origem

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Um ideal chamado Benfica

14 de Setembro de 1994

18 anos passaram sobre o evento. O mundo era diferente em 1994. O Benfica era campeão e ninguém sequer imaginava a travessia no deserto que se seguiria durante 11 longos e penosos anos. Num tempo sem internet, sem viagens low cost, sem telemóveis, iPhones, iPads, Galaxys ou outras mariquices, três amigos decidiram ir apoiar o Maior na Liga dos Campeões da melhor forma que sabiam. Viagem de carrinha até Split para ver a primeira jornada do nosso grupo de então, formado por Benfica, Hadjuk Split, Anderlecht e Steaua Bucareste. O resultado final de 0-0 até serviu bem as pretensões encarnadas naquele estádio Stadion Poljud em Split. O pior viria depois.

Na viagem de regresso, deu-se o que se dá em tantas outras estradas, com tantos outros veículos. No entanto, desta vez, o acidente levou a vida de três valorosos benfiquistas que serão para sempre conhecidos pelas suas alcunhas de "guerra": Gullit, Tino e Rita. A tragédia que se abateu, faz hoje 18 anos, levou-nos um dos mais entusiastas benfiquistas de sempre, que desde tenra idade, demonstrou capacidade de liderança acima da média. Gullit era o "líder" dos No Name Boys (onde nunca existiu hierarquia definida), claque criada em 1992, e que apesar de ter idade para ser filho de muitos membros da claque, inspirava de tal maneira os seus companheiros de bancada, que muitas das suas ideias eram de facto lei no seio da claque.

O nome e lema adoptado pela claque, simbolizam no fundo as ideias de Gullit (e dos outros fundadores) para o que devia ser o movimento clubístico. Não existe o individuo, existe o clube. Não há a possibilidade de faltar. "Sempre Presentes" é ainda hoje fielmente seguido e ainda bem para o clube que tem ali uma vaga de apoio como nenhuma outra nos dias de hoje. O contributo de Gullit para o clube (sempre com o seu casaco laranja e de boné) foi o que deve ser o contributo de qualquer adepto: anónimo, apaixonado e pelo engrandecimento do clube.

O acidente de 14 de Setembro de 1994, numa qualquer estrada entre Lisboa e Split, elevou os três amigos a um nível que nunca esperaram nem queriam. Mas é importante que as suas palavras ecoem nas nossas mentes, como ondas num lago:
"Há pessoas que se dedicam à claque e gastam muitas horas, para aparecer meia dúzia de otários de vez em quando a estragar tudo. Não sejas mais um deles; Canta! Apoia o teu clube! Participa...."

A palavra chave é mesmo o "Participa", porque sem a participação dos adeptos, somos apenas e só mais um clube e não o mítico Sport Lisboa e Benfica, com a melhor massa associativa do mundo.

Obrigado a eles, que 18 anos depois continuam a ser exemplos de amor ao clube.

Sempre Presentes! Gullit, Tino e Rita!

2 comentários:

  1. Foi já em Badajoz que se deu o fatídico acidente se não me engano... Paz às suas almas

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.