origem

terça-feira, 11 de setembro de 2012

O Benfica que Eu quero - I

Este primeiro artigo versará sobre o Estádio da Luz e a assiduidade dos benfiquistas no mesmo.
Há que chamar mais gente ao estádio, fomentar o benfiquismo activo e dar condições às pessoas para poderem apoiar o clube. Há que também fazer regressar o famoso ambiente da Luz que galvanizava atletas e atemorizava adversários.


O Estádio da Luz deve ser o palco para a comunhão entre o adepto e o clube. A nossa Catedral é nos dias de hoje, mais comparável a uma sala de teatro ou ópera do que a um estádio de futebol. Perdeu-se alguma mistica que o anterior recinto transportava desde os anos 50 e que urge recuperar. Mas no modelo actual, a marca “exige” clientes ao invés de adeptos, pelo que se torna quase obrigatório que as transacções entre clube e sócios/adeptos sejam também elas meramente monetárias.

Assim, e tendo em vista a substancial melhoria, quer de assistência média, quer de ambiente no estádio seguem-se as seguintes medidas:

1. Quer os direitos televisivos sejam geridos internamente ou não, qualquer contrato realizado (com a BenficaTV ou outra) têm duas clausulas obrigatórias:
1.1. O Benfica reserva-se ao direito de colocar 5 jogos do Campeonato Nacional por ano em horário das 15h ou 16h de Sábado ou Domingo. Os jogos nestes horários são decididos após o sorteio do campeonato e podem incluir um dos jogos grandes (Sporting ou Porto). No entanto, não se podem colocar dois jogos em casa neste horário no mesmo mês, sem acordo com quem os vai transmitir.
1.2. Pelo menos um dos jogos do Campeonato ser colocado a titulo promocional num horário de Sábado ou Domingo à hora de almoço (12h - 13h), de modo a aquilatar da afluência de público no Estádio a essa hora e a audiência televisiva no mercado asiático/africano. A ideia de ter um almoço à Benfica não é nova. Apenas falta quem a ponha em prática.

Com isto, sobrariam 9 jogos em casa (11 em caso de alargamento para 18 clubes), onde os horários/datas seriam geridos pelo parceiro escolhido.

2. Reduzir o preço dos bilhetes no global. Com dois jogos por mês em média na Luz, os associados veriam o seu esforço recompensado com bilhetes mais baratos. Seria também um assumir de que a vida em Portugal não está barata e que, sendo o Benfica o clube do povo, tem de ser permitido ao povo ver os jogos do seu clube.
2.1. Acabar com a distinção entre bancada superior e bancada inferior. A disparidade de preços (especialmente nos cativos) é gritante para pessoas que se sentam em filas adjacentes.
2.2. Dependendo da zona, já em 2013/2014, seriam estes os preços de referência (claro que ajustados época a época):
2.2.1. Bancada Sagres/Coca-Cola - Sócios a 7,5€, Acompanhante a 10€ e Público a 15€
2.2.2. Bancada Meo/TMN - Sócios a 12,5€, Acompanhante a 15€ e Público a 20€
2.2.3. O Piso 1 e os camarotes continuariam a ser explorados da mesma maneira.
2.3. Criar o conceito de Mais por Menos. Na compra de mais de 5 bilhetes para um jogo (independentemente da localização ou qualidade) um desconto de 5%. Quando a compra fosse de mais de 10 bilhetes o desconto seria de 10%.
2.4. Para jogos de maior dimensão, acrescia ao preço para sócios 2,5€ e aos restantes 5€.
2.5. Em situações especiais (jogo do titulo ou meias finais de competições europeias) os preços poderiam ser inflaccionados.
2.6. O preço de qualquer cativo, ser igual a 80% da soma de todos os bilhetes, se comprados individualmente (tendo por referência os preços base).
2.7. Criar diferentes tipos de cativo, tais como:
2.7.1. Cativo total
2.7.2. Cativo campeonato
2.7.3. Cativo campeonato + europa
2.7.4. Outros (onde se incluem cativo senhora, sénior, júnior, etc)

3. Re-instalar a zona dos sócios no Estádio da Luz (a famosa bancada dos sócios) com as seguintes características:
3.1. Zona no Estádio, exclusiva a sócios (com possibilidade de trazerem um acompanhante).
3.2. Sem lugar marcado.
3.3. Só adereços do Benfica.
3.4. Localizada numa das bancadas centrais.
3.5. Cativo disponível para esta zona.
3.6. Possibilidade de existência de promoções ou eventos exclusivos.

