origem

terça-feira, 10 de julho de 2012

Visitas Conjugais

O Proença-A-Zul debitou bosta de vaca pela boca outra vez. Mas desta vez atacou forte e feio o Benfica e quem o dirige. As referências jocosas aos gastos milionários do clube, para tão poucas conquistas, são suportadas por factos, não o nego. O Benfica ganha muito pouco para aquilo que é gasto com o futebol. Muito pouco mesmo. Muitas vezes por erros próprios, mas não menos vezes por erros alheios que beneficiam sempre os mesmos. E nisso este ladrãozeco já provou que sabe o que fazer. Aliás, é extremamente cómico, que este individuo fale da nossa falta de títulos, quando ele é uma das razões para tal acontecer.
As provas estão à vista de todos, especialmente se tivermos em conta as exibições a bom nível que teve na última edição da Liga dos Campeões e do Europeu. Ele sabe arbitrar se quiser. Mas em Portugal, manda quem pode e obedece quem tem juízo. De tal forma que fazendo uma breve estatística dos jogos mais importantes (Clássicos e Derbies) se constata uma coisa interessante:
  1. O Benfica nunca venceu qualquer jogo grande com Proença a apitar.
  2. O Porto nunca perdeu qualquer jogo grande com Proença a apitar.
Em quase todos estes jogos existem queixas graves dos adversários do Porto (ainda no último clássico com o Sporting) e do próprio Benfica. E depois existem também outros jogos menos importantes em que as ajudas ao Porto e prejuízos ao Benfica (ou a quem esteja a "lutar" pelo título) são sempre evidentes.

Por isso a "defesa" de Proença, embalado pela boa carreira em 2011/2012, só pode servir para limpar ainda mais a imagem. Como está quase a acabar a carreira, lá teremos um jogo grande (na Taça da Liga obviamente) em que o Benfica será beneficiado. E aí, far-se-ão manchetes e avençados serão postos a trabalhar 24/7 a difundir a ideia de mais um árbitro "encarnado".
Quando na realidade, deveria ser um árbitro "encanado", e sem direito a visitas conjugais. A sua apetência por visitas ao conselheiro matrimonial já foi documentada, mas, tal como em outros casos, nos processos em Portugal não se julgam criminosos, julgam-se sim níveis de poder, e por conseguinte toda esta corja circula impunemente e alegremente.
Ao contrário do meu consócio Seara, esta merda de gente não terá de mim a minima compreensão, perante os seus erros futuros, que seguramente serão a favor dos mesmos de sempre. Aliás, o referido monte de esterco humano, não só não vai ter a minima compreensão da minha parte, como não o deveria ter de nenhum benfiquista.

Aguardo também pela defesa do clube, na voz do seu presidente. Como? Através de uma conferência de imprensa sem direito a questões, com três pontos de agenda:
  1. Apresentar um gráfico dos referidos jogos grandes (Clássicos e Derbies) que Proença já apitou, com resultados e expulsões. É giro, acreditem em mim.
  2. Apresentar um vídeo de alguns minutos, com todas as tropelias do Pedrinho em jogos do Benfica. Limitar o vídeo a 10 minutos, embora exista material para mais.
  3. Fazer uma curta declaração onde basicamente se elogia muito o Pedrinho pelo seu percurso europeu e pela imensa qualidade demonstrada nas suas diversas arbitragens no estrangeiro, com particular destaque para as arbitragens em fases avançadas das competições europeias e as recentes finais, acabando numa última frase que diga o que está abaixo. 
Perante o que foi demonstrado nesta conferência de imprensa, deverá ser para todos evidente, que o árbitro Pedro Proença, só não é competente em Portugal porque não quer!

2 comentários:

  1. O Pedro Proença diz o que quer porque a direcção do Benfica assim o deixa... Ele anda a falar demais sem que ninguém lhe responda à letra!

    ResponderEliminar
  2. cá pra mim tá a precisar de uns dentes partidos...

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.