origem

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

26 de Novembro de 2011 - O Incêndio sem Castigo

Faz hoje um ano que se deu o incêndio de parte do topo norte do Estádio do Sport Lisboa e Benfica. 


Num quente Benfica vs Sporting que os encarnados venceram por 1-0, o pior aconteceu já depois dos jogadores saírem do terreno de jogo. Na bancada onde estavam os adeptos leoninos, foram incendiadas algumas estruturas de apoio, com maior foco na cadeiras do topo norte. Não só atearam os diferentes focos de incêndio, como impediram qualquer tentativa de extinção prematura dos mesmos por parte dos bombeiros no local. Um verdadeiro caso de polícia, já que tudo isto se deu, ainda com a totalidade dos adeptos leoninos na referida bancada, à espera de sair. Poderia ter sido uma tragédia de proporções enormes.

Ainda referente ao jogo, os dirigentes de ambos os clubes teceram considerações graves acerca dos referidos comportamentos antes e após o encontro. De ambos os lados da barricada se ouviram protestos, uns mais acalorados que outros. Benfica e Sporting lançaram farpas q.b. e acusações mutuas acerca dos responsáveis pelas situações vividas. 
Os responsáveis são, em minha opinião, os seguintes:
  1. Em primeiro lugar, gente que ateia fogos em zonas onde estão alguns milhares de pessoas "presas" tem lugar cativo na cadeia e não em recintos desportivos. Quanto mais depressa se apanharem essas bestas e os impedirem de por o pé dentro de qualquer recinto desportivo, melhor! Não há justificação alguma para aquilo, por mais que se tente escamotear.
  2. Em segundo lugar, as declarações pré-jogo da maioria dos dirigentes leoninos, com o inenarrável Paulo Pereira Cristóvão à cabeça, foram lenha e gasolina para a fogueira (metaforicamente falando). É impossível que dirigentes tenham afirmações como as que tiveram estes, antes de um jogo de futebol e esperem sair incólumes e como vitimas. Mentiras, incitamento ao ódio, trafulhice, enfim...
  3. Em terceiro lugar, é a cultura de impunidade que se vive no nosso futebol, onde a excepção é quem prevarica ser punido devidamente.
  4. Finalmente em quarto lugar, apesar de ter tudo conforme a lei e devidamente aprovado e vistoriado, mandava o bom senso que não se estreasse a Caixa de Segurança no jogo com o Sporting. Foi uma coincidência que, em minha opinião podia ter sido evitada.

Em Portugal sabemos que a justiça civil não é cega e precisa de pedir licença para andar. Não espero uma resolução neste caso que esteja de acordo com a gravidade do mesmo. Se para um dos maiores processos de sempre em Portugal, como é o caso Casa Pia, é o que é, para este não deverá ser diferente.
Mas, é um ultraje, que passe hoje um ano desde que se sucederam estes acontecimentos e que por esta altura, ainda nenhum castigo desportivo tenha sido aplicado quer ao Sporting (pagamento integral dos estragos) quer aos seus adeptos (jogos à porta fechada). Mais, os seus dirigentes não cumpriram qualquer dia de penalização em relação às declarações proferidas. Também já não o irão fazer, pois já todos abandonaram o clube com excepção de Godinho Lopes.
É ainda um ultraje, que apenas Luis Filipe Vieira tenha cumprido um mês de castigo, em directa consequência das declarações proferidas após o jogo. 

Mas o maior ultraje de todos, é continuarmos sem retirar o nosso apoio a quem reiteradamente nos prejudica deliberadamente sempre que pode. Eu lembro-me bem das palavras de Herculano Lima na sua tomada de posse, em relação aos incidentes nos estádios de futebol e às severas punições que iriam ocorrer. Como sócio do Benfica, não me revejo minimamente no que fazem estes artistas dos meandros do futebol. É gente corrupta até ao tutano, que não olha a meios (como nunca olhou) para manter o estado de coisas actual. Com a nossa complacência quase total, nem precisam de se esforçar tanto.

Este futeluso é um autêntico nojo!

PS: Vejam no vídeo em baixo a qualidade desta gente.

1 comentário:

  1. Se dessem jogos à porta fechada ao Sporting isso era positivo para os adeptos, que não teriam de ver aquela equipa de merda.

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.