origem

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Entradas e Saídas


O Benfica anunciou Yannick Djaló como reforço de inverno quase ao mesmo tempo que o Braga anunciava Rubén Amorim por ano e meio. Num dos posts anteriores, disse que apenas se justificariam entradas, caso um dos "indisciplinados" fosse transferido. Foi o caso. Rubén, numa das maiores anedotas de que tenho memória, pede desculpas, renova e vai para Braga. Não há qualquer conexão entre estes factos. Pelo menos, não cabem num mesmo dia e para a mesma pessoa.
A saída de Amorim era algo esperada, pois estando o jogador impedido de treinar com a equipa desde o fatidico dia do jogo com o Rio Ave, não se vislumbrava outra opção que não a transferência. Agora, para reforçar o Braga? Que desde há alguns anos a esta parte é tudo menos um clube amigo do Benfica? Não se compreende de todo. Se as relações entre presidentes dos dois clubes são as melhores possíveis, já entre os clubes (institucionalmente) não passam de mediocres. A escalada de violência em Braga, sempre que o Benfica lá vai é assustadora e quem paga são sempre os mesmos, nós os adeptos. A única explicação que eu posso conceber para este negócio (negociata?) é uma tentativa de tirar o Braga da órbita do Porto, tornando-o (novamente) num clube amigo.
A saída de Amorim foi compensada com a entrada de Yannick Djaló, jogador desempregado, sobre quem o Sporting (sempre a mesma fixação com o Glorioso) reclama direitos económicos (25% ou 50%?). À partida, não será um substituto natural de Amorim, pois as caracteristicas de ambos diferem bastante. Yannick, pelo que apresentou em Alvalade, é um jogador de ala esquerda com tendência para vir ao meio rematar, tendo marcado alguns golos assim pelos leões. Parece-me ter pulmão suficiente para as correrias necessárias, mas falta-lhe cultura táctica, vagueando muitas vezes dentro do campo. O que poderá estar então na base desta contratação? 
Em minha opinião, Jesus vai tentar fazer com Yannick o mesmo que fez com Coentrão: criar um jogador explosivo vindo de trás fazendo uso de um dos melhores atributos de Yannick como é a sua velocidade. E se Amorim tivesse ficado no plantel, seria para substituto de Maxi e não para o meio campo. Resta saber se (sendo essa a opção) Yannick se saberá adaptar ao espartilho táctico que Jesus obriga muitos jogadores a meterem (especialmente os defensivos). E se terá pulmão suficiente... (em minha opinião é possível)

Faltando poucas horas para o fecho do mercado, é imperativo que não saia ninguém do plantel (espero que não venha nenhum tubarão com dinheiro para cláusulas pescar por aqui). Digo mesmo mais, seria catastrófico sair alguém nesta altura. O Benfica está bem e já há individuos suficientes a tentarem mandar-nos abaixo. Não queremos que os nossos dirigentes lhes facilitem a tarefa.

2 comentários:

  1. Pois, realmente não haveria outro clube a quem emprestar o Ruben Amorim, senão ao Braga? É uma falta de respeito para com os adeptos que, ano após ano, são maltratados naquele estádio.

    ResponderEliminar
  2. Mas desde quando e que o vieira se preocupa com a opinião do sócios? Quem come do que gosto não importa o sabor mesmo que seja porcaria.

    ResponderEliminar

Não serão admitidas faltas de respeito ou insultos nos comentários. Seja aos autores dos artigos, seja entre comentadores.
Pense bem antes de escrever.