobre o jogo: 
  1. A rábula do bloqueio é das coisas mais idiotas que já ouvi.
  2. O que será preciso acontecer para expulsarem um jogador do Porto por acumulação de amarelos num jogo contra o Benfica?

FORÇA BENFICA!!!!

terça-feira, 20 de março de 2012

Final da Liga dos Campeões no Estádio da Luz em 2014

Foi confirmado há momentos, que o Estádio do Sport Lisboa e Benfica será o palco da final da edição 2013/2014 da Liga dos Campeões. É um orgulho imenso receber tal evento, com as duas melhores equipas desse ano. Já merecíamos uma organização destas e acho que a decisao até já peca por tardia.
Depois de Alvalade em 2005, é a nossa vez de servir como anfitriões, só que repetir o feito leonino de chegar à final em casa será muito mais complicado. No entanto, parece que já nos andamos a preparar, como presenças em quartos de final e meias finais de competições europeias nos últimos três anos. Seria um dos momentos mais épicos do clube, vencer a maior competição de clubes de futebol do mundo em casa.

Parabéns Benfica.

PS: Parabéns também a Luís Filipe Vieira. Conseguiu trazer para Lisboa a organização mais ansiada por qualquer clube europeu (o Real Madrid que o diga). Muito obrigado.

Bode Expiatório de Fora

Apenas esta Terça-Feira foi divulgada a convocatória para o Clássico. 
Para surpresa de todos (e a pedido que quase todos eles), Emerson fica de fora da mesma. Finalmente, vamos ver se os treinadores de bancada têm razão ou não, e pode ser que até tenham. Agora é para mim ridículo o que se tem feito a este jogador. Ele não o merece, de todo!
Duma coisa tenho a certeza, 10 jogos seguidos sem Emerson na equipa e ele tornar-se-ia por milagre no melhor do mundo! É típico.

Espero que os que entrem joguem bem e lutem e que consigamos o objectivo de chegar à 4ª final consecutiva.


Lista de convocados

Guarda-redes: Artur Moraes e Eduardo;
Defesas: Maxi Pereira, Luisão, Jardel, Miguel Vítor, Capdevila e Luís Martins;
Médios: Matic, Javi García, Witsel, Bruno César, Nolito, Gaitán e Aimar;
Avançados: Cardozo, Saviola e Nélson Oliveira.

Tetra e treta

Mais logo, decide-se na Luz quem será o primeiro finalista da edição deste ano da Taça da Liga. O Benfica recebe o Porto no terceiro embate entre ambos desta temporada. No últimos três jogos entre ambos na Luz, apenas deu vitória azul. Com mais ou menos impacto das arbitragens, o facto é que em todos os três jogos, o Benfica entrava em vantagem para os objectivos do jogo. As arbitragens têm (tiveram) grande impacto mas não explicam tudo. Também existiram erros próprios.
  1. No clássico do apagão, não conseguimos manter o empate que adiava a decisão do título para a jornada seguinte, impedindo-os de festejar em nossa casa. 
  2. No da taça, 2 semanas depois fomos abatidos em 10 minutos, desperdiçando uma vantagem fora de 0-2. Isto quando já só faltava jogar meia parte de 45 minutos, quando o Porto não nos tinha conseguido importunar durante 135 minutos.
  3. Este ano entrando em vantagem (mínima) no clássico, também não soubemos resguardar-nos dos erros do Proença-a-Zul  e acabámos por baquear no jogo do título. 

Para hoje espero uma equipa sobretudo inteligente. E aqui incluo o treinador obviamente, pois parte da culpa da série de 3 jogos a perder com eles, é dele. Não digo que vamos trucidar o Porto, pois com o Artur Soares Dias ao leme da coisa, até duvido que acabemos com 11 em campo.Agora temos de nos resguardar dos erros arbitrais, no caso, os que vão acontecer à entrada da área azul, causadores de contra-ataques explosivos de Hulk e James. Temos de quebrar o ciclo negativo já hoje e chegar à nossa 4ª final consecutiva.