4. Acabar com a palhaçada que se tornou o ambiente gerado pela comercialização da marca no Estádio. 
4.1. No Estádio da Luz só músicas do Benfica. Os cânticos da moda, os hinos (os dois), clássicos da musica encarnada, etc. 
4.2. Criar momentos nostalgia, onde são exibidas imagens do glorioso passado (com direito a narração para elucidar os adeptos) ou onde são mencionadas curiosidades relativas à história do Benfica pelo speaker do estádio.
Os benfiquistas vão ao estádio para ver, ouvir e sentir o Benfica e não ver um qualquer espectáculo de entretenimento com publicidade a meio. Seria menos receita (por causa da publicidade), mas ganhariamos adeptos mais fieis e mais conhecedores do que é o Benfica.

Em traços gerais, é isto que eu quero do Benfica enquanto sócio/adepto no Estádio da Luz. Ser tratado como um sócio ou adepto e não como um cliente que compra o produto que o Benfica vende.

22 comentários:

  1. Não sou sócio mas subscrevo tudo o que disse. A vida não está nada fácil e entre ir ao estádio gastar 30 ou 40 Euros e pagar os meus compromissos pessoais e familiares, optarei sempre pela segunda hipótese.

    ResponderEliminar
  2. Caro Danilo,
    Subscrevo o que disse, com uma ressalva, a publicidade sonora/visual (ecras gigantes), são uma boa fonte de receita, não poderemos exigir, que se mantenham os melhores jogadores e ao mesmo tempo sejam retiras verbas. Para o Maior poder ter uma equipa competitiva a nível Europeu, precisa de cada vez mais receitas. Estou a contar ir ver o Benfica - Barcelona, para a CL, o custo desta ousadia, rondá os 150 euros, entre bilhete, gasóleo, portagens e alimentação, pelo que se torna dispendioso os sócios/adeptos poderem-se deslocar ao estádio, quando estão a mais de 3350 km´s, da Catedral.
    Aguardo, pela parte II.

    Abraço,
    BMC

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro BMC,

      Concordo que essa publicidade seja rentável e uma importante fonte de receita do clube, mas isto intrinca num facto muito relevante. O Benfica gasta demasiado (vivendo acima das suas possibilidades) em ordenados e contratações de jogadores absolutamente irrelevantes para o clube. O que preconizo para o Estádio só é possível com uma politica de gestão de recursos muito equilibrada. Se deixarmos de gastar 10M€ por ano em reforços e salários, não acha que a publicidade audiovisual no Estádio pode desaparecer? Ou não podendo desaparecer, diminuir substancialmente? Outra fonte desnecesária de despesa é a sobrecarga de juros que temos de pagar anualmente dos empréstimos que vmos contraindo ano após ano. Em 2010/2011 foram sensivelmente 13M€ e este ano deverão, tudo o indica, chegar aos 17M€. Sem estes encargos, não acha que viveriamos bem sem grande parte da receita de publicidade que temos agora? Eu acho que sim.

      Claro que isto não é de um dia para o outro e tenho perfeita noção disso. Agora 3 anos deveria mais que suficiente para diminuir passivo relevante para baixar os custos com juros e outras formas de financiamento...

      Eliminar
  3. (cont.)
    O que eu defendo não é uma diminuição substancial dos valores dos red pass e dos bilhetes, mas o aumento do valor do oferecido no bilhete e nos red pass.

    Em primeiro lugar fazer dias de Benfica, isto é, incluir vários jogos de diferentes escalões no Estádio da Luz com o ingresso, porque sempreque o Benfica joga na Luz, nesse fim-de-semana, há jogos dos escalões de formação, podendo caso isso venha a acontecer incluir jogos da equipa B, juniores, juvenis, etc.

    Depois em relação aos red pass, criar um mecanismo de fidelização que premiasse a manutenção dos red pass, isto é oferecendo por exemplo bilhetes para as competições europeias (fase de grupos - por exemplo na renovação 1 bilhete, à terceira renovação 2 bilhetes e à 5.ª renovação passar para os 3 bilhetes para a fase de grupos, a partir da décima renovação incluir uma camisola do SLB além dos 3 bilhetes).

    O mecanismo de família está bastante mal efectuado, pois consoante o número de familiares, assim deveriam aumentar os descontos.

