origem

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O dilema de Vieira

Estamos sujeitos à CMVM e não posso confirmar o que quer que seja. Posso apenas dizer que nunca vivi o que tenho vivido há cerca de cinco dias para cá. Ontem [sábado] e hoje tem sido terrível. Por respeito aos clubes não o poderemos fazer [n.d.r. revelar os nomes dos clubes e os valores das propostas apresentadas]. Se calhar outros vão beneficiar de uma situação que o Benfica não irá fazer de certeza. Temos um projeto. Entendemos que os que estão cá têm de ficar. Vamos resistir aquilo que podemos resistir. Os jogadores têm cláusulas de rescisão. Até ao limite onde pudermos ir vamos de certeza. Estamos decididos a tomar esta decisão. Nada podemos confirmar. A única coisa que posso dizer é que nunca vivi um período igual a este
Estão são palavras do nosso presidente, proferidas ontem à noite à SIC Noticias.

Mais uma vez as cláusulas de rescisão são anunciadas como o ponto em que o Benfica nada poderá fazer. Já ouvimos isto antes. Demasiadas vezes. E depois vemos negócios como o de Javi serem feitos. Eu, pela minha parte, questiono seriamente se é este o caminho que os sócios querem. Verem o seu presidente mentir descaradamente ano após ano.
Bem sei que há eleições para ganhar em Outubro (face a uma oposição que se avizinha), mas o Benfica teria muito mais a ganhar com a honestidade do que com estes subterfúgios. Se me dissessem claramente que o nível financeiro actual do Benfica não permite que se resista ao assédio de clubes interessados até ao limite das clausulas, eu teria de aceitar e ao ver os negócios já estaria mais que mentalizado. Agora, andar-se a vender que o Benfica vai resistir, que os jogadores têm clausulas e que quem cá vier buscá-los tem mais é de as pagar, mas no final ver negócios que nada têm a ver com estas palavras, diz-me uma coisa. A "mentira" só pode ser deliberada! 
Porque já todos percebemos que os jogadores não sairão pela clausula. Porque já todos percebemos que as palavras são apenas e só para encher chouriços e mandar areia para os nossos olhos. E finalmente, porque seria embaraçoso para quem dirige, admitir o facto, de apesar das vendas milionárias (quase sempre bem abaixo da clausula) o passivo do clube galopar para níveis desconcertantes, quando se andou anos e anos a pregar que o Benfica não precisava de vender e que podia resistir ao assédio externo.

Luis Filipe Vieira terá um dilema em mãos, que pelas palavras do próprio, parece tirar-lhe o sono. 
Resistir a vender mais alguém enquanto os mercados de leste se encontram abertos e minimizar o rombo que levou a sua credibilidade após o negócio Javi.
Ceder e negociar os jogadores cobiçados em moldes em tudo iguais ao do negócio Javi, embolsando mais alguns milhões, tão necessário à tesouraria do clube (menos as eventuais comissões que muita gente anda à procura), perdendo assim ainda mais espaço de manobra junto dos sócios.

Pessoalmente, se fosse o homem à frente dos destinos do clube, a decisão teria de ser em razão do que é melhor para o Benfica. Com as informações que tenho, mais uma venda não seria de descartar, para pelo menos garantir algum fôlego e margem de manobra à SAD face aos compromissos que se avizinham. Com a correspondente queda de qualidade e menor possibilidade de ganhar títulos. Assumindo isso com frontalidade, estou em crer que se ganharia mais do que aquilo que se perderia. No longo prazo é claro!

5 comentários:

  1. Que vá o Gaitan embora, é de todos o que menos fará falta e o que menos está concentrado no Benfica, beneficia todas as partes e por mim nem fico chateado que vá abaixo da cláusula porque acho que não vale nem metade do valor que tem na cláusula.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro,

      É de facto, o jogador que nesta altura se apresenta como melhor opção de venda. Por duas razões principais, a saber:
      1. Excesso de qualidade para as alas.
      2. Menor disponibilidade para se sacrificar em prol do colectivo em relação aos concorrentes.

      O encaixe nunca será aquele que foi sendo especulado ao longo da época passada, mas sempre dá para aliviar as contas.

      Eliminar
  2. Cada vez que LFV abre a boca nos seus discursos de propaganda, só diz mentiras e hipocrasias! Como é que esse senhor, amigo de jantaradas de PC, diz que os jogadores têm cláusulas de rescisão horas depois de ter vendido Javi por trocos, quando comparado com 30M?? RUA!

    ResponderEliminar
  3. Não vou crucificar Vieira por esta venda (40M é um valor equilibrado para este jogador) o que me parece - e aqui gostava que alguém me esclarecesse convenientemente - é que após o fecho do mercado em Portugal e até nova reabertura, as cláusulas de rescisão não se aplicam. Logo, o Benfica poderia não vender o jogador, ou vendê-lo por um valor mais elevado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Mentiroso,

      Isso parece-me mais mito, que outra coisa.

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.