Ontem em Barcelos tive mais uma confirmação de que o individuo Bruno Paixão é medíocre. Não só erra indiscriminadamente, como o faz muitas vezes. Nunca tinha pensado nisso desta forma, mas após ler um comentário de um amigo, constato que indivíduos destes só chegam onde chegam, para dar cobertura a quem é competente o suficiente na trapaça e vigarice. Se como o Vitinho afirma, os árbitros, em geral, acertam em 95% das decisões, alguém que lhe explique que o Paixão (que não é caso único), falha uma média de 50% das decisões importantes e que definem jogos.


segunda-feira, 19 de março de 2012

Em busca do presente perdido

Já foi aqui noticiado e publicitado o passatempo "Seja Sócio Encarnado", em que foram distribuídos alguns prémios por leitores do blog que tentaram adivinhar os resultados do glorioso (no seu período negro da época curiosamente),

Acontece que o vencedor da segunda parte, Fanatico_Benfica, não reclamou o devido prémio. Não tendo uma conta no google blogger, não tenho meio de o contactar a não ser por artigos do blogue, à espera que ele os veja. Como tal, decidi que caso o prémio não seja reclamado até final do mês, irei criar um novo passatempo com o KIT como prémio.
Mais desenvolvimentos sobre isto, caso o Fanatico não apareça...

Aqui fica a lista de vencedores e respectivos estados de processamento de prémios. 
Quem não concordar que o desminta :P

Parte I

  1. Morais - KIT Sócio - Entregue
  2. Aloutre - Cachecol - Entregue
  3. Ligia Morais - Puzzle - Entregue
Parte II
  1. Fanatico_Benfica - KIT Sócio - Por reclamar
  2. Joao Pinto - Cachecol - Entregue
  3. Marta - Puzzle - Entregue

Mais uma vez peço a quem souber quem é o Fanatico, que lhe diga que ganhou um KIT Sócio.

Obrigado

Porque o SL Benfica não é só Futebol...

Apesar de alguns resultados positivos considero a última semana negativa para as modalidades do SL Benfica.
Começo a minha análise pelo Futsal encarnado. Na passada quarta feira, o Benfica carimbou o acesso à final da Taça de Portugal, após ter batido o Freixieiro por 4-1, no pavilhão da Luz. Uma exibição bastante positiva da nossa equipa, deveras segura, tendo criando numerosas oportunidades de golo. O Benfica chegou a vencer ao intervalo por 1-0, com golo de Diego Sol, numa excelente combinação do ataque benfiquista. O Freixieiro reagiu no início da 2ª parte, empatando a partida a 1 golo. Mas o conjunto encarnado logo reagiu e acabou por vencer com naturalidade por 4-1 com golos de Diece(2) e Dentinho.
No sábado, mais uma vitória por 7-1, na Luz, frente ao Boavista, em jogo a contar para o campeonato. Vitória da equipa mais forte, apesar de alguns calafrios iniciais. Os golos foram apontados por: Ricardinho (2), Davi(2), Dentinho, Diego Sol e Marinho.

O Andebol do Benfica teve mais uma semana negativa, o que já não surpreende. Empatou 22-22 na Luz frente ao rival Sporting em jogo a contar para a 2ª jornada da Fase Final do campeonato. Efectuamos uma boa 1ª parte, com boas acções ofensivas, apoiadas numa excelente exibição de Ricardo Candeiras na fase defensiva do jogo, que levaram o Benfica a vencer para o intervalo por 13-10. Na 2ª parte assistiu-se a algo habitual nesta equipa. Desorganização do jogo, pouca agressividade defensiva e uma má arbitragem levaram ao empate final. Destaque para os 10 golos do David Tavares. O titulo é apenas uma miragem. Creio que seja necessária uma “vassourada” nesta secção.
No fim-de-semana, uma derrota esperada frente ao HC Celje Lasko por 29-23, na Eslovénia, em jogo a contar para a 1ª mão dos quartos-de-final da Taça das Taças. É uma eliminatória perante uma equipa bastante forte e habituada a estas andanças. Poucas hipoteses tínhamos antes da 1ª mão e muito poucas temos depois desta partida disputada. Objectivo é tentar vencer o encontro da 2ª mão. Nas competições europeias cumprimos os objectivos.

