origem

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Ecos da AG

Tal como pedido aqui (e noutros sítios) a Assembleia Geral teve uma participação grande por parte dos benfiquistas. Muito maior mesmo, do que vinha sendo hábito. E a maioria dos que se deslocaram ao pavilhão estavam descontentes com o estado actual de coisas, em especial com os números apresentados em relação ao clube.

Segundo os números apresentados no Site oficial do clube, «...56,7 por cento dos sócios presentes votaram contra e 40,2 mostraram-se favoráveis ao Relatório & Contas apresentado pela direcção do Clube. Existiram ainda 3,1 por cento de abstenções

Obrigado aos que foram lá decidir o Benfica. Mostram-me que o Benfica ainda tem quem se interesse por ele, entre os milhares de sócios que foi angariando ao longo dos anos. E também me mostraram que é sempre possível lutar pelo que se acredita e que desistir não é opção. Seja-se a favor ou contra, todos pelo Benfica!

Algumas notas adicionais, devido a relatos que fui lendo e recebendo de amigos que estiveram presentes.
  1. A votação de 56,7% vs 40,2% não tem seguimento no rácio de sócios que votaram. Estariam na AG cerca de 400 sócios que votaram pelo chumbo e cerca de 100 que votaram pela aprovação.
  2. Rebentou um petardo dentro do pavilhão, coisa de lamentar, pois mesmo que com pontos de vista diferentes, ali eram TODOS benfiquistas.
  3. O presidente saiu logo após o anúncio de resultados, sob os pedidos de Demissão.
  4. Não existiu período adicional para discussão de outros temas.
  5. Finalmente, várias figuras da "oposição" marcaram presença e usaram da palavra.
Viva o Sport Lisboa e Benfica!

3 comentários:

  1. Estive lá e votei contra o R&C.

    Ainda assim não deixo de me sentir desiludido com alguns sócios que não sabem o que é democracia (liberdade de voto), educação (...) e honestidade (votavam cá em baixo e depois voltavam a votar nas bancadas).

    Lamentável!

    ResponderEliminar
  2. Esperemos que estes ecos todos da AG não desviem a atenção para o jogo que mais logo a equipa disputa em Paços de Ferreira, especialmente depois do que se passou em Coimbra na última jornada.

    Voltando ao tema da assembleia, acho que a não aprovação do R&C não é mais do que uma chamada de atenção, forte, por parte dos sócios para a estratégia seguida nos últimos anos.

    Despesas desnecessárias e avultadas, maus resultados da equipa principal de futebol, decisões discutíveis no que respeita a apoios a entidades federativas e da liga, política dúbia de contratações e dispensas, encabeçam as principais razões do descontentamento dos sócios, e acho que nisto haverá bastante unanimidade.

    É verdade, que também há coisas boas, como o aparecimento de resultados nas modalidades, vitórias das equipas de futebol nos escalões inferiores e outras.

    O problema é que, todos sabemos, que os sócios gostam muito disso, mas a verdade é que o interesse maior está e sempre estará na equipa principal de futebol, o grande bastião do clube, e se nessa não houver resultados visíveis e palpáveis, tudo o resto tenderá a desmoronar-se.

    A juntar a isso, este ano e noutros, há uma grande falta de coerência na própria estratégia (ou falta dela) adoptada para a equipa de futebol. Uns dias ouvimos dizer que vamos ter uma equipa que outros terão inveja, noutros ouvimos que vamos continuar a vender, depois de vendermos a espinha dorsal do meio campo.
    Isto cria instabilidade e dúvida nos sócios e adeptos, a quando lhe juntamos maus resultados, o caldo entorna-se.

    Quanto à assembleia, penso que foi mais um tiro no pé desta direcção. Penso que apesar do ponto único ser a aprovação do R&C, penso que mesmo depois de não ser aprovado deveriam prolongar a AG e ouvir os sócios. Todos sabemos que alguns se exaltam, mas depois da exaltação inicial, acabam por recuperar a calma e ouvir com clareza as propostas e discuti-las.

    Esta ou outra AG são as melhores oportunidades que uma direcção tem para trazer os sócios para perto de si. E se não percebem e não aguentam com o descontentamento dos sócios e viram costas, isso não fará mais do que agudizar esse mesmo descontentamento.

    As pessoas em cargos de liderança têm de estar preparadas para ouvir e aceitar as críticas, mesmo que não concordem com algumas, não podem ignorá-las, até porque nestes casos são as pessoas que as colocam nos cargos.

    É verdade que os excessos não são bem vindos e são lamentáveis, e aqueles que reclamam por mudança, por ser ouvidos, ao terem atitudes dessas não só não serão ouvidos como prejudicam algo que poderia ser proveitoso para o clube.

    Penso que no clube como no país há um grande défice de humildade ao não se ouvir o que os outros têm para dizer. O facto de alguém dizer algo que eu não concorde não faz dela uma inimiga, ou uma pessoa com ideias erradas, apenas alguém com uma visão diferente.

    O maior perigo que penso que o nosso clube corre é um défice muito grande de pluralidade, de ideias diferentes, de diferentes visões para o clube. A união de diferentes visões poderia ser muito positiva, o insistir num clube fechado conduzir-nos-à a algo que não queremos, e ninguém desejará de certo...

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o comentário do "Conversa Fiada" :) e acrescentaria mais alguns pontos que me parecem têm provocado grande descontentamento por parte dos sócios:

    - a ausência de uma política de defesa do clube depois de roubados pelas arbitragens. Basta recordar o silêncio há dois anos quando fomos prejudicados no início do campeonato e só se falava no roberto ou o ano passado quando estavamos com 5 pontos de vantagem e fomos roubados em Coimbra, Guimarães e depois na Luz.
    - o silêncio depois de prejudicados pela comissão de arbitragem, como no caso do inacreditável castigo de 2 jogos ao Aimar.
    - a verborreia habitual do LFV com conversas sobre a aposta na formação e nos grandes resultados já alcançados nessa área.
    - a "amizade" de LFV com inimigos do Benfica, como são António Salvador (aliado de negócios de LFV) e Joaquim Oliveira. Desculpabilizar o antónio salvador, depois dos apagões em braga e dos duches com água fria ou convidar para as galas do benfica um sujeito como o oliveirinha que prejudica o clube há anos...
    - a ausência prolongada do estádio para tratar de negócios pessoais no Brasil ou em Moçambique (obviamente que o homem tem direito a ter vida própria, mas os sócios não admitem que um presidente deixe o clube em 2º lugar em termos de prioridades).
    - os golpes estatutários (embora neste ponto se possam atribuir culpas aos sócios que são quem aprova ou reprova)
    - as contratações de elementos não benfiquistas, caso de DSO, antónio carraça, jorge "o porto é uma religião" gomes.
    - a presença de elementos como joão gabriel cuja principal tarefa parece ser a defesa do presidente (e não do clube)
    - as retaliações às claques impedindo-as de entrarem com tarjas, como vingança pela discordância das mesmas em relação à gestão do clube.
    - o tratamento dos sócios como clientes (prejudicando-os frequentemente por exemplo com ofertas de bilhetes)
    - os negócios "estranhos" com o Atlético de Madrid.

    Isto são alguns pontos nos quais eu pessoalmente me sinto descontente. Para além destes, a já referida falha na questão desportiva, com repetição de erros ano após ano...

    Enfim... mau demais para ser verdade!

    É que não acredito que surjam alternativas ao Vieira e pior do que isso não acredito que o Vieira deixe de cometer os mesmos erros! :(

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.