origem

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Como dar tiros nos pés - Politica de contratações


A politica de contratações do Benfica deixa muito a desejar, acho que já toda a gente percebeu. Mas por que razão especifica? São as más contratações? A falta de aposta continuada nos jogadores? Ou talvez a massa associativa exigente?
Como a posição do momento é a de defesa esquerdo, façamos uma análise à posição nos últimos 5 anos.

Em 2007/2008 o Benfica tinha como defesas esquerdos Léo, Miguelito e Sepsi (que também jogava a extremo esquerdo). A qualidade de Léo era inquestionável nessa altura, pelo que não se afigurava necessário contratar alguém indiscutível para a posição. E com um jovem promissor a despontar pensou-se que poderiamos ter a breve trecho um jogador português na posição. Falo de Ruben Lima, que por motivos vários acabou por não vingar no clube (e para já em mais lado nenhum).
Em 2008/2009, o Benfica dispensou Miguelito e Sepsi (cuja categoria para jogar no Benfica nunca foi comprovada mesmo antes de serem contratados) e contratou Jorge Ribeiro ao Boavista, numa prespectiva de substituto de Léo. Parece-me acertada a decisão de arranjar um suplente para Léo, mas a escolha em Jorge Ribeiro foi uma adaga cravada no peito de muitos benfiquistas. Nesta sua passagem pelo Benfica, Jorge Ribeiro demonstrou que a sua anterior dispensa tinha sido acertada. O problema foi que Quique Flores, embirrou com Léo e o pequeno Maradoninha saiu em Janeiro do clube. Ficámos sem lateral esquerdo, sendo que Quique Flores adaptou David Luiz à posição até final do ano. Desperdicio puro.
Em 2009/2010, o Benfica foi buscar no inicio da época dois laterais esquerdos. Shaffer e César Peixoto. Peixoto veio com o treinador recém contratado, embora no Braga já não fosse opção regular para a lateral esquerda mas sim para o meio campo. Começa o campeonato e embora com muitas lacunas defensivas, Shaffer fez alguns jogos que entusiasmaram a bancada fruto da sua apetencia para cruzar. Pouco no entanto, quando a sua missão era defender com qualidade. Peixoto ganhou o lugar até Dezembro e até fez um excelente jogo contra o Porto no ultimo jogo do ano. Mas seria a partir da adaptação de Fábio Coentrão à lateral esquerda que o Benfica recuperava um excelente jogador nessa posição. Durante o resto da temporada, formou com Di Maria uma asa esquerda fenomenal (agora faz o mesmo em Madrid - sempre que chamado - e na selecção com Ronaldo).
Em 2010/2011 o Benfica foi buscar Fabio Faria para ser central e suplente de Fabio Coentrao. Vieram os dois do Rio Ave, mas Fabio Faria nunca demonstrou qualidade para ser central do Benfica (sua posição de raiz), quanto mais o lateral suplente de Coentrão. Vendo o erro, contratou-se em Janeiro, o francês Carole, para se ambientar ao clube e poder ser no futuro o substituto de Coentrão, que já nesta altura se via como um dos alvos dos tubarões europeus. Podiamos ter deixado a contratação para o final de época pois Carole seria então um jogador livre. Apostou-se, e bem, na sua contratação antecipada. Carole efectuou alguns jogos de águia ao peito, em que demonstrou alguma qualidade. Pessoalmente, pareceu-me que como um pouco mais de entrosamento e também apanhando o Benfica numa maré positiva, tinhamos ali um jogador de futuro desportivo e de muito retorno financeiro.
Em 2011/2012, Coentrão, como já se adivinhava, saiu e rumou a Madrid, deixando um vazio na lateral esquerda. Vazio não, porque tinhamos Carole. Assim não pensaram os dirigentes. O Benfica emprestou Carole e contratou o campeão francês Emerson e o campeão da Europa e do Mundo Capdevila. À partida seria o espanhol a titular e o brasileiro como suplente, mas na realidade Emerson agarrou o lugar e manteve-se na posição até ao fim da época. Capdevila ficou inclusivamente de fora da lista da Champions sendo inscrito o jovem Luis Martins. Em relação a Emerson, odiado por muitos adeptos, que não viam nele qualidade suficiente para ser titular do Benfica, o treinador nunca deixou de lhe dar confiança e apoio. Mesmo quando Capdevila ultrapassou os seus problemas fisicos e parecia estar a entrar na equipa, nunca a opção recaiu nele.
Para 2012/2013, já foram dispensados ambos e contratado Luisinho ao Paços de Ferreira. Luisinho foi um dos bons jogadores do Paços em 2011/2012, mas em minha opinião nunca mostrou qualidade para ser contratado. Fará melhor que o jovem Luis Martins ou Carole? Sinceramente duvido muito disso. Na realidade parece-me que Luisinho será mais um que daqui a um ano (ou menos) será dispensado sem glória.
E temos noticias de contratações de mais um defesa esquerdo quase todos os dias. Sempre à procura da nova 8ª maravilha mas gastando muitas vezes 4 e 5 tentativas até acertar.

A politica demonstrada para o Lateral Esquerdo é extensível a quase todas as posições. Em alguns casos a falha é mais bem disfarçada, mas temos sempre um quebra cabeças do catano para resolver sempre que alguém sai. Não peço que se acertem todas as contratações, mas que raio vieram fazer para o Benfica jogadores como Fábio Faria, Jorge Riberio ou Sepsi? E porque razão não foram dadas mais oportunidades a Carole? Esteve 6 meses de águia ao peito (ainda assim mais que alguns "companheiros") e depois eclipsaram-no por completo.

Temos forçosamente de ter mais rigor na politica de contratações. Parece-me no entanto que isto só tende a piorar, face ao que se verifica desde que decidimos ir para a frente com a equipa B.

4 comentários:

  1. Não há muito mais a dizer... O Carole poderia ter sido aproveitado...
    Quanto ao Luisinho, não acredito que faça melhor que o Emerson... Mas para segunda alternativa, já deve dar.
    Falta sim um jogador de qualidade indiscutível para o lado esquerdo da defesa. Capdevila deveria ter sido esse jogador, mas o JJ embirrou com ele...
    Agora vão demorar semanas para fechar a aquisição do Rojo que já deveria integrar os trabalhos da pré-época...
    Enfim...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro John,

      É isto a politica de contratações do Benfica. Rotação de um plantel a cada 3-4 anos (salvo 2 ou 3 jogadores). Desde 2008 que o Benfica gasta muito dinheiro em contratações de um ano ou menos. Agora até já contratamos para não jogarem por nós...

      Eliminar
  2. E... SE EU GOSTO DO BENFICA!
    Ter ou não ter JOGADOR, (seja defesa-esquerdo ou outro qualquer lugar), depende sempre dos benfiquistas porque com o "tratamento" feito, por BENQUISTAS, a alguns dos jogadores citados, (normalmente por acção dos média), nunca chegamos a perceber a qualidade dos mesmos.
    SÓ TEMOS QUE APOIAR OS QUE MAIS PRECISAM ...
    E DEPOIS VER ...
    VIVA O BENFICA!!!
    Chxico

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Chxico,

      Não se trata só do apoio (ou falta dele) que vem da bancada. Alguns jogadores nem chegam a ter a possibilidade de poder sentir esse apoio. Outros, são à partida apostas com grande probabilidade de falharem. Ou ainda, contratações a granel para posições em que o que não falta é qualidade!
      Temos de rever isto, pois não se pode sustentar uma situação destas indefinidamente.

      Eliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.