origem

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Exemplos

Pessoalmente, sou apologista de uma liderança por exemplo, ou seja, aplicar primeiro a nós próprios o que queremos que outros façam. Este blog é sobre o Benfica, mas vou fazer um aparte e entrar pela política adentro, de modo a expor o meu ponto de vista.
Não concebo que um governo português que pede austeridade aos portugueses, permita que na Assembleia da República se mantenham inalterados os subsídios de Férias e Natal para os deputados. Não concebo que esse mesmo governo, permita que gastos com contratos ruinosos para o Estado não sejam ajustados, da mesma forma que se ajustam os impostos aos portugueses.
Voltando ao Benfica, não concebo que os actos não acompanhem as palavras. Ou que as palavras saiam da órbita humilde e justa que foi sempre nosso apanágio.

  • Bons exemplos:
Académica - a equipa de Coimbra reduziu o seu passivo em 1,7M€, para os 9,1M€, através dos prémios monetários e das transferências de 2011/2012. E tem em calha mais algumas transferências de 2012/2013 para reduzir o passivo novamente. As medidas adoptadas visam diminuir a dependência estudante dos bancos e vêm no seguimento das propostas da direção.

Paços de Ferreira - Uma gestão criteriosa completamente ignorada na opinião pública portuguesa, que permite ao clube ter orçamentos equilibrados e ajustados à realidade ao mesmo que tempo que não apresenta dividas de maior. Os dirigentes têm um discurso positivo e responsabilizador, mesmo de alerta aos restantes, mas são sistematicamente ignorados.

  • Maus exemplos:
Benfica - Com passivos astronómicos e a pagar 17M€ de juros anuais, o discurso da contenção e criteriosa aplicação dos recursos é votado ao esquecimento com as constantes acções contrárias, nomeadamente a compra de "novos talentos" sul americanos.
Os seus dirigentes menosprezam adversários, desdizem-se uns aos outros, metem-se em assuntos onde não são chamados e contribuem para o clima nefasto do desporto em Portugal.

Porto - O clube está atolado em dívidas e com a corda ao pescoço, tendo de fazer empréstimos obrigacionistas todos os anos, apresentando prejuízos recorde, mas continua a gastar o que não tem. O balão já não tem espaço para encher mais sem rebentar, mas isso não impede os dirigentes do clube de esbanjarem recursos, inclusivamente em auto prémios.

Já era tempo das pessoas serem chamadas à razão, mas a maioria dos sócios não querem realmente saber da actuação dos seus dirigentes. Apenas dos resultados e muitas vezes nem disso.

2 comentários:

  1. E o Sporting? Não merece um destaque também? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. caro vermelhoslb,

      O Sporting também possui muitos maus exemplos, mas para aquilo que queria mostrar, apenas merecem destaque os dois maiores clubes em Portugal, porque no final são eles que estabelecem as tendências em Portugal.

      Já agora, o "único" problema do Sporting chama-se Benfica. É histórico.

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.