origem

terça-feira, 11 de março de 2014

Um Benfiquista de Lisboa no Norte do país

A viagem estava apalavrada há algum tempo, mas só se concretizou pois estive uns dias por Portugal a gozar umas merecidas férias. Fui muito bem recebido no norte do país onde a única coisa que destoou, foi mesmo a chuva incessante que caiu todo o fim de semana. O Marco e a sua família foram espectaculares e seguramente voltarei um dia destes.

Ia com alguma espectativa em relação à rivalidade entre Benfiquistas e portistas, que me dizem ser algo que extravasa o âmbito desportivo, com verdadeiras guerras entre pessoas que têm mais em comum do que aquilo que pensam (ou admitem). O que me foi dado a ver, no entanto, não chegou a esses níveis de animosidade. Foi até com bastante civilidade que vi as várias bocas que foram sendo lançadas no fim de semana. Muito provavelmente, devido à má campanha do Porto este ano, e a consequente desmotivação dos seus adeptos, não pude ver essa rivalidade extrema. E ainda bem, pois discutir futebol (ou desporto em geral) não é caso para guerras, embora às vezes dê essa ideia.
As discussões foram quase todas sobre o mau momento do Porto (e possíveis razões para tal) e sobre a possibilidade (ou não) do Sporting ser candidato ao título já este ano. 
Com os jogos de fim de semana vieram inevitavelmente as discussões sobre lances polémicos, embora nunca se tenha passado para o insulto gratuito. O facto de ser unânime que o Benfica foi beneficiado no jogo de Belém, também ajudou a que não se perdesse muito tempo a falar.

No final fiquei com a sensação de que dadas as condições certas, pode-se falar de bola com qualquer pessoa. Desde que exista um respeito mutuo entre ambas as partes. Discuti sobre Benfica e Porto e os seus problemas, com vários portistas e nenhum me insultou, tendo eu pontos de vista diferentes. Claro que não fui para a Ribeira (força de expressão) debater bola com os super dragões, mas pelo que me vinham dizendo vários amigos nortenhos, confesso que tinha pior ideia dos adeptos dessa zona.
Sinceramente acho que falta mais respeito entre todos. É tudo uma questão de educação parece-me. Mas também o que a mim me parece desajustado ou excessivo, poderá ser considerado como normal por quem passa por isso.

A certeza é a de que regressarei brevemente ao norte para se possível ver um jogo do Glorioso.

3 comentários:

  1. Uma coisa é o Norte. Outra coisa, totalmente diferente é parte da cidade e da população do Porto e de alguns dos seus arredores.
    O Norte nunca se reviu nem revê no grémio da fruta. Nunca!
    Por mais jogadas rasteiras que a quadrilha da Palermo portuguesa utilize, por mais sacanices, por mais "compras" que façam, nunca demoverão a população do Norte, do Centro ou do Sul de Portugal da sua vocação e sentimento maioritáriamente Benfiquistas.
    Mas uma coisa pode o blogger crer. A mentalidade mesquinha das gentes portistas - uma coisa também é dizer "tripeiros" ou "portuenses", outra coisa é portistas - nunca mudará e por isso nenhum Benfiquista que se preze deverá fazer uso qualquer tipo de bondade ou tolerância para com este tipo de morcões primatas azuis e broncos.

    Saudações Benfiquistas.
    GRÃO VASCO

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 100% de acordo com o GRÃO VASCO e sei o que digo,pois sou um dos milhares de ENORMES BENFIQUISTAS da cidade do Porto(freguesia de Aldoar)...não sou dos arrabaldes(rio tinto,ermesinde e outras aldeolas).
      Não te iludas Danilo Oliveira,os corruptos de contumil não valem um charuto... mas também é preciso saber coloca-los no lugar,se lhes dás um berro e lhes bates o pé!!!-não sabem onde se esconder,são tigres de papel,é só garganta.

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.