origem

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Em Barcelona

O Benfica apresenta-se logo em Barcelona, a discutir o 2º lugar do grupo com o Celtic. Temos de fazer o mesmo resultado que eles o que não se afigura fácil, mas como nunca tivemos borlas na nossa história, não era agora que íamos começar. A equipa vai jogar desfalcada de alguns elementos e a ter de atacar para alcançar um bom resultado. Além disto, penso que teremos de fazer uma gestão a pensar em Alvalade, um jogo cem vezes mais importante para um adepto que este em Barcelona, e esta época ainda mais pois está visto que a luta a dois pelo campeonato se vai decidir em detalhes.

Face às ausências da equipa, eu apostaria numa equipa conservadora virada para o contra-ataque. Colocaria jogadores para pressão intensa sobre a defesa e meio campo defensivo do Barcelona de modo a dificultar-lhes ao máximo a transição ofensiva em tiki-taka. Jogaria com dois avançados na frente a pressionar os defesas blaugrana, com dois médios de contenção, um médio ofensivo e um extremo.
Assim sendo escalaria os seguintes jogadores para o onze inicial (4-4-2), com vista a segurar o Barcelona na primeira parte  e quem sabe aproveitar uma oportunidade para inaugurar o marcador.

 
 
O Barcelona não contará com Jordi Alba na lateral esquerda, pelo deixaria na primeira parte esse corredor para Maxi Pereira com a cobertura de André Almeida, que jogará ao centro com André Gomes, a procurar aproveitar as ausências de Xavi e Iniesta. A decisão de deixar Matic no banco tem a ver com dois aspectos; um face à sobrecarga de jogos do sérvio em conjugação com o jogo em Alvalade e o outro pois não precisaremos de altura mas sim de mobilidade. Caso necessário, para segurar o resultado, poderá ser opção para a segunda parte.
A entrada de Nolito em vez de Ola John, é também ela de gestão para segunda feira, mas também do nível de agressividade para este jogo. Nolito é um jogador bastante agressivo sobre os defesas adversários, pelo que será o complemento ideal para a dupla Lima/Rodrigo. Estes terão ainda a função de desgastar ao máximo a defesa blaugrana, com vista ao lançamento de Cardozo na segunda parte se necessário.


 
Porventura, a táctica poderia evoluir para um 4-2-3-1, com Rodrigo a descair para a direita de modo a poder fazer as diagonais de que gosta, equilibrando ao mesmo tempo o miolo (3x3), na luta pela posse de bola. Jogando a equipa do Barcelona muito avançada no terreno, será oportuno tentar explorar esse adiantamento com a velocidade dos nossos jogadores mais avançados.
Com este sistema, o objectivo principal, seria empurrar o Barcelona para trás, de modo a afastá-los da nossa área, e a ganharmos a bola em terrenos mais avançados

De resto, seria esperar pela sorte do jogo e fazer por isso, trabalhando para ganhar a posse de bola, obrigando o Barcelona a lutar por ela também. E para retirar alguma coisa deste jogo, teremos forçosamente de melhorar a nossa capacidade de concretização. Em especial o rácio de golos versus oportunidades. Quem joga com o Barcelona tem de aproveitar toda e qualquer chance.



Como não sou treinador do Benfica, não me cabe a mim escalar os jogadores ou dar a táctica, mas na minha visão de leigo, tendo em conta já o jogo de segunda feira, que considero bem mais importante que o de hoje, seria isto que apresentava.

Boa sorte Benfica. Deixa-nos orgulhosos de ti!

3 comentários:

  1. Precisas de um médico e é já!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo,

      Possivelmente preciso. Recomenda alguém?

      Eliminar
  2. Esta, eu não perdoo a Jesus. NUNCA. Erros sucessivos nas substituições num jogo fácil que um dos treinadores mais bem pagos do mundo complicou e complicou! É muita aselhice junta Sr. Jesus. Se o Benfica não ganhou hoje nunca mais vai ganhar ao Barcelona.

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.