origem

sábado, 14 de julho de 2012

Primeiro teste

O Benfica bateu ontem o Marselha por 2-0 no primeiro teste desta pré-temporada.


Já demos boas indicações em alguns momentos, mas parece-me que ainda sofremos dos defeitos da época passada. A seu tempo terão de ser resolvidos.
Os três mais importantes continuam a ser:
  1. a irracional descida de Javi para 3º central quando saimos em ataque organizado, o que deixa um vazio no nosso meio campo defensivo e permite ao adversário ter tempo para pensar e executar sempre que recupera a bola no meio campo.
  2. a completa falta de apoio dos extremos aos laterais. Maxi já vive bem com isso pois Luisão vai compensando naquele lado, mas na esquerda (a exemplo do que sucedia com Emerson e Capdevila) Luisinho e Melgarejo, viram-se quase sempre em inferioridade numérica.
  3. A notória falta de soluções defensivas, caso alguém esteja indisponível. Matic a substituir Javi e Melgarejo a substituir Luisinho não são soluções. Maxi, Luisão e Garay fizeram o jogo todo. Havia necessidade disso?
Diga-se também, que este Marselha está a anos luz daquele que eliminámos em 2010. A equipa francesa demonstrou porque razão ficou em 10º lugar no último campeonato francês. O Benfica dominou sempre os acontecimentos e as duas oportunidades dos gauleses, surgiram de duas infantilidades nossas a meio campo. Numa resolveu Artur (sempre seguro) e na outra o recém-entrado Paulo Lopes (boa exibição do português). Sobre Paulo Lopes, digo já que a sua experiência vai ser útil esta época.

Em relação às caras novas, gostei muito de Ola John, e Melgarejo.
O primeiro pois confirmou a velocidade de execução que tem, tendo boas arrancadas pelo flanco direito. Seguramente que será uma peça importante no desbloquear de alguns jogos. Possivelmente os mais importantes.
O segundo, porque mesmo sacrificado a uma posição que não é a sua, lutou e batalhou muito não se coibindo de ir à frente. Demonstrou atitude e garra. Mesmo achando que é um desperdício não o utilizar à frente, fiquei um pouco surpreendido.

Em relação ao treinador, mostrou-se interventivo e isso nesta fase da época é o mais importante. A noticia de que não falará até ao fim do estágio é excelente. Vai permitir que se foque no essencial e que a sua imagem sofra alguma recuperação depois do desgaste enorme que tem levado nos últimos dois anos. Por mim era continuar até ao final da época, salvo casos pontuais.

No geral, tenho sensações mistas em relação ao jogo. Se por um lado já tinha saudades de ver o Benfica e alguns jogadores me agradaram (o Carlos Martins mostrou em 30 minutos que nunca deveria ter sido emprestado a época passada), por outro, notei as mesmíssimas lacunas que apresentámos anteriormente. Ainda temos um mês de tranquilidade para os resolver. Espero sinceramente que o consigamos fazer.

Para já, não estou tão "eufórico" como os jornais.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.