origem

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

80.000.000,00€?

http://www.jornaldenegocios.pt/mercados/taxas_de_juro___credito/Detalhe/benfica_sad_convoca_ag_para_autorizar_emissao_obrigacionista_de_ate_80_milhoes.html

O link acima, envia o leitor para uma noticia do Jornal de Negócios do dia de hoje, referente à possibilidade do Benfica emitir divida num montante global de 80 milhões de euros.

É para mim absolutamente aterradora esta noticia e demonstra que nada mudou na nossa política económica e financeira.. Pergunto-me sinceramente quem aceitará emprestar-nos tal verba.

EDITADO 26/02 16:45h:

Segundo o último R&C trimestral apresentado em Dezembro os valores são estes a 30/09/2012:

Até um ano
38.007.321€ - Empréstimos bancários e overdrafts
90.000.000€ - Empréstimos obrigacionistas
32.600.000€ - Outros empréstimos
17.530.022€ - Factoring

178.137.343€ - Total a pagar a um ano.

As condições dos Empréstimos à mesma data são:

Maturidade
Outubro 2012  - 32.600.000€ - Papel Comercial 2009/2014 EUR1M+3%
Novembro 2012 - 12.000.000€ - Empréstimo BES EUR3M+6%
Novembro 2012 - 16.800.000€ - Empréstimo BES EUR3M+6%
Dezembro 2012 - 50.000.000€ - Benfica SAD 2012 EUR2M+5,85%
Abril 2013    - 40.000.000€ - Benfica SAD 2013 6% (taxa fixa)
Junho 2013    - 3.951.415€  - BES/Millennium bcp - bonificado EUR6M+2% (Benfica Estádio)
Julho 2013    - 10.030.022€ - Investec 10,35% (taxa fixa)


EDITADO 26/02 20:00h:

http://web3.cmvm.pt/sdi2004/emitentes/docs/CONV43593.pdf
Convocatória para a AG da SAD.

19 comentários:

  1. Emprenhas como uma vaca...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo.

      A noticia não sai num pasquim. Sai no Jornal de Negócios!

      Eliminar
  2. é só saudinha financeira... vamos embora para mais um empréstimo.

    ResponderEliminar
  3. Um emprestimo obrigacionista é uma aplicacao financeira que qq um de nos pode fazer.
    Ou seja, emprestas dinheiro ao benfica com uma taxa de juro previemente estipulada.
    É como se fosse um deposito a prazo. Para o benfica é uma operacao boa pois podera pagar outros emprestimos com juros mais altos que o que ira pagat aos investidores obrigacionistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro kirdord,

      Se o primeiro empréstimo foi taxa a 4% e o segundo a 6%, qual acha que vai ser a rentabilidade neste caso, com a crise instalada?

      Eliminar
  4. Calma, só vamos refinanciar a dívida de curto prazo do clube...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo,

      Essa tem sido a receita. Refinanciar quando os prazos de reembolso expiram. Os custos financeiros é que já vão nos 17M€. Com mais este recurso este valor tem tendência a aumentar e não a diminuir como seria desejável.

      Eliminar
    2. Alguém disse um dia que a dívida gere-se, não se paga... qualquer empresa de referência faz este tipo de operações, que se resume a alongar o prazo de reembolso da dívida financeira.
      Neste pressuposto, faz sentido e já estava implícito aquando da primeira emissão. O custo desta emissão vs o custo do que se paga hoje é importante para determinar se existe acréscimo de encargos financeiros - é o expectável porque todos pagamos hoje em dia empréstimos mais caros que há 3/4 anos atrás.
      Também por não existir alternativa, não faz grande sentido pensar-se em reembolsar os empréstimos que estão a vencer-se, esta operação é por isso vital.
      Já um cenário em que parte desta nova emissão obrigacionista é utilizada para outros fins que não para reembolsar dívida existente (por exemplo, para novas aquisições para o plantel) é preocupante porque os tempos são de contenção e não existe espaço para rentabilizar esses investimentos (sem falar no aumento da massa salarial).
      Dito isto e sem se saber a 100% onde vamos aplicar a massa da emissão, mas antecipando-se que será no reembolso de dívida exigível no curto prazo (até porque a mensagem de contenção vem de cima), fará sentido.

