origem

terça-feira, 18 de setembro de 2012

O Benfica que Eu quero - II

Engrandecimento do Sport Lisboa e Benfica

Como diz um dos cânticos dos No Name Boys, "O Benfica é maior que Portugal". Esta aparente dicotomia entre o pequeno clube de bairro nascido da fusão de outros dois clubes de bairro e o clube mundialmente conhecido que somos hoje, é o ponto de partida para o segundo artigo desta série.

Sendo o Benfica maior que Portugal, não faz qualquer sentido estarmos limitados às fronteiras fisicas do país. Nesse sentido já se começaram a envidar esforços para fazer crescer o contacto do Benfica com os seus milhões de adeptos espalhados por esse mundo fora, nomeadamente com a introdução da BenficaTV nos mercados americano e africano. Mas podemos fazer mais, muito mais nesta matéria.

No sentido de engrandecer o Benfica tenho algumas propostas (que quem sabe, já estarão a ser implementadas).

1. Criar o KIT Sócio Mundo, a ser adquirido por adeptos por esse mundo fora, com residência fora do país.
1.1. Para tal, teria de ser criada uma nova classe de Sócio, o Sócio Internacional.
1.2. As quotas relativas a esta nova classe, seriam tipificadas entre os 25€ e os 100€ anuais dependendo da região do globo de onde o sócio fosse originário. O potencial de crescimento da base associativa do clube é nesta matéria incomensurável. Mercados como o brasileiro, angolano ou chinês são perfeitos para captar novos sócios, visto estarem em franco crescimento. Os preços ajustariam-se à realidade do país para ter assim uma implantação mais rápida. O nível de receita proporcionado por esta medida, permitiria uma subida de patamar considerável em relação aos rivais internos, impossibilitados de seguirem o mesmo caminho.

2. Tornar o Benfica num clube global. 
Esta medida visa dotar o Benfica das competências e qualidades necessárias para comunicar com o mundo.
2.1. Ter um site em várias línguas (com todas as actualizações a serem também elas imediatamente disponíveis em todas as línguas do site) seria um dos passos. Comunicar com a nossa base de adeptos na sua própria língua era de facto o objectivo. Isto já é feito no facebook do clube de vez em quando.
2.2. Colocar o jornal do clube e a BenficaTV nos mercados internacionais (tal como já é feito em alguns países) com uma diferença face ao que é feito agora.
2.2.1. O jornal seria traduzido para a língua oficial do país sendo vendidas ambas as publicações consoante a procura.
2.2.2. A Benfica TV manteria o português como língua oficial, mas teria programas orientados à região na língua oficial do país (ou legendado quando não fosse possível traduzir). E essa interacção com o país poderia ser efectuado por intermédio de adeptos encarnados, como modo de fazer crescer o clube na região. Isto implica fazer crescer o nosso canal de TV e tem obviamente de ser alvo de análise, mas penso que o crescimento do Benfica além-fronteiras justifica o investimento.
2.3. Fomentar a criação de casas do Benfica nas capitais do Mundo. Não só como  meio de receber e acolher benfiquistas em viagem pelo mundo, mas também como forma de centralizar na casa da capital o fluxo de transferência de conhecimento e informação. Quem não quereria ir à casa do Benfica em Tóquio, Sydney ou Buenos Aires e poder sentir-se em casa junto dos seus "camaradas de armas"?

3. Organizar parcerias com entidades locais, para fomentar o desporto infantil e quem sabe descobrir novos talentos para o clube.
Isto já é feito actualmente, em certa medida. Trataria-se apenas de expandir a área de influência do clube ao mundo.
3.1. Criar escolas de desporto (os mais populares do país) para crianças (em risco ou não) de modo a enraizar a cultura do clube na sociedade local e a plantar as sementes para que a base de adeptos crescesse.
3.2. No final de cada época desportiva (ou sempre que existam paragens significativas no calendário nacional), fazer com que as várias equipas (de diferentes modalidades) de séniores/júniores fizessem digressões em diferentes pontos do globo. Serviria principalmente como meio de promoção do clube e dos seus valores na comunidade local. Com as necessárias parcerias e associações, acho que os custos com esta medida, não seriam assim tão significativos.

PS: Estas propostas seriam alvo de análise e estudo e apresentadas aos sócios com a relação entre custos e benefícios.

