origem

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

A mente de Vieira

O que dizer sobre o presidente que "nos" governa?


Para um exercício destes é necessário ter memória (e para isso por vezes é necessário voltar atrás e pesquisar, pois a memória de cabeça de um benfiquista é, regra geral, curta). Tentar entrar na mente de Vieira é como entrar num labirinto de olhos vendados. As contradições ao longo dos anos como presidente do Benfica são mais que as mães... Começando...
  • Foi o presidente que criou iniciativas novas, que fomentaram a angariação de sócios até sermos, de longe, o clube com mais sócios registados do mundo Foi também o presidente que anestesiou a massa adepta a ponto de apenas aparecerem 100 sócios para decidir uma matéria tão importante como foi a actualização dos estatutos do clube.

  • Foi o presidente que criou receitas recorde no clube (e SAD), colocando por várias vezes o Benfica entre os que mais recebem por ano. Foi também o presidente que mais fez crescer o passivo, muito contribuindo para isso a atracção irresistível pelas oportunidades de negócio.
  • Foi o presidente que mais verbalizou (ainda mais que Vale e Azevedo) a luta contra o sistema de corrupção instalado no futebol (desporto?) português. Foi também o presidente que mais apoiou grandes figuras desse sistema para cargos de relevo no futebol.

  • Foi o presidente que conquistou oposicionistas uns atrás dos outros, sendo que alguns até fazem (ou fizeram) parte das suas direcções. Foi também o presidente que mais amigos "perdeu" e que efectuou um golpe palaciano para afastar um potencial candidato das eleições de 2009. 

Tão depressa se "esquece" de quem foi Cavém, como manda restaurar o jazigo de Cosme Damião.
Tão depressa enfrenta a Olivedesportos (no caso das Newsletters e dos comentários jocosos) como corre para assinar um contrato novo com eles.
Tão depressa fala no Benfica dos sócios como mete lá dentro indivíduos de cores diversas.
Tão depressa fala quando não deve e sobre o que não deve, como apresenta uma postura sóbria e condizente com o lugar que ocupa.

Em suma, é um mar de correntes violentas, que no fundo no fundo, faz o barco avançar ao sabor do vento e das marés.

A minha questão é: Será que podemos aspirar a ter o melhor de Vieira sempre?

PS:
A entrevista da passada terça-feira, foi demasiado curta para grandes análises. No entanto, foi possível depreender que a postura (deste ano pelo menos) é a focalização interna. Ao contrário de quase todos os outros anos, o discurso incide sempre no Benfica. O que os outros fazem ou deixam de fazer é irrelevante. 

2 comentários:

  1. Se aparecem 100 sócios para actualizar os estatutos a culpa não é de mais ninguém se não dos benfiquistas. Que eu saiba ninguém é proibido de lá entrar.

    Foi o presidente que mais fez crescer o passivo mas foi o que criou um estádio, um centro de estágio, uma televisão do clube, uma fundação, etc. As coisas custam dinheiro e se temos tido grandes receitas deve-se a isso.

    Verbalizou e aconteceu o apito dourado. Se a justiça portuguesa deixa passar a vergonha do futebol português em claro porque escutas não contam então não é um homem que pode mudar um país. Quanto ao resto na entrevista, para quem não percebeu, Vieira deixou uma mensagem aos sócios e adeptos do Benfica. Do que vale falar de arbitragens se nada acontece? do que vale pedir aos adeptos que não vão ver os jogos fora de casa se eles não cumprem? Podem pensar que não tem nada a ver uma coisa com a outra, mas tem tudo a ver.

    Provavelmente afastou candidatos das ultimas eleições com golpes mais sujos. Aí estou de acordo pois não representa o que é o Benfica. No entanto, esses indivíduos que foram afastados nesses golpes palacianos eram realmente de cores diversas. Se a alguns um homem que foi peça chave dos corruptos na era mais negra do futebol português serve para presidente do Benfica então não percebo a indignação.

    De resto por muitas criticas que se façam aos nossos dirigentes não existem salários ou jogadores por pagar e não estamos em falência técnica. Estamos bem e as receitas que temos vindo a obter comprovam-no.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João,

      1. 100% de acordo que a "culpa" é nossa (sócios). Há no entanto que perceber as razões que levam benfiquistas, outrora bastante activos, a deixarem de participar. Em minha opinião há muita influência de Vieira nisto pois fomentou o que eu chamo de ditadura presidencialista. As coisas são decididas pelo presidente. O resto é um pró-forma. Os que apoiam, não vêem necessidade de lá ir pois devido às margens absolutamente esmagadores que obtém, não há risco de faltar votos. Os que criticam, não vêem qualquer utilidade em lá ir. E assim, uns e outros, se vão afastando.

      2. O passivo que temos nesta altura (cerca de 480M€) é fruto de sucessivos anos a dar prejuízo, já depois do estádio concluído (acabado e inaugurado antes de Vieira ser presidente). Anos em que se esbanjaram mais recursos que aqueles que conseguíamos angariar. No último R&C da SAD, é apresentado um valor de cerca de 2M€ de capitais próprios. Há dois anos, com a passagem do estádio para a SAD, eles eram de cerca de 38M€. Consegue ver o padrão?

      3. Vieira não tem qualquer "culpa" ou sequer responsabilidade pelas decisões tomadas pelos órgãos de direito. O que nunca pode acontecer, é sucessivamente apoiar elementos implicados na corrupção. E não só implicados, como instigadores da mesma (e mesmo em plena época do Apito Dourado/Final).

      4. Sabe quem é Jorge Gomes? E Paulo Gonçalves? Indivíduos que a seu tempo, fizeram muito mal ao Benfica. Na mesma situação de José Veiga (a quem se referiu sem o mencionar), que passou de inimigo a amigo pessoal e funcionário da SAD, num piscar de olhos. Qualquer dos três me dá nojo, que estivesse algum dia "connosco".

      5. Falência técnica? se o capitais próprios não ultrapassam os 3M€, segundo o último R&C, já não falta tudo para lá chegarmos novamente. E para finalizar, o nosso problema, nunca foram as receitas, longe disso. O nosso problema foi(e continua a ser) a despesa. Que é incomportável para a nossa realidade.

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.