    Compreendo o que dizes da diferença entre superior e inferior, mas isso acontece por causa da segmentação, permitindo preços mais baixos num determinado sector (ou se quiseres mais altos), e o que é certo é que a linha tem de ser demarcada algures. Compete a quem fica na fronteira a decisão de mudar ou não se acham que faz ou não diferença à carteira.

    De resto concordo com as imagens de momentos marcantes e por favor acabar com aquela marcha fúnebre que inventaram agora. Se querem um hino à Benfica, vão recuperar o hino inicial Avante pelo Benfica em vez de estercos daqueles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro B Cool,

      Por inépcia minha, apaguei o teu comentário inicial por engano.
      Peço desculpa pelo sucedido e para que não tenhas que o rescrever, ele encontra-se em baixo.
      Mil desculpas.

      Eliminar
    2. Caro Danilo,

      Acho que tens o coração no lugar certo, mas essa política arruinaria o Benfica a menos que defendesses a perda competitiva da equipa de futebol. Vou deixar alguns números para reflexão:

      2010/11
      Proveitos operacionais 82,893 ME
      Bilheteira 6,711 ME - 8,10%
      Seat rights (Red Pass+ títulos Fundador) 4,091 ME - 4,94%
      Cativos 3,789 ME - 4,57%
      Ou seja, a actual política de preços que não mudavas representa mais de 17,5% das receitas
      Corporate 8,513 ME - 10,27%
      Era o que não mexias
      MAs mais que isso, as parcerias que o Benfica estabelece, seja através dos naming rights, seja através das empresas que compram pacotes de corporate e aceitam fazer publicidade através do Benfica está na rubrica (mas influenciaria também o corporate):
      Publicidade e Patrocínios 14,207 ME - 17,14%

      Estas 2 rubricas que queres mexer implicam com quase 35% das receitas do Benfica.
      Pergunto-te se achas que as medidas que propões serão exequíveis ?

      Ninguém mais do que eu critica a gestão de recursos humanos e o que se desbarata nessa questão. Mas temos que ter consciência que a renovação com os melhores atletas implica aumentar a massa salarial. Trazer craques como o Salvio implicam aumento da massa salarial. Se a redução substancial de atletas sob contrato, que acho desejável, fôr acompanhado por um investimento na aquisição e manutenção de jogadores de qualidade, inevitavelmente aumentará a massa salarial, mesmo que diminuamos o número de atletas.

      Quanto aos juros, eu proponho que o Benfica utilize a maior parte do dinheiro das transferências do Javi e do Witsel para amortizar um dos empréstimos obrigacionistas que se vai vencer por forma a por um lado diminuir o risco associado à SAD com a consequente melhoria de condições de financiamento e por outro lado diminuindo o capital em dívida diminuiríamos os juros a pagar.

      Ao contrário de ti, acho que este ano a forma que a Benfica SAD poderia mostrar que pensa nas dificuldades dos sócios era assumir o aumento do IVA como uma diminuição da receita, mantendo os preços fixos em relação ao ano passado em vez de fazer repercurtir o aumento do IVA nos sócios. Nos anos seguintes iria aumentando os cativos até chegar aos valores líquidos do ano passado em função da melhoria das condições económicas. (cont.)

      Eliminar
    3. Caro B Cool,

      A minha resposta ao teu comentário, será também ela alvo de um artigo nesta série e prende-se com a gestão do futebol encarnado.

      Em traços gerais, defendo que o plantel principal da equipa do Benfica deve ter no máximo 25 jogadores com no minimo 5 jogadores da formação. E o objectivo e médio-longo prazo, é que os jovens da formação preencham cada vez mais as 20 posições restantes, caso tenham qualidade para isso (que eu acredito que tenham!). Com o complemento da equipa B, o número de jogadores no nucleo duro até poderia diminuir ao longo dos anos para cerca de 15, estando os jogadores da B aptos a entrar em qualquer altura.

      Será certamente um desinvestimento no plantel principal, ao nível de contratações inócuas e custos com pessoal. Tendo os jovens portugueses em média salários imensamente mais baixos que as contratações espalhafatosas que fazemos, não me admiraria que os custos com pessoal baixassem significativamente.

      Provavelmente tens razão quando dizes que os salários dos que cá estão, até tenderiam a subir, mas não acredito que esses valores subissem para niveis do dobro do que temos com eles. Ingenuamente? Se calhar sim.