Mais uma grande desilusão no Basquetebol. Um fracasso esperado para quem segue atentamente o desempenho da nossa equipa. Ficamos pela meia-final na “Final 8” da Taça de Portugal, realizada em Fafe.
Nos quartos-de-final vencemos por 102-55 a equipa do Terceira Basket. Fizemos apenas a nossa obrigação perante uma equipa com apenas 1 americano e que está em penultimo lugar no campeonato.
Na meia-final perdemos por 62-66 frente ao Porto, na final antecipada da competição. Foi um jogo muito fraco qualitativamente falando, mas com forte carga emocional.
O Benfica teve uma boa 1ª parte. Defendemos bem (coisa rara esta época) e no ataque estivemos muito eficazes no tiro exterior, o que nos permitiu chegar ao intervalo a vencer por 38-32. Na 2ª parte do jogo, o nosso tiro exterior esteve ausente e a defesa bem menos agressiva e concentrada, o que permitiu ao Porto alcançar o Benfica no marcador. A faltar 15 segundos para o fim do jogo, e com o resultado num 62-62 e posse de bola para o Porto, o Benfica decide fazer falta de propósito e leva o Porto para a linha de lance livre, na qual o Porto foi eficaz e fez o 62-64 a 10 segundos do fim. O Benfica tinha, então, a última posse de bola. Num lance muito mal organizado, Ted Scott tenta resolver - sem sucesso - e o jogo fica resolvido. Desde já digo - e não é porque perdemos - que não concordo com o facto de se “fazer falta” com o resultado empatado a 15 segundos do fim. A última posse de bola é o espelho do Basquetebol do Benfica desta época: desorganização total e falta de liderança forte.

Tivemos a 1ª derrota da época no Voleibol. Perdemos, nos Açores, frente à Fonte Bastardo, por 3-1 (17-25; 25-16; 25-22; 26-24) num jogo a contar para a 4ª jornada da 2ª fase do campeonato. O jogo não foi transmitido e por isso pouco posso dizer acerca do mesmo. Esta derrota neste momento até pode ser “boa” para a equipa. Deve servir de alerta que este campeonato está longe de ser o passeio que muitos afirmam. Eu continuo a confiar muito nesta equipa.

Por último, fica o nosso Hóquei em Patins. Vitória importante, por 2-8, na Alemanha, frente ao Iserlohn, em jogo a contar para a 5ª jornada da Liga Europeia. Uma vitória esperada e tranquila que nos permitiu chegar à liderança do grupo. Os golos foram de: Cacau(2), Diogo Rafael, Valter Neves, Carlos Lopez, Sérgio Silva, João Rodrigues e Luis Viana.
Fica tudo para decidir na última jornada do Grupo, onde iremos receber o VIC na Luz.

SPORT LISBOA E BENFICA!!! 1904!!!

Ignorância e Pesar

Faleceu ontem António Leitão, aos 51 anos vitima de doença prolongada.

Confesso a minha total ignorância acerca deste homem, benfiquista, que nos deu uma das maiores alegrias, sendo o nosso representante na geração que trouxe para Portugal várias medalhas olímpicas.
Após ficar a saber da sua morte, por intermédio de blogs benfiquistas, fui pesquisar melhor, quem foi António Leitão, e só posso sentir-me envergonhado por desconhecer a sua história, a sua vida até ontem. O seu maior feito, foi a medalha de bronze em 1984, mas longe de se esgotar aí, a sua carreira foi marcada por luta, suor, esforço e muita dedicação ao atletismo.