3 comentários:

  1. Boas Danilo,

    Estas são medidas mais consensuais.

    Concordo com quase tudo, apenas tenho uns comentários a fazer:
    - não percebi a diferença Sócio Internacional e Sócio correspondente (paga 50% do valor do Sócio Efectivo) nem qual seria o motivo para escalonar em função da localização geográfica.

    - deixa-me dizer-te que para justificar o ser sócio, o Benfica tem que dar alguma contrapartida, em especial quando falarmos de países com pouca ligação a Portugal e ao Benfica, qual seria ? Eu sócio sem esperar contrapartidas, mas quem não tem a paixão espera sempre algo em troca.

    - não vejo o que impede os rivais internos de seguirem a mesma política e de também serem atractivos, aliás acho que será o rendimento desportivo na Liga dos Campeões, mais do que na Liga nacional o factor de maior atracção.

    - Relativamente à Benfica TV, acho após a assinatura de contratos de distribuição, que seria possível fazer a dobragem de programas/ legendagem em línguas estrangeiras - inglês, francês, mandarim, japonês ou indi, etc. conforme os países destinatários, logo no momento da produção, ou então acordar com os distribuidores a aquisição desses serviços, conforme fosse mais rentável.

    - Quanto ao site, penso que no mínimo deveria ter uma versão inglesa e conforme os planos de crescimento, assim deveriam ser criadas versões em novas línguas.

    - Relativamente ao jornal não sei se seria rentável, pois talvez fosse preferível avançar para um jornal digital tipo o que o sporting tem e esse sim deveria ser traduzido para várias línguas.

    - Quanto às casas, isso depende de existirem Benfiquistas nesses destinos e pessoas empenhadas em levar os projectos para a frente. Acho que o Benfica não deve investir e criar centros de custos adicionais.

    Parabéns e fico a aguardar mais posts destes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro B Cool,

      Mais uma vez obrigado pelo comentário. É sempre bom ver outros pontos de vista.
      Analisando o teu comentário em traços gerais.

      1. Nos estatutos actuais, já existem sócios correspondentes nacionais e internacionais. Mas o que se paga é o mesmo, independentemente do país/região onde se está. Ora a minha intenção seria adaptar o preço da correspondência ao país. Não é razoável pedir 100€ anuais a países como a China ou a Índia, pois o nível de vida nesses países não o permite. Mas a países como Japão ou Austrália, até se poderia porventura pedir mais que os 100€/ano. E criando parcerias na região, que associassem o nome do Benfica a marcas e/ou produtos, poderia haver o retorno de que falas.

      2. Poucos clubes no Mundo têm a capacidade de chegar a qualquer parte do Mundo, e para nossa sorte, o Benfica é um desses clubes. Através de uma dinamização do clube com a região (através das parcerias), e sempre que já existissem benfiquistas na zona (faz sentido por se começar onde sabemos de antemão existirem benfiquistas), poderíamos crescer internacionalmente, ganhando visibilidade. Por exemplo atribuir uma viagem para duas/três pessoas da região ao Estádio da Luz, mediante bom sucesso escolar, intervenção positiva na comunidade, etc. O nome do Benfica ficaria impregnado na sociedade local criando efectivamente raízes nesses locais.

      3. A modernização de TV, Site e Jornal, é imprescindível para que as medidas de base sejam possíveis. A esse respeito as medidas que aqui enunciei serão sempre objecto de estudo na relação custo/proveito pois embora se possa investir algum dinheiro nisso, não podemos ter aqui outro sorvedouro dos nossos recursos. A esse respeito talvez, fosse melhor fazer como dizes e ter o jornal digital para o estrangeiro, mantendo a versão em papel apenas para Portugal.

      4. As casas seriam sempre geridas por locais, mas o Benfica poderia perfeitamente incentivar à sua criação.

      Cumprimentos

      Eliminar
  2. Acho que no final deste conjunto de posts, poderias enviar as tuas ideias e os comentários que lhes forem feitos para a direcção que vier a sair das eleições, ou mesmo para a SAD, como forma de não limitar estas ideias ao blog. Seria positivo apresentar um conjunto de ideias e esperar que do outro lado as recebam e depois digam de sua justiça. Acho que seria uma acção de bastante valor que acrescentarias, mesmo com a distância que te separa. Espero que nos futuros posts fales da questão das assembleias

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.