      Eliminar
    4. Danilo,
      teria alguns comentários a fazer, mas aguardo para o post em causa. Só quero deixar a nota que essa política por ti defendida implica o abaixamento de despesas e receitas, diminuindo a capacidade geradora de cash-flows que tem vindo a crescer. Isso seria algo de negativo para bancos, com consequências nas taxas de juro, investidores e mesmo para a capacidade de atracção do Benfica de bons valores nos mercados de transferências, mas não me vou alongar sobre isso, pois aguardo novo post para debater ideias. Porque acima de tudo o debate é essencial.

      Eliminar
    5. É óbvio que a despesa teria que descer (e bastante) para que se pudesse acompanhar a descida da receita. Mas na minha visão a descida da despesa ocorreria fundamentalmente em duas áreas:
      1. Contratação desenfreada de jogadores e os honorários pagos.
      2. Custos com empréstimos bancários.

      claro que não é de um dia para o outro...

      Eliminar
  4. Quanto aos descontos de quantidade não aconselho, pois já existe um problema sério com os candonguistas que arranjam cartões para comprarem bilhetes e venderem-nos mais caros nos jogos com maior procura, isso ainda agravaria mais a situação.

    Outra coisa que defendo para os detentores de red pass/títulos fundador, é que se criam jogos com múltiplas entradas baratas diminuindo claramente o valor do que foi comprado, acho que nesse caso a SAD deveria procurar oferecer mais bilhetes aos detentores do Red Pass para compensar esse decréscimo no valor.

    Vou destoar e dizer que sou contra o cativo senhora. As mulheres não são menos que os homens para pagarem menos, como já acontece nos red pass, o que para mim é inconcebível. Compreendo os descontos para reformados ou jovens, mas não para mulheres.

    Concordo com o cativo campeonato+europa, mas acho que não deveria ficar por aqui, acho que deveria de haver um cativo super que incluísse todos os jogos da época, independentemente do êxito do clube - apresentação, particulares, campeonato, taça, liga, europa e aí os sócios que comprassem este red pass, por exemplo premium, ou o red pass mais Benfica, mostrariam que estavam disponíveis para investir, ualquer que fossem os resultados.

    Outra medida a implementar seria a contabilização de presenças nos jogos e dar um "miminho" aqueles mais assíduos.

    Uma das forças do Benfica, face à generalidade dos clubes na Europa é a capacidade de receitas a partir da massa adepta em match-day (bilhética, cativos, corporate, quotizações) e querer dar uma machadada nessas receitas, com o apertar das regras de fair-play financeiro que diminuirão a prazo as receitas de transferências, é pôr em causa o clube.

    A ideia seria estudar qual como manter o nível de receitas e aumentar as assistências médias, mas isso implicaria fazer testes com os preços que podem ter resultados desastrosos, pois sem se saber as elasticidades procura-preço, deduzo que não estejam totalmente estudadas, até porque têm que ter uma ideia da elasticidade rendimento-procura ou desemprego-procura para que cruzada com a procura - preço poderem estimar os valores a maximizar as assistências sem quebras de receita.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro B Cool,

      Muito obrigado pelas opiniões demonstradas, que notam alguns pontos negativos nas minhas propostas. No entanto, penso que esses pontos negativos só o são, devido à gestão que temos de chapa ganha, chapa gasta.
      Com uma gestão adequada dos recursos que temos, parece-me perfeitamente possível por exemplo, baixar o preço dos bilhetes no estádio.

      PS: A questão da candonga resolve-se de forma muito simples. Colocar segurança a confiscar quem esteja a vender bilhetes acima do preço marcado nos mesmos. Colocar informação visível ao redor do Estádio e anúncios a pedir às pessoas que denunciem essas práticas. Oferecer "recompensas" pelas informações. Acabavam com a candonga num instante!

      Eliminar
    2. Danilo,

      Se já estiveste nos EUA, e foste a algum jogo da NBA, de certeza que foste abordado por candongueiros à beira de qualquer palvilhão. O problema é que para jogos de grande procura, a candonga nem se faz nos arredores do estádio, faz-se vários dias antes. Aliás, basta ver o que se passou com concertos cá em Portugal, tipo U2. A candonga é muito difícil de eliminar se estivermos a falar de vendas múltiplas.

      Eu pessoalmente defendo a venda no máximo de 2/3 bilhetes por pessoa (excepto no caso de familiares directos), mesmo mostrando os cartões para desincentivar a candonga. Além do mais, hoje em dia há tanto meios de comprar bilhetes, embora o sistema funcione mal nas casas, sem contar a taxa que nos cobram para pagar o serviço (1 euros por bilhete), que acho que já não se justifica a venda de múltiplos bilhetes, mas essa é a minha opinião.