Até agora, foi Ana Oliveira quem melhor o caracterizou:
“O António Leitão estará sempre connosco, mas vai fazer-nos muita falta nas nossas vidas. O António Leitão foi sempre a mesma pessoa, muito disponível e ajudou muita gente no atletismo português. Partilhou tudo o que teve de bom na vida com os seus amigos”
O Benfica fica mais pobre depois de ontem, sendo que este benfiquista, vai passar a marcar presença no quarto anel e na pista de atletismo estelar. Sempre com a mesma dedicação.

Que descanse em paz e tenha o reconhecimento devido.

domingo, 18 de março de 2012

3ª feira há o jogo 3 esta época contra o FC porco.

Há um montão de benfiquistas que acham que deviamos jogar para ganhar a todo o custo, porque aparentemente isso traria uma vantagem "psicológica" no embate contra o porco no campeonato.

Não entendo. Não voltamos a jogar contra eles, 6ª há jogo numa caixa de fósforos, enquanto eles vão a Paços, Braga e verdes renascidos estão aí ao virar da esquina e Chelsea mereciam levar uma coça.

E a malta anda a pensar na Taça da Liga? O que interessa isso?

Para mim era Eduardo, André Almeida, Miguel Vitor, Jardel, Capdevilla, Matic, Ruben Pinto, Luis Martins, Djaló, Rodrigo, Saviola.

Não gostava de perder este jogo, mas se puder trocar este jogo por 3 vitórias nos próximos 3 do campeonato, era para ontem.

sábado, 17 de março de 2012

O fracasso de Vieira - 6


Na rubrica de hoje de "O fracasso de Vieira", é o aspecto financeiro que domina atenções. Se por um lado o Benfica tem crescido muito, por outro esse crescimento fica em grande parte a dever-se aos bancos.

O tempo de Luís Filipe Vieira à frente do Benfica já vai longo. São 2 anos de Director Desportivo do Futebol (2001-2003) mais 8 (9) anos de presidente (2003-2012). Ao longo deste tempo, foram muitas as dificuldades que teve de superar, mas não tantas como as que nunca se cansou de repetir. Foram ainda mais (muitos mais) os erros que se cometeram, alguns dos quais com graves repercussões nos destinos do clube.

Em sexto lugar: O Descontrolo Financeiro

  • 15.565.841 € / 99.312.450 € (Activo/Passivo do Clube)
  • 411.298.443 € / 403.719.741 € (Activo/Passivo da S.A.D.) 

Como se chegou a esta situação?

  1. Contraindo empréstimos (ou mecanismos equivalentes) para pagar empréstimos a vencer, a custos superiores.
  2. Desperdiçando valiosos recursos em contratações de "ocasião".
  3. Não poupando recursos em anos bons, para suportar os prejuízos dos anos maus. Vulgo Chapa ganha, Chapa gasta.
Algumas notas sobre os três pontos acima descritos:

i) Na época 2010/2011, a S.A.D., no seu Relatório & Contas anual, apresentou custos com financiamento que ascenderam a 18.726.308,00€ no total. São mais de 18M€ gastos nesta altura. Destes, 13.344.939,00€ (13M€) são directamente atribuídos a custos com juros. Como é obvio, isto é incomportável para um clube como o Benfica. Não só nos impede de canalizar algumas verbas das receitas para áreas onde esses fundos são necessários, como nos impõe uma ditadura bancária, com muitos empréstimos a serem renovados automaticamente (a custos superiores) porque o Benfica não tem capacidade de os pagar a tempo e horas, o que cria o chamado efeito bola de neve. Exemplificando o que digo:
Custos com financiamento
Mesmo admitindo que alguma parte destes valores pós 2009, são devidos a financiamento do Estádio, não deixa de ser preocupante e sintomático o rumo que estamos a levar.