      Eliminar
    3. Um outro fim aceitável para parte desta nova emissão podia ser a recompra de percentagens de passes de jogadores do plantel actual vendidas aos fundos.
      Depende... convém que a direcção esclareça o que pretende fazer com a massa.

      Eliminar
  5. A direcção do Benfica tem o dever de explicar as razões deste procedimento.

    ResponderEliminar
  6. Mas ouvi dizer que a dívida que se vence é de 40 milhões.
    Se assim for teremos mais 40 milhões a juntar ao passivo, apesar da política de venda dos bons jogadores, que podem render valores significativos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro José,

      A resposta vai dar direito a actualização do artigo.

      segundo o último R&C trimestral apresentado em Dezembro os valores são estes a 30/09/2012:

      Até um ano
      38.007.321€ - Empréstimos bancários e overdrafts
      90.000.000€ - Empréstimos obrigacionistas
      32.600.000€ - Outros empréstimos
      17.530.022€ - Factoring

      178.137.343€ - Total a pagar a um ano.

      As condições dos Empréstimos à mesma data são:

      Maturidade
      Outubro 2012 - 32.600.000€ - Papel Comercial 2009/2014 EUR1M+3%
      Novembro 2012 - 12.000.000€ - Empréstimo BES EUR3M+6%
      Novembro 2012 - 16.800.000€ - Empréstimo BES EUR3M+6%
      Dezembro 2012 - 50.000.000€ - Benfica SAD 2012 EUR2M+5,85%
      Abril 2013 - 40.000.000€ - Benfica SAD 2013 6% (taxa fixa)
      Junho 2013 - 3.951.415€ - BES/Millennium bcp - bonificado EUR6M+2% (Benfica Estádio)
      Julho 2013 - 10.030.022€ - Investec 10,35% (taxa fixa)

      Corda na garganta??? Parece mesmo....

      Eliminar
    2. O retrato apresentado refere-se a 30/09/2012, cinco meses depois não sabemos se a situação é melhor ou pior. O próximo vencimento será de facto de 40.000€.

      Eliminar
    3. Do Relatório e Contas relativo ao primeiro trimestre da época corrente:

      "À semelhança do referido no Relatório e Contas de 2011/2012, o saldo corrente da rubrica de empréstimos obtidos inclui 122,1 milhões de euros relacionados com os empréstimos obrigacionistas “Benfica SAD 2012” e “Benfica SAD 2013”, que se vencem em Dezembro de 2012 e Abril de 2013, respectivamente, e com o programa de papel comercial que terminará em Janeiro de 2014, mas cujas subscrições são efectuadas por períodos máximos de 6 meses. Contudo, a Benfica SAD considera que desse montante, previsivelmente cerca de 118,1 milhões de euros serão renovados no decorrer do próximo ano e, por esse motivo, não serão exigíveis a curto prazo."

      A expectativa de renovação já lá vinha, logo isto não é novidade.

      Eliminar
  7. Era bom que falasses de algo que dominasses, pq a pergunta que fazes nao tem qualquer lógica num emprestimo obrigacionista!

    ResponderEliminar
  8. recomendo: leiam bem o comunicado à CMVM...

    vai ser realizada assembleia geral para autorizar... "...outros valores imobiliários..."

    ResponderEliminar
  9. A boa noticia é que sendo de 80 milhões, quanto a mim um valor demasiado elevado para o que efectivamente é necessário, algum do dinheiro é para ser investido. Espero e acredito que seja para usar na BenficaTV devido à transmissão dos jogos a partir da próxima época.

    ResponderEliminar
  10. Danilo,

    Sem me querer muito alongar no assunto, até porque ainda não saíu o R&C de Dezembro, acho que isso implicará que a redução do passivo obrigacionista será de 10 milhões.
    Para mim o importante é saber os custos destas novas emissões, quer custos das operações, quer as taxas de juro, bem como perceber se relativamente ao restante passivo irá haver abate ou apenas revolving.

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.