      Acho que se justificaria mais o criar tipo uma conta-corrente do sócio com a SAD e fazer abatimentos na conta-corrente.

      Eliminar
    3. Caro B Cool,
      Parece que alguém na SAD, anda na blogoesfera, ou o companheiro, tem informações priveligiadas:








      ..

      12-09-2012 16:36

      Vantagens para Sócios

      Benfica lança Red Pass Premium


      A pensar na força de apoiar o Clube, o Benfica criou um novo produto, o Red Pass Premium, que dá a possibilidade aos Sócios de terem acesso a todos os jogos do Sport Lisboa e Benfica nos melhores lugares do Estádio da Luz.



      O Red Pass Premium tem associado as seguintes vantagens:



      - Lugar marcado para a presente época para todos os jogos no Estádio e nos melhores locais;

      - Acesso a todas as competições a realizar no Estádio;

      - Possibilidade de troca de lugar em qualquer jogo para que o Sócio possa assistir aos jogos junto dos seus familiares e amigos;

      - Transmissibilidade - quando não puder vir apoiar o Benfica, pode emprestar o seu Red Pass.
      - Descontos especiais para Famílias.

      Os associdos podem dirigir-se à Loja do Sócio localizada no Estádio, aceder ao site www.slbenfica.pt ou ir a uma Casa do Benfica para escolherem o lugar e os da sua família.
      Fonte: slbenfica.pt

      Abraço,
      BMC

      Eliminar
    4. BMC,
      Não tenho qualquer informação privilegiada, pois não conheço ninguém da SAD, nem vivo perto de Lisboa.
      Não quero acreditar que essa medida derive do que escrevi, talvez já estivesse planeada e no máximo como a viram aqui plasmada, terão "antecipado" a sua aplicação, mas nem nisso acredito, acho que foi uma coincidência, nada mais.

      Eliminar
  5. Uma última ideia para mudar o ambiente do estádio, eu sugeria que se fizesse tipo optimus, uma dupla improvável, a claque e uma orquestra, ou a claque e um rancho, para que com o som dos instrumentos as músicas das claques tivessem mais força e chamassem tirassem os sócios da modorra habitual. Enfim se calhar era uma idiotice, mas no brasil estas torcidas com banda existem e dinamizam muito os torcedores normais.

    Seria útil desenvolver canções de apoio mais complexas que a generalidade das que existem hoje em dia e poderia o Benfica naqueles papéis de publicidade que deixam nas cadeiras ou entregam no túnel exigir que se incluissem essas letras das canções de apoio para que os sócios normais e adeptos pudessem conhecer e acompanhar.

    Ficam as ideias.
    Um abraço e obrigado pela reflexão, pois fazem falta benfiquistas como tu que sejam "idiotas" contribuindo para a discussão sobre como melhorar o Benfica

    ResponderEliminar
  6. ...e já agora o Benfica Campeão! Vamos apostar nisso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Diogo,

      Benfica Campeão é o que todos os benfiquistas desejam.
      É o nosso ADN!

      PS: Os portugueses já não têm com que apostar!

      Eliminar
  7. Danilo,

    há muitas ideias boas que apresentaste e que poderiam ser seguidas ou pelo menos estudadas, mas outras há que são irrealizáveis e que pecam por serem possíveis apenas no papel. Passo a explicar:

    1.2. - Mercado asiático. O Benfica tem algum jogo a ser transmitido no Oriente? Só se for pela RTP internacional, mas aí, quem a segue religiosamente, segue o Benfica a qualquer hora. Para tal, penso que era preciso que alguém do mercado asiático estivesse interessado em adquirir os nossos jogos, o que me parece bastante improvável.

    2.1. - Já foste ao piso 3 e te sentaste na fila A? E na fila AJ? Totalmente diferente. Eu, ao contrário do que dizes, prefiro que haja mais escalões de preços e que a diferença seja mais reduzida (a diferença actual entre o 3 superior e o 3 inferior é ridícula). E inclusivamente criar diferenças de preço entre o sector 23 (o mais central lá em cima, creio) e os sectores mais laterais (19, 20, 26, 27).

    2.2.1. e 2.2.2. - Com a diferença de preço entre sócios e acompanhantes a cifrar-se em 2,5€, não compensa ser sócio do Benfica. Se há em média 25 jogos na Luz por ano, a diferença ao longo da época será de 62,5 euros a mais pagos pelo acompanhante. Dado que a quota anual no SLB é de 156 euros, creio, essa medida teria de ser revista.

