origem

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Uma questão irracional

Como se responde à pergunta "Porque és do Benfica"?

Pessoalmente não sei responder a essa pergunta. Sou porque existo neste mundo e não imagino sequer o que seria existir e não ser do Benfica. É algo que extravasa largamente os domínios da razão e que aparentemente se passa com qualquer adepto de qualquer clube. Talvez seja por uma questão de pertença, porque a cor principal do clube me chamou (o vermelho é a minha cor favorita) ou ainda porque me identifiquei (sabe-se lá porquê) com os valores o clube.

Eu podia ser do Sporting, ou do Porto, ou da Académica de Coimbra, ou de um dos Vitórias, ou de... bem, vocês percebem a ideia.
Na realidade, a bem dizer, só poderia ter sido de um de dois clubes: o Sport Lisboa e Benfica ou o Sporting Clube de Portugal. De um lado tinha o meu pai, absolutamente fanático do Glorioso e que me fez sócio do Benfica mal nasci. Mas do outro, tinha o meu saudoso avô (que saudades avô Chico, que saudades) fanático do Sporting e que me levou a alguns jogos no antigo José Alvalade.
Vejo hoje, em retrospectiva, que a "batalha" do meu avô seria sempre inglória, pois como escrevi em cima, nunca me imaginei não sendo do Benfica. Mas nem por isso deixei de adorar todos os momentos em que me tentaram "roubar" ao Benfica. As idas ao estádio, as prendas verdes, as promessas de viagens para ver o Sporting, enfim, todas as tácticas conhecidas que se usam para tentar convencer os putos. Lembro-me como se fosse hoje, de chorar porque me queriam por do lado verde num jogo de matraquilhos. Mas guardo todas essas lembranças com bastante carinho, porque sei, que foi também por isso que posso hoje dizer que sou do Benfica. Inequivocamente Encarnado até morrer.

À pergunta inicial, respondo hoje um simples "Porque sim", pois não há razão por detrás da escolha.

PS: Convido todos os leitores a exporem a sua versão do porquê de serem do Benfica (ou de outro clube)

1 comentário:

  1. Por influência paterna inicialmente. Mas isso é só o início. Depois há toda a descoberta, a solo, do que foi o Sport Lisboa e Benfica. Foi vermos aqueles jogadores fantásticos que envergaram a camisola. Os treinadores ambiciosos e os dirigentes que tanto amaram o clube que o fizeram ainda maior. Depois as pequenas histórias, como a do autocarro do Barreiro... O significado heróico atrás de cada conquista. O desejo que se repetisse tudo. Outra vez, para eu também ver. Hoje não há nada disso. Há um conjunto de crápulas que se apoderaram do Benfica e que está a destruí-lo... E por isso eu sou benfiquista, mas não deste! Porque este não o clube pelo qual me (nos) apaixonámos! Este de hoje vive à custa da cegueira das pessoas. Mas não da minha. Eu já abri os olhos. E vocês?

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.