origem

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Falência!

O Benfica apresentou os traços gerais das contas da SAD relativas à época 2011/2012. Os resultados não são nada animadores. Pela segunda vez na sua curta história, a SAD está em falência. E desta vez não há Estádio da Luz para incorporar...

Podem ler o comunicado na sua totalidade em http://web3.cmvm.pt/sdi2004/emitentes/docs/FR41514.pdf
Há muito que alguns vêm avisando para esta realidade, caso se continuasse no rumo escolhido. Era inevitável e só pessoas mal informadas ou de má fé negariam as evidências.
Do comunicado relevo o seguinte:

Rubrica30/06/201230/06/201130/06/2010
Activo411.921382.079378.294
Passivo426.073379.629370.855
Capital Próprio-14.1532.4507.439
Proveitos Operacionais
(sem transferências)
91.11982.76766.382
Resultados Operacionais
(com transferências)
5.1257.317-11.304
Resultado Liquido-11.690-7.663-18.998
Os valores estão em milhares de euros.

Os números acima são preocupantes. Relembro que em Dezembro de 2009, o Benfica incorporou a Benfica Estádio na Benfica SAD, para resolver este mesmo problema. Agora que não há Benfica Estádio para incorporar vamos fazer o quê? Espero para ver, mas não auguro nada de bom.

Em 2 anos (!) o Benfica apresenta uma subida no activo de 33,627M€, uma subida no passivo de 55,218M€ e um decréscimo nos capital próprio de 21,592M€. Noto ainda que os proveitos operacionais subiram 24,737M€, dos 66,382M€ em 2010 para os 91,119M€ de 2012. Já passámos da "chapa ganha, chapa gasta", para andarmos a pedir "financiamentos Cofidis para férias" de modo a suportarmos o peso da divida. É irreal sequer pensar que uma gestão destas chegará miraculosamente a bom porto.
«O resultado líquido consolidado apresenta um prejuízo de aproximadamente 11,7 milhões de euros. De referir que os ganhos obtidos com as vendas dos direitos desportivos dos atletas Javi Garcia e Witsel serão reconhecidos no próximo exercício;»
Espero que o dinheiro destas vendas seja para isto mesmo. Fazer recuar o passivo e voltarmos a ter capitais próprios positivos. A ver vamos se é isso que acontece.
«A participação na Liga dos Campeões, que, pelo facto de se ter atingido os quartos-de-final da prova, gerou um montante de prémios distribuídos pela UEFA que se aproximou dos 22,4 milhões de euros, o que representa o maior valor histórico de receitas dessa natureza garantido pela Benfica SAD e corresponde a uma variação de 60,2% face à época anterior;»
Se com 22,4M€ de receitas da UEFA, apresentamos resultados destes, o que seria sem eles?

O Benfica continua refém do seu nível de despesa. Com receitas recorde (nunca vistas no clube) era expectável que os resultados financeiros fossem melhores. Não são, porque a despesa cresce mais rapidamente que a receita.
Isto é insustentável!

PS: Estou curioso para ver os valores dos custos operacionais totais, custos com pessoal e custos financeiros (juros de empréstimos). Acho que não me enganarei muito, se disser que devem ser aterrorizantes.

3 comentários:

  1. Uma discussão séria sobre as contas tem de passar por 3 temas.

    Primeiro – A situação é grave. Contudo, nada tem que ver com outros tempos, nem com outros clubes. Dever, devemos muito. Não pagar quando as dívidas e outros compromissos (ordenados, etc..) se vencem, que eu saiba ainda não aconteceu.

    Segundo – Temos de resolver o problema do passivo gigante que esta direcção criou. Oiço, muito sócio e esta direcção (por diferentes razões) dizer que o passivo não importa. Claro que importa. O passivo é essencialmente bancário e custa muito dinheiro (juros). Dinheiro este que (diz-se) ascendeu em 4 anos a 70 milhões. Foi dinheiro que se entregou à banca e não serviu para, por exemplo, comprar jogadores. Mas cuidado: o Passivo só se resolve de uma maneira – pagando-o. Estão os sócios prontos para votar em quem diga: eu não compro jogadores no próximo mandato para abater 40 ou 50 % do passivo?? Espero que sim.

    Terceiro – Direitos de televisão. Aqui, por muito que me custe, a direcção marcou pontos. Nenhum, mas mesmo nenhum clube que dispute a Liga dos campeões chega ao fim de um exercício com as receitas de televisão do campeonato a valer menos de 10%, SIM MENOS DE 10%, do valor das suas receitas globais.
    Pois, nenhum menos o Benfica. As receitas totais foram 90 milhões, o contrato com o Oliveira não vale 9 milhões. Porquê o ponto da direcção – porque há dois ou três anos atrás teria sido fácil renovar com o Oliveira por mais cinco anos e duplicar o que se recebia. Não se seguiu o caminho fácil. Aguentou-se e levou-se o contrato até ao fim para apertar o mercado. Muito bem, mas agora é preciso tirar dividendos disto!!
    Discutam, opinem e votem se houver mais de que um candidato em quem votar

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
  2. Sim! Estou na disposição de aceitar que durante dois ou três anos não se comprem jogadores. Mas com outra direcção. Sem o Rei Sol, sem o Querido Líder e sem toda a escumalha que o segura!
    Sim com alguém sério e que ame e sinta o Benfica!
    Sim com quem se disponibilize para ouvir os sócios!
    Sim com quem aceitar dialogar com todos os sócios!
    Sim com um presidente que não tenha amizades duvidosas!
    Sim com um presidente que defenda intransigentemente os interesses do Benfica!
    Sim com um presidente que se rodeie de benfiquistas!
    SIM! Mas com sócios que exijam serem esclarecidos e não alienados!

    ResponderEliminar
  3. Eu apoio e compreendo que esta situação ainda se deve certamente a João vale Tudo... eu e todos os benfiquistas de bem sabemos que essa é a verdade escondida!
    Agora vem um gajo aqui e lê que ah e tal falência técnica... qais falência técnica... isso é coisa dos jornais mano... não te deixes enganar ;))))
    Não te preocupes com o passivo... não percebes nada de contas pá!!!!!!!!

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.