    2.6. - Uma vez mais, o que disse acima: 12,5*15*0,8+156(quotas) = 306 15*15 = 225; 20*15 = 300. Assim não compensa ser sócio.

    3.2. - Isso era muito bonito no tempo em que a Luz era um empedrado sem cadeira. Hoje em dia, num clássico ou derby, achas mesmo que as pessoas se conseguiriam organizar dessa forma? Além de que, pelas regras actuais da UEFA, isso não deve ser permitido.

    Quanto ao resto, concordo com tudo e acho que são ideias passíveis de serem estudadas e eventualmente aprovadas. Bom trabalho.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro JNF,

      Obrigado pelo teu contributo para o debate. Bastante construtivo, o que aprecio.

      1.2 . não tem, porque simplesmente os horários dos jogos não o permitem.

      2.1 - Já fui sim e já estive tanto no inicio como no fim da bancada. Sinceramente acabar com a divisão era a minha escolha, mas criar mais divisões (com menor diferença de preços) também poderia ser uma boa opção.

      2.2.1 e 2.2.2 e 2.6 - Tem de ser sempre um sócio a comprar o bilhete de acompanhante o que pressupõe que o sócio quer levar alguém a ver a bola. Uma medida de incentivo a ser sócio, poderia ser o periodo de venda exclusiva a sócios (que não incluiria acompanhantes. Os preços poderiam também ser revistos.

      3.2 - Acho que sim, pois sendo benfiquistas as pessoas entendem-se. E ali só Benfiquistas sócios do clube!

      Estas ideias, são de alguém que está de fora e que face à informação que tem e ao que são os seus desejos, vê nas mesmas um melhoramento do clube. Não são perfeitas, como nunca pretenderam ser.

      Eliminar
  8. Caro Danilo,

    É a primeira vez que visito o blog. e desde já te dou os parabéns por este post.

    Em relação às propostas:

    1. Seria uma medida importantíssima conseguir colocar os jogos a horas que possibilitassem aos adeptos de zonas mais distantes de Lisboa poderem vir vê-los com toda a família, sem terem de chegar a casa às 2-3h da manhã. Só isto geraria uma receita de bilheteira maior, sem necessidade de reduzir os preços. Provavelmente compensaria até a perda de valores que receberíamos do operador televisivo.

    2. Concordo com a redução de preços mas não com o desconto-quantidade. Geraria ainda mais situações de compra de 50 bilhetes por uma
    só pessoa apenas para os revender. Ainda assim, reduzir preços é uma medida difícil devido à subida do IVA.

    3. A zona dos sócios por mim poderia ser todo o Terceiro Anel. É, no entanto, muito difícil de implementar, porque há demasiados sócios para criar um zona de sócios que não abarcasse pelo menos metade dessa bancada sem perder receitas astronómicas. Não me esqueço do antigo Terceiro Anel, em que os sócios não pagavam, exceptuando jogos grandes, mas, infelizmente, parece-me que esse tempo não voltará.
    3.1. No entanto, quanto aos eventos que sugeres, poderia ser criado um "dia do sócio", onde o sócio não pagaria bilhete para o Terceiro Anel, especialmente se o jogo se realizasse às 3h da tarde. Só para dar um cheirinho da velhinha Luz.

    4. Neste ponto concordo em absoluto com tudo. Não há coisa que mais me irrite do que estar no estádio sem conseguir falar para o lado ao intervalo porque está a dar a "I got a feeling" no volume máximo. Se não consigo dialogar, ao menos seja porque está
    o Luís Piçarra a sobrepôr-se.
    4.1. Reduzir ao máximo o papel do speaker. Informar sobre os 11 iniciais, dizer a matrícula do carro que está a bloquear a garagem, etc. De resto, não é preciso estar a pedir que se grite Benfica (meo! sagres! meo! - é do mais irritante que há).
    4.2. Despedir o Quimbé ou lá como se chama o homem. Cada vez que abre a boca parece que estou a ouvir um anúncio da MediaMarkt - e muitas vezes quando ele fala é mesmo para dizer que a MediaMarkt tem um desconto de 50% em todos os aspiradores.

    Mais uma vez, parabéns pela iniciativa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Gonçalo,

      Muito obrigado pela sua participação com ideias e propostas. O que se quer é debate acerca disto, para em conjunto conseguirmos melhorar!

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.