ii) Os empréstimos que o Benfica tem ainda por pagar ascendem a cerca de 260M€ (259.969.059,00€), segundo informação disponibilizada no último Relatório & Contas, referente ao primeiro semestre de actividade de 2011/2012. O valor total dos empréstimos obtidos ascende a cerca 367M€ (367.090.310,00€), sendo visível que o Benfica amortizou cerca de 100M€ em empréstimos. O facto, é que parte destas amortizações foram efectuadas com recurso a empréstimos obtidos, aumentando na verdade o nível de endividamento.
No final da época 2010/2011, o valor por pagar era de cerca de 238M€ (237.188.347,00€). Esta discrepância prende-se com o facto do Benfica ter negociado uma nova emissão de papel comercial no valor de 50M€. E assim vamos andando, até que alguém veja que o caminho do empréstimo chegou ao fim. Nesse dia estaremos em maus lençóis.

iii) O factor mais visível do desperdício de dinheiro, está na contratação absolutamente absurda de jogadores que o Benfica faz em TODOS os anos. São cerca de 15 jogadores (a um custo médio de cerca 1,5M€) a cada nova temporada que se inicia. Simplesmente incomportável para nós, onde as contratações deveriam ser as absolutamente necessárias. Não temos dinheiro para andar a comprar "tudo o que mexe" na América do Sul... O facto é que desde que Vieira entrou no clube, são já mais de 150 jogadores contratados e a caminho em passos largos dos 200. Inexplicável à luz do que são os nossos constrangimentos financeiros.

iv) O gráfico em baixo demonstra a evolução da relação entre proveitos e gastos, com e sem transações de atletas. É para mim frustante que, em quase todos os anos, o aumento de receitas tenha sido acompanhado por um aumento na mesma proporção dos gastos. É simplesmente má gestão. 
Rácios entre proveitos e custos
Como se pode ver em cima, os resultados são quase sempre negativos, seja em anos com mais ou menos receitas. E se no passado (até sensivelmente 2007) as vendas de jogadores minimizavam ou alteravam o panorama financeiro, mais recentemente nota-se o inverso, tendo as transações de atletas sido um peso extra nas finanças do clube. Como se explica isto se vendemos como há nunca vendemos? A explicação encontra-se no lado das compras. Sinceramente, espero que com um plantel, mais ou menos estabilizado, como o que temos agora (em que são já muitos os jogadores que estão connosco há mais de 2-3 anos), não tenhamos necessidade de atacar em força o mercado como temos vindo a fazer. Tem de imperar o bom senso nesta matéria!

v) Segundo números divulgados no último Relatório & Contas da S.A.D. (1º semestre de 2011/2012), o número de atletas sob contrato é de 67 (!), tendo mesmo descido em relação a Junho de 2011, em que esse número era de 71 (!!). São quase 3 plantéis sob contrato. Muita gente mesmo. O negativo aqui, é não só o valor crescente dos vencimentos, mas também o facto de que a esmagadora maioria destes contratos são celebrados com jogadores que não vêm da formação, implicando gastos adicionais com custos de transferência e comissões. Temos de inverter esta tendência do contratar por contratar (nomeadamente sem dar tempo aos novos atletas de vingarem no clube), pois a mesma é muito nefasta ao Benfica.
Custos com Pessoal
Número de atletas sob contrato
Os valores referentes a números de atletas sob contrato, anteriores a 2007, não foram disponibilizados nos respectivos Relatórios & Contas. Ainda assim, é possível verificar o crescimento absurdo, que ocorreu neste valor em apenas 5 anos. Quase duplicou, o que para um clube português é incomportável.


Finalmente, quero deixar bem claro que não sou perito em finanças ou economia, e que os valores aqui apresentados, são fruto de conversas que tive com gente mais capaz e de conclusões que me parecem óbvias.
O tempo de inverter este rumo despesista é agora!

Índice:
Em décimo lugar: Mistura de Amizades pessoais com a Defesa do clube.
Em nono lugar: Delapidação dos Valores do Clube
Em oitavo lugar: Introdução de Corpos estranhos ao Clube